Busca

Categoria: Republicana


09:25 · 06.04.2018 / atualizado às 09:25 · 06.04.2018 por

Por Renato Sousa

Os vereadores Soldado Noélio e Julierme Sena deixaram ontem, 5, o Partido da República. Eles assinaram sua ficha de filiação ao Pros, em evento na sede do partido. Os parlamentares replicam o movimento feito pelo principal quadro de seu grupo político, o deputado estadual Capitão Wagner. Os três deixaram a sigla republicana por divergências com sua nova presidente, a deputada federal Gorete Pereira, que anunciou a saída do PR da oposição ao governador Camilo Santana (PT) e sua migração para a base governistas.

Após a filiação, Noélio discursou sobre sua troca de legenda na tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor). De acordo com ele, a saída do PR dava-se por coerência. “Fomos pegos de surpresa com a notícia de que o partido iria para a base do governador Camilo Santana. E não foi esse o compromisso do PR com seus filiados, com a população de Fortaleza”, declara. Para ele, não haveria como explicar essa mudança de posição para seus eleitores.

O parlamentar diz que a mudança da linha do PR também teria reflexos em sua atuação na CMFor. O governador Camilo Santana integra o mesmo grupo do prefeito Roberto Cláudio, a quem Noélio faz oposição. O militar da reserva diz que, desde o começo de seu mandato, tem levantado várias bandeiras críticas da administração municipal, o que ele avalia que não poderia fazer se integrasse um partido da base. “Se eu tivesse que chegar aqui (na tribuna) e silenciar por conta de um partido, eu preferiria sair da política”, declara. Para Noélio, a medida era preferível a “ter amarras com pessoas que defendem interesses próprios em detrimento daqueles da população de Fortaleza e do Estado do Ceará”.

De acordo com o parlamentar, a série de filiação ao Pros oxigenou a sua nova legenda. “(Era) um partido que estava esquecido aqui na cidade de Fortaleza, mas agora está tendo um reforço”, citando sua filiação e de Julierme, além de Wagner e o deputado federal Vitor Valim. “Hoje, o Pros está assumindo o compromisso que o PR deixou de cumprir”, diz. Noélio já havia declarado não temer processos por infidelidade partidária por não estar traindo o partido, mas, ao contrário, estar sendo traído por ele, que deixa a oposição e parte para o campo governista.

Além de Noélio e Sena, outros dois parlamentares devem deixar o PR. Idalmir Feitosa já anunciou que deve ir para o PSDB, acompanhando seu aliado político, o vice-prefeito de Maracanaú Roberto Pessoa. Assim como Noélio, ele diz que o ninho republicano está “descaracterizado”. Márcio Martins, líder da bancada do partido na CMFor, também deve deixar a legenda. Tanto ele quanto Feitosa declararam que aguardam apenas uma manifestação da Justiça Eleitoral sobre a desfiliação. O único vereador que não deve deixar o PR no momento é o suplente em exercício Daniel Borges, que preenche a vaga aberta por licença de quatro meses de Julierme. Segundo Martins, há o temor de, com a desfiliação, ele não possa assumir mandato no caso da eleição de algum dos vereadores na eleição deste ano. Noélio e Julierme são pré-candidatos à Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (AL-CE).

Além da bancada do PR, outro partido que tem sua bancada reduzida é o SD. No fim de março, o vereador Célio Studart anunciou sua desfiliação, apontando divergência com a direção nacional do partido em temas como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que legalizou a vaquejada e a oposição do partido à continuidade de denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer (MDB). O parlamentar foi contrário a ambas as decisões. Ontem, ele informou à CMFor sua saída do SD e sua ida para o PV, no qual assumiu a presidência estadual.