Busca

Categoria: Memória


09:49 · 01.03.2017 / atualizado às 09:49 · 01.03.2017 por

Em sua coluna de hoje no jornal Folha de S.Paulo,  Bernardo Melo Franco, sob o título “Imposto nos outros é refresco”, escreveu sobre a contradição do discurso do deputado federal Luiz Carlos Hauly em relação à criação da CPMF, o “antigo imposto do cheque”.

A maioria dos políticos brasileiros é assim: o seu discurso é o da conveniência. Quando está no Governo, quer seja o Federal, o Estadual ou o Municipal, defende quase tudo que o chefe do Executivo daquele momento diz que é bom, que é importante para a sua administração e para o povo.

Quando é oposição, seja por qual for, é sempre contra as proposições governamentais ou, quando menos, apresentam algumas restrições. Eles não se importam de mudar o discurso, em tão pouco tempo, quando, por razões políticas momentâneas, deixam o Governo e a ele passam fazer oposição, como se tem testemunhado agora no Ceará com deputados ligados ao PSD e ao PMB. Talvez pensem que os eleitores não têm memória.

Leia o artigo do Bernardo Melo Franco desta quarta-feira de cinzas:

BRASÍLIA – Em fevereiro de 2016, parlamentares do PSDB encheram o Congresso de placas com a inscrição “Xô, CPMF”. Eles combatiam a ideia de recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras. Era a última cartada do governo Dilma Rousseff para tentar tapar o rombo nas contas federais.

O deputado Luiz Carlos Hauly despontava entre os críticos mais ácidos da proposta. Em entrevista à rádio Câmara, o tucano anunciou uma oposição radical ao imposto de quatro letras, que classificou como “inaceitável” e “inadmissível”.

“As pesquisas estão aí: rejeição total à recriação da CPMF. Com a oposição também não há diálogo”, avisou o paranaense. “Nós somos radicalmente contra”, reforçou.

O deputado lançou mão de um discurso em voga na época: o contribuinte não aguentaria mais pagar impostos ao governo. “A sociedade rejeita o aumento de impostos, e nós da oposição estamos em linha com a sociedade brasileira”, disse.

As barricadas funcionaram, e Dilma não conseguiu recriar a CPMF. O resto é história: o país foi rebaixado pelas agências de classificação de risco, a crise fiscal se agravou, as manifestações de rua engrossaram e o Congresso derrubou o governo.

Um ano depois, Hauly e a CPMF estão de volta ao noticiário. A novidade é que o tucano mudou de discurso. Escolhido para relatar a reforma tributária, ele abandonou as críticas e se converteu num entusiasmado defensor do imposto.

“A CPMF vai substituir o IOF”, disse o deputado na semana passada, ao sair de uma reunião no Palácio do Planalto. “A contribuição será mínima, como antigamente. E tudo é para o bem e para fazermos com transparência”, acrescentou.

Em nome da transparência, Hauly poderia explicar como uma contribuição “inaceitável” no governo Dilma poderá ser recriada “para o bem” na gestão de Michel Temer. O pato da Fiesp não foi encontrado para comentar o assunto.

11:02 · 18.09.2016 / atualizado às 11:04 · 18.09.2016 por

O Município de Fortaleza presta uma homenagem muito justa a Welington Landim, um dos políticos cearenses que, embora tenha morrido muito novo, prestou relevantes serviços ao Estado do Ceará, e em especial à Região do Cariri, que ele tão bem representou no Legislativo estadual.

Welington lutou com todas as suas forças para a transposição de águas do Rio São Francisco para o Ceará. Muito do que já está construído, embora com bastante atraso, os cearenses devem a Welington. Mas não foi apenas em relação à transposição que Landim deixou a sua marca. Ele foi incansável na luta por melhoria na Saúde e na Educação, onde o seu Município, Brejo Santo, no Sul do Ceará, continua se destacando com a administração do seu filho, hoje prefeito dali.

Welington, ao não aceitar um cargo de vitalício no Tribunal de Contas dos Municípios, oferecido pelo ex-governador Cid Gomes, deu também mostra de que estava na política para servir (o lugar de conselheiro do TCM a ele oferecido hoje é ocupado por Hélio Parente).

Leia a informação distribuída pela assessoria da Prefeitura de Fortaleza sobre a homenagem ao ex-deputado Welington Landim:

 

 
A Prefeitura de Fortaleza inaugura, neste domingo (18/09), às 9h30, o túnel da Avenida Engenheiro Santana Júnior. O novo equipamento, localizado no cruzamento das avenidas Engenheiro Santana Júnior e Padre Antônio Tomás, leva o nome do deputado estadual Welington Landim.
O entorno da parte superior do túnel foi concluído e passa a contar com áreas acessíveis para pedestres e 1 Km de vias exclusivas para bicicletas, com passeios compartilhados e ciclofaixas. Em todo o trecho da obra, também foram construídas novas calçadas com piso intertravado na Av. Engenheiro Santana Júnior, facilitando o acesso de pedestres que circulam pela região.
Mirante
O local recebeu, também, um mirante em madeira, contornando uma antiga cajazeira. Com vista para o Parque do Cocó, o equipamento possui cerca de 78m de extensão, com guarda-corpo em madeira maciça e cenário para a mata nativa do parque.
Praça dos Engenheiros
A Praça dos Engenheiros, no Cocó, foi completamente recuperada. Com 2.100 m² de área, o espaço recebeu o plantio de árvores nativas, além de arbustos, gramado e sistema de irrigação automatizado.
O tráfego nas seis faixas do túnel da Av.Engenheiro Santana Jr. foi liberado no dia 27 de julho deste ano.
O equipamento possui 210 metros de extensão e 23 de largura, com pista em concreto e três faixas em ambos os sentidos da via. No local, foram instalados novos postes de iluminação em LED e paisagismo, com o plantio de palmeiras, arbustos e gramado.
Com investimento de R$ 25 milhões, oriundos de financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a obra visa dar mais agilidade ao trânsito local, eliminando os semáforos daquele cruzamento e proporcionando o fluxo do transporte público, ligando a Cidade dos Funcionários ao Papicu (pela Av. Engenheiro Santana Júnior) e o sentido inverso. A construção, que teve início em maio de 2015, faz parte da etapa final de implantação de 17,4 Km do corredor expresso de ônibus Antônio Bezerra/Papicu.
Os veículos que trafegam pela Av. Engenheiro Santana Júnior, com destino aos bairros Cocó e Cidade 2000, podem utilizar a alça de acesso, construída no novo equipamento. O projeto da alça conta ainda com uma pequena cobertura em concreto, para travessia segura de pedestres e ciclistas.