Busca

Categoria: Entrevista


11:43 · 12.04.2016 / atualizado às 11:44 · 12.04.2016 por

O ex-ministro Mangabeira Unger, encerrando uma longa entrevista concedida à Folha de S.Paulo desta terça-feira, reafirma sua posição contra o impeachment, critica o Governo da presidente Dilma, embora ressalte ser uma pessoa séria, e termina anunciando seu compromisso com a candidatura de Ciro Gomes à presidência.

Esta é a parte final da entrevista de Mangabeira Unger:

“Saí do PMDB e voltei ao meu partido histórico, o PDT. E lá vou trabalhar para apoiar a candidatura de Ciro Gomes, que vejo como o melhor instrumento na sucessão presidencial da alternativa que defendo. Ele demonstra a necessária capacidade de enfrentamento, tem clareza intelectual, e esse casamento é daquilo que precisamos hoje na liderança do país”.

 

 

09:19 · 26.10.2015 / atualizado às 09:21 · 26.10.2015 por

O deputado federal Jarbas Vasconcelos, do PMDB de Pernambuco, Estado que já governou e onde exerce sua militância política há alguns anos, deu uma longa entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada na edição de hoje, onde ele mostra estar decepcionado com a Câmara dos Deputados, e principalmente com o presidente da Casa, seu colega de partido Eduardo Cunha, em quem ele não encontra condições éticas para conduzir aquela Casa do Parlamento e de decidir sobre um processo de impeachment da presidente Dilma Rouseff.

Leia a parte da entrevista que trata sobre o presidente da Câmara:

  O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pode conduzir um processo de impeachment?
Não tem a menor condição. Se ele não reúne condições de presidir a Câmara, como é que ele vai conduzir um processo de impeachment? Ele vai tirar qualquer legitimidade desse processo.

Esse cidadão é um debochado, agora passou a debochar das instituições. Ele é um psicopata. Não se confia numa pessoa sem caráter como ele. Ele joga dos dois lados. Quando ele diz que o maior escândalo de corrupção foi feito agora no governo do PT, é verdade, mas ele é um dos artífices disso, foi um dos que mais roubaram.

O senhor é o único deputado do PMDB que assinou o pedido de cassação dele. Por que poucos assinaram?
Porque ele tem um poder de mando na Câmara muito grande, os postos-chave estão ocupados por apadrinhados dele. A maioria é composta de pessoas medíocres, que não têm dimensão para comandar o que comandam.

Com todo esse apoio, há chances de ele ser cassado?
Existe. Ele controla a Mesa, controla comissões, mas o caso dele é tão contundente, de uma sem-vergonhice tão grande, que vai chegar a um ponto de não suportarem o Eduardo Cunha.

Esse comportamento de dizer de olhos arregalados que não vai sair é típico do psicopata. O psicopata nunca cede, ele vai até o final com aquela versão e com as mesmas palavras. Isso vai cansar. Vamos ver se a Câmara vai ficar com o rabo entre as pernas, envergonhada por algo que está percorrendo o mundo inteiro, um presidente de uma instituição desse jeito.

O sr. se arrepende de ter votado nele para presidir a Câmara?
É claro, eu votei nele porque a informação que eu tinha é que ele era um lobista, mas ele é muito mais que isso, é um corrupto comprovado. O problema não é de batom na cueca, é de batom na roupa toda. Votei nele para não ter um petista. Se eu tivesse o mínimo de informação do que ele fazia na Câmara…

 

 

 

16:48 · 17.11.2013 / atualizado às 16:48 · 17.11.2013 por

A revista “Veja”, em circulação, tem uma entrevista do governador Cid Gomes, feita pelo jornalista Otávio Cabral, sob o título “Todos querem roubar o Estado”, em que o governador critica “políticos, tribunais de contas, órgãos de fiscalização e empreiteiras que só querem ‘tirar um pedaço do governo do estado’. O governador reafirma o seu apoio à reeleição de Dilma e diz que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, “personifica o velho político”. Para Cid, o fato de Campos ser neto de Miguel Arraes, ter sido secretário do Governo do avô quando tinha 20 anos, estar concluindo o segundo mandato de governador está fora do arco de novos políticos, razão por que entende ser a presidente Dilma a favorita da próxima disputa presidencial. Segundo ele, “o mundo ideal não existe. No mundo real, a Dilma é a melhor alternativa”.

10:23 · 24.12.2012 / atualizado às 10:23 · 24.12.2012 por

Roberto Cláudio, prefeito que assumirá o comando da administração no Município de Fortaleza, a partir do dia 1º de janeiro, na próxima semana, deu ontem, na TV Diário, sua mais longa entrevista, ao vivo. Ele falou sobre as primeiras providências que adotará na Prefeitura, do cumprimento das promessas de campanha, das obras para as Copas das Confederações em 2013,  e a do Mundo de 2014, do seu relacionamento político com a Câmara Municipal e sobre o secretariado que escolheu para governar a cidade.

Roberto Cláudio queixou-se de algumas medidas que ainda estão sendo adotadas pela administração da prefeita Luiziainne Lins, cujo mandato termina na próxima segunda-feira, todos elas com reflexos no seu Governo. E reclamou também da falta de informações sobre a real situação da Prefeitura que irá administrar. Segundo ele, a equipe de transição que indicou para colher dados da situação real do Município, não obteve respostas para muitas indagações que fez.

10:49 · 25.05.2012 / atualizado às 10:49 · 25.05.2012 por

O senador José Pimentel (PT) apressou-se em comunicar à imprensa, na última quarta-feira, que não foi à reunião da bancada federal cearense com o governador Cid Gomes, em Brasília, por estar, no mesmo horário em uma audiência, anteriormente agendada, no Palácio do Planalto, com um dos ministros da Casa.

Recentemente, ao reagir com veemência a uma entrevista do senador dada ao Diário do Nordeste, as relações entre os dois ficaram seriamente abaladas. A justificativa da ausência de Pimentel, sem dúvida, não foi para o governador saber, mas os cearenses que poderiam ligar o fato ao episódio ocasionada pela entrevista .