Edison Silva

Categoria: Frouxo


10:40 · 18.05.2018 / atualizado às 10:40 · 18.05.2018 por

Por Letícia Lima

Deputado Evandro Leitão pede desculpas ao Capitão Wagner, aos colegas e a todos. Antes, Wagner já havia feito o mesmo FOTO: JOSÉ LEOMAR

Os deputados Capitão Wagner (PROS) e Evandro Leitão (PDT) quebraram o silêncio, na manhã de ontem, na Assembleia Legislativa, e pediram desculpas, na tribuna da Casa, pelos insultos que trocaram na sessão da última terça-feira, motivados por divergências envolvendo a questão da Segurança Pública. Após o pedido de retratação de ambas as partes, Wagner, apesar de não ter poupado o momento para fazer novas cobranças ao Governo do Estado, reconheceu “avanços” na atual gestão. Evandro Leitão, por outro lado, disse ter ficado “feliz” com o gesto do opositor.

Capitão Wagner foi quem puxou a “bandeira da paz” ao subir primeiro à tribuna da Assembleia e dizer que não tinha a “intenção” de ofender “qualquer parlamentar”, no fim da sessão plenária da última terça-feira, que esquentou, quando ele e o líder do Governo na Casa, deputado Evandro Leitão, bateram boca e trocaram insultos. Wagner chamou Evandro de “mocinha”, depois de ter sido chamado de “frouxo” por Evandro.

Isso tudo porque, o oposicionista vinha fazendo críticas às ações do Governo do Estado na área da Segurança e insinuou que Evandro não tinha “coragem” de abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar o narcotráfico, em razão do discurso feito pelo líder do Governo no início do ano, em que disse não apoiar a CPI, temendo represálias a ele e sua família.

“Nosso mandato, durante esses três anos e meio, tem sido pautado por debates técnicos, que ajudam a discutir os temas de importância aqui do Estado e, na última sessão que estive presente, a gente destoou desse debate técnico e houve uma discussão que não interessa ao povo cearense. Então queria pedir desculpas à população cearense, pela forma como o debate ocorreu, aos parlamentares, a quem por ventura eu tenha ofendido, e o deputado Evandro está aqui presente também, usei palavras que não deveria utilizar”, afirmou Capitão Wagner.

Em seguida, foi a vez do deputado Evandro Leitão subir à tribuna e também se desculpar pelos “excessos” cometidos naquela sessão. Ele disse que não tem o “perfil” de “agredir” ninguém, independente de posições ideológicas, quer seja de situação, quer seja de oposição. O líder do Governo frisou que nos momentos de “excesso” é preciso “recuar”, “porque não é feio pedir desculpas, o feio é continuar com o erro”.

“Eu, nesses três anos e meio, que estou nesse mandato, tento pautá-lo com muito equilíbrio, com muita sensatez e, sobretudo, com muito respeito aos colegas parlamentares, portanto, fica aqui as minhas desculpas para toda a população cearense e para todos os deputados, em especial o deputado Wagner, com o qual tive uma desavença. Todos nós estamos aqui de passagem, isso tudo aqui é efêmero. Nós estamos discutindo ideias, defendendo projetos que nós acreditamos tanto de um lado como de outro, mas o respeito tem que prevalecer”, enfatizou Evandro.

Ainda na fala de Capitão Wagner, mesmo que com um tom pacificador, ele não poupou cobranças ao Governo do Estado e questionou a revisão da Lei de Promoção dos Militares do Estado, prometida pelo governador, pois ele lembra que, a partir do próximo dia 5 de julho, por se tratar de ano eleitoral, o agente público ficará proibido de aumentar gastos com pessoal nos 180 dias anteriores ao final do seu mandato. Segundo ele, uma comissão com membros de categorias dos militares, que ainda não teriam sido beneficiadas pela Lei, aguarda por uma resposta do governo.

“Os policiais estavam esperando a realização de cursos de habilitação dos subtenentes pra que eles pudessem ser promovidos a subtenente. Os subtenentes estavam aguardando a realização do curso de habilitação para oficiais, para eles serem promovidos a oficiais e, infelizmente, não aconteceu. Os oficiais deram o encaminhamento necessário para que o governo pudesse encaminhar aqui pra Casa alterações nessa Lei. Então faço um chamamento ao governador pra que, se de fato, ele quer alterar alguma coisa da Lei de Promoções, que ele faça dentro do tempo hábil, pra não parecer que, na verdade, ele só quis ganhar tempo”.

Embora tenha apontado “discrepâncias” salariais entre determinadas categorias dos profissionais militares, ao final do seu discurso, Capitão Wagner reconheceu “avanços” ocorridos no Governo Camilo Santana. Ao responder à cobrança do oposicionista, Evandro Leitão destacou, primeiro, que ficou “feliz” com o gesto do colega de admitir melhorias salariais dos militares na atual gestão estadual. Ele disse as alterações na Lei das Promoções dos Militares do Estado deverão ser incluídas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, para que sejam implementadas a partir do ano que vem.

“Relativo à questão dos policiais militares, eu recebi um e-mail, dizendo: o relatório para a criação da comissão foi entregue ao gabinete do secretário da Secretaria de Segurança Pública, que já recebeu comissões de oficiais de PM’s e bombeiros para analisar a questão. O secretário também vai receber a comissão de praças para o mesmo fim. O documento está sendo analisado para, em seguida, ser discutido o orçamento e ser implementada todas essas ações”, respondeu.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs