Busca

Categoria: Incentivo


09:25 · 02.11.2017 / atualizado às 09:27 · 02.11.2017 por

Por Letícia Lima

O deputado Roberto Mesquita (PSD) fez um apelo ao governo estadual ontem, no plenário da Assembleia Legislativa, para que “não esqueça do homem do campo” e priorize investimentos na área da agricultura, especialmente na extração da carnaúba e na cajucultura.  O parlamentar parabenizou a iniciativa do Estado de criar o programa “Ceará Oportunidades”, com o objetivo de atrair empresas para se instalarem aqui, Roberto Mesquita pediu que o governador Camilo Santana (PT) não esqueça de dar incentivo às atividades do meio rural.

Mesquita destacou o esforço do Estado em investir em tecnologia e de construir equipamentos no Complexo Portuário e Industrial do Pecém (CIPP), na Região Metropolitana de Fortaleza, como a siderúrgica, a refinaria, além de impulsionar a produção de energia solar e eólica. Apesar de ser oposição, o deputado disse que é preciso reconhecer as conquistas do Estado e festejá-las, como forma de “estimular” o governante a continuar perseguindo os seus objetivos.

No entanto, ele chamou a atenção de seus pares para a desatenção do Estado ao pequeno agricultor e pediu que o governador inclua também nesse programa, mais oportunidades para os que moram aqui e tiram o seu sustento de atividades do meio rural. Ele citou como exemplo a cultura da carnaúba que, segundo ele, vem sendo esquecida pelos governantes cearenses.

“Tanto faz falar da carnaúba hoje como voltar no tempo 200 anos, nada foi feito de incremento de tecnologia para a extração do pó, nem das suas palhas. O que se mudou foi a descoberta de mais aplicações das suas ceras, se utiliza muito mais a cera da carnaúba em diversos produtos. Não se pode esquecer dos milhares de trabalhadores que trabalham com a carnaúba e temos que dar alguma condição para que eles possam superar os seus desafios. E, muitas vezes, esquecemos de agradar aqueles que estão perto de nós”, reclamou.

Mesquita também criticou a falta de incentivo para a produção do caju no Estado que caiu em 12 anos, segundo dados levados por ele à tribuna. Ele destacou que, ao fortalecer a cultura do caju e da carnaúba no Ceará, o governo cearense garantirá renda às famílias, fixará a mão de obra local e fortalecerá as divisas do Estado, uma vez que parte da castanha do caju é exportada e 25% da cera da carnaúba também. Além disso, ele disse que estimular o campo é baratear a cesta básica também, pois boa parte do alimento consumido nas cidades vem dali.

“Se nós vermos o quanto produzimos em 2004, iremos ver que o Estado produziu 36 mil toneladas de castanha. Se nós pegarmos só o que o Ceará produziu em 2016 nós iremos ver que ele só produziu 12 mil toneladas. Em 12 anos, o Estado diminuiu três vezes a sua produção de castanha e olha que nesse período vemos que a polpa que a gente consome teve mais aproveitamento, o óleo extraído da castanha do caju tem um valor altíssimo. Hoje, os parques industriais estão sucateados ou transformados em prédios de apartamentos ou outras atividades”.

15:47 · 01.11.2017 / atualizado às 15:52 · 01.11.2017 por

O deputado Roberto Mesquita (PSD) cobrou hoje, na tribuna da Assembleia, prioridade do Estado na revitalização da cajulcutura cearense. Ele disse que indústrias que trabalhavam com essa atividade estão sucateadas hoje e sem incentivo por parte do governo. Ele pediu mais investimentos ao pequeno agricultor.

“A siderúrgica é uma realidade, as usinas eólicas e solares são uma realidade, agora, nós não pudemos nos fincar nessas ações e esquecer aquilo que fixa o homem do campo, que garante o sustento, a renda. Fortalecendo a cajulcutura nós garantiremos divisas para o nosso Estado, porque parte da castanha é exportada, porque temos, praticamente, 25% da cera da carnaúba exportada”.