Busca

Categoria: Plano estadual


09:14 · 16.03.2018 / atualizado às 09:14 · 16.03.2018 por

Por Letícia Lima

A deputada Silvana Oliveira (PMDB) voltou a alertar, ontem, na tribuna da Assembleia Legislativa, para a propagação da “Ideologia de Gênero” no Estado, desta vez, em uma escola pública da Capital, onde, segundo ela, livros que fazem referência à questão da sexualidade já foram adotados em sala de aula. A parlamentar, que preside a Comissão de Educação na Casa, levou o caso ao conhecimento do Ministério Público Estadual e aguarda por uma audiência. Ela aproveitou para lançar a Frente Popular para Fiscalização da Ideologia de Gênero, que vai reunir representantes de quaisquer municípios, com o objetivo de coibir a Ideologia, vetada do Plano Estadual de Educação.

Silvana reforçou que o Plano Estadual de Educação, aprovado pela Assembleia, em 2016, proíbe o ensino de questões que tratam sobre educação de gênero, sexualidade e do combate à discriminação por orientação sexual. Na época, esses temas foram intensamente discutidos pelos parlamentares, sendo que a maioria foi contra a incorporação desses itens no plano. Um dos pontos mais polêmicos, inclusive, foi uma emenda do deputado Renato Roseno (Psol), que pedia a inclusão da educação sexual nas escolas, mas foi rejeitada por 12 votos a sete.

“O Plano Estadual de Educação ele tem validade por 10 anos, só daqui a 10 anos, é que pode haver alguma alteração e acredito que Jesus tenha vindo buscar a Igreja dessa terra, mas, por enquanto, nós, que somos povo, a nossa missão é organizar o povo, é lembrar ao povo que nós, se utilizando da estratégia correta, nós conseguiremos coibir a Ideologia de Gênero nas escolas. Vamos fazer uma frente popular, em todos os lugares vamos ter gente denunciando, fiscalizando o prefeito, a prefeita, o secretário. Já temos 20 alunos que querem fazer parte dessa Frente, vamos ramificar um grande exército”, disse.

A parlamentar denunciou que, em Fortaleza, uma escola pública do município já teria adotado um livro que faz menção à sexualidade e ao gênero, além do município de Umirim, onde, segundo ela, a população já se organiza para “impedir” que o material circule. Silvana disse que já levou ao conhecimento do Ministério Público Estadual os dois casos e que aguarda por uma reunião. “O doutor Plácido (Procurador-Geral de Justiça) vai receber não só a mim, mas um grupo de deputados. O deputado Carlos Matos disse que se alista, o deputado Walter Cavalcante, David Durand, Ely Aguiar e todos aqueles que desejem ir”, convidou.

A parlamentar, que compõe a bancada evangélica na Casa, defendeu a formação de uma Frente Popular para Fiscalização da Ideologia de Gênero no Estado, que reúna representantes de “todo canto”. Com essa ideia, em todo canto teremos representantes: vereador, conselheiro tutelar. Quem quiser participar, ligue para o nosso gabinete, vamos esbagaçar. Quero lembrar à população do Estado, que somos um grande exército que, até então, estava só estudando e aguentando pancada. O poder público não pode enfrentar a Lei, o poder público tem que cumprir a Lei. Quero ver, em ano de eleição, quem queira enfrentar a urna, tendo que dizer que implantou a Ideologia de Gênero, que fechou os olhos”, desafiou.