Busca

Categoria: Gastos do TRE


10:32 · 24.07.2016 / atualizado às 10:32 · 24.07.2016 por

Por Suzane Saldanha

 

06 DE JANEIRO DE 2016 - ATENDIMENTO AO ELEITOR NA CENTRAL DE ATENDIMENTO DURANTE O RECESSO.
No custo da eleição não estão incluídas as despesas com a regularização do eleitorado que ocorreu até recentemente

A previsão orçamentária do Tribunal Regional Eleitoral no Ceará (TRE-CE) para custear a eleição deste ano nos 184 municípios do Estado é de um total de R$ 12.026.153,04. Segundo a Justiça Eleitoral, no primeiro turno, o pleito deve apresentar uma despesa de R$ 11.382.333,10. Para o segundo turno, é esperado um gasto de R$ 643.819,90.
O valor despendido para este ano recebeu um acréscimo de R$ 1,2 milhão comparado ao gasto da eleição de 2012, que teve a despesa estimada em R$ 10.771.152,42.
No Ceará, a Justiça Eleitoral avalia que ocorrerá segundo turno em Fortaleza e em Caucaia, municípios com um eleitorado acima de 200 mil pessoas. Na capital cearense, são 1.692.712 eleitores e em Caucaia, o número chega a 213.181 mil. Por ser uma eleição municipal, em outubro, os eleitores devem escolher os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador das cidades.
O Planejamento Integrado para este ano apontou que 94% da demanda orçamentária seria referente ao apoio técnico, materiais e serviços, convocados e urnas eletrônicas. Segundo dados atualizados do TRE, o maior gasto desta eleição será com o apoio operacional das urnas eletrônicas, que tem um orçamento de R$ 4,2 milhões.
Já a alimentação dos mesários custará, nos dois turnos, um total de R$ 2,2 milhões, representando o segundo maior gasto no Estado. No primeiro turno, será destinado R$ 1,7 milhão para o fornecimento de alimentação dos mesários e escrutinadores. No segundo, o valor é em torno de R$ 422 mil. Além disso, a convocação dos mesários apresenta uma despesa de R$ 91.437,12.
A Justiça Eleitoral no Ceará também avalia gastar, no primeiro e segundo turno, um total de R$ 934.541,23 com despesas de diárias. Conforme o Planejamento Integrado, as diárias são referentes a ações como treinamento de servidores de cartórios, preparativos finais para o 1º turno, realização de simulados regionais, testes em campo e encontros, entre outros.
Já com locação de veículos o valor ser desembolsado nesta eleição é R$ 1.054.358,76. Para diplomação dos eleitos, é estimado é de R$ 38.737,19.
O gasto total de R$ 12 milhões para a eleição deste ano foi estimado ainda em outubro do ano passado no Planejamento Integrado. Segundo o TRE, o valor global não sofreu impacto com a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), como ocorreu com o limite de gastos dos candidatos.
Em 2012, o Planejamento Integrado do TRE apontou uma despesa total de R$ 10, 7 milhões a serem gastos no pleito municipal, sendo estimado o maior gasto com materiais e serviços. Na ocasião, foi estipulado uma despesa de R$ 3.859.015,48. Com os mesários, o desembolso foi avaliado em R$ 2.770.429,69. Enquanto com as urnas eletrônicas, que deve representar o maior gasto deste ano, R$ 1.779.974,00
Já na eleição municipal de 2008, o TSE disponibilizou um total de R$ 9.451.374,44 para custear as eleições no Estado. Na ocasião, não houve segundo turno na Capital, pois a então prefeita Luizianne Lins (PT) foi reeleita ainda no primeiro turno.