Edison Silva

Categoria: Registro de candidaturas


09:48 · 26.08.2018 / atualizado às 09:50 · 26.08.2018 por
Entre os mais de 27.511 pedidos ainda em análise, o caso mais emblemático é o do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que deve ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, por ter condenação em 2ª instância Foto: Heinrich Aikawa

Apenas 705 dos 28.216 pedidos de registro de candidatura feitos à Justiça Eleitoral já foram julgados até sábado (25).

Isso corresponde a cerca de 2,4% do total de pedidos solicitados, ou menos de 1 em cada 40. Vale lembrar que caso um candidato não tenha sido considerado apto até o dia 17 de setembro, seu partido ou coligação não poderá mais substitui-lo a tempo de que um novo nome seja incluído no sistema das urnas eletrônicas.

Entre os mais de 27.511 pedidos ainda em análise, o caso mais emblemático é o do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que pretende disputar novamente o cargo máximo do Executivo brasileiro nas eleições de outubro. No dia 2 de agosto, o então presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), qualificou a situação do petista como de “inelegilibidade chapada”, quando o quadro de inaptidão é considerado juridicamente óbvio. Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão em um tribunal de 2ª instância, o que o enquadraria na chamada Lei da Ficha Limpa.

Na última sexta-feira (24), o Ministério Público Eleitoral (MPE) usou o mesmo termo para entrar com ações de impugnação de 310 pedidos de registro de candidatura.

O TSE registra em seu site um total de 123 pedidos de registro de candidatura considerados inaptos, enquanto outros 582 foram aprovados.

Pedidos feitos

Foram feitas até o dia 15 de agosto, quando se encerrou o prazo para esse tipo de solicitação, 13 pedidos de registro para candidaturas a presidente e igual número para vice-presidente (das quais 5 chapas já foram aprovadas), 199 para governador (idem para vice-governador), 351 para senador (e 706 para suplentes de senador), 8.320 para deputado federal, 17.452 para deputado estadual e 963 para deputado distrital.

20:01 · 15.08.2016 / atualizado às 20:01 · 15.08.2016 por

Por Suzane Saldanha

 

 

 

Candidato a vereador do PSTU foi quem levou a documentação do partido pedindo o registro da candidatura Francisco Gonzaga, no fim da tarde de hoje ao cartório eleitoral
Candidato a vereador do PSTU foi quem levou a documentação do partido pedindo o registro da candidatura Francisco Gonzaga, no fim da tarde de hoje ao cartório eleitoral

Ao longo do dia de hoje, prazo final para o pedido de registro de candidatura, os cartórios eleitorais da Capital receberam as últimas documentações dos partidos políticos. Até o fim da manhã, 23 dos 32 agremiações com atuação no Estado haviam feito os pedidos de registro à Justiça Eleitoral. Algumas siglas apresentaram um número menor de pedidos de registro de candidatos do que havia sido registrado nas atas das convenções partidárias.
Nas convenções, foram registrados por 32 partidos um total de 1.100 candidatos. Destes, 16 para a Prefeitura de Fortaleza como candidatos a prefeito e a vice e 1.084 tentariam para a Câmara Municipal. Contudo, até a manhã, haviam sido solicitados 12 pedidos de candidatos à Prefeitura, entre os postulantes a prefeito e vice, e 772 solicitações de candidatos a vereador filiados a 18 siglas.
Os pedidos de outros cinco partidos, o PR, PRB, PHS, PSOL e PCB foram encaminhados para a 2ª vara eleitoral. No fim da manhã, a documentação dos postulantes ainda era analisada por servidores.
O PPS apresentou 60 candidatos, um a menos do registrado na ata da convenção. Destes, partido entrou com 15 pedidos de candidaturas femininas. O mesmo ocorreu com o PPL, que solicitou 64 registros de candidatura enquanto na convenção o número foi 65. 19 postulantes do PPL são de mulheres.
O PMDB, que havia apresentado 59 nomes na ata da convenção partidária, apontou agora 53 candidatos a vereador, sendo 16 mulheres.
Antes com 65 candidatos, o PTN pediu o registro de 64 postulantes, sendo 20 candidaturas femininas. O PEN apresentou 54 nomes para o pleito, 16 são de mulheres. Já o PRTB, PRP e PTC mantiveram os 65 candidatos homologados em ata da convenção para a disputa proporcional. Os três pediram o registro de 20 mulheres.
A coligação DEM, PSD, PMB, PCdoB pediu o registro de 65 postulantes, como o apresentado em ata. 21 são mulheres. A coligação PSB e Rede apresentou 41 nomes, enquanto na ata de convenção foram registrados 45 postulantes.
Já a coligação PDT, PP, PTB e PROS solicitou o registro de 63 candidatos, sendo 19 mulheres. Anteriormente, cada um desses partidos apresentou separado a lista de postulantes, a soma chegava a 72 candidatos, número acima do máximo permitido para um partido ou coligação nesta eleição.
Com movimentação tranquila pela manhã, a expectativa do chefe de cartório da 112ª zona eleitoral, Eduardo Pontes, era que no fim da tarde de ontem o restante das agremiações fizessem os pedidos. A 112ª zona eleitoral é a coordenadora do registro de candidatura. Os pedidos também são analisados pelas zonas 113ª, 114ª, 118ª e 2ª.
Com uma estrutura diferenciada preparada para o Dia D, no auditório do Fórum Péricles Ribeiro, Eduardo salientou que o espaço seria utilizado de acordo com a demanda. No período da tarde, mais nove siglas deveriam comparecer ao local.
Desde que as convenções partidárias foram permitidas pela legislação eleitoral, do dia 20 de julho ao dia 5 de agosto, o que ocasionou a liberação para os pedidos de registro, o maior número de solicitações foi registrado na última sexta-feira (12) quando 10 partidos políticos fizeram os pedidos à Justiça.
O primeiro a solicitar foi o PRTB no dia 5 de agosto. A sigla deu entrada nos nomes dos candidatados proporcionais.
Já na disputa majoritária, o primeiro a fazer o pedido de registro foi Roberto Cláudio (PDT), no dia 8 de agosto. Em seguida, no dia 9, os postulantes Ronaldo Martins (PRB) e Capitão Wagner (PR) entregaram as respectivas documentações à Justiça Eleitoral. No dia 12, última sexta-feira, foi a vez de Tin Gomes (PHS) e Heitor Férrer (PSB).
Na manhã de ontem, João Alfredo (PSOL) solicitou o registro de candidatura. No período da tarde eram esperados os candidatos à Prefeitura de Fortaleza Francisco Gonzaga (PSTU) e Luizianne Lins (PT). Gonzaga foi o primeiro a entregar a ata da convenção que aconteceu no dia 22 de julho.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs