Edison Silva

Categoria: Homofobia


10:19 · 19.05.2018 / atualizado às 10:19 · 19.05.2018 por

Por Renato Sousa

O Dia Mundial de Combate à Homofobia, na última quinta-feira, foi pauta de discursos dos vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) na manhã de ontem, 17. Eles aproveitaram a data para lembrar a importância do combate ao preconceito e a necessidade de políticas públicas voltadas para essa área. Luis Gadelha (PPS) foi o primeiro a tratar do assunto na tribuna da Casa. De acordo com ele, as minorias sexuais tiveram avanços nos últimos anos, tanto em nível nacional quanto local, mas eles ainda não foram o suficiente. “Reconhecer a existência de atos homofóbicos em nosso Estado é uma atitude de coragem e de reconhecimento de uma necessidade urgente: a implantação de mecanismos que possam diminuir tais atos de homofobia no Ceará e no Brasil”, declara. O parlamentar defende que a pauta do combate à discriminação não se transforme em uma questão religiosa. Ele declara que, em qualquer credo, há fundamentalistas e quem creia nos Direitos Humanos e defenda-os.

Eron Moreira (PP) também tratou do assunto. Segundo ele, o Dia de Combate à Homofobia é, essencialmente, “uma data humanitária”. O parlamentar deu destaque para a comunidade transsexual. Ele destaca que o grupo, assim como outras minorias sexuais, costuma ser alvo de violência e discriminação no seio da própria família.

Moreira defendeu que o município passe a contar com uma célula voltada especificamente para a saúde de travestis e transsexuais. De acordo com ele, a medida não seria inédita: já haveria um equipamento desse tipo ligado à Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp). “Espero que o prefeito (Roberto Cláudio, do PDT), como médico, tenha esse entendimento”, declara. A Casa já aprovou um projeto de indicação do pepista tratando do tema. Entretanto, projetos de indicação não precisam ser executados pelo Paço Municipal, mesmo com a subscrição da Casa, servindo primordialmente como uma sugestão.

Evaldo Lima (PCdoB), por sua vez, apontou que central na questão do combate à discriminação é, sobretudo, “o respeito a todos os homens, mulheres e a diversidade humana”. Ele citou trecho de canção do músico Lulu Santos, que aponta ser justa toda a forma de amor. O comunista também lembrou que ontem foi o Dia Nacional de Luta Antimanicomial. “É uma pauta de todos aqueles que lutam pela saúde mental e pela afirmação da dignidade humana”, declara o parlamentar, afirmando que se trata de uma causa com muito adeptos.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs