Busca

Categoria: Petistas


22:55 · 18.04.2017 / atualizado às 22:56 · 18.04.2017 por
Presidente estadual do PT, De Assis Diniz, oficializa vitória de Acrísio Sena na noite de ontem Foto: Kid Júnior

Após o julgamento de seis recursos apresentados em Fortaleza, a executiva estadual do PT definiu, na noite desta terça-feira (18), que o novo presidente do partido na Capital é o vereador Acrísio Sena. A decisão validou o resultado da eleição do diretório municipal, realizada no último dia 9, em que Acrísio obteve 1.509 votos, contra 1.506 do ex-vereador Deodato Ramalho.

A disputa pelo comando do diretório em Fortaleza estava no impasse depois que a chapa de Deodato detectou a ausência de ata de votação na 83ª e 114ª zonas eleitorais e protocolou dois recursos pedindo a impugnação das urnas. No entanto, segundo o presidente do PT estadual, Francisco de Assis Diniz, o regimento não prevê a anulação dos votos de uma zona por ausência de ata.

“Primeiro, a ata existe. Quando você faz uma votação em urna eletrônica, o boletim já é a própria parte da ata. Segundo, cabia à comissão de organização, ao recepcionar o material, identificar alguma dificuldade ou algum problema da urna e pedir para os mesários que estavam coordenando as mesas de receptura de voto, fazer o registro da ata. A comissão não fez, por isso não pode pedir para ser impugnado”, afirmou. 

Francisco de Assis também nega as acusações do grupo de Deodato, de que houve interferência externa de funcionários da Prefeitura de Fortaleza na 114ª zona eleitoral, na Barra do Ceará. Ele apenas afirmou que ”esse debate, eu vou repetir, é interno no PT. Não são erros que vão tornar nossas virtudes menores do que o que nós temos nesse debate”.

A disputa pela escolha do próximo dirigente da sigla na Capital foi a mais acirrada no Estado e dividiu os filiados. De um lado, a candidatura do vereador Acrísio Sena, ligado ao governador Camilo Santana e aos irmãos Ferreira Gomes. Do outro, a candidatura do ex-vereador Deodato Ramalho, apoiada pela ex-prefeita Luizianne Lins, que é opositora radical da gestão do atual prefeito Roberto Cláudio (PDT).

Embora respeite o pensamento de sua correligionária, Acrísio defende uma postura de independência do PT em relação à gestão municipal. “Nesse aspecto temos divergências e é salutar no PT. Digo pra Luizianne: o que é central pra eles, que são oposição, não é central pra nós. Pra nós, hoje, temos total abertura para construirmos uma posição de unidade no PT em Fortaleza. Temos que fazer os grandes debates da cidade”, destacou Acrísio.

Eleições

O vereador afirma que essa postura será definida até o fim deste ano. A conjuntura das eleições em 2018, segundo ele, será um fator importante para a construção desse cenário que, até o momento, tem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Lula (PT) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), padrinho político do governador Camilo, dispostos a entrar na corrida presidencial. “Nós não podemos enxergar que o PDT, em nível nacional ou estadual, é nosso inimigo. Na política não dá pra se trabalhar na linha do bem ou do mal”, enfatizou  Acrísio. Não foi possível falar com Deodato Ramalho, logo após a decisão da direção estadual. 

Com a escolha da presidência dos diretórios municipais, o próximo passo do PT é indicar os delegados que representarão o Ceará no Congresso Nacional, marcado para o próximo mês. Nesse congresso, serão definidas as direções das cúpulas estaduais do partido no País. 

10:27 · 16.04.2017 / atualizado às 09:55 · 17.04.2017 por

O candidato à presidência do Partido dos Trabalhadores em Fortaleza, Acrísio Sena, diz estar confiante de que a Executiva estadual irá ratificar todos os votos apurados e sagrá-lo como vencedor da eleição ocorrida no último domingo, 2. “Como a orientação da Executiva foi apurar tudo, ela deve ratificar todos os votos apurados”, declara o vereador.

Desde domingo, o resultado da eleição não foi anunciado por questionamentos feitos pela candidatura do adversário de Acrísio, o ex-vereador Deodato Ramalho. Ele afirma que houve interferências de outros partidos na disputa e pede a anulação de duas urnas por supostas irregularidades. Entretanto, na última terça, 11, a Executiva estadual do partido determinou que todas fossem apuradas.

Pelo resultado das urnas, Acrísio teria vencido por uma vantagem de três votos, conquistando 1509 sufrágios contra 1506 de seu ex-colega de bancada municipal. Entretanto, durante a apuração, realizada na quarta, 12, a Comissão Eleitoral, contrária à orientação da executiva estadual, determinou a anulação de duas urnas pela ausência de atas. Com isso, Deodato teria conquistado 1340 votos, contra 1163 de Acrísio. Porém, o vereador afirma que a comissão eleitoral não tem competência para anular urnas. Isso só poderia ser feito pela Executiva estadual. “O problema de não terem feito a ata não inviabiliza (a urna)”, afirma Acrísio.

O presidente estadual do partido, De Assis Diniz,  declara que apenas a Executiva estadual teria o poder de anular urnas. “Quem tem legitimidade para deliberar é a instância da Executiva do partido em nível estadual”, diz.

Entretanto, Deodato já tem comemorado nas redes sociais como se tivesse sido eleito. “Obrigado, companheiras e companheiros, pelos 1340 votos de confiança. Agora, é trabalhar com a unidade do PT firme na oposição, contra o golpe e a retirada de direitos do povo trabalhador”, declarou em rede social. De acordo com Acrísio, a declaração de vitória de seu correligionário é apenas uma declaração política. “Estou seguro que na terça-feira vai ser ratificada a votação de todas as urnas”, diz.

Em entrevista, o ex-parlamentar afirma que a decisão da comissão eleitoral deve ser respeitada. “Quem apura os votos é a comissão eleitoral. Isso, está tanto do estatuto do partido quanto no regimento interno”, declara. Deodato também critica a Executiva estadual, que ele diz estar demonstrando “parcialidade” no tema.

De acordo com o ex-vereador, nota lançada pela Executiva divulgando o resultado sem a anulação das urnas, que apontam uma vitória de Acrísio, foi uma “invasão” das competências da comissão eleitoral. “Lamento profundamente que a instância estadual tenha se perdido tanto”, diz.

Procurado, De Assis afirmou que responderia aos questionamentos do correligionário na reunião da próxima terça-feiraDiretório. “Vou discutir com o Deodato nas instâncias do partido. Ele conhece o estatuto e o regimento”, diz.

17:45 · 12.04.2017 / atualizado às 17:45 · 12.04.2017 por

Ainda não é hoje que se conhece o resultado oficial da eleição para a escolha da nova direção do PT de Fortaleza, realizada no último domingo. Nesta quarta-feira, os dois candidatos à presidência do diretório municipal: Acrísio Sena e Deodato Ramalho, encheram as redações de informações de seus respectivos interesses dando conta do encerramento da apuração.

O anúncio oficial estava realmente prometido para hoje, mas a executiva estadual do PT, a quem cabe examinar os recursos interpostos sobre a votação (foram dois recursos, um do Deodato e outro do Acrísio), não conseguiu número para deliberar. No dia anterior, por 14 votos a três, essa mesma executiva decidiu contar todos os votos e examinar os dois recursos posteriormente.

Hoje, a comissão eleitoral municipal resolveu apresentar um resultado, excluindo as duas urnas cujos recursos de impugnação ainda não haviam sido julgados, e apresentou o candidato Deodato Ramalho como vencedor.

A direção estadual, contudo, marcou para a próxima terça-feira, encerrar toda a pendenga e anunciar o resultado oficial.

09:17 · 22.09.2016 / atualizado às 09:17 · 22.09.2016 por
O ex-presidente discursou por quase 30 minutos e protagonizou momentos de interação com o público e com a própria candidata petista à Prefeitura. Os dois chegaram até a “dançar” um jingle do partido em ritmo de forró Foto: JL Rosa
O ex-presidente discursou por quase 30 minutos e protagonizou momentos de interação com o público e com a própria candidata petista à Prefeitura. Os dois chegaram até a “dançar” um jingle do partido em ritmo de forró Foto: JL Rosa

Em Fortaleza na noite de ontem para participar de comício da ex-prefeita e candidata à Prefeitura de Fortaleza pelo PT, Luizianne Lins, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso de destaque do legado das políticas petistas no comando do governo federal e também de defesa da candidatura da correligionária na Capital.

Não foi, contudo, um pronunciamento direcionado apenas à disputa eleitoral. Um dia após ter sido tornado réu na Operação Lava-Jato, o líder do PT também rebateu acusações contra ele e deixou em aberto a possibilidade de candidatura à Presidência em 2018.

“Eu não tenho nenhuma disposição hoje, mas, se precisar, se prepare(m) porque eu vou voltar”, prometeu Lula no fim do discurso de quase 30 minutos à concentração de apoiadores na Praça do Ferreira. A organização do ato estimou público de 15 mil pessoas, que se revezavam entre gritos de “Lula, guerreiro do povo brasileiro!”, “Fora, Temer!” e “Volta, Lôra!”, em referência à ex-prefeita que é candidata.

O comício estava marcado para começar às 16h, mas o petista só chegou ao Centro da Capital por volta das 19h, acompanhado de Luizianne e de seu candidato a vice, Elmano de Freitas, além do presidente nacional do PT, Rui Falcão, do presidente do partido no Ceará, Francisco de Assis Diniz, do senador José Pimentel e do deputado federal José Guimarães. O governador Camilo Santana, que acompanhou Lula durante o dia em eventos no Interior, já era ausência esperada no ato de Luizianne.

Aos fortalezenses, Lula destacou que sua história de vida “só tem sentido porque foi construída junto ao povo brasileiro”. Ele mencionou resultados de programas sociais implementados em seu governo e deu ênfase aos avanços na Educação. “Eu sempre disse que eu era muito grato porque, um dia, o povo pobre desse país descobriu que podia eleger um presidente da República e descobriu que uma pessoa que só tem um diploma primário, mas que tem caráter e vergonha na cara, pode fazer mais do que toda a elite que governou esse País!”, citou.

Ao denunciar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff como “golpe”, ele também aproveitou para fazer críticas à coligação e às propostas do candidato Capitão Wagner (PR), que é apoiado por PMDB, PSDB e Solidariedade. “Eles estão aqui pedindo voto outra vez, da forma mais disfarçada possível. Arrumaram um militar para dizer: ‘eu vou cuidar da segurança’. Olha, se militar resolvesse o problema da segurança, por que não resolveram quando ficaram 23 anos no poder nesse País? Como é que alguém pode prometer cuidar de uma coisa que não é da responsabilidade da Prefeitura? Um prefeito não pode prometer o que não está na alçada dele”, disse Lula.

Feitos

Após “falar bem” da “querida Lôra”, quando mencionou a experiência da ex-prefeita para voltar a comandar a cidade, o líder petista pediu confiança do povo diante das acusações contra si na Operação Lava-Jato.

“Eu jamais envergonharia vocês roubando um real neste País. Jamais. E não admito, não aceito a ideia de que um grupo de jovens procuradores, que investigaram a minha vida durante dois anos, cheguem na quarta-feira passada e digam: ‘olha, nós não temos provas, mas nós temos convicção’. Queria dizer a eles: peguem a convicção de vocês e façam o que vocês quiserem com ela, mas se quiserem me acusar mostrem uma prova”, afirmou, dizendo que não quer “privilégio”, mas “respeito”.

Luizianne Lins, por sua vez, disse que o que deveria estar em jogo nesta campanha “não é quem arma mais ou arma menos”. Ela defendeu que é preciso, ao invés de um festival de promessas, um olhar diferente sobre a cidade. “O que deveria estar em jogo nessa eleição é quem fez os CUCAs para a juventude, é quem fez o Hospital da Mulher”, afirmou, citando ações de sua gestão. A petista disse que “quem fez tudo isso, vai fazer muito mais”.

Em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, a candidata do PT também fez críticas aos dois adversários que estão à frente no pleito, Roberto Cláudio (PDT) e Capitão Wagner (PR). Segundo ela, o pedetista fez “11 campinhos de futebol”, mas “acabou os programas sociais todos destinados à juventude”.

Já sobre as propostas de Wagner para a Segurança Pública, disse que “várias siglas de instituições policiais” não resolveram o problema da violência. “E tem gente dizendo que a Guarda Municipal é que vai resolver, gente. Isso é demagogia pura, minha gente!”, disparou.

12:23 · 27.05.2016 / atualizado às 12:23 · 27.05.2016 por

 

Deputada Luizianne Lins diz que é tarde para se tratar do adiamento do encontro programado para amanhã
Deputada Luizianne Lins diz que é tarde para se tratar do adiamento do encontro programado para amanhã

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, está chegando a Fortaleza agora à tarde. Ele vem para o encontro do diretório municipal do partido, amanhã, quando poderá haver uma decisão sobre quem deva ser o candidato petista à Prefeitura da Capital cearense.

Desde ontem, o grupo do governador Camilo Santana, contrário à ideia de candidatura própria do partido, tenta negociar o adiamento do encontro de sábado sob a alegação de que todos os petistas ganhariam mais tempo para amadurecer a ideia e evitar a disputa que pode possibilitar o partido vir a ter um candidato a prefeito apoiado por apenas uma ala, a da Luizianne.

A ex-prefeita de Fortaleza diz que é tarde para adiar o encontro de sábado, mas as negociações prosseguem e devem envolver o presidente nacional, Rui Falcão, que tem um encontro com o governador Camilo Santana, tão logo desembarque em Fortaleza.

12:21 · 29.11.2014 / atualizado às 12:21 · 29.11.2014 por

Por ocasião da realização do encontro da executiva nacional do PT em Fortaleza, no dia de ontem e de hoje, o governador eleito Camilo Santana (PT) admitiu que a agremiação precisa rever algumas posições e até mesmo o próprio funcionamento do partido. O assunto foi uma das pautas debatidas no encontro, que reuniu lideranças petistas de todo o País para debater o resultado das eleições no estados e traçar diretrizes da administração federal para os próximos anos.
Na avaliação de Camilo, o acirramento da disputa presidencial e a redução da bancada federal são indícios que apontam a necessidade de realizar mudanças internas no partido. Destacando que a presidente Dilma Rousseff (PT) já iniciou modificações nesta semana, em referência a definição da equipe econômica do Governo e a medidas a serem tomadas, o futuro governador afirmou que as urnas deram o recado ao partido.
Outro assunto ressaltado por Camilo que também esteve na pauta de discussões do evento diz respeito à relação do partido com os aliados, tanto a nível nacional como nos estados brasileiros. “Vamos avaliar o resultado das eleições em todos os estados do país nesse ano, e discutir as estratégias do partido a partir de 2015. É um momento que, de forma democrática, vamos fazer essa avaliação política aqui do cenário nacional e também nos estados”, afirmou.
O petista ainda ressaltou a importância simbólica da escolha do Ceará para sediar o evento, por ter garantido uma boa votação à presidente Dilma e eleito o primeiro governador do partido no Estado. Já para o presidente do diretório estadual do PT, De Assis Diniz, a escolha foi um aceno de prestígio por parte da direção nacional ao PT do Ceará, o que poderá estreitar a relação entre os governos federal e estadual.
Segundo o presidente, o encontro tem como objetivo aprofundar a resolução elaborada pela executiva nacional do partido no dia 3 de novembro, logo após o segundo turno. “A executiva elaborou um texto na perspectiva de um balanço e de uma avaliação das eleições, e construiu cenários e caminhos para a atuação partidária. E os 15 dias pós-reunião foi dado para que as mais de diferentes correntes políticas, secretarias, pudessem elaborar textos e apresentar ao diretório”, explicou De Assis.
Após a apresentação e formatação dos textos em um único documento de resolução, os correligionários debateram e votaram os pontos do projeto. “Vamos estar discutindo a questão conjuntural, a questão da economia, qual a avaliação e o balanço que o partido tem do processo eleitoral, e, principalmente, que caminhos o partido aponta para dialogar com o resultado das urnas. Mas, sobretudo, construir pontes que dialoguem com a realidade dessa nova militância incorporada e da perspectiva de construir a relação de identidade do partido com a sua base”, afirmou.
De acordo com De Assis, embora a discussão seja centrada no aspecto da conjuntura nacional, o Nordeste não poderá ser tratado de forma secundarizada. “Os estados do Nordeste têm uma formação muito progressista de centro ou de esquerda propriamente dita. Não tem como não avaliar conjunturalmente esse momento do Nordeste no cenário nacional. O Ceará, que foi tão questionado ao longo da sua existência, aponta para um caminho progressista, de construção efetiva de políticas públicas de desenvolvimento da cidadania”, pontuou o presidente.
Já o deputado federal José Guimarães, que é vice-presidente da executiva nacional, destacou que entre as discussões do encontro está o debate sobre a situação econômica do País, tendo em vista o anúncio da nova cúpula econômica, que reúne o novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, do Planejamento, Nelson Barbosa, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.
Negando insatisfações do partido com as escolhas ministeriais da presidente, o deputado afirmou que será definido o apoio da agremiação aos nomes apontados por Dilma, a despeito de serem pessoas com perfil conservador. “Nós temos a convicção de que o programa econômico que vai ser executado é o programa eleito nas urnas, portanto, é isso que vamos fazer”, apontou.

18:20 · 28.11.2014 / atualizado às 18:22 · 28.11.2014 por

A presidente Dilma Rousseff está chegando agora em Fortaleza para, às 19 horas, participar de uma das reuniões do encontro nacional da direção do Partido dos Trabalhadores, em hotel na Avenida Beira Mar.  Ela volta ainda hoje para Brasília. A presidente não confirmou se vai aceitar ou não o jantar que seus correligionários programaram para um restaurante de uma barraca na Praia do Futuro,  logo depois da reunião.

Dilma está sendo recepcionada, no Ceará, pelo governador eleito Camilo Santana (PT), pelo presidente da Assembleia, deputado José Albuquerque (PROS) e pelo prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PROS). O governador Cid Gomes já está no Brasil, de volta da viagem que fez aos Estados Unidos, para definir o seu local de moradia, em Washington, a partir de janeiro, mas preferiu ficar fora do Ceará, nesta sexta-feira.

Não está previsto nenhum pronunciamento público da presidente, principalmente por que o encontro dos dirigentes do PT tem sido fechado à imprensa e até mesmo a filiados não dirigentes da agremiação, desde o seu início, na manhã desta sexta-feira.

10:36 · 18.11.2013 / atualizado às 10:36 · 18.11.2013 por

O grupo da prefeita Luizianne Lins no PT, não vai dar trégua ao novo comando estadual do partido, eleito no último domingo, defensor intransigente da aliança com o governador Cid Gomes, na sucessão de 2014. Minoritária no diretório estadual, Luizianne vai estimular o seu liderado, Elmano de Freitas, presidente eleito do diretório municipal do partido a comandar a resistência. Não será fácil vencer, mas a expressiva votação que o seu grupo conseguiu, em Fortaleza, lhe autorizará a fazer questionamentos quanto apoiar o nome indicado por Cid para a sua sucessão, além da escolha do petista a disputar um cargo majoritário no próximo pleito. Luizianne vai insistir na tese de ter o PT a sua chapa própria ao Governo do Estado. Ela própria, ao que se sabe, não tem pretensão de ser candidata ao Governo, mas se isso foi necessário para impedir a aliança com o PROS do governador, ela enfrentará.

09:15 · 28.02.2013 / atualizado às 09:15 · 28.02.2013 por

Por Lerena Alves

Acompanhado de lideranças petistas e de aliados de outros partidos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega hoje a Fortaleza para participar do seminário sobre os dez anos do Partido dos Trabalhadores à frente do Governo Federal. O evento está previsto para às 18 horas no Hotel Oasis Atlântico. Na sexta-feira pela manhã, ainda na Capital cearense, ele abrirá a reunião do diretório nacional do PT. Fortaleza é a primeira das dez cidades que sediarão o seminário do partido.
Parlamentares do PT já reconheceram que o ex-presidente está pessoalmente empenhado em tentar manter a aliança, na esfera nacional, entre PSB e PT e, consequentemente, inibir a candidatura à presidência do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. O deputado federal José Guimarães garantiu que o governador Cid Gomes confirmou presença no evento, assim como os senadores Eunício Oliveira (PMDB) e Inácio Arruda (PCdoB).
Dos três palestrantes confirmados, pelo menos um é do PSB, o vice-presidente da legenda, Roberto Amaral. A fala principal será do ex-presidente Lula, mas a ministra Tereza Campello, do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, também se pronunciará sobre ações de combate à pobreza. Ainda estarão presentes no seminário o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, e Márcio Pochmann, presidente da Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT.
A visita de Lula a Fortaleza é simbólica para o cenário eleitoral de 2014, porque a Capital é uma das cidades onde o PSB, que integra a base aliada do Governo Dilma, e o PT romperam após divergências no processo eleitoral do ano passado, quando os partidos se enfrentaram no pleito, e a legenda do governador Cid Gomes conseguiu superar o PT da ex-prefeita Luizianne Lins.
Além do seminário e da reunião da executiva nacional, Lula viajará, na sexta-feira à tarde, ao município de Redenção, onde receberá título de Doutor Honoris Causa, concedido pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). O governador Cid Gomes também estará presente nessa programação.
Apesar de o PSB do governador cearense já ter sinalizado apoio à reeleição de Dilma Rousseff, a aliança entre os dois partidos está estremecida diante da possibilidade de candidatura de Eduardo Campos, presidente nacional do PSB. O ex-ministro Ciro Gomes chegou a causar incômodo no partido ao declarar que o correligionário não ainda não teria um projeto político nacional amadurecido.
Entretanto, Ciro Gomes, que teve a sua candidatura à presidência da República boicotada pelo PSB em 2010 para apoiar Dilma, continuou polemizando, desta vez com farpas contra o PT, ao afirmar na última terça-feira, em entrevista à Folha de São Paulo, que Lula está “perdidão da vida” e descobrindo “que não é Deus”. O deputado José Guimarães minimizou a declaração e disse que, em breve, Ciro e Lula devem se encontrar para resolver possíveis pendências partidárias.

09:25 · 25.02.2013 / atualizado às 09:25 · 25.02.2013 por

O vereador Acrísio Sena, ex-presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, iniciou um movimento, dentro do PT, para criar uma terceira via, chamada independente, para confrontar com o grupo adesista, aquele que quer a qualquer custo ficar aliado do Governo Cid Gomes, e também contra o outro grupo que defende, sem qualquer justificativa, o rompimento total da aliança que há no Ceará entre PT e PSB.

Acrísio já conversou com diversas pessoas, dentre elas líderes de tendências que foram o PT encontrando respaldo no grupo do deputado Artur Bruno. O ex-presidente da Câmara Municipal de Fortaleza não está mais aliado com a ex-prefeita Luizianne Lins, a defenso do rompimento total. Antes mesmo desse movimento que encabeça, ele já não se divergia do bloco do deputado José Guimarães, defensor da aliança com Cid Gomes.