Busca

Categoria: Postos de saúde


10:02 · 17.05.2013 / atualizado às 10:02 · 17.05.2013 por

Por Georgea Veras

O vereador Guilherme Sampaio (PT) criticou a iniciativa da Prefeitura em colocar para funcionar os postos de saúde das 7 às 19 horas. Na avaliação do petista, essa medida acaba com o terceiro turno nessas unidades, implantado na gestão passada. O líder do governo na Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Evaldo Lima (PCdoB), afirmou que o terceiro turno nunca funcionou de fato e a promessa da atual gestão é que os postos de saúde fiquem abertos por 12 horas ininterruptas.
Ao anunciar que este mês as unidades básicas de saúde começarão a funcionar das 7 às 19 horas sem intervalos, Evaldo Lima explicou que o terceiro turno implantado na antiga administração, na prática, funcionava mal e precariamente. O terceiro turno deveria ocorrer das 18 às 18h as 21h30min, porém, assegura, esse horário não era cumprido.
Além disso, pontuou Evaldo Lima, para que o terceiro turno funcionasse eram retirados os profissionais do primeiro e do segundo turno, o que fazia com que os três turnos desses postos de saúde funcionassem de maneira frágil. Conforme Guilherme Sampaio, Evaldo Lima não foi bem informado sobre o assunto.
De acordo com o petista, diariamente, 30 a 35 postos de saúde ofereciam funcionamento regular no turno da noite. Guilherme Sampaio confirmou que haviam oscilações de profissionais nos turnos para garantir o período da noite, porém, assegura que sempre haviam médicos em todos os horários. “Pode perguntar para qualquer pessoa que trabalhavam nos postos”, pontuou.
De acordo com o vereador, era necessário fazer esse balanço de médicos nos três turnos, porque não é suficiente a quantidade desse profissional, no município, que quer atuar nos postos de saúde. Além disso, outra dificuldade, destacou, é assegurar o médico por oito horas nos postos. “Temos insuficiência de profissionais médicos”, reiterou, entendendo que essa deva ser a primeira dificuldade a ser solucionada.
O petista destacou que o Governo Federal já lançou um programa para garantir médicos para o setor primário da saúde, oferecendo uma bolsa de R$ 8 mil para os recém-formados que quiserem fazer residência na atenção básica. Na avaliação de Guilherme Sampaio, a mudança de horário dos postos de saúde das 7 às 19 horas não garante o terceiro turno.
Ele entende que há um problema estrutural na saúde de Fortaleza e deveria ser resolvida pela atual gestão, através da contratação de mais médicos e de melhorias das condições de trabalho desses profissionais e não fechando os postos de saúde no terceiro turno. “Ao invés de melhorar o terceiro turno, ele (prefeito) justifica o cancelamento desse serviço, alegando que o terceiro turno não funcionava. Se quiser criticar, que faça isso contra o sistema, não ao terceiro turno”, pontuou.
Segundo Evaldo Lima, nas visitas realizadas pela atual administração nos postos de saúde, logo no início do governo, foram detectados vários problemas, como falta de medicamentos, de materiais de trabalho e até precariedade no trabalho desenvolvido pelo profissionais de saúde. A ideia de fazer os postos funcionarem, sem interrupção, das 7 às 19 horas, alegou, é garantir um bom atendimento e condições para que isso seja feito.
Por isso, assevera, o prefeito está investindo na reforma de muitas unidades, a começar pelas regionais V e VI, onde concentra o menor índice de desenvolvimento humano da cidade. Uma das mudanças a ser implementadas, ressaltou, são as consultas previamente marcadas, além disso, o líder governista destacou que o governo já fez seleção pública para os coordenadores dos postos, cargos que antes eram ocupados por indicação política.

09:10 · 21.02.2013 / atualizado às 09:10 · 21.02.2013 por

Por Georgea Veras

O vereador Antônio Henrique (PTN) chamou atenção, ontem, durante pronunciamento na Câmara Municipal de Fortaleza, apara a situação dos postos de saúde em alguns bairros da cidade. Segundo ele, no posto de saúde do bairro Parque São José, faltam equipamentos básicos, como um computador. Ele pediu também que seja construída uma unidade de saúde nos bairros Parque Santa Rosa e Presidente Vargas.
O vereador parabenizou a iniciativa do prefeito Roberto Cláudio em visitar, logo nos primeiros dias de sua gestão, as unidades de saúde de atenção primária, informando que o posto de saúde do Parque São José ainda aguarda a visita do gestor. De acordo com ele, a unidade só foi construída no bairro, após muita luta da comunidade, porém, apesar da obra ter sido concluída, não tem equipamento suficiente para o bom funcionamento do posto de saúde, como um computador.
Além disso, bairros como Parque Santa Rosa e Presidente Vargas, alerta, sequer possuem uma unidade básica de saúde. De acordo com ele, essas duas localidades estão na lista dos bairros com maior índice de pobreza em Fortaleza, ou seja, são pessoas bastante necessitadas. De acordo com Antônio Henrique, como não há posto de saúde os moradores tem de se deslocar para outro local, no caso o bairro Conjunto Esperança.
Conforme a vereadora Toinha Rocha (PSOL), faltam serviços da atenção básica também em outros bairros da Capital, citando a comunidade do Guajerú. A parlamentar informou que ainda na gestão passada, os moradores chegaram a apresentar um terreno para a construção de uma unidade de saúde, porém, Toinha Rocha afirma que o Poder Executivo não acatou a demanda.
Na avaliação da parlamentar, a situação da saúde na atenção primária e secundária seria amenizada se todos os bairros da Capital cearense tivessem um posto de saúde. Em reunião com a Comissão de Saúde da Câmara, ontem, a secretária da Saúde, Socorro Martins, disse que uma de suas prioridades será a atenção primária. Dentre as promessas de campanha do prefeito para o setor, estão equipar os postos de saúde e distribuir uma unidade em cada bairro da Capital.