Busca

Categoria: Federalismo


09:50 · 12.07.2016 / atualizado às 09:50 · 12.07.2016 por

 

Para o governador Camilo Santana o sistema de federalismo existente no Brasil só prejudica aos estados e municípios, sobretudo os mais pobres
Para o governador Camilo Santana o sistema de federalismo existente no Brasil só prejudica aos estados e municípios, sobretudo os mais pobres

O governador Camilo Santana, na última quinta-feira, para uma plateia de presidentes de Tribunais de Contas do Brasil, além de criticar o modelo de federalismo existente no País, reclamou do tratamento dispensado pelo Governo Federal ao Ceará, citando, especificamente, a questão da Saúde. Ele chegou a comparar o volume de recursos liberados para o Ceará com os de Pernambuco, para afirmar que, com praticamente o mesmo número de equipamentos, nós estamos recebendo um quarto do total que é liberado para o vizinho Estado.

Camilo citou a falta de cumprimento dos acordos celebrados na Saúde, sem no entanto citá-los, mas em tom irônico fez questão de dizer que para o esse setor tão importante da administração pública, nós estamos trocando de ministros da Saúde a cada semestre. Em um ano e meio já tivemos três ministros, disse ele.

A assessoria de Camilo cita o caso do Hospital Regional de Quixeramobim, fechado desde o início do seu Governo por falta de recursos acertados com o Ministério da Saúde e não liberados.

O Estado vai abrir o hospital até o mês de agosto, garantem auxiliares de Camilo. Agora mesmo, dizem eles, o Governo estadual está gastando R$ 50 milhões para permitir sua abertura parcial. O custeio total ficará por conta do tesouro cearense, em razão da palavra empenhada por Camilo de abrir as portas daquele hospital.

Quanto à Educação, o governador falou das obrigações que a União impõe aos estados e municípios quando garante aumento para o piso dos professores, sem levar em consideração às suas economias. Ele citou, ainda, a defeituosa distribuição dos recursos do Salário Educação, por beneficiar os estados ricos, com o maior número de empresas instaladas.

Camilo falou também de Segurança para a mesma plateia de conselheiros de Tribunais de Contas, para dizer que nesse  campo o Brasil está caminhando de forma errada. “Dificilmente vamos vencer essa guerra”.

Sobre a seca Camilo lamentou o fato de a União ter R$ 3 bilhões para liberar para o Rio de Janeiro e não ter nada para o Ceará que sofre com o seu quinto ano consecutivo de seca