Busca

Categoria: Omissão


09:43 · 13.07.2018 / atualizado às 09:43 · 13.07.2018 por

Por Letícia Lima

O deputado Ely Aguiar (DC) voltou a levantar o debate, ontem, na Assembleia Legislativa, sobre o número de mulheres assassinadas no Estado. Segundo ele, só neste ano de 2018, já foram registrados 265 feminicídios. Para ele, o Parlamento cearense é “omisso” com relação ao assunto e cobrou maior engajamento das deputadas estaduais diante do cenário.

Ely Aguiar levou para a tribuna da Casa estudo do Instituto Maria da Penha que alerta para um “processo profundo de assassinato de mulheres no Ceará sem precedentes”. De acordo com a ONG, a maioria das mulheres são jovens e os assassinatos estão relacionados à “expansão” do crime organizado no Estado. Ele ressaltou o número de chacinas ocorridas no Estado,em 2018, que já são maiores daquelas registradas em anos anteriores.

“O Ceará fechou o mês de março de 2018 com 414 homicídios, fechando o primeiro trimestre mais violento desde 2013, com uma média de, aproximadamente, 14 homicídios por dia, de acordo com o boletim Maria da Penha. No que concerne à questão da violência letal contra a mulher no Estado não há o que se comemorar. No Estado, já são 265 mulheres assassinadas neste ano. Nessas últimas 24 horas mataram mais duas e a polícia encontrou o corpo de uma outra”, frisou.

Para o parlamentar, a Assembleia “peca por omissão” em não trazer à tona esse assunto e discuti-lo na Casa. Ely destacou uma série de recomendações feitas pelo Instituto Maria da Penha ao Governo do Estado para ajudar no combate ao feminicídio. “Oferecer atenção, prioridade e efetivação com celeridade aos programas de formações estratégicas, em conjunto dos agentes públicos dos setores de saúde, educação  e segurança pública para o enfrentamento da violência contra a mulher. Implantar melhorias na listagem e divulgação das estatísticas”, listou.

“É preciso repercutir para que o governo acorde e adote providências cabíveis Será que não existe interesse em levar a voz em defesa dessas pessoas, contra esse crime com as mulheres cearenses? Estamos assistindo a um processo profundo de assassinatos de mulheres no Ceará sem precedentes, não podemos pecar pela omissão ou pelo agrado quando não se traz o assunto relacionado ao nosso Estado”.

 

14:05 · 24.04.2018 / atualizado às 16:12 · 24.04.2018 por

Após visitar a Santa Casa de Misericórdia, o deputado Heitor Férrer (SD) reclamou, na manhã de hoje, do pouco repasse financeiro do Governo do Estado para a instituição, que é filantrópica. Segundo o parlamentar, o repasse, que vai da União e do Estado para aquele hospital não está sendo suficiente e uma média de 600 cirurgias não estão sendo realizadas.

“A receita do SUS foi de R$ 41 milhões, o município de Fortaleza repassou R$ 36 milhões e o Estado R$ 4 milhões, que dá por mês R$ 347 mil. Aquele Centro de Formação Olímpica gasta só de energia, pra nada formar, R$ 130 mil, sem falar em outros gastos que aquele elefante branco consome. Ou seja, a omissão do Estado em não socorrer a Santa Casa redunda em crime de homicídio”, alertou.