Busca

Categoria: Partridos novos


13:11 · 14.10.2012 / atualizado às 13:11 · 14.10.2012 por

Partidos recém-criados no Brasil, PSD e PPL disputaram as eleições municipais deste ano, no Ceará, para tentar consolidar seus quadros. Embora o desempenho dos dois partidos tenha sido bem diferente no pleito, os dirigentes estaduais das duas legendas acreditam, em geral, ter conquistado os seus objetivos: tornar o partido conhecido e consolidá-lo no Estado através da conquista de cargos eletivos.
O PSD já começou razoavelmente grande no Estado, com políticos e filiados ligados ao governador Cid Gomes (PSB). Logo após ser criado, contou com a migração de aproximadamente 40 prefeitos. Neste ano, elegeu 236 vereadores no Ceará. O dirigente estadual Almicyr Pinto lembra que a expectativa do partido era fazer cerca de 30 prefeituras na primeira disputa eleitoral, avaliando ter chegado bem próximo, pois elegeu 26 prefeitos, e esse número ainda pode mudar por conta dos recursos de candidatos que ainda devem ser julgados pelo TSE.
“Temos tendência de Quixeramobim, Boa Viagem e Nova Olinda. Estão para ser decididos. Desses três, pelo menos dois com certeza a gente ganha. Vamos ficar em torno de 29 prefeitos. Se você for olhar quantos PMDB e PT fizeram, a gente só fica atrás do PSB. Dependendo do TSE, teríamos um número altíssimo, seríamos o segundo maior partido. Então chegamos na nossa meta. O partido teve uma eleição de muito trabalho e está saindo vitorioso”, analisa.
Conforme Almicyr Pinto, para um partido que disputa uma eleição pela primeira vez, o resultado é “altamente favorável” e representa uma base forte para o processo eleitoral de 2012. “Essa eleição municipal é a mais importante para a formação partidária porque dá a base política para a agremiação. Terminaremos com segundo maior numero de prefeitos e vereadores”, declara.
O dirigente destaca ainda que os gestores eleitos pelo PSD estão distribuídos em todo o Estado, havendo núcleos consolidados no Sertão Central, no Cariri e na Ibiapaba. “Está muito bem instalado o partido, estamos ganhando municípios de grande porte. Sem contar que temos vice-prefeitos eleitos também. A base do partido está muito bem desenhada. O PSD é um partido muito preparado para a eleição estadual e nacional de 2014”, avalia Almicyr.
Enquanto isso, o PPL desponta de forma mais tímida. O partido elegeu, neste ano, três prefeitos e 22 vereadores no Ceará. Para o presidente estadual da legenda, André Ramos, o desempenho foi “muito bom” para quem disputa uma eleição pela primeira vez. “No Brasil, foram 12 prefeituras, sendo três do Ceará. Elegemos em Cariús, Palmácia e Itaitinga. Dos 30 partidos no CE, apenas 18 têm prefeituras, e nós somos um deles. Tivemos um bom desempenho, embora haja situações complicadas, como pouca visibilidade”
O PPL também concorreu à Prefeitura de Fortaleza, apresentando como candidato o próprio presidente André Ramos. Ele avalia que a candidatura foi positiva, apesar dos poucos votos conquistados. “É natural as candidaturas partirem para ideias mirabolantes, mas nós mantemos a coerência. A simpatia do eleitorado era notável, mas conquistar o voto foi mais complicado. Até transformar essa simpatia em voto ainda demora um pouco. Mas apresentamos o partido. O nosso objetivo principal atingimos”, declara.
André Ramos diz que o partido está trabalhando de forma coesa para manter a unidade interna e canalizar apoios visando a disputa de 2014. Ele afirma que, agora, a agremiação precisa trabalhar para exercer bons mandatos nas prefeituras e se fortalecer nos movimentos sociais, segundo ele, a base do PPL. “Vamos fortalecer atuação junto com a luta social e intensificar a participação setorial, além de dar condições administrativas para o partido se sair bem nos cargos para os quais foi eleito”, garante.