Busca

Categoria: Painel


12:46 · 10.03.2016 / atualizado às 12:46 · 10.03.2016 por

Por Miguel Martins

Uma semana após os deputados filiados ao Partido Republicano da Ordem Social (PROS) migrarem para o Partido Democrático Trabalhista (PDT) foi modificada, ontem, no painel eletrônico da Assembleia Legislativa, as legendas de deputados que ingressaram no grêmio pedetista. Apesar de até o momento 15 parlamentares terem oficializado ingresso em outras legendas, mais alterações devem ocorrer até o próximo dia 19 de março.
O presidente da Assembleia, Zezinho Albuquerque (PROS), está aguardando o fim do prazo de “janela partidária”, no próximo dia 19, para decidir com o Colégio de Líderes e a Mesa Diretora as possíveis mudanças na composição das comissões técnicas da Casa. O PDT, agora a maior sigla do Legislativo Estadual, por exemplo, quer se juntar com outras agremiações a fim de constituir o maior bloco político da atual Legislatura, garantindo, dessa forma, mais comando de comissões.
Ainda na manhã de ontem, antes do início da sessão ordinária, funcionários da Casa modificaram, no painel eletrônico, os nomes e as siglas dos parlamentares que na semana passada tinham mudado de partido. Zezinho Albuquerque, Sérgio Aguiar, Manoel Duca, Antônio Granja, José Sarto e Robério Monteiro tiveram suas siglas modificadas para PDT. Somente o nome de Ivo Gomes não teve sua legenda modificada, pois, de acordo com o funcionário, ele não havia solicitado como fizeram os demais parlamentares.
Leonardo Pinheiro teve sua legenda modificada para PP, mas Roberto Mesquita, apesar de ter deixado o PV e ingressado no PSD, ainda ontem, não tinha feito a alteração no painel eletrônico. Outras mudanças ocorridas até o momento foram as de Joaquim Noronha, que deixou o PP e ingressou no PRP e as dos cinco deputados do PMB, Bethrose, Júlio César, Laís Nunes, Naumi Amorim e Odilon Aguiar.
De acordo com José Sarto, que até semana passada era líder do bloco formado por PCdoB, PT e PCdoB, todos os parlamentares estão aguardando até o dia 19 de março para tomarem alguma posição quanto à composição na Casa.
Forças
Ele chegou a tirar algumas dúvidas com o Departamento Legislativo sobre a situação das legendas no Legislativo Estadual, e disse que a Assembleia terá alteração em sua proporção partidária, o que mudará um pouco a correlação de forças entre situação e oposição, além de poder mudar a composição das comissões permanentes.
“Até o momento estamos vivendo no limbo, e isso só se resolverá no dia 19 de março”, disse. Segundo ele, é preciso observar a legalidade de algumas ações. “Tudo tem um caráter muito do direito eleitoral. O que está pacificado hoje é que a situação das comissões permanentes devem ficar como está até o dia 19, e depois senta-se todo mundo para reavaliar como fica a mudança. Mas acredito que se mudar, muda pouca coisa”.
O parlamentar ressaltou ainda que vai tentar uma reformatação dos blocos políticos da Casa. O PDT, com os dois deputados licenciados e outros dois que já eram filiados ao partido tem 11 parlamentares na Casa, somando-se mais três do PT e dois do PCdoB ficaria com 16 membros no Legislativo Estadual. No entanto, os membros dessa composição querem atrair mais nomes, e esses tendem a se filiar ao Partido Progressista.
São eles: Bruno Pedrosa, Lucilvio Girão e Fernando Hugo. Esses três se somarão a Zé Ailton Brasil e Leonardo Pinheiro que já estão no partido. O PP ainda espera contar com mais dois outros deputados. Com a possibilidade de retorno do deputado Manuel Santana, do PT, visto uma provável licença para assuntos particulares de Lucilvio Girão, o grupo teria 22 parlamentares na Casa, ou seja, quase metade de todos os representantes do Legislativo cearense.
Há ainda uma conversa em andamento com a deputada Silvana Oliveira e com Walter Cavalcante para aderirem a siglas aliadas a Camilo Santana. O bloco até pouco tempo formado por PROS, PT, PSD e PCdoB possuía 18 parlamentares, e com a mudança aumentará.
No entanto, conforme disse o próprio Sarto, é preciso averiguar a possibilidade dessa mudança junto ao Regimento Interno da Casa, visto que o documento diz que um partido que desassocie de um bloco não pode ingressar a outro durante a mesma sessão legislativa. No entanto, o parlamentar afirmou que esse ponto de vista pode criar um “vácuo”, visto que com até cinco deputados o PP, por exemplo, pode ficar sem participar de comissões técnicas.
“O Regimento fala sobre isso, mas se houver a conveniência pode, porque não podemos deixar um deputado sem participar das comissões. E se for necessário, a gente faz as adequações regimentais”.

20:27 · 15.01.2013 / atualizado às 20:27 · 15.01.2013 por
Equipamento foi colocado logo acima da sala de imprensa, impossibilitando assim que os profissionais acompanhe a votação. FOTO: MIGUEL MARTINS

Na obra de reforma do plenário da Câmara Municipal de Fortaleza, um fato que deverá chamar a atenção dos jornalistas que acompanham os trabalhos da Casa é a colocação do painel eletrônico logo acima da sala reservada para a imprensa. O equipamento, com informações sobre horário, presenças, votações e tipo de matérias a serem votadas foi posicionado acima da sala, impossibilitando, assim, que os profissionais acompanhem  o que ocorrerá durante as sessões.

Aqueles que já perceberam o incômodo disseram que irão acompanhar os trabalhos das galerias, local onde poderão acompanhar o que estará disposto no plenário. Para tentar evitar transtornos com os repórteres, o 1º secretário da Câmara Municipal, Elpídio Nogueira (PSB) disse que que irá fixar um monitor na sala, para que os os jornalistas possam ter acesso ao material disposto no painel.