Busca

Categoria: Pedestres


10:52 · 17.06.2016 / atualizado às 10:52 · 17.06.2016 por

Por Suzane Saldanha

 

Vereador João Alfredo é o autor de uma lei que reclama atenção para os pedestres em travessias de ruas e avenidas em Fortaleza
Vereador João Alfredo é o autor de uma lei que reclama atenção para os pedestres em travessias de ruas e avenidas em Fortaleza

Alegando a importância da prevenção de acidentes de trânsito, vereadores da Capital defenderam, ontem, a necessidade de ser implantado uma cultura de respeito aos pedestres, e a importância da execução de medidas que promovam a educação no trânsito da cidade. Eles observaram que em outras cidades do País já existe a consciência dos motoristas quanto à prioridade no trânsito ser dos pedestres.
Em 2014, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) sancionou uma projeto do vereador João Alfredo (PSOL) para instituir o “Sinal de Respeito” para que os motoristas parem com um sinal dos pedestres. Os parlamentares cobraram a execução desta medida.
Paulo Gomes (PEN) defende que a Prefeitura, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito,  coloque em prática as leis de educação no trânsito já instituídas na cidade. Para ele, uma forte publicidade deve ser implantada nesta área para educar a população de Fortaleza.
“Temos que educar, não se pode cobrar a população por algo que ela não sabe. Se nós fizermos uma campanha em conjunto com as Prefeituras da Região Metropolitana teremos muito menos acidentes e internações”, apontou. O vereador citou Brasília como um exemplo de educação no trânsito, pois lá os motoristas param para travessia de pedestres.
Além da lei de autoria de João Alfredo, Paulo Gomes entrou com um projeto neste sentido. Conforme a medida que começou a tramitar ontem, deve ser instituída na cidade uma campanha de sinal para travessias de pedestres nos sinais. Segundo ele, as câmaras municipais de Aquiraz e Eusébio também estão com propostas similares.
“Ando muito atento, já tinha visto isso em Brasília com a passagem do pedestres ao dar um sinal. Não estou dizendo que vou inventar algo diferente, só quero colocar em prática o que já acontece. Em 2012, João Alfredo teve a mesma ideia e eu queria me somar a essa. O pedestre tem a preferência do ciclista e o ciclista sobre o carro”, atestou.
Na proposta de Gomes, fica instituído a Campanha “Dê Sinal de Vida”, um programa destinado à educação dos motoristas e pedestres no tocante a travessia  exclusivamente na faixa de trânsito. De acordo com a proposta, o pedestre deve fazer um sinal com o braço para os motoristas sinalizando que vai passar a faixa de pedestre.
Para implementar a lei, o Poder Executivo Municipal deve instituir campanhas educativas por vários meios, inclusive na criação de placas indicativas onde estiverem as faixas de pedestres. O documento também instituí a campanha de blitz educativas por parte dos agentes de Fortaleza para ensinar o fortalezense sobre a importância dos pedestres da travessia, bem como os principais quesitos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)
Pedindo a execução da lei municipal, João Alfredo (PSOL) salientou que a determinação se coloca acima de questões política e partidária por visar melhorias das condições da acessibilidade e mobilidade da cidade. O vereador parabenizou a iniciativa de Gomes. “Se copiar as boas iniciativas não é algo ruim, até mesmo quando apresentei eu lembrei disso, morei em Brasília durante quatro anos.

Lá o Governo trabalhou com educação e repressão”, destacou.
Segundo ele, na capital federal primeiro foi divulgada uma campanha e depois foram aplicadas multas em quem não cumprisse a determinação.
A lei municipal nº 10.206/2014, de autoria de João Alfredo, institui o “Sinal de Respeito”, ou seja, o levantar o braço que indica o desejo de atravessar a faixa de pedestre. Conforme a medida, o sinal deve ser respeitado onde exista a faixa de pedestre e também em qualquer ponto da via quando distante mais de 50 metros de alguma faixa ou passagem nas diversas vias desta Capital, para garantir prioridade na referida travessia sobre a faixa e alertando a atenção do condutor nos locais onde não exista faixa.
Nesta determinação, o Poder Municipal ficou responsável por fazer campanha educativa massiva direcionada aos condutores e pedestres.