Edison Silva

Categoria: Migração


09:48 · 07.04.2018 / atualizado às 09:50 · 07.04.2018 por

O deputado Audic Mota, ex-PMDB, anunciou, no início desta tarde, sua filiação ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). Em vídeo enviado pela sua assessoria de imprensa, o parlamentar aparece ao lado do presidente estadual da legenda, deputado federal Odorico Monteiro, e do governador Camilo Santana (PT).

Audic passou esta semana, a última da “janela partidária” – período que deputados federais e estaduais têm para trocar de legenda, sem risco de perder o mandato -, cujo prazo termina hoje (7), negociando o seu embarque em uma nova agremiação, de olho na reeleição que disputará, este ano. Tanto que ele, praticamente, não apareceu para as atividades em Plenário.

O deputado chegou a negociar sua ida para o PDT, partido dos irmãos Cid e Ciro Gomes, quando, na última hora, anunciou filiação ao PSB. A mudança vem a calhar, no momento que a legenda socialista foi esvaziada, após a saída do deputado Heitor Ferrer para o Solidariedade (SD), motivada pelo fato de Ferrer fazer oposição ao Governo do Estado, enquanto o PSB apoia a gestão de Camilo.

Audic era um dos deputados do PMDB que começou a legislatura, em 2015, fazendo críticas ao governo estadual, no entanto, depois da eleição da Mesa-Diretora, no fim de 2016, Audic se debandou para a base governista. Na época, ele apoiou a reeleição do atual presidente da Assembleia, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), contra a candidatura do deputado Sérgio Aguiar (PDT), em razão deste ter sido apoiado pelo grupo político, adversário de Audic.

Mas, logo depois, no ano passado, com a aproximação entre o senador Eunício Oliveira, presidente do PMDB no Estado, e o governador Camilo Santana, a bancada estadual da legenda peemedebista migrou para a base aliada.

10:54 · 28.02.2016 / atualizado às 10:54 · 28.02.2016 por

Passado pouco mais de um ano do início da atual Legislatura, metade dos deputados da Assembleia Legislativa deve migrar para outras legendas, modificando assim toda a composição da Casa. Em 2015 apenas um parlamentar ingressou em uma nova sigla, e agora, pelo menos 22 parlamentares estão discutindo a possibilidade de deixarem sues grêmios para aderirem a outros grupos políticos.
Muitos deles evitam falar a respeito, visto que a decisão demanda muita perspicácia, uma vez que são colocados na balança os prós e contras da medida a ser tomada. Os parlamentares avaliam, por exemplo, a densidade eleitoral que terão naquele novo partido, a força de correligionários e a aceitação de seus eleitores diante a mudança.
Na semana passada, o Congresso Nacional aprovou uma Emenda à Constituição que garante um prazo de até 30 dias para ocorrer as mudanças partidárias, medida essa aguardada por muitos parlamentares em todo o Brasil. Para se ter uma ideia do que deve acontecer no Legislativo Estadual nos próximos dias, somente o Partido Republicano da Ordem Social (PROS), na Assembleia, vai perder todos os seus atuais sete deputados na Casa ficando sem representação alguma no Legislativo Estadual.
Em contrapartida, o Partido Democrático Trabalhista, o PDT, que no ano passado perdeu Heitor Férrer para o Partido Socialista Brasileiro (PSB), passa dos atuais dois membros para onze, isso se contado com Mirian Sobreira e Jeová Mota, ambos licenciados e em secretarias do Governo, que também vão aderir à agremiação. A sigla pedetista terá a maior representação partidária na Casa.
Na noite de ontem, na sala da presidência da Assembleia, deputados que hoje estão no PROS se reuniram com o ex-governador Cid Gomes para tratar sobre as agendas de filiações a serem realizadas nos próximos dias. Alguns defendem eventos regionalizadas e outros preferem um encontro grande com todos os parlamentares. Na próxima quarta-feira, haverá um jantar de adesão do PDT, promovido pelo presidente da sigla em Fortaleza, Roberto Cláudio, onde filiações devem ocorrer.
O PROS já perdeu dois parlamentares, Laís Nunes e Odilon Aguiar, mas esses foram para o Partido da Mulher Brasileira (PMB), outra sigla forte no Legislativo. À ela já ingressaram Behtrose, Júlio César Filho e Naumi Amorim, respectivamente egressos de PRP, PTN e PSL. O PRP, no entanto, pode voltar para a Casa, visto que Joaquim Noronha, hoje no Partido Progressista (PP), está dialogando com a possibilidade de vir a comandar a sigla republicana no Ceará.
Com a saída de Noronha do PP, a legenda fica sendo representada apenas por Zé Ailton Brasil, que pode contar com a companhia de Bruno Pedrosa, do PSC. Pedrosa deve se encontrar, hoje, com o presidente do PSC nacional, Pastor Everaldo, que vem a Fortaleza para organizar o Partido Social Cristão.
Há negociações com vistas de o deputado federal Vitor Valim (PMDB) vir a presidir a legenda, hoje comandada por Welington Saboia no Ceará. Dependendo das negociações com Everaldo, Pedrosa pode se fortalecer no PSC ou ingressar no PP. Ele tem conversado com o presidente da Casa, Zezinho Albuquerque, que está procurando fortalecer o Partido Progressista no Ceará, que tem o comando de José Linhares e do filho de Zezinho, o prefeito de Massapê, Antônio José.
Lucilvio Girão e Fernando Hugo, ambos do Solidariedade (SD) também podem ingressar no PP. Conforme informou Girão, ele vai conversar com o presidente do SD, Genecias Noronha, no fim de semana, e dependendo do diálogo, poderá também ingressar no PP. O mesmo pode fazer Fernando Hugo Colares, que ao ser questionado sobre a possibilidade disse apenas que estava “meditando”.
Por fim, três nomes do PMDB discutem a possibilidade de ingressarem no Partido da Mulher Brasileira. São eles: Agenor Neto, Walter Cavalcante e Silvana Oliveira. Os peemedebistas evitam falar sobre o assunto, mas as negociações com eles estão avançadas.
Enquanto Oliveira diz estar ouvindo todos seus correligionários e Neto diz que o fato de a sigla ser aliada de Camilo Santana inviabiliza sua ida, Cavalcante é dado quase como certo em um novo partido. Ao Diário do Nordeste, o líder da bancada na Assembleia, Audic Mota, informou que a saída de parlamentares diante de uma “janela partidária” é legítima e nada a legenda poderia fazer diante disso.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs