Busca

Categoria: Prefeitura de Fortaleza


11:34 · 29.10.2016 / atualizado às 11:34 · 29.10.2016 por

Por Antonio Cardoso

 

Deputado Fernando Hugo é um dos deputados estaduais engajado na campanha de Roberto Cláudio FOTO: José Leomar
Deputado Fernando Hugo é um dos deputados estaduais engajado na campanha de Roberto Cláudio FOTO: José Leomar

Seja Roberto Cláudio (PDT) ou Capitão Wagner (PR), o candidato que for eleito neste domingo para governar a Capital cearense haverá de comemorar a conquista, mas também deve atentar para os desafios que terá de enfrentar nos próximos quatro anos. O Diário do Nordeste ouviu deputados estaduais que apoiam os dois lados sobre o que acreditam serem as maiores dificuldades e como precisará atuar o gestor para que Fortaleza seja bem governada até 2020, quando acaba o mandato em disputa.
O peemedebista Tomaz Holanda disse acreditar que o gestor precisa ter maturidade e focar na premissa de que é prefeito de todos, esquecendo o processo eleitoral enfrentado. “A primeira coisa que qualquer gestor, de qualquer cidade do Brasil, tem que fazer é conversar com os mais variados segmentos da cidade pois governa para todos”.
Segundo ele, quem ganhar o direito de sentar na cadeira principal da Prefeitura precisa ter a sensibilidade de fazer as mudanças necessárias em setores que forem preciso. “Estamos em um momento difícil, em fase de recuperação da economia, que é o coração de qualquer administração, mas tem criar um mecanismo que fomente essa economia. Fortaleza não está fora disso. Estamos falando da quinta capital do país”, avalia. “Seja Wagner ou Roberto, o que não pode é ficar da maneira em que está”.
Tomaz fala ainda de distorções. “Em Fortaleza elas são mostradas nos programas eleitorais. Falo não somente por estar do lado do Capitão Wagner, e ressalto que nunca estive em cima do muro, mas, digo isso também pela maneira como está a Prefeitura. Qualquer que seja o prefeito que vá governar, a partir de janeiro, precisa ter a consciência de que muitas coisas precisam ser mudadas”, observa.
Fernando Hugo (PP) analisa que uma cidade com mais de 2,6 milhões de habitantes, “sem dúvida” precisa colocar os olhos, “mais do que se tem colocado até agora”, no social. “Isso, de forma ampla, é investir em saúde, educação e assistência social produtiva. Precisa acabar com as dádivas graciosas que levam ao ócio e à não formação de cidadãos”.
Hugo destaca que o prefeito Roberto Cláudio fez com que Fortaleza saísse do último lugar na educação e ascendesse, com edificações e melhorias na qualidade do ensino. “É uma questão indiscutível. Um prefeito que constrói postos de saúde, em nível de primeiro mundo, climatizados, arborizados e com área de entorno urbanizada, merece crédito”, defende.
Porém o parlamentar diz ser necessário colocar uma vírgula em suas colocações quanto ao que se refere a medicamentos. “Só agora, ao cabo da gestão, teve a sensatez de criar a Central de Medicamentos da Prefeitura, que resolutamente propiciará medicação a todos. Todavia, é preciso ver o trabalho social em ações como, por exemplo, os Cras, onde as pessoas são atendidas e encaminhadas de forma rápida e ágil, seja na área médica, psico afetiva ou com doações pertinentes a pobreza maior”.
Outra área que em sua visão precisa ser intensificada é a mobilidade urbana. “Hoje os ônibus transitam com a rapidez que não se sonhava há dez anos. Isso é possível através da abertura de ruas e avenidas, além de túneis e viadutos que agem para a fluidez no trânsito. O Bilhete Único propicia o ir e vir mais barato e menos custoso. Essas ações visando o bem-estar social consorciam-se com a infraestrutura que deverá ser mais acrescida de obras”, aponta.
A fim de que tudo isso saia do campo das projeções e se tornem reais ou intensificadas, Fernando diz torcer para que o próximo prefeito tenha “uma luz orçamentária” destinada pelo Governo Federal, agora sob o comando de Michel Temer (PMDB). “O PT para o Roberto Cláudio foi um padrasto ruim, nada trazendo das objetivações propostas e prometidas pela ex-presidente Dilma, que em visita a Fortaleza sequer sabia de cor o nome do prefeito, errando até seu nome na hora da apresentação”, comenta.
Militante declarada de Wagner, a deputada Silvana Oliveira (PMDB) afirma que Fortaleza precisa de um gestor que priorize aquilo o que de fato for prioridade. “Tem que atentar para o que é primordial no dia a dia da população que é saúde, educação, e garantir uma cidade mais limpa. Todos querem uma cidade organizada, que tenha condição de você estar nela e se sentir feliz. Hoje o que se vê em bairros da periferia são verdadeiros entulhos e fossas a céu aberto”.
Para ela, o saneamento foi esquecido, ficando em situação “extremamente” precária. “A Prefeitura e Governo do Estado têm que se entenderem para ver que, quando melhora o saneamento melhora também a saúde”.
Ely Aguiar (PSDC) defende a eleição de Roberto Cláudio, mas, como os outros, prega que o próximo prefeito tenha o compromisso com três fatores que a seu modo de ver, “inquietam” a população. “Um deles é a saúde. As pessoas querem chegar e serem bem atendidas, que tenha médico, exame e remédio. O segundo é a educação. Há a necessidade de se implantar o maior número possível de escolas, inclusive profissionalizantes, além de prestigiar os professores e valorizar os alunos”.
O terceiro campo apontado pelo parlamentar como prioritário é a mobilidade urbana. “Hoje é complicado para quem mora nos bairros distantes do Centro, ter que se deslocar para lá. É verdade que houve um grande avanço com a implantação dos corredores exclusivos, mas há ainda a necessidade de assegurar a melhoria do transporte coletivo, de modo a incentivar o seu uso pela população”, conta. “Precisa que seja um transporte rápido, confortável, sem superlotação, dotado de ar-condicionado. Na Europa, o principal meio de transporte de médicos e profissionais liberais, por exemplo, são coletivos, mas são de qualidade. Seja Roberto Cláudio ou Wagner, quem assumir esse compromisso, a população de Fortaleza estará bastante satisfeita”.

18:21 · 17.05.2016 / atualizado às 18:21 · 17.05.2016 por
 Heitor Férrer discute aliança para sua postulação à Prefeitura de Fortaleza FOTO: JOSE LEOMAR
Heitor Férrer discute aliança para sua postulação à Prefeitura de Fortaleza FOTO: JOSE LEOMAR

A assessoria do deputado Heitor Férrer (PSB) distribuiu agora à tarde uma informação sobre encontro do parlamentar com representante do Solidariedade em Fortaleza, quando discutiram questões relacionadas a uma possível apoio desta agremiação à sua candidatura à Prefeitura de Fortaleza.

Heitor, em primeiro lugar, começou a discutir uma aliança com o PSDB. Integrantes deste partido também negociam com o Capitão Wagner (PR), outro candidato a prefeito. Os tucanos, porém, não definiram com quem seguirá.
Leia a nota da assessoria de Heitor:
“O deputado Heitor Férrer recebeu, nesta tarde, em seu gabinete na Assembleia, Célio Studart, presidente da executiva municipal do Solidariedade em Fortaleza, partido presidido no Ceará pelo deputado federal Genecias Noronha. A conversa se afunila em torno de uma composição entre PSB e Solidariedade com vistas à disputa pela Prefeitura de Fortaleza.”
10:43 · 21.01.2015 / atualizado às 10:43 · 21.01.2015 por
Foto: José Leomar
Foto: José Leomar

Após o vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena (PMDB), revelar que está isolado no Executivo municipal, o prefeito Roberto Cláudio (PROS), afirmou não ter nenhum problema pessoal com o peemedebista e que a distância se deve ao fato de, desde a campanha, eles não terem se visto pessoalmente.

“A política acaba aprontando dessas. (Ela) nos colocou em polos distantes e, mesmo assim, quero registrar em público que tenho com ele uma relação cordial apesar do distanciamento desde a campanha, que é um distanciamento físico mesmo. Nós não temos nos encontrado. Apenas isso”, afirmou o gestor.

Na campanha majoritária do ano passado, ambos apoiaram candidaturas opostas: enquanto Roberto Cláudio defendeu Camilo Santana (PT), Gaudêncio apoiou Eunício Oliveira. ” Naturalmente, houve um distanciamento pelas missões que nós assumimos”, justificou Roberto Cláudio.

Questionado se o distanciamento atrapalharia a gestão da prefeitura, o prefeito minimizou quaisquer consequências. “O papel do vice é de substituir o prefeito, de aqui e acolá se comunicar com um secretário para poder identificar um problema, dar uma sugestão, e isso continua preservado”, pontuou.

Entretanto, o gestor não deixou o vice-prefeito  assumir a Prefeitura nem enquanto se recuperava de uma cirurgia bariátrica, quando ficou despachando da própria residência, ou quando viajou para o exterior no início do ano, com o intuito de descansar.

No período, Roberto Cláudio se ausentou por menos de 10 dias, período máximo pelo qual poderia se afastar sem transmitir o cargo ao vice-prefeito.

 

11:14 · 08.12.2013 / atualizado às 11:16 · 08.12.2013 por

Por Edison Silva

Roberto Cláudio (PROS), o prefeito de Fortaleza, a quatro semanas de completar um ano de sua gestão, fala com otimismo dos resultados até aqui conquistados, embora reconheça ter perdido muito tempo para rearrumar a máquina administrativa, totalmente desorganizada, desestruturada e emperrada, portanto, incapaz de responder à disposição empreendedora dos novos governantes, chegados no dia 1º de janeiro de 2013 ao Paço Municipal.

Grato pelo reconhecimento de parte expressiva dos fortalezenses, junto à confiança e à ajuda recebidas dos governos Estadual e Federal, o prefeito reúne agora condições de anunciar investimentos, nos mais diversos setores da administração, da ordem aproximada de R$ 1 bilhão de reais, a partir do próximo mês, o primeiro do ano de 2014. A Educação, a Saúde, a mobilidade urbana e a modernização de praças e avenidas serão os setores mais beneficiados.

Os recursos, já alocados, estão saindo de organismos internacionais, da União e da própria Prefeitura, após ter conseguido organizar as finanças municipais para garantir a contrapartida reclamada em todos os convênios firmados com as instituições financiadoras. A edilidade fortalezense, na gestão passada, não conseguiu equilibrar suas finanças para suportar as contrapartidas, por isso, também, a incapacidade de atrair recursos externos para construir os equipamentos que tanto a cidade ainda está a reclamar.

Roberto Cláudio comemora, neste primeiro ano, o cumprimento de algumas de suas promessas de campanha, em 2012, apontando o Bilhete Único no transporte coletivo como um projeto bem-sucedido, com mais de 300 mil usuários já cadastrados no sistema, sem os contratempos e os defeitos apontados pela oposição no embate eleitoral, permitindo dar o segundo passo, já a partir do mês de janeiro, como por sinal já anunciou, estendendo o Bilhete Único aos usuários do transporte alternativo e a abertura de novos corredores exclusivos para os ônibus.

Na Educação e na Saúde, o prefeito tem pouco a mostrar quanto ao volume do realizado em um ano, mas se diz esperançoso com o futuro próximo, pois já pode sentir a diferença nesses dois campos naquilo feito pela sua gestão ao curso deste ano.

Conclamando
O choque de gestão dado pelo secretário Ivo Gomes, começa a render os primeiros frutos em 2014, também pelo comprometimento de professores e administradores das escolas, concomitantemente com o atendimento imediato das necessidades de cada escola, inclusive de reformas das instalações e construções de modernos prédios, ainda em execução.

O titular da Educação está conclamando os pais a colocarem seus filhos na escola municipal, garantindo ordem no calendário e qualidade no ensino, sem dúvida, um gesto de ousadia.

Os novos postos de saúde, construídos e recuperados, já estão dando respostas, diz otimista o prefeito. Não a todas as atenções reclamadas pelo usuário, mas as mínimas necessárias a não deixar o carente desprotegido à porta de qualquer um deles. No horário de funcionamento dos postos, garante Roberto Cláudio, os médicos estão trabalhando e pacientes recebem os remédios prescritos.

A secretária Socorro Martins está comprometida em fazer todos postos funcionarem adequadamente, após as reformas estruturais garantidoras de melhores condições dos trabalhos das equipes de saúde e de recepção aos usuários.

Algumas obras, há anos paralisadas, vão ser inauguradas a partir de agora, começando por parte daquelas em execução na Praia do Futuro, no trecho compreendido entre o entroncamento da Avenida Santos Dumont até a ponte da Sabiaguaba, hoje inservível, ligando Fortaleza a Aquiraz, empreendimentos que consumiram milhões da gestão atual para pagamento de parcelas em atraso e reajustes devidos pela inadimplência do Poder municipal.

Várias outras obras inacabadas assim vão permanecer, por mais tempo, em razão das dívidas elevadas que elas encerram, inclusive o projeto Vila do Mar, por sinal um caso à parte que sensibilizou o Governo Federal.

À Secretaria de Turismo de Fortaleza, no ano próximo a se iniciar, está reservado um amplo espaço de atuação em razão dos recursos que garantiu, especialmente do Banco de Desenvolvimento da América Latina. A primeira grande intervenção programada será no Centro e na orla marítima compreendendo toda a área da Barra do Ceará ao Caça e Pesca, incluindo a execução do projeto do Museu do Mar, independentemente da PPP em construção para outras intervenções no Centro da Capital.

17:00 · 05.05.2013 / atualizado às 17:00 · 05.05.2013 por

Roberto CláudioO prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PSB), ao longo da semana que passou decidiu dar uma resposta para a oposição que afirma não ter visto nada ser feito nos cem primeiros dias de seu Governo. Teve candidato derrotado que chegou a dizer que o gestor não conhece a estrutura da Capital e que ainda não mostrou para o que veio.

Pois bem, o pessebista resolveu arregaçar as mangas e colocar o bonde nas ruas. Primeiramente, ele anunciou uma medida simples, básica, mas que ameniza a situação de milhares de pessoas na periferia da cidade, que foi a reforma emergencial de posto de saúde no Pirambu. Na quinta-feira, o gestor visitou o equipamento para verificar as condições do local e anunciou as intervenções para ontem.

Para este caso específico, ele avisou que será dispensada licitação para os reparos que devem começar nesta semana. “Vamos entrar com uma reforma de emergência para recuperar a energia e a infiltração, estamos deslocando duas equipes médicas que estavam trabalhando fora dele para voltar a trabalhar na unidade e o posto está aguardando uma grande licitação para compra de equipamentos”, foram as palavras de Roberto Cláudio.

Na segunda-feira passada (29/4), houve uma reunião com todos os diretores dos 92 postos de saúde de Fortaleza e lá foram apresentadas as inovações que deverão ser implantadas nos equipamentos ao longo de 2013. Tais reformas fazem parte de um pacote de ações da Prefeitura no valor de R$ 49 milhões, visando a melhoria de 75 destas unidades, além da construção de outras 25.

Ainda na semana que passou foi anunciada o início das obras da Via Expressa e Santos Dumont, obras de mobilidade urbana que estão dentro do pacote para a Copa do Mundo de 2014. A primeira fase contempla a construção de um túnel na Avenida Santos Dumont, cruzando a Via Expressa e de acordo com a Prefeitura, a obra permitirá que a via se torne efetivamente expressa, o que vai facilitar o fluxo naquela importante região da cidade. De acordo com ele, até o dia 15 de junho, as intervenções nas vias que dão acesso à Arena Castelão estarão concluídas. As demais, até o início da Copa do Mundo, no próximo ano.

No campo do “resolver pendências deixadas pela gestão passada”, Roberto Cláudio fez uma visita ao Campo do América, para tratar da compra do terreno, que é propriedade do Instituto Nacional de Previdência Social (INSS), visando sua revitalização. Lá ele se comprometeu a entrar em contato com o titular da Secretaria Municipal de Educação (SME), Ivo Gomes, para agilizar o processo da assinatura de um convênio entre a Associação das Mulheres do Campo do América e a Prefeitura de Fortaleza para a construção de uma creche na comunidade.

O projeto de urbanização da área prevê que seja disponibilizado um campo de futebol gramado ao invés de uma quadra poliesportiva. Além disso, todo o terreno será urbanizado e contará com outras equipamentos de lazer, como um playground e utensílios de ginástica, conforme garantiu o prefeito. Ou seja, foi uma semana bem agitada para o prefeito de Fortaleza, que em uma semana intensa, apresentou diversas propostas para a cidade, até mesmo a retomada das obras nos Cucas Chico Anysio e Luiz Gonzaga, localizados nas Regionais V e VI, respectivamente, para esta segunda-feira (06).

Inacabadas

O Cuca Chico Anysio, no bairro Mondubim, foi entregue pela ex-prefeita Luizianne Lins, com obras inacabadas e em entrevista à Rádio Verdes Mares ele disse que os dois equipamentos foram inaugurados “com metade das obras feitas e sem dinheiro para terminá-las o que é pior”. As obras serão reiniciadas e terão um prazo de 90 a 120 dias para serem entregues à população, dessa vez por completo. Ele afirmou também que o Cuca Che Guevara, na Barra do Ceará, vai funcionar também às noites e nos fins de semana.

Apesar de tais feitos, para a oposição Roberto Cláudio ainda não mostrou para que veio. E eles não estão errados em cobrar, criticar e apontar erros. Este é o papel da oposição, que, inclusive, nos anos anteriores, na gestão Luizianne Lins, se mostrou fraca. Atuante, mas com poucos resultados práticos. Isso porque a petista conseguiu, ao longo de seus oito anos de Governo, cooptar toda uma base aliada sólida, que ficou ao lado, sempre dizendo “sim senhora” até as eleições do ano passado.

Agora, o Partido dos Trabalhadores, que tem um papel exemplar como oposicionista, (lembro-me do agora líder da oposição na Câmara, Guilherme Sampaio, dizendo: “agora vocês vão ver o que é oposição) pretende estar atento a todos os passos do prefeito Roberto Cláudio, analisando, fiscalizando e cobrando. A ex-prefeita Luizianne Lins, ainda que aparentemente, distante desta função é quem comandará tudo. Ela já disse certa vez que iria vistoriar cada passo de Roberto Cláudio, e assim o será.

Sobrou para o candidato derrotado nas urnas, Elmano de Freitas, a não tão árdua tarefa de acompanhar cada movimento do prefeito da cidade. Ele é quem irá coordenar o observatório político, anunciado na mesma semana em que Roberto Cláudio deu um fôlego a mais às suas atividades administrativas. Além de ser um projeto para espalhar por aí críticas à gestão do PSB na Capital, a proposta virá a calhar para o petista, pois dará visibilidade a ele em uma tentativa quase certa de comandar o PT de Fortaleza, além de uma futura disputa para uma vaga na Assembleia Legislativa em 2014.

O observatório funcionará com agendamento de seminários temáticos, todos sobre a gestão de Roberto Cláudio, onde algumas entidades organizadas, todas ligadas ao PT, é claro, irão debater a gestão pessebista. A reunião de fato, para as críticas ao Governo Roberto Cláudio deverá acontecer no próximo dia 17 de maio, com direção de Elmano de Freitas.

Muitos vão dizer que essa posição do PT de Fortaleza é “dor de cotovelo”, que eles “querem aparecer” e que “não souberam perder”. Tudo bem que existe um tanto de verdade nestas afirmações, mas é bom salientar que esse projeto vem a calhar em um momento que as forças ideológicas partidárias e se mostram fragilizadas. Cada vez mais vemos os governos da maioria absoluta, sem qualquer tipo de contraponto, o que não é bom para a política e muito menos para a sociedade.

Maioria

Na Câmara Municipal, temos os quatro do PT e os dois do PSOL, que se dizem de oposição, e que de certo modo, fazem uma crítica ao Governo Roberto Cláudio, ainda que sem muita relevância, vista a maioria absoluta de pelo menos 37 aliados do prefeito. Alguns fazem birra daqui outros resmungam acolá, mas na hora da votação todos estão juntos com o Executivo.

Independente do interesse petista em querer fortalecer a carreira política de Elmano de Freitas, é válido, sim, a criação de tal observatório. E que cobrem mesmo. Que levem as demandas da população para à tribuna da Casa e que inovem como oposição. Caberá ao prefeito Roberto Cláudio a sensibilidade de avaliar até onde os pontos levantados pelos petistas e seu observatório valerão a pena de serem levados a sério. Caberá a ele mostrar à oposição que é o gestor do diálogo, da ponderação e da humildade de aceitar críticas e sugestões. Desde que essa seja uma oposição “responsável”, como vem alardeando o pessoal do Partido dos Trabalhadores.

10:21 · 05.02.2013 / atualizado às 10:21 · 05.02.2013 por
Moroni Torgan apoiou Roberto Cláudio no 2º turno das eleições municipais (Foto: Divulgação)

O ex-candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo DEM, Moroni Torgan, está “ajudando” o prefeito Roberto Cláudio (PSB) na área de segurança. A informação é do próprio democrata, durante a posse da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Ceará.

De acordo com o político, ele está elaborando um conjunto de ações que visam estabelecer um novo padrão de “proteção urbana” para a Capital cearense. Ele, no entanto, não citou nenhum cargo específico que estaria ocupando na atual gestão municipal.

“Eu estarei lá para ajudar o prefeito a estabelecer esse projeto, já que o apoio que eu dei para ele no segundo turno foi condicionado a isso”, explicou. Indagado sobre até que ponto vai ajudar Roberto Cláudio, Moroni disse que ainda não definiu isso junto ao novo gestor.

O democrata também não adiantou se o partido terá novas participações na nova gestão, além de Robinson de Castro, nomeado titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. “Nós estamos mais para ajudar. Somos daqueles que não ficam em cima do piano, mas ajudando a carregar”.

17:41 · 23.08.2012 / atualizado às 17:41 · 23.08.2012 por

A assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará está distribuindo a notícia da decisão do desembargador José Arísio, presidente daquela Corte, declarando a Prefeitura de Fortaleza inadimplente por não estar pagando, como devia os seus precatórios. Leia a notícia do Poder Judiciário:

O presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargador José Arísio Lopes da Costa, determinou a inclusão do Município de Fortaleza no Cadastro de Entidades Devedoras Inadimplentes (Cedin), criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por não ter depositado a quantia de R$ 23.692.138,55 referente a parcelas de precatórios.
Na decisão, o presidente também determinou a expedição de ofício à Secretaria do Tesouro Nacional, a quem compete a retenção dos repasses relativos ao Fundo de Participação dos Municípios. O valor cobrado corresponde às parcelas anuais vencidas relativas a 2010 e 2011. Enquanto permanecer a situação de inadimplência, o Município de Fortaleza ficará proibido de contrair empréstimos externos ou internos e de receber transferências voluntárias.
O desembargador José Arísio ordenou também a expedição de ofício ao procurador-geral do Ministério Público Estadual e ao procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho da 7ª Região informando o teor da decisão, para as providências eventualmente cabíveis.