Busca

Categoria: Fundo energético


15:28 · 07.12.2016 / atualizado às 16:14 · 07.12.2016 por
Camilo Santana quer adotar fontes de energia renováveis nos prédios públicos do Estado para reduzir custos de energia. Crédito: Diário do Nordeste
Camilo Santana quer adotar fontes de energia renováveis nos prédios públicos do Estado para reduzir custos de energia. Crédito: Diário do Nordeste

O governador Camilo Santana está propondo à Assembleia Legislativa cearense a criação do Fundo de Incentivo à Eficiência Energética (FIEE), em substituição ao Fundo de Incentivo à Energia Solar (FIES) criado em 2009, para reduzir os gastos com os custos de energia nos prédios públicos do Estado.

Hoje, o Governo gasta mensalmente com o consumo de energia “em torno de R$ 22 milhões, segundo informações obtidas da Companhia Energética do Ceará (Coelce)”.

A alegação do Estado é que o novo Fundo contribuirá para a redução dos gastos com o consumo de energia convencional em todos os prédios do Estado, tanto da administração direta quanto da indireta, produzindo energia própria.

Mensagem do governador defende prédios públicos com “fontes renováveis” (eólica, solar, biomassa, etc)

Na longa exposição de motivos, diz a mensagem do governador em determinado momento: “o Projeto de Lei em questão surge da possibilidade de diminuição das despesas com energia elétrica no âmbito da Administração Estadual através de adoção de Políticas Públicas voltadas para ações de eficiência energética, permitindo assim, que os prédios públicos pertencentes ao Governo do Estado do Ceará possam ter suas instalações elétricas eficientizadas e que venham a utilizar energia elétrica oriunda micro e mini-geração distribuída de energia com ênfase nas fontes renováveis como: eólica, solar, biomassa e hidráulica, sendo esta por meio de Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCH, ainda que essa energia seja produzida em outro local…”.

Crédito especial de R$ 10 milhões

O Governo, com a certeza da aprovação do seu projeto, já anuncia a abertura de um crédito especial de R$ 10 milhões, no Orçamento para o Fundo, que “será gerido financeiramente pela Secretaria de Infraestrutura do Estado do Ceará – SEINFRA, segundo programação e diretrizes estabelecidas pelo Conselho Gestor…”.