Busca

Categoria: Frente nacional


09:15 · 22.11.2017 / atualizado às 09:15 · 22.11.2017 por

Por Renato Sousa

O presidente da Comissão de Cultura da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), Márcio Martins (PR) defendeu ontem, 21, na tribuna da Casa, a criação de uma Frente Nacional de Vereadores em Defesa da Cultura. O parlamentar afirma que tem viajado por diversas capitais – como Recife (PE), São Luís (MA), Porto Velho (RO), Teresina (PI) e Boa Vista (RR) – para tentar formar o colegiado. “E nós vamos ao Brasil todo”, diz. Ele afirma que as viagens são bancadas pelo partido, pela ajuda individual de integrantes do PR e com recursos próprios.

O vereador declara que a intenção é fortalecer as demandas dos parlamentares em relação aos governos, principalmente o federal. “A Cultura é sempre a prima pobre entre as pastas. Em qualquer arrocho que é feito nos orçamentos, o gestor decide tirar recursos de onde? Da Cultura”, lamenta. Segundo ele, é este o caso de Fortaleza. “Em 2017, tivemos um dos piores anos para a área no Município”, diz.

Em entrevista, ele declarou que, atualmente, já existe uma quantidade considerável de vereadores que tem, na Cultura, seu principal eixo de atuação. O próprio Martins é ligado ao movimento de quadrilhas juninas. Nos encontros que teve com esses colegas, o legislador municipal diz ter percebido que as dificuldades são semelhantes em todo o Brasil.

De acordo com o republicano, a meta é conseguir reunir uma quantidade expressiva de parlamentares para, no primeiro semestre do ano que vem, serem recebidos pelo Ministro da Cultura e “causar um impacto na imprensa nacional”, dando relevância à execução do orçamento da pasta nos municípios. Ele afirma que o ministério não tem pago nem mesmo as emendas impositivas alocadas pelos deputados federais. “Você vai conversar com qualquer deputado federal, do Estado que for, pedindo emendas para a Cultura, e a resposta que se tem é que eles mandam para qualquer outro ministério, menos para este”, diz. Aportes para a área estariam sendo disfarçados, segundo o republicano, de propostas para o Turismo, como forma de ser executados pela pasta temática da área.

O vereador diz que ele próprio foi contemplado por uma emenda de R$300 mil de seu correligionário, Cabo Sabino, para financiar atividades de São João. “O ministério não executou. Como é uma comemoração sazonal, com período certo, nós perdemos (os recursos). Não podíamos fazer em outro momento”, critica. O problema repetiria-se, de acordo com Martins, em outros Estados. Segundo ele, as emendas não seriam executadas por simples desorganização. “(Os deputados federais) preferem o ministério do Turismo porque é mais organizado”, declara.

Segundo o vereador, a receptividade dos parlamentares em relação à criação da frente tem sido “fora do comum”. O republicano declara que a frente já conta com a adesão de diversos vereadores, apesar de não especificar quantos. Ainda ontem ele viajou para o Rio de Janeiro, onde deve reunir-se com parlamentares da cidade para debater o tema. “Eu quero ir a todas as Capitais, só não se vou conseguir ter perna”, declara o republicano.