Busca

Categoria: Entendimento


10:30 · 31.07.2017 / atualizado às 10:30 · 31.07.2017 por

Durante  evento do PT em Fortaleza, na tarde de sábado (29), o atual presidente do diretório na Capital, vereador Acrísio Sena, afirmou que os ânimos estão “pacificados” no partido.

A fala do petista faz referência ao impasse na contagem dos votos da eleição do diretório municipal, cujo resultado só foi decidido, após a Executiva Nacional do PT deliberar que o comando da sigla em Fortaleza será compartilhado durante um ano pelo vereador Acrísio Sena e no ano seguinte pelo ex-vereador Deodato Ramalho.

Acrísio é mais ligado ao governador Camilo Santana (PT), enquanto Deodato é da ala capitaneada pela ex-prefeita Luizianne Lins, opositora a Camilo Santana e de seus padrinhos políticos, Cid e Ciro Ferreira Gomes.

“Tivemos reunião com o De Assis, Guimarães e a bancada estadual, pra colocar essa discussão de parceria para 2018 com o governador. A gente tem ajudado no diálogo direto do governador com os vereadores, marcamos reuniões até o fim de agosto com eles. A meta é chegar a 37 vereadores que se identificam em torno do mandato do governador Camilo Santana”.

O vereador Guilherme Sampaio, próximo a Luizianne e apoiador da candidatura de Deodato Ramalho à presidência do PT Fortaleza, concorda que esse compartilhamento no comando da sigla amenizou os atritos no partido, mas afirma que as divergências permanecem.

“Tem gente no PT Fortaleza que acha que o PT deveria apoiar o Roberto Cláudio, eu acho que não. Tem gente que acha que o governador Camilo pode apoiar o Ciro Gomes, eu acho que não. Nós construímos um ambiente que permita que a gente conviva com as divergências, mas sem descuidar daquilo que é prioritário que é derrotar o golpe. E a expectativa é que até o próximo ano esse diálogo se aprofunde de forma respeitosa, mas muito franca. O governador, como qualquer filiado, tem direito de ter posições que divergem da maioria do PT, mas precisa que isso seja construído dentro do partido”.