Edison Silva

Categoria: Lei municipal


09:51 · 27.09.2017 / atualizado às 09:51 · 27.09.2017 por

Por Renato Sousa

A Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) aprovou, ontem, 26, em redação final, mensagem do prefeito Roberto Cláudio (PDT) instituindo o Plano Municipal de Meio Ambiente, além da  Sistema Municipal do Meio Ambiente (SIMMA) – que engloba a estrutura do município para a preservação ambiental – e o Sistema Municipal de Informações e Cadastro Ambiental (SIGA). A administração alegou, na apresentação da proposta, que criar todos os dispositivos a partir de uma única lei vai “facilitar a aplicação da nova legislação, com vistas a preservar o meio ambiente e garantir o desenvolvimento sustentável do Município”. O texto, que não recebeu emendas, segue agora para sanção prefeitural.

De acordo com a apresentação da proposta, a questão ambiental é central não apenas para a cidade, mas para o planeta. Nesse sentido, a intenção da administração é dotar a Capital de “legislação ambiental efetiva, eficiente e eficaz, atualizada e compatível com a legislação ambiental estadual e federal”. Temas como áreas verdes, recursos hídricos, biodiversidade e controle da poluição foram incluídos na proposta aprovada.

O texto estabelece uma série de princípios que devem ser seguidos pela política de meio ambiente da cidade. Entre eles, está a aplicação do princípio do poluidor-pagador, o  incentivo ao à pesquisa de tecnologias que racionalizem recursos e a ampliação da cobertura vegetal da cidade.

A Prefeitura também incluiu no texto medidas de educação ambiental. De acordo com a administração, isso “possibilita aos indivíduos e à coletividade a construção de valores sociais, por meio de processos, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente”. O texto lembra que se trata de um bem essencial à qualidade de vida. A proposta, segundo a administração, teria sido produzida a muitas mãos, contanto, além da atuação da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), com a “cooperação comunitária”, que teria envolvido tanto agentes públicos quanto privados.

O texto aprovado é a segunda política municipal da Prefeitura aprovada este ano pela Casa. Ainda no primeiro semestre, foi aprovada a Política Municipal de Desenvolvimento de Baixo Carbono. Na justificativa da matéria, Roberto Cláudio afirma que “o Município, através da proposta deste projeto de lei, propõe adotar medidas e estratégias para a mitigação da mudança do clima por meio da redução de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE)”. O projeto também prevê a articulação do Município com o governo estadual em políticas para a diminuição dos GEE e na adaptação às mudanças climáticas.

 

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs