Busca

Categoria: Gastos da campanha


08:09 · 29.11.2016 / atualizado às 08:09 · 29.11.2016 por

Por Miguel Martins

Passado mais de uma semana desde o prazo final para a prestação de contas dos candidatos que disputaram o segundo turno no Ceará, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ainda não atualizou os dados dos candidatos que concorreram nos municípios de Caucaia e Fortaleza. De acordo com a Secretaria de Controle Interno do órgão, um problema no setor de Tecnologia da Informação (TI) tem impossibilitado a atualização dos números.
No entanto, os candidatos que disputaram o segundo turno em Fortaleza, Capitão Wagner (PR) e Roberto Cláudio (PDT) já registraram, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os dados da prestação de contas final, sendo que o primeiro o fez no dia 19 do corrente mês e o segundo um dia antes, 18 de novembro.
Somando primeiro e segundo turnos, Roberto Cláudio foi o postulante que teve mais gastos na campanha municipal deste ano no Ceará, com mais de R$ 10,3 milhões. Um levantamento breve, feito pelo Diário do Nordeste, mostra que o prefeito eleito para um segundo mandato, no segundo turno, teve maiores despesas com produção de programas para rádio e televisão e no pagamento de militância que trabalhou em sua campanha.
Conforme os números disponibilizados no portal Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais, o Divulgacandcontas, Roberto Cláudio gastou mais de R$ 1,3 milhão com os programas eleitorais, e logo em seguida, contabilizando R$ 1,2 milhão nas despesas com pessoal. Ainda constam em sua lista de prioridades no pleito locação de veículos e de móveis, além de gastos com combustível, energia e alimentação.
Capitão Wagner também teve mais gastos com produção de programas de rádio e televisão. No total o republicano teve gastos da ordem de R$ 6,1 milhões, isso contando primeiro e segundo turnos. Em Caucaia, Naumi Amorim (PMB), que se elegeu prefeito do Município na primeira disputa em segundo turno, prestou declaração de suas contas no dia 18 deste mês. Ao todo, o prefeito eleito teve gastos da ordem de R$ 954 mil, enquanto que Eduardo Pessoa (PSDB), que foi derrotado no pleito do dia 30 do mês passado, teve gastos de quase R$ 335 mil, isso somando-se primeiro e segundo turnos.
Segundo informou ao <CF61>Diário do Nordeste </CF>o responsável pela Secretaria de Controle Interno do TRE, Rodrigo Cavalcante, há uma semana que o setor de Tecnologia da Informação está passando por problemas e muitas das informações estão sendo feitas de forma manual. Como existem muitos processos e alguns dados ainda estão sendo encaminhados pelos candidatos, os números não foram atualizados.