Busca

Categoria: Pesquisa


10:00 · 09.06.2014 / atualizado às 10:00 · 09.06.2014 por

Tasso Jereissati (PSDB) é o preferido do eleitorado cearense para ser senador da República, nas eleições deste ano, segundo a pesquisa contratada pelo <CF61>Diário do Nordeste </CF>ao Ibope, sobre a preferência do eleitorado cearense na disputa para os cargos de senador, governador e presidente da República. A presidente Dilma Rousseff (PT), segundo o relatório da pesquisa, tem o apoio da maioria do eleitorado deste Estado.
Ontem, publicamos a parte da pesquisa relacionada à disputa pelo Governo do Estado, apontando cenários em que os prováveis candidatos são apoiados pelos líderes dos seus partidos e sem padrinhos. O nome do senador Eunício Oliveira (PMDB) aparece em primeiro lugar nos dois momentos apontados pelos entrevistadores aos eleitores.
A pesquisa foi realizada entre os dias primeiro e 4 de junho, com um total de 1008 eleitores, com o objetivo de “levantar a intenção de voto do eleitorado acerca das eleições que ocorrerão em 2014 e monitorar a administração estadual e federal” no Ceará. Foram ouvidos eleitores maiores de 16 anos, representando as várias regiões do Estado e as diversas faixas de idade e escolaridade, seguindo o modelo de amostragem em que seleciona municípios e os conglomerados.
A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o nível de confiança chega a 95%. As entrevistas foram pessoais com a utilização de questionário elaborado de acordo com sua finalidade e realizadas por uma equipe de entrevistadores contratados pelo Ibope, devidamente treinada para abordagem desse tipo de público. Houve filtragem em todos os questionários após a realização das entrevistas e fiscalização em aproximadamente 20% dos questionários, diz o relatório.
Para atender ao que recomenda o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a pesquisa foi registrada, no prazo determinado, no Tribunal Regional Eleitoral, quanto à parte referente às eleições estaduais, sob o número CE-00008/2014 e no TSE, pelo fato de os eleitores cearenses terem sido perguntados sobre a sucessão presidencial, sob o número BR-00148/2014.
Neste ano, os cearenses elegerão apenas um senador (a renovação do Senado é de apenas um terço. Assim, cada Estado e o Distrito Federal escolherão só um representante). Na parte espontânea da pesquisa foi perguntado ao eleitor em quem ele votaria, sem, contudo, apresentar nomes de candidatos. Tasso Jereissati foi apontado por 7% dos entrevistados, seguido de Inácio Arruda (PCdoB) com 3% e José Guimarães com 1%.
Foram apresentados aos eleitores como candidatos ao Senado, além de Tasso Jereissati, o senador Inácio Arruda, o nome de Geovana Cartaxo (PSB), do deputado federal José Guimarães (PT) e da ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT). Os dois petistas são apresentados em cenários diferentes.
Tasso Jereissati sempre aparece no patamar próximo dos 50% da preferência do eleitorado, seguido de Inácio Arruda com pouco menos de 20%. Luizianne chega a alcançar 7% da preferência do eleitorado contra 6% de seu correligionário José Guimarães. Geovana Cartaxo não passa dos 3%. Luizianne Lins é o nome mais rejeitada para o Senado.
Na disputa pela Presidência da República, Dilma Rousseff, majoritariamente é a preferida dos cearenses. Na parte estimulada da pesquisa, em que o entrevistador apresenta a relação dos candidatos, ela tem 55% de citação. O segundo mais próximo, Aécio Neves (PSDB) somou 8% da preferência do eleitorado seguido de Eduardo Campos (PSB) com 6%.
Na parte espontânea da pesquisa sobre a eleição presidencial, dos atuais pretensos candidatos apenas a presidente Dilma, o senador Aécio Neves e o ex-governador pernambucano Eduardo Campos são citados pelos eleitores cearenses.

10:07 · 05.05.2014 / atualizado às 10:07 · 05.05.2014 por

O Diário do Nordeste contratou os serviços do Ibope para a realização da sua primeira pesquisa sobre as eleições do dia 5 de outubro próximo no Ceará, quando serão votados os candidatos à Presidência da República, ao Governo do Estado, ao Senado da República (uma vaga), à Câmara Federal (22 deputados) e à Assembleia Legislativa (46 deputados). O senador Eunício Oliveira, se a votação fosse hoje, venceria em todos os seis cenários apontados, incluindo-se na relação dos prováveis candidatos além dele, quatro nomes do PROS e dois do PT.
Os quadros ao lado mostram os percentuais atribuídos a cada um dos nomes apontados como prováveis candidato ao Governo do Estado. Os demais dados relacionados às entrevistas sobre candidatos ao Senado e à Presidência da República serão publicados na edição de amanhã.
A pesquisa foi realizada entre os dias 27 e 30 de abril em um universo de 1008 eleitores (534 mulheres e 474 homens), maiores de 16 anos, representando as várias regiões do Estado e diversas faixas de idade e escolaridade. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança chega a 95%. As entrevistas foram pessoais com a utilização de questionário elaborado de acordo com sua finalidade.
Para atender ao que recomenda o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a pesquisa foi registrada, no prazo determinado, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), quanto à parte referente às eleições estaduais, e no TSE, pelo fato de os eleitores cearenses terem sido perguntado sobre a sucessão presidencial.
Relatório
“Neste momento em que não há nenhuma definição oficial dos candidatos que concorrerão às próximas eleições, foram testados possíveis cenários de intenção de voto, considerando os possíveis nomes ao Governo e ao Senado no Ceará, e para a Presidência da República”, diz a parte inicial do relatório feito pelo Ibope, para a apresentação do resultado da pesquisa.
Os eleitores entrevistados ao responderem a pergunta sobre “qual o seu interesse pelas eleições que ocorrerão em 2014”, 14% disseram ter muito interesse, 28% têm interesse médio, 30% têm pouco interesse e 26% responderam não ter qualquer interesse nas eleições deste ano.
Em todos os cenários da pesquisa para a sucessão estadual estão os nomes de Ailton Lopes (PSOL), Nicole Barbosa (PSB) e Eunício Oliveira (PMDB). Eles são apresentados como sendo consenso em suas respectivas agremiações. Os outros nomes que aparecem uma só vez em cada cenário são: Domingos Filho, Mauro Filho, Zezinho Albuquerque, Izolda Cela (todos do PROS), e Camilo Santana e Luizianne Lins, ambos do PT.
Na pesquisa espontânea, aquela em que os eleitores são perguntados em quem votaria para governador se as eleições fossem hoje, sem que lhes sejam apresentados nomes, apenas Eunício Oliveira foi apontado por 4% dos entrevistados, seguido de Luizianne Lins com 1%.
Na parte estimulada, quando ao eleitor é apresentada a relação dos prováveis candidatos ao Governo, no cenário em que além de Nicole, Ailton e Eunício Oliveira aparece Domingos Filho, Eunício alcança 43% das intenções de voto contra 7% de Domingos, 5% de Nicole e 3% de Ailton.
Quando o nome do PROS é Mauro Filho, Eunício mantém os 43% contra 8% de Mauro, 5% de Nicole e 3% de Ailton. Com Zezinho Albuquerque representando o PROS na chapa, Eunício chega a 44% contra 6% de Zezinho, 5% de Nicole e 4% de Ailton. Com Izolda Cela como provável candidata do PROS, Eunício alcança 46%, Izolda 1%, Nicole 6% e Ailton 4%.
Nos dois últimos cenários, cujos nomes apontados como prováveis candidatos ao Governo são Camilo Santana e Luizianne Lins, ambos do PT, Eunício Oliveira tem 43% contra 6% de Camilo, 4% de Nicole e 3% de Ailton. Com Luizianne o resultado apontado dá 42% para Eunício, 12% para Luizianne, 5% para Nicole e 4% para Ailton.
Luizianne é nome mais rejeitado de todos os apresentados, 31% . Domingos Filho e Eunício Oliveira são os menos rejeitados com 12% cada um.

09:21 · 28.07.2013 / atualizado às 09:21 · 28.07.2013 por

A pesquisa do Ibope, conhecida na última semana, sobre a sucessão no Ceará, mesmo com uma relativa distância do pleito, a acontecer em outubro de 2014, agradou deveras a tucanos e peemedebistas em razão das posições alcançadas por Tasso Jereissati e Eunício Oliveira. O primeiro, preferido dos eleitores tanto para a eleição de governador quanto a de senador, e o segundo , líder na disputa pelo Governo do Estado, o seu principal projeto, quando confrontado com Domingos Filho, Leônidas Cristino e Mauro Filho.
O levantamento agora feito por aquele especializado Instituto, diferentemente dos que são efetuados nos cursos das campanhas eleitorais, pela falta da definição de candidatos e da incerteza do quadro nacional, influenciador da montagem das alianças, não passa de um elemento animador dos atores da política, e de instrumento para manter lembrados os nomes das lideranças partidárias. O PMDB, patrocinador da pesquisa, sabe muito bem qual o seu peso na conjuntura atual.
O senador Eunício Oliveira, cuja candidatura à sucessão estadual é anunciada em todos os pontos do Ceará por seus correligionários – ele próprio evita tratar a questão de público -, fora do Brasil, no momento da publicação da pesquisa, talvez até por estratégia, quando voltar ao Interior, no próximo mês, nos encontros partidários por ele promovidos, com frequência, no decorrer deste ano, certamente terá auditórios mais repletos e plateias entusiasmadas a estimulá-lo a assumir, de já, a candidatura por ele almejada.
No PSDB, os números da pesquisa deram mais força aos tucanos envolvidos no processo de fazer ressurgir o partido, hoje realmente fragilizado em razão dos resultados das últimas eleições, para sensibilizar o ex-senador Tasso Jereissati a disputar novamente uma vaga no Senado. Até o senador Aécio Neves, provável candidato do partido à Presidência da República, está imbuído desse propósito, e sobre isso já tratou com o próprio Tasso, segundo correligionários de ambos, sem contudo ter alcançado êxito.
O ex-senador Luiz Pontes, hoje presidente do PSDB no Ceará, um dos tucanos locais mais próximo de Tasso, fala com otimismo sobre uma postulação do seu líder dentro de uma composição representada por um forte candidato ao Governo do Estado. O partido, convencido de ter apenas um nome para a disputa majoritária, descarta a possibilidade de apresentar um postulante apenas para fazer-se representar na disputa, como aconteceu em 2010, no Estado, e em 2012, na eleição municipal de Fortaleza.
Pontes, quer conversar sobre aliança com lideranças de outros partidos, a começar com o próprio Eunício Oliveira, presidente estadual do PMDB, embora os acertos com este ou qualquer outro grêmio tenhamcomo barreira, de difícil transposição, a sucessão presidencial. Luiz Pontes entende, também, ser imprescindível a participação de Tasso como candidato para o projeto do partido de eleger uma bancada de pelo menos quatro deputados estaduais e dois federais.
Os tucanos ainda incluem, embora com certo ceticismo, os seus três atuais deputados estaduais: Fernando Hugo, João Jaime e Téo Menezes, na pretensa chapa a ser apresentada para a disputa de vagas no Legislativo estadual. De fato, eles já não estão mais no PSDB, os dois primeiros negociam suas novas filiações, e o terceiro, forçado a permanecer onde está, não tem mais uma intensa vida partidária, e tudo indica não postulará reeleição.
O quadro sucessório estadual, animado pela pesquisa em questão, ainda experimentará vários outros momentos, embora sua concretização só venha a acontecer no início do próximo ano, tanto em relação a escolha de candidatos quanto de alianças partidárias, tudo condicionado ao processo da disputa presidencial.

12:25 · 29.05.2012 / atualizado às 12:25 · 29.05.2012 por

O Instituto Trata Brasil, que coordena uma mobilização nacional para universalização de acesso à coleta e tratamento de esgoto, apresentou, pesquisa ibope, apontando os principais temas que serão lembrados pelos eleitores durante as eleições municipais. O levantamento foi realizado em 26 cidades do Brasil, e mostra que as principais preocupações da população são nas áreas da saúde, segurança pública, e com o aumento do uso de drogas.

A pesquisa foi realizada do dia 24 a 29 de março em 26 municípios com população superior a 300 mil habitantes, incluindo a Capital cearense. O levantamento mostrou os temas que os eleitores levarão em conta quando analisarem as propostas dos candidatos às prefeituras e câmaras municipais. Saúde, segurança, educação e drogas serão os principais assuntos que o eleitor irá querer ver quando da apresentação do plano de Governo de seus candidatos.

Três desses quatro quesitos são recorrentes em qualquer eleição, mas o tema drogas tem aparecido na pesquisa, como uma surpresa, uma vez que em outros diagnósticos não era citado como uma preocupação maior da população.

Fortaleza encontra-se com índices ruins em, praticamente, todas essas áreas citadas. Está na 183ª posição no Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará em Alfabetização (Spaece-Alfa), e também em recente pesquisa do Ministério da Saúde, dicou na 5ª pior posição entre todas as capitais do País.

No quesito drogas, que também não deixa de ser um caso de segurança e saúde pública, os vereadores da Câmara Municipal até tentaram, no entanto, mais de dois anos depois de aprovarem emenda coletiva no valor de R$ 2 milhões para construção de centro de recuperação de drogados, ainda não tiveram uma resposta da Prefeitura se esta  irá ou não aplicar o montante, na construção do equipamento.

Nos últimos anos, o Executivo Municipal pouco se preocupou com o aumento no número de drogados na Capital, e isso deve pesar durante as eleições de outubro próximo, conforme apontou a pesquisa do Instituto Trata Brasil.