Edison Silva

Categoria: Restrições


08:54 · 01.08.2018 / atualizado às 08:54 · 01.08.2018 por

Por Miguel Martins

O PT, segundo presidente da sigla, deputado Moisés Braz,  não se coligará com MDB, SD, PPS e DEM, e a tendência é que se aproxime de PCdoB, PV, PSC e PP na disputa proporcional, ainda que nada tenha sido fechado em definitivo. “Quem não vai entrar na majoritária são o MDB, o SD, o PPS. Na proporcional ainda não há nada definido, pois existem vários blocos se organizando. O PT continua firme para sair com candidatura própria ou se coligar com PCdoB, PV, PSC e PP”, disse o petista.

Segundo ele, o “blocão” da base governista para a disputa majoritária é consenso, desde que não entrem partidos que, segundo disse, são vedados, como MDB, SD, PPS e DEM, por exemplo. “Esses daí devem formar coligação na chapa do Eunício. Podem apoiar o governador como candidato ao Governo, mas não dentro da coligação”, enfatizou.

 

12:23 · 07.07.2018 / atualizado às 12:23 · 07.07.2018 por
Reprodução da página inicial do site do Governo do Estado neste sábado (7)

Diante da proibição de condutas por agentes públicos a partir deste sábado (7) por determinação da legislação eleitoral, o governador Camilo Santana (PT), que disputará reeleição neste ano, restringiu, em decreto publicado na última sexta-feira (6), uma série de modalidades de publicidade e comunicação institucional do Governo do Estado durante o período eleitoral. As normas têm validade nos três meses que antecedem o pleito, que ocorrerá em 7 de outubro.

Dentre as medidas, está suspensa a veiculação de materiais publicitários sujeitos ao controle da legislação eleitoral e, também, está vedada a veiculação ou exibição de conteúdos noticiosos de órgãos e entidades da administração estadual em suas propriedades digitais, sejam elas portais, sites, aplicativos e páginas em redes sociais. O mesmo vale para qualquer publicidade sujeita a controle da legislação, o que compreende filmes, vinhetas, vídeos, anúncios, painéis, banners, posts, marcas, slogans “e qualquer conteúdo de natureza similar”.

As normas estão publicadas na edição de sexta-feira (6) do Diário Oficial do Estado. Além das restrições de publicidade institucional, o decreto nº 32.737 estabelece regras para órgãos públicos estaduais no que diz respeito a ações de relacionamento com a imprensa. Na divulgação de informações a jornalistas, está proibido, por exemplo, disponibilizar “conteúdos ou análises que envolvam emissão de juízo de valor referente a ações, políticas públicas e programas sociais, bem como comparações entre diferentes gestões e governos”.

Por medida de cautela, o Governo do Estado também determinou a suspensão de perfis da administração pública estadual nas redes sociais, exceto nos casos de páginas cujo “conteúdo aborda exclusivamente a prestação de serviços ao cidadão, com caráter educativo, informativo ou de orientação social”.

Obras

As placas de obras ou de projetos dos quais participe o Governo do Estado também devem ser retiradas de exposição durante o período eleitoral. Elas serão substituídas por modelo que não conterá expressões que possam identificar autoridades, servidores ou administrações cujos dirigentes estejam em campanha.

18:08 · 11.03.2014 / atualizado às 18:08 · 11.03.2014 por

Preocupado com a utilização dos meios de comunicação do Legislativo municipal, na campanha eleitoral, o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, vereador Walter Cavalcante, pediu ao departamento jurídico da Casa, instruções para que os vereadores tivessem conhecimento das restrições da legislação ao eleitoral, para o uso do rádio e da televisão. O resultado do trabalho foi divulgado ontem no site da Câmara, com o seguinte texto:

“A Coordenadoria Jurídica da Câmara Municipal de Fortaleza apresentou, nesta terça-feira, 11, recomendações e proibições de propaganda aos vereadores no período que antecede às eleições de 2014. O documento trata especialmente de publicidade na televisão e no rádio, respeitando a Lei nº 9.540/1997, sob o artigo 73, que trata das “Condutas Vedadas aos Agentes Públicos em Campanhas Eleitorais”.

Nas recomendações, a Coordenadoria Jurídica discorre sobre a propaganda eleitoral antecipada, que é tida como qualquer manifestação pública que favoreça algum candidato três meses antes das eleições. Outro ponto é a distribuição gratuita de produtos (bens, valores ou benefícios à população), que só poderá ser feita em casos de calamidade pública, emergência ou atendendo a programas sociais autorizados em lei.

O documento trata ainda do salário dos servidores públicos, que poderá ser reajustado até o dia 8 de abril, e sobre as pesquisas de intenção de voto, que deverão ser registradas na Justiça Eleitoral. A propaganda intrapartidária começa a partir de 26 de maio e no dia 10 de junho as emissoras de rádio e televisão ficam proibida a transmissão de programa apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção. Na internet, a propaganda eleitoral fica liberada a partir de 6 de julho e no rádio e televisão em 19 de agosto”.

14:44 · 12.12.2012 / atualizado às 14:44 · 12.12.2012 por

Na Assembleia Legislativa, onde estão hoje como deputados estaduais, vários ex-vereadores acompanham de perto a disputa pela presidência da Câmara Municipal de Fortaleza. Na última terça-feira, quando circulou a notícia de que o presidente do Legislativo Municipal estava na Assembleia para conversar, reservadamente, com o prefeito eleito de Fortaleza, Roberto Cláudio, os comentários eram de que ninguém pode dizer que  Walter Cavalcante, indicado pelo PMDB e apoiado pelo prefeito eleito tem sua eleição garantida no dia 1º de janeiro.

Para os ex-vereadores Mário Hélio e Augustinho Moreira, toda eleição pra a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Fortaleza só é decidida mesmo na véspera da disputa. O que significa dizer que no Réveillon, com ou sem a festa feita pela prefeita Luizianne, as negociações sobre a eleição da Câmara estarão em plena efervescência.

Para os dois deputados e ex-vereadores, o nome do vereador Walter Cavalcante sofre muitas restrições. Eles contam episódios com Walter e atuais vereadores, Walter e o ex-prefeito Juraci Magalhães e dele com Luizianne Lins, para ilustrarem suas afirmações. Hoje pela manhã, Walter disse, na Câmara, ter o apoio fechado de 31 vereadores.

14:14 · 04.12.2012 / atualizado às 08:09 · 05.12.2012 por

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Acrísio Sena (PT), e o prefeito eleito Roberto Cláudio (PSB) se reuniram na tarde dessa segunda-feira, quando discutiram, dentre outras coisas, o Orçamento da Prefeitura para 2013 e alguns temas sobre sucessão da presidência da Casa Legislativa. Sobre a peça orçamentária para o próximo ano ficou acertado dentre outras coisas, que a equipe de transição dará uma atenção maior à saúde, educação e mobilidade urbana. O tema político não ficou de fora da pauta de conversa entre os dois, mas Roberto Cláudio não falou muito sobre o que acha sobre a futura composição da Mesa Diretora, deixando claro, porém, que a partir desta semana, irá se debruçar sobre o tema com maior atenção.

Acrísio falou em restrições do PT a nomes para a presidência da Mesa e chegou a sugerir dois nomes da base aliada ao futuro prefeito nos quais o PT votaria com prazer

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs