Busca

Categoria: Festa


09:18 · 05.09.2014 / atualizado às 09:18 · 05.09.2014 por

Por Miguel Martins

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, só chegou no conjunto Cidade Jardim, no bairro José Walter, às 16 horas de ontem, mas desde a noite do dia anterior populares e militantes do PT, além de apoiadores da campanha de Camilo Santana (PT) trabalhavam para enfeitar os blocos que iriam ser visitados pela petista. Além de faixas e bandeiras da candidatura do Partido dos Trabalhadores ao Governo do Estado, muitas faixas e outros adereços de candidatos proporcionais ligados à chapa encabeçada por Santana foram colocados no local.
Nenhuma citação ou material da campanha de Eunício Oliveira (PMDB), que também apoia Dilma Rousseff, foram colocados no conjunto, onde a maioria dos moradores, aparentava apoiar somente a postulação petista. Em dado momento, inclusive, foi puxado um coro de apoio à Dilma Rousseff e a Camilo Santana. “De nossa luta de conco anos de baixo de barracas, o que aprendemos com Camilo: Endurecer sem perder a ternura”, dizia um cartaz em alusão à famosa frase do socialista Ernesto Che Gue Vara.
Aliás, em todo o bloco várias faixas em homenagem a Camilo, Dilma e ao governador Cid Gomes foram colocadas, assim como adesivos com as imagens de Camilo, Izolda Cela e Mauro Filho. Logo na entrada, um enorme poster com a imagem do candidato a deputado estadual José Sarto (PROS) também poderia ser avistada.
Todos os moradores só podiam entrar se estivessem devidamente identificados com uma fita vermelha, o que não aconteceu com o senhor Francisco Dias, que foi visitar a irmã, e desavisado, ficou impedido de entrar no condomínio.
O comércio local também foi fechado, e só seria reaberto após a saída de Dilma Rousseff. Os militantes do PT e de Camilo Santana passaram toda a manhã e tarde no local, saindo somente para o almoço. “O pessoal diz que a gente veio ver a Dilma. Eu não, que ela não vai me dar nada. Eu vim foi trabalhar”, disse uma militante.
Uma das casas visitadas foi da dona Maria Zeneida da Rocha, aposentada, e que até fevereiro morava em uma área de risco no Parque Santo Antônio. Segundo disse, Dilma só olhou o banheiro, e logo foi embora. “Ela disse que queria ficar um pouco mais, mas estava sem tempo”, ressaltou.
O desempregado José Ângelo não conseguiu ver a presidente de perto, e conforme informou, a orientação era para que todos se fizessem presentes ao local, caso pudessem. “Eles disseram que quem tivesse trabalho que fosse trabalhar, mas desse um jeito de estar aqui”, disse ele que até março passado vivia no Parque São José, com a esposa, que sofre de câncer, e outros três filhos. Dois já trabalham, mas seu José queixa-se de que o terceiro, de 15 anos, nunca foi beneficiado com o Bolsa Família.
Próximo ao empreendimento foi inaugurada uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas, no entanto, escolas, bancos e farmácias, segundo reclamação de José, ficam distantes. Muitas crianças estavam presentes ao encontro com Dilma Rousseff, algumas, completamente “adesivadas” com imagens de Dilma, Camilo e Cid.
Do lado de fora bandeiras dos candidatos Inácio Arruda (PCdoB), Augusta Brito (PCdoB), André Figueiredo (PDT), Acrísio Sena (PT), Deodato Ramalho (PT), José Nobre Guimarães (PT), Artur Bruno (PT_Domingos Neto (PROS), dentre outros. Alguns deles estiveram no equipamento para acompanhar visita da candidata à reeleição.
Dilma Rousseff chegou por volta das 16 horas, e permaneceu no local por cerca de uma hora e meia, onde visitou três apartamentos, cumprimentou operários, tirou “selfies” com eles, andou ao lado de políticos cearenses e concedeu entrevista coletiva, onde respondeu poucos questionamentos.
Logo que chegou no bairro José Walter, ao perceber a multidão que a aguardava, a presidente tentou subir na grade de proteção para acenar para os populares, mas desistiu. Em seguida, solicitou aos seguranças que abrissem espaço para poder acompanhar de perto as pessoas.
O governador Cid Gome não quis falar com a imprensa, para “respeitar a hierarquia”. O prefeito Roberto Cláudio também acompanhou a comitiva de Dilma, mas também não falou com a imprensa. Somente o secretário de Saúde do Estado, Ciro Gomes, conversou com a imprensa. Em determinado momento, ele se desentendeu com alguns jornalistas presentes e chegou a ironizar a imprensa local, dizendo que deveriam receber aula de jornalistas do sudeste que acompanhavam a visita de Dilma.