Edison Silva

Categoria: Incêndio


09:24 · 06.09.2018 / atualizado às 09:24 · 06.09.2018 por

Por Renato Sousa

O incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, ocorrido na noite do último domingo, 2, foi lamentado por vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor). Para eles, perdeu-se parte importante da cultura nacional. É o argumento do presidente da Casa, Salmito Filho (PDT). O trabalhista diz que lá estava grande parte da História do País. “É lamentável que o nosso principal museu, o mais antigo do Brasil, de repente, pegue fogo”, diz. Ele pediu que União e governos estadual e municipal do Rio de Janeiro somem esforços para reconstruir o equipamento. “Falo isso pensando na nossa História, mas também na nossa economia, uma vez que o Rio de Janeiro é o principal destino do turismo internacional no nosso País”, declara. Ele também aponta a importância científica do espaço. “(O Museu Nacional) possuía em seu acervo grande parte da nossa História, da nossa memória, inclusive peças raríssimas, que serviam para o estudo de antropólogos, historiadores, para a produção científica nacional e internacional”, explica.

O trabalhista declara que a experiência dos países desenvolvidos aponta para importância de equipamentos do gênero, não só para a preservação da História, mas também como uma importante fonte de recursos através da atração de turistas. “O (Museu do) Louvre (em Paris), além de um equipamento cultural, serve para fortalecer a economia da França, do povo francês, através do turismo histórico-cultural, que é o vetor que mais agrega recursos financeiros”, diz. Segundo ele, dados da Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) apontam que o turista que procura esse tipo de equipamento é justamente aquele com mais recursos.

Pedro Matos (PSDB), também lamentou o ocorrido, o qual ele classificou como “tragédia”. Ele apresentou um requerimento para que a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) faça um “pente-fino” nos equipamentos desse tipo na Capital para evitar que algo semelhante aconteça. “Precisamos estar atentos à cultura cearense e da nossa cidade”, diz o parlamentar, destacando equipamentos como o Museu do Ceará, no Centro, a Casa de José de Alencar, em Messejana, o Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (Mauc), no Benfica, e o Planetário Rubens de Azevedo, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, como exemplos de locais que precisam ser vistoriados.

O tucano declara que, no período em que foi trabalho na Secretaria de Governo da Presidência da República, vínculo que se encerrou no começo de julho, percebeu a falta de prioridade que é dada para a Cultura no País. “A gente vê as dificuldades que se têm para a obtenção de recursos para a cultura no Brasil”, diz o vereador. De acordo com ele, os titulares do Ministério da Cultura enfrentam uma escassez crônica de recursos.

Matos destaca que ainda não se sabe qual foi a razão objetiva do incêndio. O vereador Luciram Girão (PDT), entretanto, culpa os presidentes Lula da Silva e Dilma Rousseff (ambos do PT) pelo desastre. “É simples: desde a gestão do sr. Luiz Inácio Lula da Silva e da sra. Dilma que não temos as verbas necessárias para reformas”, declara. Para ele, a causa foi “falta de interesse”, apontando ainda a existência de um “Brasil atrasado, sem comando e sem interesse, que começou com esse presidiário que está lá em Curitiba preso”, referindo-se a Lula, que cumpre mais de 12 anos de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs