Busca

Categoria: Recondução


13:56 · 30.11.2017 / atualizado às 13:56 · 30.11.2017 por

A Assembleia Legislativa reconduziu, na manhã de hoje, com apenas um voto contra, a atual defensora pública geral do Estado, Mariana Lobo, para o seu segundo mandato à frente da instituição. Durante os discursos antes de ser iniciada a votação secreta, porém, a aprovação do nome da defensora já parecia ser unanimidade.

Mariana e alguns defensores acompanharam a votação no próprio plenário da Assembleia.

10:45 · 22.10.2017 / atualizado às 10:46 · 22.10.2017 por

                       

Alexandre Pereira foi reconduzo à presidência estadual do PPS, no encontro do partido de sábado, dia 21

Durante congresso realizado, neste sábado (21), na Assembleia Legislativa, o Partido Popular Socialista (PPS) no Ceará reconduziu o atual presidente, Alexandre Pereira, ao comando da legenda estadual, para o quadriênio 2017-2021. Além dele, foram eleitos o vice-presidente, quatro vice-regionais e representantes de movimentos sociais para compor o diretório estadual. O partido defendeu, ainda, o lançamento de candidatura própria à Presidência da República em 2018 e reafirmou apoio à reeleição do governador Camilo Santana (PT).

Não houve consenso, porém, entre os filiados da legenda no Estado, sobre qual deverá ser o nome que concorrerá ao Palácio do Planalto no ano que vem. Foram citados o apresentador de TV, Luciano Huck, que teria conversado com lideranças do PPS para formar uma parceria com uma start-up política, e o senador, Cristovam Buarque, ex-ministro da Educação no governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O que ficou decidido, no entanto, é que a Executiva Estadual apoia a possibilidade de ter candidato próprio, deixando em aberto para a escolha do representante.

No encontro, membros do partido avaliaram que a esquerda deve formar uma “frente progressista” para a disputa eleitoral de 2018, encabeçada por uma “terceira via”, que não seja o ex-presidente Lula. Alexandre Figueiredo considerou o ex-ministro, Ciro Gomes (PDT), um bom quadro para representar a ala esquerdista, caso o partido não saia com candidato próprio.

Acho um excelente nome pra presidente, é um momento de discussões com o maior número de candidatos que estão se colocando. O que mais me preocupa é a volta do Lula e a possibilidade de uma candidatura de extrema direita do fascista Bolsonaro. Eu vejo essas candidaturas tomando corpo de uma forma importante e acho que as forças progressistas devem ter responsabilidade. Por isso, que a gente defende candidatura própria, mas, de alguma forma, a gente imagina que poderemos se unir a uma outra candidatura que possa representar uma terceira via para o País”.

Por outro lado, ao ser questionado sobre a aliança do PPS com o governo estadual que é do PT, a quem dispara críticas, Alexandre Figueiredo disse que o partido tem independência ideológica para fazer movimentações políticas a nível regional e ressaltou o apoio aos irmãos Cid e Ciro Ferreira Gomes, ambos do PDT, padrinhos políticos de Camilo Santana.

No PPS, nós temos tido uma independência muito grande dada pelo presidente, da mesma forma que respeito muito os municípios. O PPS apoia o governador Camilo e estamos no governo, com o secretário de desenvolvimento econômico adjunto e é o governo do PT, porque o PPS nacional entende que a conjuntura local tem uma relação política com o Cid Gomes, com o Roberto Cláudio, foi assim que o partido cresceu no Estado”.

Essa “parceria”, que se dá tanto na Prefeitura de Fortaleza, onde Alexandre é secretário de turismo, e também no Governo do Estado, ficou mais evidente com a presença do presidente estadual do PDT, deputado federal André Figueiredo, no encontro. O dirigente ressaltou durante pronunciamento que PPS e PDT são “aliados de sempre” a nível municipal e estadual e que espera apoio da legenda à candidatura de Ciro Gomes.

Após ter sido reeleito presidente do partido no Estado, Alexandre Figueiredo disse estar feliz em ver que o partido vem crescendo de forma “estruturada”, eleitoralmente. O dirigente destacou que a sigla elegeu 57 vereadores, um prefeito e sete vice-prefeitos, no ano passado, e possui um deputado estadual. Segundo o dirigente, a meta do partido para as próximas eleições é eleger, pelo menos, um deputado federal e ampliar para dois ou três o número de parlamentares na Assembleia Legislativa. E falou também sobre a possibilidade dele concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

Há uma ansiedade no partido pela minha candidatura a deputado federal, mas não escondi pra vocês que me apaixonei muito pela minha história como líder classista e líder empresarial que sou. Todo mundo sabe que sou primeiro vice-presidente da FIEC (Federação das Indústrias do Estado), entidade que me lançou, que me apoiou e também tem uma disputa provável em 2019 pra presidência da FIEC. Terei que definir isso e vou decidir isso com vocês, mas a gente, com certeza, terá um deputado federal, quem sabe dois”, prometeu.

Atualmente, o PPS mantém um deputado estadual, Tomaz Holanda, que, segundo ele, buscará a reeleição pelo partido em 2018. Em 2014, o partido elegeu o deputado federal Moses Rodrigues, mas que migrou, no ano passado, para o PMDB.