Edison Silva

Categoria: Equipamentos


09:21 · 06.09.2018 / atualizado às 09:21 · 06.09.2018 por
Por Letícia Lima
O deputado Renato Roseno (PSOL) alertou, na Assembleia Legislativa, ontem, para a conservação do patrimônio histórico cultural do Ceará e citou o museu paleontológico da Universidade Regional do Cariri (Urca). O parlamentar chamou atenção para os poucos recursos do orçamento estadual que são destinados e foram gastos, efetivamente, com a conservação dos equipamentos culturais cearenses. Para Roseno, a tragédia do Museu Nacional é “símbolo” de um país que tem “desapreço” pela sua cultura.
Segundo Roseno, a rubrica reservada no orçamento estadual de 2018 para “educação do patrimônio” é de R$ 200 mil, que ele considera “bastante diminuta”, mas que, até agora, ainda não foi executada. Ele disse, ainda, que da verba de R$ 1 milhão 888 mil, prevista para preservação da memória e do patrimônio, apenas R$ 333 mil foram destinados à conservação efetiva de imóveis. “R$ 494 mil foram para Mestres da cultura, que é um programa importante, mas precisamos de mais recursos. Eu queria chamar atenção para que tragédias como essa que aconteceu no Rio de Janeiro não aconteça aqui, nós precisamos ampliar o orçamento para cultura e para o patrimônio”, pediu.
Roseno cobrou mais atenção do poder público para o Museu Paleontológico da Universidade Regional do Cariri (Urca) e relembrou a denúncia que fez do fechamento da biblioteca Menezes Pimentel. “Pra nós é, absolutamente, estratégica a defesa de investimento no patrimônio histórico e cultural como política estratégica para ampliação da educação, da sensibilidade da memória. Muitos dos problemas que estamos enfrentando na arena política no Brasil deve-se, dentre outras coisas, ao fato de que está havendo uma disputa de narrativa sobre o que é o Brasil e qual é a história do Brasil. Vozes políticas que negam, dentre outras coisas, a escravidão negra, a ditadura, tentando escrever de forma, absolutamente, equivocada a história do Brasil. Isso só pode ter guarida hoje porque nos faltou e nos falta no presente o devido investimento em educação, cultura e preservação do nosso patrimônio histórico material e imaterial”.
Para Roseno, o que aconteceu no Museu Nacional no Rio de Janeiro é um “símbolo de um país que tem desapreço a partir das suas elites dirigentes à cultura”. “Pior que isso, as elites dirigentes desse País parece que querem, intencionalmente, que o povo não possa ter acesso à cultura e à educação para que, exatamente, a sociedade não reflita sobre si mesma. O maior instrumento de dominação de um povo é fazer com que ele não pense sobre si mesmo”, acredita.
Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs