Busca

Categoria: Eleições


09:29 · 17.04.2017 / atualizado às 09:30 · 17.04.2017 por
PMDB e PT são os partidos com mais filiados no Brasil, de acordo com último levantamento.

Termina nesta segunda-feira o prazo para os 35 partidos políticos com registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviarem a relação atualizada de seus filiados. Todos os anos, de acordo com a Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/1995), as legendas têm até a segunda semana dos meses de abril e outubro de cada ano para fazer a atualização.

A lei determina que as listas devem ser enviadas aos juízes eleitorais, para arquivamento, publicação e cumprimento dos prazos de filiação partidária para efeito de candidatura a cargos eletivos, com a relação dos nomes de todos os seus filiados. Alem disso, devem conter a data de filiação e o número dos títulos e das seções eleitorais em que os filiados estiverem inscritos.

Um dos requisitos para o registro de candidatura a cargos eletivos é a prova de filiação partidária. Para concorrer, o candidato deverá estar filiado à legenda pela qual pretende concorrer há pelo menos um ano antes do pleito.

 

Filiados

A última listagem entregue à Justiça Eleitoral, em outubro do ano passado, está disponível no sistema Filiaweb e contabiliza 16.623.411 eleitores filiados a partidos políticos.

Segundo a última relação, a legenda com o maior número de filiados é o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), com 2.401.556 (14,44%) inscritos. O Partido dos Trabalhadores (PT) ocupa a segunda posição, com 1.586.521 (9,54%) filiados.

Já as agremiações que têm o menor número de inscritos são o Partido da Causa Operária (PCO) com 2.937 (0,018%) e o Partido Novo (NOVO), com 8.822 (0,053%) filiados.

do TSE

 

 

09:41 · 25.02.2017 / atualizado às 09:43 · 25.02.2017 por
Lúcio Alcântara disse que trocou algumas ideias com o governador, mas não falaram sobre política partidária. FOTO:  CARLOS GIBAJA – do Palácio da Abolição

O governador Camilo Santana recebeu, na manhã de ontem, sexta-feira, na residência oficial, o ex-governador Lúcio Alcântara, presidente do Partido da República (PR). Adversários políticos os dois estiveram em lados opostos nas duas últimas eleições, em 2014, quando Camilo foi eleito governador do Estado (e Roberto Pessoa, do PR, foi candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Eunício Oliveira, do PMDB), e no ano passado, quando o chefe do Poder Executivo apoiou o prefeito reeleito Roberto Cláudio (PDT), que esteve disputando no segundo turno contra Capitão Wagner, do PR.

A presença de Alcântara na residência do chefe do Poder Executivo estadual, segundo ele informou ao Diário do Nordeste, tinha como  intuito único fazer convite ao governador para participar de solenidade de posse como presidente do Instituto do Ceará, a ser realizada na tarde do dia 4 de março, no fim da tarde. O dirigente afirmou que queria entregar o convite pessoalmente a Camilo Santana.

Ainda durante o encontro os dois trocaram algumas informações, principalmente, sobre a questão hídrica no Estado. “Naturalmente, que surge uma conversa aqui e ali”, disse Alcântara, ressaltando, porém, que não foi tratado nada sobre política partidária. Nos últimos meses Camilo Santana tem se aproximado de figuras políticas de outras vertentes. Ele chamou para seu secretariado filiado do PSDB e está cada vez mais próximo do  PSB,  quando surgiu, inclusive, rumores de sua saída do PT e ingresso na sigla pessebista.

O governador postou  em sua página no Facebook uma foto com o ex-governador em que agradece o convite feito para a solenidade. “Recebi dele o convite para a solenidade de posse da nova diretoria do Instituto do Ceará, entidade na qual é presidente. Agradeço ao ex-governador pela visita e pelo convite para o evento”. Em princípio, Camilo Santana deve ir ao evento, segundo assegurou Lúcio.

 

12:23 · 12.12.2016 / atualizado às 12:23 · 12.12.2016 por

O diretório municipal do PMDB de Sobral protocolou, nesta segunda-feira, Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), no fórum de Sobral, com o objetivo de suspender a diplomação dos candidatos eleitos nas últimas eleições. O prefeito eleito do Município é o deputado estadual Ivo Gomes (PDT), que segundo informou, deve ser diplomado na próxima sexta-feira (16).

São citados na ação além de Ivo, a vereadora Cristiane Coelho (PT) e os vereadores Carlos do Calixto (PDT, Itamar Ribeiro (PDT), Aleandro Linhares (PDT) e Paulao (PSD).

Dentre os fatos utilizados na peça jurídica são citados a demissão de servidores públicos por perseguição política, entrega de obras através de licitação fraudada em troca de votos, utilização de dinheiro para compra de votos, além de uso da máquina pública para influenciar na decisão dos eleitores.

Ivo Gomes ainda não se manifestou sobre a ação.

10:54 · 11.12.2016 / atualizado às 10:54 · 11.12.2016 por
A eleição entre Zezinho e Sérgio geraram todo o mal-estar na base de Camilo. FOTO: José Leomar
A disputa entre Zezinho e Sérgio geraram todo o mal-estar na base de Camilo. FOTO: José Leomar

Ao que tudo indica o processo de eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, encerrado no primeiro dia deste mês, está sendo mais traumático do que se previa. Logo após o resultado da disputa, que reelegeu Zezinho Albuquerque (PDT) para o biênio 2017-2018, parlamentares chegaram a dizer que com o tempo os ânimos ficariam amenos, mas não é isso que está se configurando.

O deputado Odilon Aguiar (PSD) já disse que, a partir de agora, fará oposição ao Governo Camilo Santana, logo ele que há algumas semanas estava em uma das secretarias da administração do petista. Outros parlamentares das siglas PSD e PMB ainda aguardam uma reunião com o líder oficial do grupo, Domingos Neto, presidente do PSD, para tomarem uma posição.

Neto, por sua vez, já parece determinado a consolidar o rompimento com o grupo político dos Ferreira Gomes, tanto que se reuniu na sexta-feira passada com Eunício Oliveira e Gaudêncio Lucena,respectivamente, presidente e vice-presidente do PMDB.  Nas redes sociais, Domingos Neto postou a foto ao lado dos dois dirigentes peemedebistas com a frase “estamos juntos”. Oliveira foi derrotado por Camilo Santana nas eleições de 2014 ao Governo do Estado, enquanto que Lucena foi derrotado nas eleições deste ano pelo prefeito reeleito, Roberto Cláudio. Gaudêncio foi candidato a vice na chapa encabeçada por Capitão Wagner,do PR. Antes, Domingos Neto havia postado uma foto sua com o senador Tasso Jereissati, após um encontro dos dois no escritório do senador em Fortaleza.

Domingos Neto já se articula com a oposição a Camilo. FOTO: DIVULGAÇÃO
Domingos Neto já se articula com a oposição a Camilo. FOTO: DIVULGAÇÃO

Ainda na semana passada, um golpe foi sentido no grupo do PMB e PSD no Ceará, quando o deputado Heitor Férrer (PSB) apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para a fusão dos Tribunais de Contas dos Municípios (TCM) e Tribunal de Contas do Estado (TCE), no Ceará. Acontece que Domingos Filho, pai de Domingos Neto, é o presidente recentemente eleito para o TCM.

Alguns denunciariam que Férrer foi usado como “soldado” dos Ferreira Gomes para se vingar de Domingos Filho, que teria participado ativamente da disputa para a presidência da Assembleia, apoiando o candidato derrotado Sérgio Aguiar (PDT), que saiu da base governista de Camilo e agora se diz “independente”.

Filho aguarda ser chamado em audiência pública para dizer da inconstitucionalidade da matéria, bem como anunciou que acionaria a Justiça para que Ivo Gomes (PDT), prefeito eleito de Sobral, explique declarações feitas nas redes sociais, em que diz que o TCM estava sendo utilizado para beneficiar prefeitos “picaretas” e atacar os bons prefeitos.

Camilo Santana espera reunir o maior número possível de aliados

Enquanto isso, os ânimos no Poder Legislativo Estadual seguem alterados, e o governador Camilo Santana espera, nesta segunda-feira, reunir o máximo de apoiadores possíveis para fechar questão em torno de matérias polêmicas que devem chegar à Assembleia nesta semana, dentre e mudanças na administração pública, um “pacote de austeridade” e uma PEC que trata de alterações na previdência social do Estado.

Apesar de não contar com o apoio de alguns, até pouco tempo aliados, Camilo Santana terá reforço da participação de Audic Mota e Agenor Neto, ambos do PMDB e que apoiaram a candidatura do candidato do governador,  Zezinho Albuquerque à presidência da Casa. Agora, espera-se que esses apoiem à causa do Governo.

10:39 · 11.12.2016 / atualizado às 11:20 · 11.12.2016 por
Devido a limitações constitucionais, os parlmaentares recorrem a esse tipo de proposta. FOTO: José Leomar
Devido a limitações constitucionais, os parlamentares recorrem a esse tipo de proposta. FOTO: JOSE LEOMAR

Os deputados estaduais cearenses instituem datas que nem eles cumprem. No decorrer dos dois primeiros anos dezenas de datas comemorativas foram inseridas no calendário oficial do Estado do Ceará. Devido a limitações constitucionais, os parlamentares, muitas das vezes, apresentam matérias que tratam sobre concessão de título de cidadania, tornando determinadas entidades como de utilidade pública e instituindo dias a serem comemorados no calendário do Estado.

Dentre as datas comemorativas que agora fazem parte do nosso calendário estão o Dia do Pastor Evangélico (no Ceará), o Dia do Transporte Complementar, o Dia do Delegado da Polícia Civil, do Jovem Evangélico, do Jovem Adventista, do Trabalhador Sindical, do Judô,  do Agente Digital, do Escoteiro, do Judô, do Consultor Parlamentar e até do Sukyo Mahikari, que é um grupo considerado “suprarreligios“o, de origem japonesa.

O Dia Estadual de Combate à Corrupção não foi celebrado no Estado

Também se criou, neste ano, o Dia Estadual de Combate à Corrupção, que deveria ser comemorado na sexta-feira passada, mas ao que tudo indica, nenhuma ação foi realizada pelo Estado ou pela Assembleia Legislativa neste sentido. Ao contrário disso, a Casa Legislativa não realizou a sessão ordinária prevista para o dia por falta de deputados suficientes para abertura da plenária.

Na proposta, de autoria da deputada Fernanda Pessoa (PR), ela diz o seguinte: “O presente projeto de lei tem como finalidade, instituir, no calendário oficial do Governo do Estado do Ceará, o Dia de Prevenção e Combate à Corrupção no dia 09 de dezembro, devendo ser realizados eventos, encontros, palestras, seminários e debates, prestigiando e homenageando as pessoas da sociedade civil que se dedicaram a causa“.

19:25 · 30.11.2016 / atualizado às 19:25 · 30.11.2016 por

O presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri),  Francisco Augusto de Souza Júnior, esteve representando a entidade, na manhã desta quarta-feira, na Assembleia Legislativa, durante audiência sobre a importância da vaquejada. Acontece que de acordo com o Diário Oficial do Estado (DOE) Augusto de Souza já estava “exonerado” do Governo Camilo Santana desde ontem, uma vez que seu nome se encontra entre os exonerados da gestão.

exonerar

O Diário Oficial é datado de ontem (29), mas ao que tudo indica, o gestor não foi informado da decisão do governador. Francisco Augusto de Souza Júnior é aliado do conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Domingos Filho.

19:23 · 30.11.2016 / atualizado às 19:59 · 30.11.2016 por
Odilon Aguiar chegou a suspeitar de manobra para que ele não votasse. Foto: JOSE LEOMAR
Odilon Aguiar chegou a suspeitar de manobra para que ele não votasse. Foto: JOSE LEOMAR

Três deputados que estavam licenciados e atuavam como secretários da gestão Camilo Santana foram exonerados dos seus cargos, a pedido, e participarão da votação da Mesa Diretora, na manhã desta quinta-feira, a partir das 11 horas. Mirian Sobreira (PDT), que estava à frente da Secretaria Especial de Drogas; Jeová Mota (PDT), da Secretaria dos Esportes; e Odilon Aguiar (PMB), da A Agricultura, Pesca e Aquicultura.

Ao Diário do Nordeste, Odilon Aguiar reclamou que o Governo estava demorando para publicar o pedido de exoneração, o que poderia atrapalhar sua participação na votação da Mesa Diretora, que acontecerá nesta quinta-feira, e escolherá o próximo presidente do Poder Legislativo.

O parlamentar apoia a eleição do primeiro-secretário da Casa, Sérgio Aguiar (PDT), enquanto que o candidato defendido pelo Governo é o atual presidente, o deputado Zezinho Albuquerque, também do PDT.

Durante reunião da Mesa Diretora, na manhã de hoje, Zezinho Albuquerque garantiu que a publicação no Diário Oficial já havia sido feita e Odilon votaria tranquilamente em seu candidato.

A exoneração dos três candidatos foi publicada na edição do dia 29 de novembro do Diário Oficial do Estado.

11:16 · 20.11.2016 / atualizado às 11:16 · 20.11.2016 por
O sistema de identificação do eleitor, por meio da biometria, começou a ser implantado no Ceará, em 2009, no município do Eusébio Foto: Érika Fonseca
O sistema de identificação eleitoral, por meio da biometria, começou a ser implantado no Ceará, em 2009, no município do Eusébio. Na foto, de 2014, eleitores eusebianos fazem assinatura biométrica antes de votar Foto: Érika Fonseca

A possibilidade de votar com identificação biométrica, que nas eleições deste ano atingiu 34,78% do eleitorado cearense (ou quase 2,2 milhões de eleitores, em 98 municípios do Estado), estará disponível para mais eleitores de mais 83 cidades do Ceará, a partir de segunda-feira (21).

As informações foram divulgadas em nota do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE).Nas eleições municipais de 2016, um total de 62 municípios teve votação realizada com 100% de seus eleitores utilizando a identificação biométrica. Em outros 34 essa modalidade de assinatura eleitoral foi facultativa, entre eles, Fortaleza, por exemplo. Na Capital, 16% do eleitorado usou a biometria ao votar.

Nas cidades onde a votação é facultativa, o cadastramento eleitoral com biometria será reaberto também nesta segunda. Com a inclusão de mais 83 municípios nesse processo, o TRE-CE projeta alcançar a meta de 75% de eleitores cearenses cadastrados biometricamente até o pleito de 2018 e 100% em 2020. O cadastro nas cidades que iniciarão a implantação do sistema será facultativo, contudo.

Apenas os eleitores de cinco das 184 municípios cearenses terão de aguardar um pouco mais para aderir à biometria. As cidades de Beberibe, Quixeramobim, Pereiro, Massapê e Senador Sá não vão iniciar ainda o cadastramento biométrico, segundo o Tribunal, “por conta da falta de espaço físico para a instalação dos kits nesses cartórios”. O órgão justifica, porém, que já estão sendo tomadas providências “no sentido de viabilizar, em breve, o recadastramento dos eleitores desses municípios”.

Além do intuito de promover a modernização do sistema de identificação eleitoral no Estado, o TRE-CE aponta como motivo para ampliar o uso da biometria nos municípios cearenses um levantamento do órgão que indica haver menos abstenção nas cidades que já implantaram o recadastramento biométrico.

Abstenção e ausência da biometria

Conforme o órgão, 56 dos 62 municípios onde esse sistema já é obrigatório tiveram índices de abstenção inferiores a 10% nas eleições deste ano. Para efeitos comparativos, a média nacional de eleitores faltosos (considerados os dois turnos) ficou em 17%, no pleito de 2016. Já a média cearense de abstenção ficou em 18,77%.

Em Fortaleza, por exemplo, onde a biometria é facultativa, o índice de abstenção no 1º turno ficou em 17,04% e no 2º turno foi ainda maior: 18,6%. Em Caucaia, município que também adotou o cadastramento biométrico facultativo, a taxa de eleitores faltosos foi de 15,41% na primeira etapa eleitoral e de 20,07% na fase final do pleito.

Já o município de Ipueiras, um dos que não teve identificação biométrica neste ano, foi o sexto do Brasil com maior taxa de abstenção. Um total de 31,64% dos eleitores de lá deixaram de ir às urnas em 2016, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O eleitorado ipueirense poderá, contudo, optar pelo cadastramento biométrico, a partir desta segunda.

Processo de recadastramento

De acordo com o TRE-CE, o processo de recadastramento eleitoral, incluindo a identificação biométrica, poderá ser feito, na Capital, de segunda a sexta-feira, no horário das 8h às 17h, e no Interior, também em dias úteis, mas das 8h às 14h.

Ainda segundo o Tribunal, o eleitor pode agendar data e horário de atendimento, por meio de uma central telefônica: o Disque Eleitor, cujo número é 148. O sistema funcionará de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Outra opção é o agendamento (24h por dia) pelo site do TRE-CE.

Histórico

O sistema de identificação eleitoral, por meio da biometria, começou a ser implantado no Ceará, em 2009, no município do Eusébio, com o cadastramento de 21.746 eleitores. Em 2013, mais sete municípios aderiram à biometria, o que ampliou o número total no Estado para 426.309 eleitores.

Nos últimos três anos, outros 90 municípios cearenses e cerca de 1,8 milhão de eleitores foram recadastrados e puderam passar a fazer assinatura eleitoral biometricamente.

08:48 · 19.10.2016 / atualizado às 08:48 · 19.10.2016 por
Patrícia Aguiar perdeu as eleições em Tauá por apenas 93 votos de diferença Foto: Natinho Rodrigues
Patrícia Aguiar perdeu as eleições em Tauá por apenas 93 votos de diferença Foto: Natinho Rodrigues

A prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar (PSD), derrotada no pleito do último dia 2 de outubro, renovou o seu pedido de licença da função de gestora do Município até o dia 31 de dezembro, último dia do seu mandato.

O projeto de decreto legislativo, aprovado pela Câmara Municipal de Tauá, em sessão ordinária na segunda-feira (17) concede licença do cargo de prefeito, sem ônus para o Erário Municipal,  para tratar de interesse particular, no período de 24 de outubro a 31 de dezembro de 2016.

Desde o dia 22 de julho passado a prefeita  estava afastada das funções de prefeita devido a um outro pedido de licença para tratar de assuntos pessoais. Como a licença em questão termina no dia 24 de outubro, outra foi aprovada pela Câmara, e com isso, na prática, Aguiar não é exercerá mais o mandato de prefeita de Tauá. Em seu lugar está o vice, Júlio César, cuja responsabilidade última será transmitir o cargo ao novo prefeito, no primeiro dia do próximo ano

No primeiro turno campanha, Aguiar perdeu por apenas 93 votos  para Carlos Windson, do PR, que é primo e aliado do deputado estadual Audic Mota (PMDB). Enquanto a prefeita ficou em segundo lugar com 16.194, o prefeito eleito consagrou-se vitorioso com 16.287.

 

 

 

 

 

 

 

 

09:09 · 17.10.2016 / atualizado às 09:12 · 17.10.2016 por
Pré-candidato ao pleito de 2019 pelo PDT, Ciro trabalha para reeleger Roberto Cláudio, em Fortaleza. FOTO:JOSE LEOMAR
Pré-candidato ao pleito de 2018 pelo PDT, Ciro trabalha para reeleger Roberto Cláudio, em Fortaleza. FOTO:JOSE LEOMAR

Ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, que esteve em evento do PDT na manhã de sábado (15), em Fortaleza, criticou as propostas do Governo Michel Temer de limitar o teto dos gastos por 20 anos e disse que a atual gestão do PMDB tem nota “zero abaixo de zero”.  Na avaliação de Ciro, o PDT teve uma participação expressiva no pleito deste ano no Ceará, e caso se consagre vitorioso em Fortaleza, permitirá dar esperança para que o projeto se fortaleça em nível nacional. Segundo disse, a mobilização pedetista junto aos aliados no segundo turno visa garantir a liberdade para que a população possa votar “sem constrangimento, sem violência”.

Para o ex-governador do Ceará, o País vive uma das situações mais potencialmente ameaçadoras da sorte da família brasileira. “Temos uma crise internacional que faz os preços de minérios, soja e petróleo caírem, a moeda desvalorizada e uma pressão de preços. A solução que se encaminhou foi estranhamente equivocada nunca antes vista na história da humanidade, com medidas tão draconianas”, apontou.

Ciro lamentou ainda que o Brasil tenha passado por uma depressão que fez sua riqueza cair em até 9%, e com a maior taxa de juros em elevação. Na avaliação de Ciro Gomes, o Governo do presidente Michel Temer é “zero abaixo de zero”.

“A crise política demonstrou que o golpe está sendo cumprido de forma criminosa. Numa madrugada entregaram o petróleo e na outra começaram a revogar a Constituição de 1988, com essa PEC da morte, congelando por 20 anos as despesas essenciais ao viver do povo”, disse. De acordo com ele, o Governo atual está  “deixando a mais criminosa das despesas livre de qualquer controle,  R$ 600 bilhões de juros,  que vão se entregar aos bancos”.

 

09:03 · 17.10.2016 / atualizado às 09:03 · 17.10.2016 por
Campanha em Caucaia segue acirrada Foto: José Leomar
Campanha em Caucaia disputada entre Naumi Amorim e Eduardo Pessoa segue acirrada Foto: José Leomar

Na reta final de campanha eleitoral, os candidatos à Prefeitura de Caucaia, Naumi Amorim (PMB) e Eduardo Pessoa (PSDB), já somam, juntos, um total de R$ 1.220.289,61 em gastos nos quase 45 dias de campanha. Como em Fortaleza, a cidade de Caucaia, o segundo maior colégio eleitoral do Estado, também passa por um segundo turno acirrado nesta eleição e define o seu prefeito apenas no próximo dia 30.

Os postulantes à Prefeitura de Caucaia, segundo estimado pela Justiça Eleitoral, poderiam gastar até R$1.333.635,71 no primeiro turno e até R$ 400 mil neste segundo turno. Os dados extraídos pela reportagem do Divulgacand, sistema da Justiça Eleitoral de divulgação de candidatura, foram atualizados no último dia 14.

O candidato do PSDB, Eduardo Pessoa, informou à Justiça Eleitoral ter utilizado na campanha, até o momento, um total de R$786.026,57. Segundo consta, desse valor, apenas R$101.065,15 já foi pago.

A maior despesa declarada pelo postulante foi de R$ 170 mil com produção de programas de rádio, televisão ou vídeo. Pessoa já gastou também R$124 mil com serviços prestados por terceiros, R$88 mil com atividades de militância e mobilização de rua, R$ 80 mil com comícios, R$ 70, 9 mil com publicidade por carros de som e R$ 52,9 mil com publicidade por materiais impressos.

Na lista de recursos utilizados pelo candidato do PSDB, também há o registro de combustíveis e lubrificantes, publicidade por adesivos, despesas com pessoal, criação e inclusão de páginas na Internet, produção de jingles, vinhetas e slogans, cessão ou locação de veículos e locação/cessão de bens imóveis.

Apesar dos gastos, Pessoa afirmou à Justiça ter arrecadado um total de R$226,6 mil, sendo R$126 mil doados por partidos, 76 mil da direção estadual e R$ 50 mil da nacional. A campanha do peessedebista também recebeu R$60,1 mil de doação de pessoas físicas e R$ 40,5 mil de recursos próprios.

Já o candidato do PMB, Naumi Amorim, declarou à Justiça um gasto total, até o momento, de R$434.263,04. Destes, um total R$355,9 mil de despesas foram pagas. O maior dispêndio do postulante é com serviços prestados por terceiros, que atinge em torno de 48% dos gastos de Naumi.

Ele já desembolsou R$211,3 mil para estes serviços e mais R$ 30 mil para serviços próprios prestados por terceiros. Outros R$64 mil foram destinados para publicidade por materiais impressos, R$41,7 para publicidade por carros de som, R$ 32 mil com combustíveis e lubrificantes e R$ 17 mil com cessão ou locação de veículos.

Na lista de despesas, há também gastos com despesas com transporte ou deslocamento, comícios, cessão de bens imóveis, alimentação, cessão de bens móveis e produção de jingles, vinhetas e slogans, entre outros.

No tocante ao arrecadado na campanha, o postulante do PMB registrou na Justiça um montante de R$564,8 mil. O valor é mais do que o contabilizado pelo adversário. Destes, 59.96% representa doações de pessoas físicas, ou seja, R$338, 6 mil. Outros R$ 201 mil são referentes a doações de partidos, no caso da direção estadual do PSD, e R$ 24,9 mil de doações feitas pelo próprio candidato.

No primeiro turno nesta eleição, Naumi recebeu 48,10% dos votos válidos e Pessoa 31,79%. Na ocasião, outros quatro candidatos disputavam para ser chefe do Executivo da cidade. Em torno de 213 mil pessoas estão aptas a votar na cidade.

08:56 · 17.10.2016 / atualizado às 08:57 · 17.10.2016 por
Para o trabalhista, com 350 prefeitos eleitos o partido teria base para disputa em 2018. Foto: Érika Fonseca
Para o trabalhista, com 350 prefeitos eleitos o partido teria base para disputa em 2018. Foto: Érika Fonseca

O presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Carlos Lupi, defende a realização de uma Reforma Política consistente no Brasil, inclusive com cláusula de barreira. O dirigente criticou o que ele chamou de “remendo”, no caso da minirreforma aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. Para o trabalhista, com o fim do segundo turno deste ano, a sigla poderá eleger até 350 prefeitos em todo o País, o que lhe garantirá uma base consolidada para apostar em uma candidatura à Presidência da República em 2018.

Lupi esteve na manhã de sábado reunido com gestores eleitos pelo partido, além de aliados, onde fizeram uma avaliação da campanha no primeiro turno. Além dele, compareceram ao evento o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, além dos deputados Sérgio Aguiar (PDT), Ferreira Aragão (PDT), Leônidas Cristino (PDT) e Zé Ailton Brasil (PP).

Segundo o dirigente, o País não teve uma Reforma Política verdadeira, mas um “remendo”. “Reforma começa quando pensa em coibir a quantidade de partidos. Hoje temos 35, e nós do PDT somos favoráveis á cláusula de barreira, que dá legitimidade aos partidos”, defendeu. O pedetista lembrou que foi o Supremo Tribunal Federal (STF) quem derrubou a cláusula, o que fez com que diversas outras siglas fossem instaladas no País.

“Nos Estados Unidos existem uns 50 partidos, mas como voto só três. Temos que coibir essa história de coligação, pois muitas das vezes se usam isso politicamente ou comercialmente para eleger seus vereadores, e o partido não tem nenhum voto, se não o de legenda”, reclamou. Para ele, a democracia exige um peso diferente, e não se pode igualar, por exemplo, um partido com 6 milhões de votos com outro que tem apenas 100 mil.

“Não se pode ter o mesmo direito. Não digo que tenha que acabar com esses partidos, mas se quiser existir tem que ter a legitimidade que só é dada quando se tem o voto”, apontou. Apesar da crise pela qual passa o homem público e em meio às incertezas do quadro político futuro, o PDT está trabalhando com vistas a fazer uma base sólida nas eleições desse ano, visando apontar um nome para a Presidência da República em 2018. O cearense Ciro Gomes tem sido apresentado por Lupi como o principal nome na disputa pela sigla pedetista, e para ele, Ciro irá surpreender, e mesmo não sendo novo na discussão política brasileira, será visto como o “novo” na campanha.

O PDT está entre os partidos que mais cresceram no pleito de 2016, com algo em torno de 10%, e ainda espera segundo turno nos municípios de Fortaleza, São Luiz, Guararapes, Osasco, Ribeirão Preto, Maringá, Caxias do Sul e Serra. Com isso, o partido pode chegar a até 350 prefeitos, caso obtenha êxito em todas as cidades em que disputa o segundo turno da campanha municipal. “Isso nos dá uma base para ter presença do partido em todo o Brasil. E desde já estamos com a candidatura do Ciro colocada. O Ciro tem linguagem aberta, ele não tem rabo preso. Aquilo que criticam nele é o que vejo como seu maior valor”.

Para o dirigente, o que mais atrai na pré-candidatura de Ciro Gomes à Presidência em 2018 é o cato de ele ter “currículo limpo em uma sociedade em que todos são acusados de alguma podridão”. Ele também apontou alguns prováveis aliados para o próximo pleito junto ao PDT, como PSB, PCdoB, PTB e até o PT. “Existem vários partidos que temos relações e outros que vendo a possibilidade de o Ciro ganhar vem. A política é perspectiva de vitória. E o Ciro pode ser a grande novidade”.

Taxas de juros são o principal problema para economia, segundo trabalhista

O pedetista reconheceu que o País passa por um momento muito grave no que diz respeito à situação financeira e política, e apontou a crise econômica internacional como responsável por parte desses problemas. No entanto, para Lupi a crise política, causada pela instabilidade do Governo Michel Temer tem afastado, segundo ele, investidores do mercado internacional e do mercado interno.

No entanto o ponto  mais grave diz respeito as taxas de juros vigentes no País, onde segundo apontou, são as maiores do planeta. “No cartão de crédito elas podem chegar, anualmente, a mais de 340%, e isso é um roubo. Em vez de tratar o câncer, que é a taxa de juros, o Governo continua dando remédio para dor de cabeça para tratar de câncer”.

Para ele, o Governo deveria atacar a taxa de juros e apontá-la como maior inimigo das contas públicas e não apenar aposentados e pensionistas. Por conta da falta de uma política que norteie isso como foco da economia, a dívida interna e externa acaba aumentando. “Não devemos querer sempre colocar isso nas mãos da sociedade. Diminuir o dinheiro da população é um crime”, criticou.

Para Lupi, Governo não tem compromisso social 

No entanto, ele defendeu também que se toque no salário do Poder Judiciário, que também deveria, em sua avaliação, ser tocado para ver o quanto o Governo economizaria ao invés de taxar o salário mínimo de quem ganha pela previdência social. “Isso é falta de foco e compromisso social. Esse Governo Temer não tem bom futuro porque está começando mal”, apontou.

Diante a crise de representatividade do homem público, Lupi vê uma luz no fim do túnel e acredita que todo esse processo tem um lado positivo. No entanto ele ressalta que todas as denúncias devem ser feitas, mas também é preciso pensar no direito de defesa das pessoas, para só depois condenar ou absolver. “Porque se não vãos voltar ao tempo da inquisição, onde vários mártires foram punidos em nome da Lei. A lei só pode existir dando amplo direito de defesa”, destacou.

Para ele, o processo se mostra positivo quando muitos donos de empresas estão sendo apenados, e não são funcionários com menor importância mas presidentes de grandes conglomerados empresarias. “Isso é salutar para a sociedade. Mas o político é reflexo da sociedade. Temos que ter a conscientização do povo para não votarem em que um não tem compromisso com o social e que rouba”.

14:12 · 15.10.2016 / atualizado às 08:59 · 17.10.2016 por

Faltando menos de 15 dias para o segundo turno, os candidatos à Prefeitura de Caucaia, Naumi Amorim (PMB) e Eduardo Pessoa (PSDB), têm intensificado as ações de campanha nas ruas da cidade e investido em eventos com a presença de lideranças políticas do Estado.
Neste sábado à noite, o governador Camilo Santana (PT) participa de um comício no comitê central de Naumi em apoio ao postulante.

Também são esperados os deputados Domingos Neto (PSD), Danilo Forte (PSB), Walter Cavalcante (PP), Evandro Leitão (PDT) e Roberto Mesquita (PSD). Na sexta-feira, o senador Tasso Jereissati (PSDB) esteve na cidade em uma carreata no bairro Jurema em apoio a Pessoa. Os deputados federais Vitor Valim (PMDB) e Gorete Pessoa (PR) e o vice-prefeito eleito de Maracanaú, Roberto Pessoa, também participaram do evento.

A presença dos irmãos Ferreira Gomes, Cid e Ciro, em apoio ao candidato do PMB neste segundo turno é aguardada pela coordenação de campanha de Naumi. Já a equipe de Pessoa, espera o retorno de Tasso antes do fim do segundo turno.

Nas ruas do centro de Caucaia na manhã de sábado, militantes dos dois candidatos à Prefeitura se aglomeravam, principalmente na Rua Coronel Correia, a principal da cidade, fazendo bandeiraços. Nos equipamentos dos postulantes as programações foram distintas. No comitê de Naumi, trabalhadores montavam a estrutura do palco para a realização do comício à noite e diversos ativistas eram orientados pela coordenação da campanha.

Já no espaço de Eduardo Pessoa, não havia movimentação de militantes e poucas pessoas estavam no local, pois, segundo a coordenação da campanha, todos os militantes acompanhavam o candidato em uma caminhada e visita a eleitores no bairro Capuan.

Ações

Conforme as coordenações de campanhas de ambos, entre as principais ações de campanha dos candidatos, estão as mini carreatas, caminhadas, encontro com segmentos, entre outras ações, como os comícios realizados com a presença de lideranças políticos no Estado.

De acordo com o coordenador da campanha de Naumi Amorim, Caca Pires, neste segundo turno, tem se investido nas caminhadas nos bairros, reunião com os vereadores eleitos e lideranças, plenárias com os mais diversos segmentos no comitê central e visita da equipe de campanha a comunidades para ouvir as demandas da população. Os militantes se dividem entre bandeiraços e adesivaços.

No próximo dia 22, o postulante do PMB realiza um evento chamado “Abraça Caucaia” com a intenção de fortalecer a relação com o eleitor próximo ao dia 30, data da eleição. Neste dia, é esperada a presença dos irmãos Ferreira Gomes, contudo a participação está sujeita a agenda das lideranças.

Segundo Emília Pessoa, coordenadora de campanha de Eduardo Pessoa, o candidato tem apostado, prioritariamente, em caminhadas, mini carreatas e panfletagens pessoalmente nos principais pontos da cidade. Contudo, também abre espaço na agenda de campanha para participar reuniões com lideranças e segmentos, como representantes das áreas Saúde e Educação. No noite de sábado, são aguardadas lideranças religiosas ao comitê levadas pelo deputado federal e candidato derrotado à Prefeitura de Fortaleza, Ronaldo Martins (PRB), em apoio a Pessoa.

13:55 · 11.10.2016 / atualizado às 13:55 · 11.10.2016 por
Suplente Nizo Costa perdeu as eleições em Cariús por ser mais novo que seu adversário.
Suplente de deputado estadual, Nizo Costa perdeu as eleições em Cariús por ser mais novo que seu adversário.

Candidato derrotado nas eleições municipais deste ano, em Cariús, por ser postulante mais novo que seu adversário, o suplente de deputado Nizo Costa (PMB) vai solicitar ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a recontagem dos votos apurados nas urnas no dia do pleito, 2 de outubro passado.

Na ocasião, Nizo, que tem 41 anos de idade, empatou com o seu José Fernandes Vieira, no número de votos em 5.811. José Fernandes Vieira comemorou a vitória logo que o resultado das urnas foi registrado, visto que sabia que o desempate seria feito pela idade, onde o mais velho venceria o pleito. Ele tem 46 anos de idade.

Ao Diário do Nordeste, Nizo afirmou que é um direito seu solicitar a recontagem de votos e não escondeu o descontentamento em relação ao empate com seu adversário.

13:54 · 11.10.2016 / atualizado às 13:54 · 11.10.2016 por
Roberto Cláudio já conta com o apoio de 23 partidos na disputa deste segundo turno Foto: Thiago Gadelha
Roberto Cláudio já conta com o apoio de 23 partidos na disputa deste segundo turno Foto: Thiago Gadelha

O Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB), em Fortaleza, confirmou apoio ao prefeito Roberto Cláudio neste segundo turno. Com a adesão da sigla, o candidato à reeleição está coligado com 23 agremiações. Ainda nesta terça-feira, PRP e PSB podem anunciar seus apoios aos postulantes que seguem na disputa.

De acordo com o presidente do PT do B/CE, Thiago Ciríaco, o partido apoiará no segundo turno da eleição deste ano o candidato Roberto Cláudio. “No primeiro turno, Nilton Araújo do PT do B foi o candidato a vice prefeito de Tin Gomes (PHS) com a proposta de construirmos uma Fortaleza mais humanizada. Agora, apoiamos Roberto Cláudio porque acreditamos que ele representa o melhor para a nossa capital”, ressaltou.

12:12 · 10.10.2016 / atualizado às 12:12 · 10.10.2016 por
Antônio Lunga e Ronnas Motos foram afastados devido a escândalo na compra de vassouras para Câmara.
Antônio Lunga e Ronnas Motos foram afastados devido a escândalo na compra de vassouras para Câmara.

As eleições municipais deste ano estão cheias de casos curiosos, desde a derrota de grandes oligarquias familiares até políticos que deixaram de se candidatar, por conta de problemas com a Justiça ou a legislação eleitoral, e que elegeram seus parentes.

Um caso bem emblemático aconteceu nos municípios de Crato e Juazeiro do Norte, na Região do Cariri. Conhecidos nacionalmente pelo escândalo da “Farra das Vassouras”, Antônio de Lunga (PSDB) e Ronnas Motos (PMDB) foram afastados da Câmara Municipal de Juazeiro pela terceira vez neste ano. Apesar de não participarem da disputa, conseguiram eleger suas esposas.

Justiça determina prorrogação de afastamento de vereadores do “Escândalo das Vassouras”

Aninha Teles (PDT), esposa de Lunga, ficou na sexta posição entre os vereadores mais bem votados de Juazeiro,e  Rosane Macedo, esposa de Ronnas, na 16ª colocação. Isso demonstra que pouca atenção o eleitorado deu para essa questão.

O irmão do ex-presidente da  Câmara de Juazeiro,  Jose Joao Alves de Almeida, conhecido como Lunga (PSD), foi eleito como o sétimo vereador mais bem votado do Crato.  Ele também foi apontado como participante do esquema de venda superfaturada na Câmara de Juazeiro, mas transferiu seu domicílio eleitoral para a cidade vizinha.

12:12 · 10.10.2016 / atualizado às 12:12 · 10.10.2016 por

Por Antonio Cardoso
O primeiro turno das eleições municipais realizado no primeiro domingo de outubro apresentou algumas curiosidades no que diz respeito a idade dos candidatos. Conforme levantamento feito pelo Diário do Nordeste nas estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o maior número de prefeitos eleitos no Ceará, neste pleito, tem idade entre 35 e 54 anos, sendo a faixa de 50 a 54 anos aquela onde os candidatos obtiveram mais sucesso nas urnas. Foram 31 ao todo, enquanto de 45 a 49 elegeram-se 27, entre 40 e 44 foram 25 e outros 22 com idade no intervalo de 35 a 39 anos.

De acordo com o TSE, entre os 182 prefeitos eleitos, desconsiderando os municípios de Fortaleza e Caucaia onde haverá segundo turno, o mais velho foi eleito em Paracuru. José Ribamar Barroso Baptista, o Ribeiro, do PSDB, tem 84 anos e recebeu 9.778 votos. Ele concorreu na coligação que contou ainda com o PSL, PTdoB, PR, PPL e PDT e vai iniciar em primeiro de janeiro a sua quarta gestão a frente do município cravado no Litoral Oeste.

Além de conseguir bater o atual prefeito Sidney Gomes do PCdoB, que tem quase a metade de sua idade, Ribeiro comemorou, ainda, a eleição do neto no município vizinho, Paraipaba, onde Dimitri Batista, jovem de 27 anos, também dos quadros do PSDB, foi eleito com mais de 52% ou 10.568 votos. Em segundo lugar naquela cidade ficou Carlos Henrique, do PDT, que concorreu aos 60 anos e somou 7.003 sufrágios.

No município de Granja a situação foi oposta. Enquanto a candidata mais velha, Carmen Arruda (PSD) tem 90 anos, sua maior concorrente soma apenas 27. Embora o sacrifício de, com certas limitações, percorrer as ruas da cidade sempre com o apoio do filho, o deputado estadual Gony Arruda, Dona Carmen não conseguiu se eleger ao receber quase metade dos 20.972 votos que a pedetista Amanda do Romeu obteve.

Na faixa etária compreendida entre os 75 e 79 anos, foram eleitos três prefeitos. Em Abaiara, Afonso Tavares Leite foi eleito pelo PT, com 76 anos. Edson Sá (PMDB), tem 75 anos, somou 26.348 votos e vai governar Aquiraz pelos próximos quatro anos. No município de Paramoti, Eduardo Feijó Santos, do PDT, conseguiu a eleição ao disputar com seus 79 anos de idade. Também concorreu com ele o membro do Partido Verde, Edward Arruda Filho, de 78 anos. Esse último, contou com apenas 76 votos.

Com somente 22 anos o prefeito mais novo, eleito no Ceará, nas eleições deste ano foi João Paulo Xerez, do PHS. Nascido em 1993 e completando 23 anos neste dia 11 de outubro, Xerez foi presenteado pelos maranguapenses que o elegeram para governar o município de 60 mil habitantes.

Em Missão Velha, foi eleito o vereador mais velho. “Seu Rodrigues”, de 85 atingiu o quociente partidário e vai representar o PDT após receber 1.466 votos. Já entre a faixa de 18 a 19 anos foram eleitos dez vereadores nos municípios de Senador Sá, Iguatu, Quiterianópolis, Hidrolândia, Santana do Cariri, Cedro, Pacajus, Martinópole, São Benedito e Aiuaba.

Critério

A eleição também trouxe consigo um feito, no mínimo, curioso. Na cidade cearense de Cariús, os candidatos Iran (PSDB) e Nizo Costa (PMB) receberam o mesmo número de votos. Cada um contou com 5.811 sufrágios, ou 48,34%. Em casos como este, a legislação eleitoral prevê que o primeiro critério para o desempate é a idade.

O artigo 110 do Código Eleitoral diz que, “em caso de empate, haver-se-á por eleito o candidato mais idoso”. Como o tucano Iran tem 46 anos de idade, acabou desbancando p suplente de deputado Nizo, que é cinco anos mais novo.

12:10 · 10.10.2016 / atualizado às 12:10 · 10.10.2016 por

Por Antonio Cardoso

 

Capitão Wagner relata sua conversa com o presidente estadual do PSB, sobre apoio à sua candidatura Foto: José Leomar
Capitão Wagner relata sua conversa com o presidente estadual do PSB, sobre apoio à sua candidatura Foto: José Leomar

Ao que tudo indica o deputado estadual Capitão Wagner (PR) não terá apoio daqueles que outrora foram seus concorrentes no primeiro turno. Tin Gomes (PHS) e Ronaldo Martins (PRB) já anunciaram que sobem no palanque de Roberto Cláudio.
Capitão Wagner disse ao Diário do Nordeste que chegou a tentar contatos com os que estão fora desse segundo turno, mas optou por seguir com o trabalho na rua e programas de televisão. “Até porque os candidatos mais votados acabaram inviabilizados. O PT, por exemplo, o deputado Guimarães definiu pelo apoio a Roberto Cláudio e depois saiu a resolução de que não vão apoiar a ninguém. O Heitor, parece que vai ficar como a história sempre registra, sem definição de lado. Então é melhor irmos buscar os eleitores desses candidatos do que ir atrás do que está inviável”.
Segundo Wagner, embora o apoio dessas lideranças seja importante, acha difícil que se estabeleça para qualquer um dos lados. “Falei com Heitor por telefone e tive reunião com o deputado Danilo Forte na sexta-feira”, conta. “O cenário ficou indefinido. O próprio Danilo disse que achava difícil qualquer posicionamento do Heitor, muito embora lembre do pronunciamento que ele (Heitor) fez na Assembleia, antes de começar a eleição, sem cobrança nenhuma, que me apoiaria no segundo turno e subiria no meu palanque”, relata. “Imaginei que manteria essa posição, mas até agora não se posicionou. É um direito dele e não cabe a mim cobrar qualquer posição dele”.
Ronaldo Martins anunciou em coletiva de imprensa seu apoio ao candidato à reeleição. Wagner diz que Ronaldo foi com quem fez seu primeiro contato após definido o segundo turno. “Ele estabeleceu uma data para nos dar resposta, mas essa não veio. De repente, pela imprensa, soube que ele havia fechado com Roberto Cláudio, mas também é direito dele e não cabe a mim criticá-lo”.
Para conseguir atingir seu objetivo, Capitão Wagner antecipa que esta e as próximas semanas serão de muito trabalho. “Não sei se teremos tempo suficiente para conseguir passar na frente de Roberto Cláudio, mas temos uma boa equipe e muito trabalho”, aponta.

09:05 · 05.10.2016 / atualizado às 09:05 · 05.10.2016 por

O desempenho do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) nas eleições do último domingo foi classificado como positivo pelo deputado estadual Renato Roseno, representante da legenda na Assembleia Legislativa, em discurso, ontem, no Plenário 13 de Maio. Segundo o parlamentar, o Psol como partido pequeno, com bancada de 6 deputados federais e não mais que 49 vereadores eleitos em 2012 se lançou em 22 capitais e várias cidades de pequeno, médio e grande porte do Brasil. “Num momento em que há uma onda conservadora de viés, inclusive reacionário, que se coloca contra direitos sociais e legítimos, conquistados ainda em 1988”.

Para ele, o comportamento do partido poderia ser considerado como “uma vitória numa onda de derrotas”. Segundo Roseno, o fato de Marcelo Freixo ter ido ao segundo turno no Rio de Janeiro, Edmílson Rodrigues em Belém, e outras votações expressivas como de Luciana Genro em Porto Alegre e Erundina em São Paulo, é para comemorar. “Foram eleitos 53 vereadores e vereadoras dentre as quais as mais votadas. Tudo isso nos enche de orgulho e alegria porque essa lei injusta que já era injusta, nos tungou, ainda, o pouco tempo que tínhamos”.

Renato Roseno lembrou que, em Fortaleza, o candidato, “bravo e guerreiro” João Alfredo teve não mais que 63 inserções entre 2 mil. “Isso quer dizer que os candidatos das grandes coligações apareciam mais em um dia que nosso candidato em 30 dias. Pior do que isso foi o veto vergonhoso e covarde que fizeram a nós nos debates”, criticou. “Pior ainda, é que, mesmo sendo uma campanha em que o financiamento empresarial estava vetado, os CPFs do grande PIB, dos grandes empresários, podem ser reconhecidos nas doações”.

O socialista avaliou que em Fortaleza onde, segundo apontou, 80% da população ganha até dois salários-mínimos, não teria como explicar a terceira campanha mais cara do país. “Os CPFs estavam lá, mas isso não tira a injustiça econômica desta campanha. E agora, no segundo turno, a tentativa dos grandes poderes econômicos de fazerem decidir o que deve ser da esfera política continua”.

Na corrida para uma das 43 cadeiras da Câmara de Fortaleza, Ailton Lopes, candidato do Psol, recebeu mais de 12 mil votos. O fato de, mesmo assim, não ter sido eleito, também rendeu críticas do parlamentar. “Foi o mais votado em uma chapa composta por vários lutadores, mais de 35 nomes de homens e mulheres militantes de vários movimentos. Gente que na ética e na simplicidade palmilhou a cidade nesses últimos 45 dias, sem máquina pública e fizeram com que tivéssemos votação muito próxima ao do quociente eleitoral, faltando não mais que 405 votos”, contou. “Ailton Lopes, bancário, militante LGBT, nosso ex-candidato a governador (em 2014), guerreiro da altura de João Alfredo, teve a quinta maior votação e mesmo assim não foi eleito quando teve gente com 3 mil votos e conseguiu”.

A razão, segundo Roseno, seria a articulação do sistema proporcional. “Não somos contrário a esse sistema proporcional, mas somos favoráveis a uma reforma política que o torne, de fato, mais justo”. Ele relatou que também foi vítima da mesma situação em 2010 quando se candidatou a um cargos de deputado federal. “Com votação de 114 mil votos, segundo mais votado de Fortaleza, o nono do Ceará, não fui eleito em razão do sistema proporcional. Desde então nos debatemos da necessidade de melhorá-lo”, apontou. “Por isso defendemos a pauta da reforma política democrática que define o sistema proporcional em dois turnos, onde vota-se no partido e no segundo turno no candidato. Também deve, sobretudo, tornar proibidas as coligações. Porque o que divide o sistema proporcional é a existência de coligações”.

Em aparte a Roseno, a deputada Dra. Silvana (PMDB) se solidarizou a respeito de Ailton Lopes ter sido o quinto candidato mais votado para vereador em Fortaleza e mesmo assim ter ficado de fora da Câmara. “Não vejo justiça nisso, apesar de me afastar da ideologia do candidato. Também já fui vítima e vi, como suplente, sete deputados menos votados que eu, com mandato efetivo. Na eleição seguinte consegui entrar por número de votos, mas vejo ainda deputados suplentes que amargam deputado com metade dos votos ser efetivado. Isso precisa ser mudado”, opinou, acrescentando que o tempo de televisão e campanha ficou “extremamente injusto” para candidatos apresentarem as propostas. “Entendo que muita gente votou sem saber em quem votava pois não teve tempo de conhecer”.

09:03 · 05.10.2016 / atualizado às 09:03 · 05.10.2016 por

O retorno aos trabalhos na Assembleia Legislativa do Ceará foi marcado por discursos e apartes utilizados por parlamentares para comemorar o sucesso de seus aliados nas urnas no último domingo. Com baixa presença no painel e menor ainda no Plenário, não foi difícil conseguir espaço para discursar na sessão de ontem. Os pedetistas Manoel Duca, Antonio Granja e Ferreira Aragão estavam inscritos para os três primeiros tempos, mas esses foram cancelados pela ausência deles na hora da chamada para o parlatório.

Após a fala de Renato Roseno (PSOL), que criticou o sistema proporcional, que interfere diretamente na definição de quem entra e quem fica fora das Câmaras, o líder do governo Evandro Leitão (PDT) relacionou os municípios onde teve aliado eleito para Prefeituras e Câmaras. O pedetista destacou, ainda, a eleição dos deputados estaduais Ivo Gomes (PDT) em Sobral, Zé Ailton Brasil (PP) no Crato, Laís Nunes (PMB) em Icó e Carlomano Marques (PMDB) em Pacatuba. “Que eles possam fazer uma excelente gestão nos municípios onde foram eleitos”, disse, reforçando que apoia, ainda, a candidatura do deputado estadual Naumi Amorim (PMB) em Caucaia e do atual prefeito que tenta a reeleição em Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). Ambos disputam o segundo turno contra Eduardo Pessoa (PSDB) e deputado Capitão Wagner (PR), respectivamente.

O ex-prefeito de Maranguape e hoje deputado estadual George Valentim (PCdoB) também subiu a tribuna para comemorar a eleição do candidato João Paulo Xerez, a quem apoiou no município. “É um jovem que já tem a experiência de mandato como vereador e demonstra notória vontade de renovar a política de Maranguape”, afirmou.

O resultado da eleição no município vizinho, Maracanaú foi comemorado pela deputada Fernanda Pessoa (PR), que usou de seu discurso para agradecer aos maracanauenses que reelegeram o prefeito Firmo Camurça e seu pai, Roberto Pessoa a prefeitura de Maracanaú. “Quero agradecer do fundo do meu coração todo apoio que recebemos em Maracanaú, e reafirmar aqui meu sentimento de carinho por todos daquele município, minha eterna luta pela melhoria da vida da nossa gente. Vimos que, quando uma gestão está dando certo não se mexe”, disse, agradecendo também pela forma como foi recebida nos diversos municípios do Ceará, por onde passou levando seu apoio a candidatos a prefeito e vereadores do PR. “Também fica a nossa gratidão aos partidos políticos coligados com o nosso PR, toda a militância e aos parceiros que foram decisivos para muitas vitórias. Foram 13 prefeituras municipais”, contou.

Com ampla experiência na Câmara Municipal de Fortaleza, o deputado estadual Walter Cavalcante (PP) falou da vitória de seu irmão Frota Cavalcante para a o legislativo municipal ao concorrer com pelo menos 15 candidatos diretos de sua área, o Bairro Vila Velha. “Ele já atuou como deputado estadual, na condição de suplente, mas a sua vontade maior era de ser vereador. Agora que saiu vitorioso vai trabalhar com humildade e respeito pelos mais carentes”. Ele também citou a eleição de seu colega de partido Zé Ailton Brasil para a prefeitura do Crato.

Quem também comemorou o sucesso nas urnas por parte de um familiar foi Sérgio Aguiar (PDT). O pedetista, assim como havia feito o líder do governo, relacionou os aliados, citando nomes e municípios, mas destacou que em Camocim a prefeita Mônica Aguiar conseguiu ter a sua gestão aprovada pela população ao conquistar mais um mandato no pleito do último domingo. “Parabenizo também a todos os concorrentes e a população, que votou com consciência, atendendo ao chamado da responsabilidade de uma boa gestão”, disse.

Dra. Silvana (PMDB) apontou que participou, ativamente, da campanha dos vereadores eleitos em Fortaleza e São Gonçalo do Amarante, Mairton Félix e Vicente, na Taíba. Esse último, segundo descreveu, se trata de um caseiro, pessoa simples, que conseguiu com amor chegar a vereador em São Gonçalo do Amarante”.

Também teve quem subisse a tribuna para avaliar o desempenho do partido. Caso dos deputados Danniel Oliveira e Carlos Matos. Danniel afirmou que esteve, durante a campanha, em visita a quase 100 municípios e avaliou que o balanço final seria positivo. “O PMDB elegeu 28 prefeitos e 15 vice-prefeitos. É um número significativo para nós, tanto na quantidade quanto na qualidade dos nossos candidatos que foram eleitos”, apontou.
Por sua vez, o tucano Carlos Matos contou que seu partido vai governar, diretamente, 15 municípios do Estado onde foram eleitos prefeitos do PSDB, além de outros 20, em que saíram vitoriosos seus aliados. “Em Horizonte, das sete gestões que teve, seis foram do PSDB e agora tivemos a eleição do prefeito Chico César, que nunca esteve em outro partido e vai governar a cidade pela quarta vez. Também conseguimos em Capistrano, Paracuru, Itapipoca, Barbalha e tantos outros, aumentando nossa responsabilidade e a confiança crescente que temos recebido”, comemorou.