Edison Silva

Categoria: Parecer


11:38 · 29.12.2017 / atualizado às 11:38 · 29.12.2017 por

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, em sua edição desta sexta-feira, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, deu parecer contrário ao pedido do ex-governador Cid Gomes de instauração de processo contra o empresário Wesley Batista, que afirmou ter liberado dinheiro para a campanha de 2014 no Ceará a pedido de Cid. Ela também foi contra ao pedido do ex-governador de que o processo tramitasse no Supremo Tribunal Federal.

Segundo o depoimento de Wesley, Cid teria ido pessoalmente ao escritório da JBS pedir recursos para a campanha de 2014, mas teria recebido uma negativa pelo fato de o Estado estar, à época, não haver liberado os créditos de ICMs que uma das empresas do grupo JBS teria direito, o que teria acontecido  posteriormente.

Segundo a informação, “Dodge concordou parcialmente com o pedido de Cid e recomendou ao Supremo que as apurações referentes a 2014 fiquem com a Corte (o Supremo Tribunal Federal), já que há menção a um deputado federal. No caso de 2010, a procuradora pediu a manutenção da investigação na Justiça Federal do Ceará. Ela argumentou, contudo, que não há motivo para processar Wesley”.

Cid já havia contestado a parte do depoimento de Wesley que tratava do Ceará.

07:46 · 04.12.2015 / atualizado às 07:46 · 04.12.2015 por

Com uma representação impetrada pelo PMDB para perda do mandato eletivo por desfiliação partidária tramitando na Justiça Eleitoral, o vereador Carlos Mesquita (PROS) defendeu que o seu mandato não é do PMDB e comemorou parecer do Ministério Público Eleitoral neste sentido.
Segundo Mesquita, o Ministério Público deu um primeiro parecer sobre o caso apontando que o PMDB não tem o direito de pedir o seu mandato. “Eu quis ajudar e não quiseram minha ajuda, me expulsam e pedem meu mandato. Fiquei muito feliz com o parecer do Ministério Público dizendo que o PMDB não tem direito de pedir o mandato, isso vai para os autos e o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) irá decidir sobre essa questão minha”, declarou.
O parlamentar argumentou não ter feito nada para perda o mandato, pois trabalhou pelo partido e no momento que não quiseram sua ajuda o expulsaram. “Fui expulso do meu partido que depois pediu meu mandato, mas graças a Deus o Ministério Público já fez o parecer sobre o meu caso. Eu fiquei muito feliz porque a gente quer justiça”, argumentou.
O processo de Mesquita aguarda a apreciação do relator, o juiz Antônio Sales de Oliveira. A ação movida pelo PMDB é devido a sua expulsão do partido sob a acusação de infidelidade partidária.
Em julho, a Comissão de Ética do PMDB cearense expulsou o vereador por ele, supostamente, ter apoiado, nas últimas eleições, o candidato Camilo Santana (PT) em vez do correligionário Eunício Oliveira, derrotado no pleito. Na ocasião, Mesquita apontou que o julgamento do Conselho seria um jogo “de cartas marcadas”. Segundo informou, membros do partido já haviam sido orientados da decisão em reuniões anteriores.
Em pronunciamento, ele também defendeu que o Brasil precisa de paz, pois os políticos estão observando apenas questões íntimas e partidárias.

12:19 · 29.11.2014 / atualizado às 12:19 · 29.11.2014 por

O parecer  do Departamento Jurídico da Câmara Municipal de Fortaleza sobre o pedido de cassação do mandato do vereador Antônio Farias de Souza (PTN), o Aonde É, feito por membros do Ministério Público do Estado foi entregue, na manhã de ontem, ao corregedor parlamentar Casimiro Neto (PP). Ele também é vice-presidente do Conselho de Ética.
Apesar de não ter lido o teor do documento, o vereador corregedor apontou que serão adotadas por parte da Câmara Municipal todas as providências necessárias no caso do parlamentar investigado por desvios de verba. “Vou começar a analisar o parecer neste fim de semana. Eu não vi nada ainda, é um processo muito volumoso”, explica.
Aonde É chegou a ser preso em flagrante, no dia 26 de setembro, enquanto supostamente tentava sacar a quantia referente ao salário de um assessor, no valor de R$ 1.900, referente ao salário do funcionário. No fim de outubro, no entanto, o ministro Marco Aurélio de Melo, do Supremo Tribunal Federal (STF) ordenou que o parlamentar fosse solto para responder o processo em liberdade. Ele também é investigado por desvio de Verba de Desempenho Parlamentar (VDP).
A Corregedoria tem o prazo de 10 dias para analisar o pedido feito pelo MP e o parecer técnico da Casa. O posicionamento da Corregedoria será enviado ao Conselho de Ética da Casa que abrirá um inquérito para investigar a conduta do vereador. Em seguida, o grupo deve escolher o relator do caso.

09:41 · 29.11.2012 / atualizado às 09:41 · 29.11.2012 por

Os membros da comissão conjunta de Legislação e Justiça e Orçamento da Câmara Municipal de Fortaleza se reuniram, na manhã de ontem, para a apreciar e aprovar o parecer da relatora, a vereadora Eliana Gomes (PCdoB), que foi favorável ao orçamento em sua plenitude. Algumas alterações, como a data para conclusão da votação da peça orçamentária e participação dos legisladores através de emendas individuais, também foram debatidas.
Hoje, a matéria entra na pauta do dia, e terá até três sessões ordinárias para apresentação de emendas parlamentares e, em seguida, seguir para votação, tanto do Projeto de Lei Orçamentária quanto das alterações propostas pelos legisladores. Para a próxima quarta-feira, às 15 horas, no auditório da Câmara Municipal de Fortaleza, a relatora se encontrar com representantes de vários segmentos da sociedade civil, juntamente com a equipe de transição do prefeito eleito Roberto Cláudio e com o secretário de finanças, Alexandre Cialdini, para discutir que considerações podem ser feitas a respeito do orçamento para 2013.
Na manhã de hoje, o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindfort) irá participar de uma audiência com os vereadores da Casa Legislativa, para ficarem cientes como o orçamento a ser aprovado irá afetar o funcionalismo público da Capital no próximo ano. Na sexta-feira passada, em reunião com a presença de 25 vereadores ficou decidido que o prefeito eleito, Roberto Cláudio iria garantir os 0,01% do orçamento, ou seja, cerca de R$ 558 mil, de emendas individuais, respeitando no entanto, 50% para iniciativas do Executivo e 50% para outras entidades.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs