Busca

Categoria: Liderança


12:04 · 19.02.2017 / atualizado às 12:04 · 19.02.2017 por

 

O deputado Dedé Teixeira, volta para a Assembleia, para ser o líder de fato do Governo FOTO: JOSE LEOMAR

Está certo que no início do mês de março, findo o  Carnaval, o deputado Dedé Teixeira deixa a secretaria estadual ligada à Agricultura e volta para a Assembleia, onde, de fato, exercerá a liderança do Governo. O atual líder Evandro Leitão continuará no cargo, mas Dedé é quem de fato será incumbido de fazer a defesa do Governo na tribuna do Legislativo. Leitão não é muito presente na tribuna, mesmo nos momentos de maior atuação do bloco de oposição ao Governo.

O Governo parece ter cansado de esperar pelo deputado Elmano de Freitas, para fazer sua defesa e ressaltar as suas ações. Além do mais, a aproximação da eleição de 2018 contribui para distanciar Elmano do Governo, em razão de suas posições políticas aliadas à ex-prefeita Luizianne Lins e ao senador José Pimentel, principais adversários de Camilo dentro do próprio PT.

Os outros deputados estaduais petistas, mesmo mais próximos de Camilo, não têm o perfil combativo necessário à liderança governamental.

11:49 · 11.05.2016 / atualizado às 11:49 · 11.05.2016 por

Por  Suzane Saldanha

Casimiro Neto assume a liderança do PMDB na Câmara Municipal de Fortaleza
Casimiro Neto assume a liderança do PMDB na Câmara Municipal de Fortaleza

 

Após troca de representantes, a recém reformulada bancada do PMDB na Câmara Municipal de Fortaleza assumiu postura de oposição à gestão do prefeito Roberto Cláudio (PDT). Ontem, o novo líder do partido na Casa e antigo aliado do prefeito, Casimiro Neto, apontou que os vereadores do PMDB vão se comportar de forma crítica ao Governo, principalmente na análise dos projetos de lei enviados pelo Executivo.
Apesar do racha na aliança entre o grupo liderado pelos irmãos Ferreira Gomes e pelo prefeito e o senador Eunício Oliveira (PMDB) ainda em 2014, até o momento os parlamentares do PMDB continuavam na base do Executivo. Na eleição em outubro próximo, o PMDB analisa se lançará candidato próprio à Prefeitura de Fortaleza ou se vai formar uma aliança com o PR e o PSDB.
Em pronunciamento, Casimiro Neto relatou que esteve em Brasília a convite do presidente estadual da sigla, o senador Eunício Oliveira, para assumir a liderança do partido na Câmara Municipal. Na segunda, os vereadores referendaram o acordo. “Como novo líder sabemos da importância do partido nacionalmente e é um privilégio muito bom. Quero dizer que vamos iniciar uma reunião com os colegas para que possamos unidos representar essa grande legenda”, destacou.
Questionado sobre como o partido vai se comportar nas discussões da Casa Legislativa, Casimiro foi enfático quanto ao posicionamento de oposição do grupo. Segundo ele, a ideia é fazer uma oposição propositiva com a intenção de colaborar para solucionar os desafios da cidade.
“Daqui para frente nós somos oposição ao prefeito, nossa oposição vai ser voltada para os interesses da cidade, uma oposição construtiva, as mensagens que o prefeito venha a mandar de interesse da comunidade vamos ter maior prazer de colaborar, continuamos aqui observando e dando sugestões”, afirmou. Casimiro salienta que os vereadores do PMDB estão atentos identificando os problemas nos bairros que representam na Casa.
O parlamentar atesta que ainda não há definição da sigla se aliar aos outros partidos de oposição na Casa como PT, PSOL e Rede. “Quando estivemos em Brasília o presidente Eunício estava muito preocupado com o problema de impeachment, da sucessão e logo que passar esse movimento nacional vai nos reunir e vamos seguir sua orientação”, ressaltou.
Casimiro Neto destacou a importância do partido ter assumido a postura de oposição em que vai analisar e discutir cada proposta do prefeito.
Ex-aliado da atual gestão, Casimiro Neto era filiado ao Partido Progressista e foi um dos últimos parlamentares a anunciar filiação no PMDB no período da abertura da janela partidária, quando diversos vereadores da Capital trocaram de partidos. Tamara Holanda e Vaidon Oliveira, antes no PSDC, mudaram de agremiação em março. Eles também estavam na base do prefeito. Magaly Marques foi a única eleita pelo PMDB em 2012 a permanecer na sigla.
Antes das trocas de partidos, o PMDB era formado por Marcus Teixeira, Luciram Girão e Magaly Marques. Teixeira e Luciram foram convidados a deixar o partido. No ano passado, Carlos Mesquita foi expulso do partido acusado de infidelidade partidária por apoiar o governador Camilo Santana (PT) na eleição de 2014.
Na sessão de ontem, o vereador Guilherme Sampaio (PT) comunicou que a bancada do Partido dos Trabalhadores fez uma reformulação na atuação dos vereadores nas comissões permanentes. Com a mudança, Sampaio passa a ocupar a Comissão de Constituição, Legislação e Justiça (CCJ) e Ronivaldo Maia, líder da oposição, assume uma cadeira na Comissão de Saúde e Seguridade Social.

08:18 · 28.04.2016 / atualizado às 08:18 · 28.04.2016 por

Por Suzane Saldanha

O vereador Adail Júnior foi escolhido para ser o líder do PDT na Câmara FOTO: JL Rosa
O vereador Adail Júnior foi escolhido para ser o líder do PDT na Câmara FOTO: JL Rosa

A bancada do PDT na Câmara Municipal de Fortaleza, a maior da Casa Legislativa com 18 vereadores, definiu, na última terça-feira (26), os nomes que vão liderar o partido até o fim deste ano. Adail Júnior e Marcus Teixeira ocupam a liderança e vice-liderança, respectivamente. Eles têm a missão de se posicionarem pelo partido comandado em âmbito municipal pelo prefeito Roberto Cláudio e em estadual pelo ministro das Comunicações, André Figueiredo.
Nos últimos anos, a liderança do PDT foi ocupada pelo veterano Iraguassú Teixeira. No entanto, segundo os novos correligionários, a eleição ocorreu sem constrangimento já que o vereador abriu mão de se candidatar ao cargo por não ser candidato a vereador no próximo ano. Ele desejaria ter tempo livre para apoiar o filho, Iraguassú Teixeira Filho. O parlamentar teria pedido 24 horas para conversar com a família antes de tomar a decisão.
Sem concorrência, Adail Júnior foi eleito com 14 votos dos presentes. Para vice-líder houve a disputa entre Marcus Teixeira e Eulógio Neto, o primeiro recebeu 11 votos. Ziêr Férrer e Didi Mangueira optaram pelo segundo candidato. Não compareceram a votação os vereadores Adelmo Martins, Germana Soares, Luciram Girão e John Monteiro.
Em pronunciamento, ontem, Antônio Henrique registrou que a bancada se reuniu na sala da Presidência da Casa para discutir questões do partido e o escolher a liderança. “O PDT hoje é o partido que tem a maior bancada na Câmara Municipal, somos 18 vereadores”, atestou. Ao parabenizar Adail, o vereador salientou acreditar que a nova liderança deve promover reuniões para ouvir os vereadores e propor encaminhamentos para o bem do partido e da cidade.
Já Ziêr Férrer destacou que Adail é jovem e ocuparia bem o espaço da liderança do PDT.
Compõem a bancada dos PDT os vereadores Salmito Filho, Elpídio Nogueira, Adail Júnior, Antônio Henrique, Adelmo Martins, Ziêr Férrer, John Monteiro, Gerôncio Coelho, Marcus Teixeira, Eulógio Neto, Mairton Félix, Joaquim Rocha, Germana Soares, Luciram Girão, Lêda Moreira, Didi, Mangueira, Iraguassú Teixeira e Carlos Dutra.
Ao todo, 16 vereadores migraram para a agremiação em março durante a abertura da janela partidária, prazo para troca de partido. Na eleição de 2012, Didi Mangueira e Iraguassú Teixeira se elegeram pelo PDT.

09:10 · 02.02.2015 / atualizado às 09:10 · 02.02.2015 por

O deputado estadual Evandro Leitão (PDT) pode ser indicado, nesta manhã, para a liderança do Governo na Assembleia Legislativa. Ontem, na posse dos deputados, quase ninguém acreditava no nome da deputada Rachel Marques (PT), ap0ntada por uma ala do seu partido, após a manobra de fazer do ex-deputado Dedé Teixeira, hoje quarto suplente da coligação governista no Legislativa.

Dedé, antes da formação do secretariado do governador Camilo Santana (PT), era o nome apontado para a liderança do Governo, após a convocação de alguns deputados para o primeiro escalão do Governo permitindo a que ele assumisse o mandato e tivesse condições de ocupar o cargo.

15:56 · 11.02.2014 / atualizado às 15:56 · 11.02.2014 por

O vereador Márcio Cruz, em comunicado à imprensa, diz ter sido indicado pelo prefeito Roberto Cláudio, para ser o líder do PROS no Legislativo municipal. “Nossa postura permanecerá ética e empenhada com as demandas da Cidade. Quanto legisladores queremos auxiliar ao prefeito Roberto Cláudio nesta missão de pensar as políticas públicas que irão nortear Fortaleza nos próximos anos e esta é, sem dúvidas, o compromisso da bancada do PROS”, diz a nota encaminhada pelo vereador Márcio Cruz.  

 

10:29 · 18.11.2013 / atualizado às 10:29 · 18.11.2013 por

A liderança do prefeito Roberto Cláudio, na Câmara Municipal de Fortaleza, deixa muito a desejar, sobretudo no plenário daquela Casa, onde, quase sempre, ficam sem respostas as poucas críticas da oposição. O presidente da Câmara, Walter Cavalcante, parece ser o verdadeiro líder, embora, pela função do cargo, não utilize a tribuna, mas nos bastidores faz com que todas as matérias de interesse do Executivo tenham a tramitação facilitada. Até mesmo alguns vereadores da base aliada, têm reclamado, no particular, da falta de ação do líder, Evaldo Lima na defesa da administração ao responder, de imediato os pronunciamentos dos adversários, passando a ideia de estar desinformado ou de não ter o espaço necessário para, do próprio plenário da Câmara, tratar diretamente com os secretários municipais a fim de cumprir a sua parte.

09:55 · 06.03.2013 / atualizado às 09:55 · 06.03.2013 por

Por Igor Gadelha

Um mês após a volta dos trabalhos na Assembleia Legislativa, o líder do Governo, deputado José Sarto (PSB), finalmente anunciou, ontem, os deputados Augustinho Moreira (PV) e Carlomano Marques (PMDB) como os vice-líderes do governador Cid Gomes na Casa, na nova legislatura que segue até dezembro de 2014. Ao contrário de Augustinho, que assume a vice-liderança pela primeira vez, Carlomano volta ao cargo que já ocupava na legislatura passada, mas que “abriu mão”, temporariamente, desde o final de 2012, em razão da cassação de seu mandato parlamentar pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE).
Em entrevista ao <CF61>Diário do Nordeste</CF>, Carlomano contou que voltou ao cargo por convite do próprio líder do Governo, feito logo após ele conseguir liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para permanecer no mandato até que todos os recursos do processo de sua cassação fossem julgados. Segundo o peemedebista, ele teria tentado abdicar do cargo de vice-líder, mas o governador não teria deixado. “Quando começaram a bater no governador por meio da minha pessoa, fiz uma carta ao Cid, agradecendo a confiança do cargo e dizendo que não precisava ser vice-líder para defender o Governo. Mas ele não aceitou, e eu fiquei parado esperando uma decisão”, explica.
Indagado sobre quais serão os principais desafios como vice-líder, Carlomano Marques avaliou que um deles será tentar harmonizar a Assembleia, “acabando com as picuinhas” e trazendo de volta os “grandes debates com assuntos fundamentais para a sociedade”. Outro desafio, cita, será evitar que as ações do Governo do Estado sejam distorcidas pela oposição. “Vamos tentar também conciliar as divergências, que, às vezes, são azedas, entre o Governo e a bancada do PT, para que possamos preservar a aliança PSB-PMDB-PT, evitando que os desentendimentos ou desinteligência municipal contamine a relação a nível estadual e federal”, acrescenta.
Já na avaliação do deputado Augustinho Moreira, um dos maiores desafios será rebater as críticas “não construtivas” feitas pela oposição às ações do Governo. “Vamos mostrar dados para convencer os deputados que o Governo não está inerte”, disse, referindo-se, como exemplo, às intensas críticas que têm sido feitas à área de segurança no Estado. Em entrevista ao <CF61>Diário do Nordeste</CF>, o parlamentar contou ainda que o convite para assumir a vice-liderança foi feito pelo próprio deputado José Sarto. “O volume de serviço estava muito grande, ele estava precisando de mais auxiliares. Então, ele colocou meu nome, e o governador de pronto aceitou”, comentou.
Augustinho assume a vice-liderança do Governo, mesmo já tendo se comportado como oposição ao governador Cid Gomes em legislaturas passadas. Indagado se isso não seria “contraditório”, o deputado disse não ver problema nisso, pois, segundo ele, o Partido Verde não tem posição contrária ao governador, “deixando seus deputados livres para se pronunciarem como quiserem”. Além dele, a bancada do PV na Casa é composta ainda pelo deputado Roberto Mesquita, que, na maioria das vezes, adota discurso de oposição ao Governo do Estado. “Em certas ocasiões e temas, teremos que contestá-lo”, reconheceu, referindo-se ao seu correligionário na Assembleia.

09:15 · 31.01.2013 / atualizado às 09:15 · 31.01.2013 por

A partir de amanhã, a Assembleia Legislativa terá um novo presidente. Desde quando o ex-presidente da Casa, Roberto Cláudio (PSB), renunciou o mandato parlamentar para assumir a Prefeitura de Fortaleza, no último mês de 2012, o deputado José Sarto (PSB) ficou no comando do Legislativo cearense. Sexta-feira, dia 1, a nova Mesa Diretora, tendo como presidente o deputado José Albuquerque (PSB), assume e José Sarto passará a ser o líder do governo Cid Gomes.
Apesar do pouco tempo que passou na presidência do Legislativo cearense, o parlamentar garante que foi suficiente para conhecer melhor os detalhes administrativos e políticos da Casa. Um dos atos de Sarto como presidente da Assembleia foi suspender todas as gratificações pagas aos detentores de cargos comissionados a partir de hoje, ou seja, exonerar todos os ocupantes dos cargos comissionados pertencentes à estrutura organizacional da Casa.
O parlamentar disse que também recebeu muitos prefeitos do Interior, após a realização de um seminário na Casa, promovido pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), quando o secretário Nelson Martins fez uma exposição para os gestores sobre as ações da SDA e os orientou para a apresentação de projetos de abastecimento de água.
Sarto disse que passado o evento, muitos prefeitos o procuraram preocupados com a possibilidade de haver outro período de seca no Estado. O deputado disse que teve de intermediar com o Governo as reivindicações das prefeituras, já que muitas se encontram com menos de 50% de reserva de água.
No seu entendimento, boa parte do seu trabalho como líder governista será exatamente o de facilitar o intermédio de demandas entre as categorias e o Executivo. Porém o parlamentar entende que a partir de agora terá de usar mais a tribuna da Casa, tanto para a defesa do governo quanto para explicar ações e projetos do Executivo.

09:29 · 16.01.2013 / atualizado às 09:29 · 16.01.2013 por

Embora a competência para a escolha do líder da bancada, em qualquer das duas Casas do Congresso Nacional (Senado e Câmara dos Deputados) seja dos próprios senadores e deputados federais, o Palácio do Planalto, leia-se presidente Dilma Rousseff, acompanha esse processo de escolha muito de perto, para evitar surpresas no ano legislativo. Como a situação do PDT ñacional não é muito clara em relação à aliança que dá apoio ao atual Governo, aliado às divergências internas na agremiação, a manutenção do deputado federal cearense, André Figueiredo, integrante do grupo do ex-ministro Carlos Lupi, na liderança do partido na Câmara, motiva preocupações ao planalto, principalmente em razão das posições do próprio partido em relação a algumas questões trabalhistas e de direitos dos aposentados e pensionistas, mais especificamente em relação ao Fator Previdenciário, prestes a ser votado novamente no Congresso Nacional.

 

11:14 · 05.01.2013 / atualizado às 11:14 · 05.01.2013 por

Os vereadores Didi Mangueira (PDT) e Cláudia Gomes (PTC) serão os vice-líderes do Governo Roberto Cláudio na Câmara Municipal de Fortaleza. Os dois estarão em constante articulação com o líder do Governo, Evaldo Lima (PCdoB) e com os 33 vereadores que compõem a base aliada do novo Governo.

O líder Evaldo Lima, nos dois dias do período extraordinário da Câmara Municipal de Fortaleza, embora estreante como vereador, deixou uma boa impressão, tanto em relação ao diálogo, quanto no conhecimento do Regimento da Casa.