Busca

Categoria: Nacional


10:45 · 03.03.2013 / atualizado às 10:45 · 03.03.2013 por

A qualidade do ensino nas escolas públicas do Ceará, indiscutivelmente ainda deixa a desejar. Contudo, políticas públicas implementadas pelo Governo Cid Gomes, visando mudar essa realidade, têm apresentado resultado positivo e conquistado a simpatia e o apoio da presidente Dilma, para estendê-las, com a ajuda federal, aos demais estados brasileiros, para satisfação dos cearenses, não apenas por enxergarmos o esforço da administração estadual, no avançar nesse campo, tão útil ao futuro dos estudantes e da própria Pátria, como por sabermos ser o Estado exportador de boas políticas de Governo.
Num passado recente, também saiu do Ceará a experiência do Programa Saúde da Família, nascido no Município de Jucás, quando era prefeito o médico Carlili Lavor, com o nome de Agentes Comunitários de Saúde, responsável pela queda dos índices de mortalidade infantil no Estado, e motivo de premiações nacionais e até internacionais para os ex-governadores Tasso Jereissati e Ciro Gomes, pela abrangência que deram à iniciativa, hoje, nacionalmente conhecida como a mais eficiente ação básica de saúde.
Nacionalizado
O Programa de Alfabetização na Idade Certa – PAIC, nascido em Sobral, na administração do então prefeito Cid Gomes, oficialmente, agora, está nacionalizado como o “Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. A Câmara dos Deputados, na última quinta-feira, aprovou a Medida Provisória nº586,da lavra da presidente Dilma Rousseff, garantindo recursos federais a estados e municípios, para a implantação do sistema em seus respectivos espaços territoriais.
No lançamento do Pacto, no ano passado, a presidente Dilma não poupou elogios ao governador do Ceará, pelos resultados que a educação pública daqui alcançou após ser implantado o PAIC, modelo para a criação do Pacto nacional.
Agora, a presidente Dilma determinou ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante, assumir outro projeto gerado nos gabinetes da gestão estadual, com a finalidade dupla de instruir e ocupar os jovens na faixa escolar da 6ª a 9ª série em escolas de tempo integral nas áreas de grande densidade populacional, reconhecidamente pobre, com baixa escolaridade, e de fácil probabilidade de levar o jovem na faixa etária dos onze aos 14 anos para o campo da marginalidade, nas grandes e médias cidades brasileiras.
Amplitude
O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, um entusiasta do PAIC, entendeu o significado e a amplitude da ideia, cujos resultados poderão ser conhecidos a médio e longo prazos, e adotará o Ceará como piloto, como autorizado pela presidente Dilma, pagando 80% dos custos.
Cid reconhece a complexidade da universalização do sistema convencional de ensino em tempo integral. No caso específico, da possibilidade de se construir as 45 escolas suficientes para o atendimento dos jovens da faixa etária prevista, segundo as estatísticas elaboradas pelo Instituto de Pesquisas Estratégica Aplicada do Ceará – Ipece, apontando os 30 bairros mais carentes e o número de jovens potenciais alunos dos novos equipamentos, ele está convencido do sucesso da empreitada pelos municípios envolvidos, cujo custo será de 10% do total do empreendimento.
A presidente Dilma tem demonstrado apreço pessoal a Cid Gomes. Tem ajudado o Estado, embora parcimoniosamente quanto a projetos de maior amplitude. Na sua reeleição reside a esperança do governador – embora já não mais esteja no cargo se ela tiver um segundo mandato -, de o Ceará ser realmente contemplado com a conclusão das obras de infraestrutura em curso, além da refinaria, o grande sonho alimentado por nossas lideranças políticas há pelo menos cinco décadas, a partir de Virgílio Távora, e tantos outros, e ainda hoje ela continua sendo um sonho em projeto.
O posicionamento político adotado pelo governador em relação à sucessão presidencial, inclusive criando melindres dentro do seu próprio partido, ao defender a continuidade do PSB na aliança que apoia a reeleição da presidente, indiscutivelmente está ligado aos interesses do seu Governo e a marca a deixar para a história, embora já possa contabilizar o sucesso obtido com a Siderúrgica e a primeira Zona de Processamento de Exportação, dois outros empreendimentos que Virgílio Távora, governador pela primeira vez em 1962, reclamava como importantes para o desenvolvimento do Estado.