Busca

Categoria: Gastos públicos


11:55 · 20.04.2014 / atualizado às 11:55 · 20.04.2014 por

O Portal Contas Abertas noticiou a compra de chocolates e outros guloseimas por órgãos da administração federal e incluiu as despesas da base Aérea de Fortaleza. Leia a matéria:

“Na semana que antecedeu a Páscoa a Base Aérea de Fortaleza reservou R$ 750,00 para a compra de 75 caixas de chocolate com 15 barras cada. Os doces são do sabor chocolate ao leite, do tipo Talento ou similar, da marca Nestlé. Cada caixa saiu por R$ 10,00. Ponto para o órgão da Aeronáutica que economizou ao trocar por barras os famosos ovos de chocolate, que costumam ser bem mais caros.

O VI Comando Aéreo Regional gastará R$ 80,9 mil na compra de alimentos. O carrinho do órgão incluí 1.000 aves defumadas, do tipo chester, 100 crustáceos limpos, 500 peixes do tipo Surubim, 15.600 águas minerais com gás, 10 conhaques da marca Presidente, 90 caixinhas de chás de boldo e mate, 1.500 pacotes com sachês de geléias de frutas e geléia diet, 10 caixas com saches de sal, 300 adoçantes, 150 pacotes de aveia, 150 de farinha láctea, 50 glucoses de milho, 20 pacotes de manteiga, 30 doces de côco branco e 20 pacotes de margarina.

Já o Grupamento de Infraestrutura e Apoio de São José dos Campos (SP) pretende adquirir para a hora do lanche 3.000 picolés. Os sabores serão variados e os produtos serão da marca Cremona e custarão R$ 3,7 mil ao órgão.

O Gabinete da Vice-Presidência da República entrará para o lanche com pães. O empenho inclui 1.000 pacotes de pães de forma integral, da marca Bambina, ao custo de R$ 3,2 mil.

O Grupamento de Apoio de Brasília também incluirá no carrinho de compras 2.000 vidros de azeites de oliva, extra virgem por R$ 11,5 mil. As embalagens contêm 500 ml cada e são da marca Quinta da Boa Vista.

Acessórios

O Centro de Lançamento de Foguetes da Barreira do Inferno comprará cinco claviculários. Os portas-chaves serão de metal, com capacidade para 50 chaves, da marca Multiforme por R$ 1 mil. A compra deve ser ainda maior, já que o edital do pregão prevê o fornecimento de 20 itens.

O centro de lançamento da Força Aérea Brasileira, localizado em Parnamirim (RN), é conhecido como Barreira do Inferno devido a falésias vermelhas que, iluminadas pelos raios solares ao amanhecer, assemelhavam-se, para os antigos pescadores, a labaredas. Fundada em 1965, se tornou a primeira base aérea de foguetes da América do Sul.

Ainda no âmbito da Força Aérea, o II Comando Aéreo Regional comprará uma televisão por R$ 2,9 mil. O eletrônico será de tecnologia LED, com tela de 46 polegadas, resolução full HD, com timer, teclas SAP e Closed Caption (sistema de transmissão de legendas de filmes, programas de televisão ou vídeos online). A TV terá ainda som estéreo entradas  USB e HDMI (que serve para conectar aparelhos de reprodução de Blu-Ray, vídeogames ou até mesmo um reprodutor de DVD à televisão).

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) pretende adquirir 1.000 canetas personalizadas por R$ 950,00. As canetas serão de plástico, na cor cinza, com tinta azul e clipe e argola cromados. Além disso, o órgão também comprará dois telefones no modelo corporativo para funcionarem na central eletrônica privada, ao custo de R$ 7,6 mil.

Cuidado com o visual

A Câmara dos Deputados, ao que parece, investirá na boa apresentação de seus servidores. A Pasta adquirirá uma secadora de roupas da marca Eletrolux ST10, ao custo de R$ 1,3 mil.

A máquina conta com indicador de nível de carga, que traz mais facilidade para selecionar o tempo ideal dentro de cada programa. Possui  ainda filtro pega-fiapos que retêm os fiapos desagradáveis que podem ficar nas roupas após a secagem.

Enquanto a preocupação da Câmara é com secagem das roupas, o Superior Tribunal Militar (STM) dá prioridade ao alinhamento das peças. O órgão pretende comprar cinco cabideiros do tipo porta-terno, por R$ 1,2 mil. O valor unitário dos cabideiros será de R$ 240,00.

O Grupamento de Apoio de Brasília, por sua vez, comprará quatro trajes de terno completos. Ao todo a compra sairá por R$ 940,00. Os paletós serão de microfibra, poliéster, no modelo tradicional de três botões e com bolsos inferiores imbutidos.

*Vale ressaltar que, a princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em uma redução significativa de despesas. A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos junto ao cidadão comum, no intuito de aumentar a transparência e o controle social, além de mostrar que a Administração Pública também possui, além de contas complexas, despesas curiosas.”