Edison Silva

Categoria: Omissão


09:43 · 13.07.2018 / atualizado às 09:43 · 13.07.2018 por

Por Letícia Lima

O deputado Ely Aguiar (DC) voltou a levantar o debate, ontem, na Assembleia Legislativa, sobre o número de mulheres assassinadas no Estado. Segundo ele, só neste ano de 2018, já foram registrados 265 feminicídios. Para ele, o Parlamento cearense é “omisso” com relação ao assunto e cobrou maior engajamento das deputadas estaduais diante do cenário.

Ely Aguiar levou para a tribuna da Casa estudo do Instituto Maria da Penha que alerta para um “processo profundo de assassinato de mulheres no Ceará sem precedentes”. De acordo com a ONG, a maioria das mulheres são jovens e os assassinatos estão relacionados à “expansão” do crime organizado no Estado. Ele ressaltou o número de chacinas ocorridas no Estado,em 2018, que já são maiores daquelas registradas em anos anteriores.

“O Ceará fechou o mês de março de 2018 com 414 homicídios, fechando o primeiro trimestre mais violento desde 2013, com uma média de, aproximadamente, 14 homicídios por dia, de acordo com o boletim Maria da Penha. No que concerne à questão da violência letal contra a mulher no Estado não há o que se comemorar. No Estado, já são 265 mulheres assassinadas neste ano. Nessas últimas 24 horas mataram mais duas e a polícia encontrou o corpo de uma outra”, frisou.

Para o parlamentar, a Assembleia “peca por omissão” em não trazer à tona esse assunto e discuti-lo na Casa. Ely destacou uma série de recomendações feitas pelo Instituto Maria da Penha ao Governo do Estado para ajudar no combate ao feminicídio. “Oferecer atenção, prioridade e efetivação com celeridade aos programas de formações estratégicas, em conjunto dos agentes públicos dos setores de saúde, educação  e segurança pública para o enfrentamento da violência contra a mulher. Implantar melhorias na listagem e divulgação das estatísticas”, listou.

“É preciso repercutir para que o governo acorde e adote providências cabíveis Será que não existe interesse em levar a voz em defesa dessas pessoas, contra esse crime com as mulheres cearenses? Estamos assistindo a um processo profundo de assassinatos de mulheres no Ceará sem precedentes, não podemos pecar pela omissão ou pelo agrado quando não se traz o assunto relacionado ao nosso Estado”.

 

14:05 · 24.04.2018 / atualizado às 16:12 · 24.04.2018 por

Após visitar a Santa Casa de Misericórdia, o deputado Heitor Férrer (SD) reclamou, na manhã de hoje, do pouco repasse financeiro do Governo do Estado para a instituição, que é filantrópica. Segundo o parlamentar, o repasse, que vai da União e do Estado para aquele hospital não está sendo suficiente e uma média de 600 cirurgias não estão sendo realizadas.

“A receita do SUS foi de R$ 41 milhões, o município de Fortaleza repassou R$ 36 milhões e o Estado R$ 4 milhões, que dá por mês R$ 347 mil. Aquele Centro de Formação Olímpica gasta só de energia, pra nada formar, R$ 130 mil, sem falar em outros gastos que aquele elefante branco consome. Ou seja, a omissão do Estado em não socorrer a Santa Casa redunda em crime de homicídio”, alertou.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs