Busca

Categoria: Produção


08:10 · 18.10.2016 / atualizado às 08:10 · 18.10.2016 por

Por Beatriz Jucá

Arnon Bezerra, Luizianne Lins, Moroni Torgan, Moses Rodrigues e Ronaldo Martins Fotos: Agência Diário
Arnon Bezerra, Luizianne Lins, Moroni Torgan, Moses Rodrigues e Ronaldo Martins Fotos: Agência Diário

Candidatos ao executivo municipal nas eleições deste ano, deputados federais cearenses apresentaram uma produção legislativa praticamente nula durante a campanha. Conforme dados do portal da Câmara Federal, dos cinco parlamentares que disputaram o pleito no Ceará, apenas um apresentou alguma proposição desde o dia 1º de agosto e, ainda assim, o projeto estava relacionado às eleições.

Postulante à Prefeitura de Sobral, o deputado Moses Rodrigues (PMDB) apresentou projeto de indicação para que a Polícia Federal promovesse a segurança de autoridades judiciais e realizasse investigações para apurar a prática de crimes eleitorais no município da Região Norte. Já os outros parlamentares candidatos – Arnon Bezerra (PTB), Ronaldo Martins (PRB), Luizianne Lins (PT) e Moroni Torgan (DEM) – não sugeriram nenhuma proposição durante a campanha eleitoral.

A presença desses deputados no Congresso Nacional, porém, pode parecer mais animadora ao eleitor. Dos 16 dias de sessões deliberativas, Luizianne Lins, Moroni Torgan e Ronaldo Martins compareceram, respectivamente, a 12, 11 e 10 sessões. Já Arnon Bezerra participou de nove e Moses Rodrigues, de sete.
As ausências dos candidatos são poucas, tendo em vista que os parlamentares que disputaram estas eleições deixaram de participar de algumas sessões por conta de missões autorizadas e, ainda, de licenças para tratamento de saúde.

Nas sessões das quais participaram, no entanto, os pronunciamentos realizados foram tímidos. Ronaldo Martins e Arnon Bezerra não utilizaram a tribuna nenhuma vez, enquanto Luizianne Lins aproveitou o espaço em apenas uma oportunidade, durante sessão solene sobre os dez anos da Lei Maria da Penha.

Mais discursos

Já Moses Rodrigues, que perdeu o pleito em Sobral, fez quatro pronunciamentos na Câmara Federal durante a campanha deste ano: dois sobre a cassação do ex-deputado federal e ex-presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), outro acerca da insuficiência de aparelhos de tomografia em Sobral e um sobre as atividades de membros da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara no Estado do Ceará.

O deputado Moroni Torgan, que disputa o cargo de vice-prefeito de Fortaleza no segundo turno, foi o que mais discursou na Casa nos últimos meses. Desde o dia 1º de agosto, ele utilizou a tribuna oito vezes para tratar de temas como o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a realização dos Jogos Olímpicos no Brasil, a seca no Ceará, as obras da transposição das águas do Rio São Francisco e a expectativa de retomada da economia no governo de Michel Temer.

Na Assembleia Legislativa do Ceará e na Câmara Municipal de Fortaleza, o cenário não foi muito diferente da Câmara Federal. Embora os deputados estaduais tenham decidido reduzir o número de sessões semanais da Casa de quatro para duas, as sessões – assim como no legislativo municipal – ficaram esvaziadas durante a campanha.

Projetos

O deputado Arnon Bezerra (PTB) foi eleito prefeito de Juazeiro do Norte no último dia 2 de outubro. Há pelo menos um ano, ele não apresenta projetos de sua autoria na Câmara Federal, e a última vez que usou a tribuna foi em 21 de junho, quando falou do 252º aniversário de fundação do Crato.

Candidato derrotado para a Prefeitura de Fortaleza, Ronaldo Martins (PRB) também não apresentou nenhum projeto recentemente. A última proposição do parlamentar, que data do dia 17 de maio, dispõe sobre o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), para permitir o saque do saldo por mulheres trabalhadoras em situação de violência doméstica. Já o último pronunciamento dele foi no dia 17 de abril, quando registrou voto sobre parecer da comissão especial do impeachment.

Enquanto isso, o último projeto de lei apresentado pela petista Luizianne Lins, também derrotada nas eleições da Capital, foi no mês de março e tinha como objetivo acrescentar atribuição à Polícia Federal no que concerne à investigação de crimes praticados por meio da rede mundial de computadores que difundam conteúdo misógino.

O de Moroni Torgan, por sua vez, data de abril e dispõe sobre bancos biométricos e sistema de identificação criminal geridos pelos órgãos oficiais de identificação no âmbito do Sinesp (Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas).

Balanço

O Diário do Nordeste procurou os cinco deputados federais cearenses que disputaram ou disputam cargos eletivos neste ano para comentar a produtividade na Câmara. Arnon Bezerra estava com o telefone desligado. Já Ronaldo Martins e Moses Rodrigues não atenderam as ligações.

Segundo a assessoria de Luizianne Lins, a deputada não poderia dar entrevista por telefone porque estava afônica em razão de uma crise de garganta. Por meio de nota, a deputada federal declarou que já foi candidata outras vezes exercendo mandato e avaliou que essas experiências têm muito a somar à atuação política. “Nesses momentos, intensificamos contato com a população e ampliamos o nosso poder de escuta. Portanto, é um processo muito rico de troca e de diálogo”, disse Luizianne.

A assessoria de Moroni Torgan informou que retornaria contato após a atividade de campanha da qual ele participava na tarde da última sexta-feira (14) em Fortaleza, o que não ocorreu até o fechamento desta matéria.