Busca

Categoria: Pescado


09:50 · 04.07.2013 / atualizado às 09:50 · 04.07.2013 por

Por Miguel Martins

O deputado Dedé Teixeira (PT), durante pronunciamento, ontem, na Assembleia Legislativa, destacou o potencial do Estado do Ceará para se tornar um dos principais produtores de pescado em cativeiro do País com tecnologia avançada. Ele destacou que as informações foram apresentadas durante conferência Brasil-Chile em Aquicultura, realizada na semana passada pelo Instituto de Ciências do Mar – Labomar.
De acordo com o petista, diversas são as comunidades pesqueiras que ainda vivem da pesca artesanal em muitos municípios litorâneos e acabam sofrendo na época do defeso do pescado. O parlamentar ressaltou por exemplo um projeto que já está em andamento na Fundação Chile, que trata da desova da arabaiana, destacando ainda que o Ceará tem um potencial grande para a produção em cativeiro deste e de outros tipos de peixes.
Segundo Teixeira, existe também a possibilidade de produção de algas marinhas, visto que 43 áreas do Estado são potencialmente favoráveis para esse tipo de negócio, podendo gerar milhares de empregos, isso segundo o Ministério da Pesca e Agricultura, que também esteve no evento do Labomar. Dedé Teixeira enfatizou ainda a importância da criação de tilápias, que, segundo ele, pode se tornar o “frango das águas”, dos criadores cearenses, conquistando mais espaço na economia.
O evento citado pelo parlamentar ocorreu na semana passada no auditório do Instituto de Ciências do Mar e contou com professores, pesquisadores, além de representantes do Ministério da Pesca e Aquicultura. A proposta foi de realização de conferências sobre desenvolvimento da piscicultura e diversificação de espécies, além da apresentação de programas exitosos no Chile.
A discussão visou encontrar meios de potencializar a produção de pescados no litoral cearense. O Governo Federal, inclusive, pretende implantar pelo menos 43 parques aquícolas a partir deste ano em 45 mil hectares já mapeados, como informou Dedé Teixeira.
A intenção do Ministério da Pesca e Aquicultura é beneficiar pelo menos cinco municípios cearenses: Itapipoca, São Gonçalo do Amarante, Icapuí, Amontada e Trairi. O Estado do Ceará tem um potencial para a implantação dos parques aquícolas e sua produção pode chegar a 12 toneladas/ hectare em um ciclo com durabilidade de um ano.
Experiências semelhantes já foram bem sucedidas em Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Norte, Maranhão, Pará e Sergipe. No entanto, o Ceará é quem apresentará maior número de parques, conforme foi constatado no seminário realizado semana passada.
O Ceará já é reconhecido pela sua produção aquícola e m água doce, sobretudo, no Açude Castanhão, o maior do Estado, com produção de tilápia, que tem projeção de produção de 32 mil toneladas de pescado por ano, gerando, de forma imediata, 800 empregos.