Busca

Categoria: Extrema pobreza


12:23 · 20.06.2016 / atualizado às 12:23 · 20.06.2016 por

 

O relator das contas do Governo do Estado referentes ao exercício de 2015 foi o conselheiro Alexandre Figueiredo
O relator das contas do Governo do Estado referentes ao exercício de 2015 foi o conselheiro Alexandre Figueiredo

No relatório do Tribunal de Contas do Estado sobre as contas do Governo Camilo Santana, referente ao ano de 2015, está dito que “o Ceará é, em termos percentuais, um dos estados com maior contingente de pessoas extremamente pobres do país (9,38% da população = 812.663 indivíduos), ficando com a 4ª pior colocação do Nordeste, apesar da redução dos últimos 5 anos”.

Segundo ainda o documento, “para ações de combate à pobreza, o Estado criou o FECOP (Fundo de Combate à Pobreza), que teve a execução em 2015 de R$ 486 milhões. Contudo, como bem evidenciou o percuciente Representante do Ministério Público Especial junto a este Tribunal, em seu Parecer anexo aos autos, estes recursos não foram aplicados adequadamente, pois R$ 25 milhões foram destinados ao VLT Parangaba/Mucuripe, além de despesas com desapropriações, e, ainda, cerca de 50% foram destinados à Região Metropolitana de Fortaleza, em detrimento às regiões com maior número de indivíduos extremamente pobres”.

No mesmo relatório sobre as contas do Governo,  primeiro ano da administração Camilo Santana,  elaborado pelo conselheiro Alexandre Figueiredo,  e aprovado pela maioria dos integrantes do Tribunal de Contas do Estado, também esta dito que “o Ceará possui uma das maiores taxas de analfabetismo do país entre as pessoas com 15 anos ou mais, atingindo 16,28% de pessoas que não sabem ler nem escrever. Apesar da redução dos últimos  5 anos, ainda é o dobro da média nacional (8,27%), mas está no mesmo patamar do percentual da região Nordeste (16,61%)”.