Edison Silva

Categoria: Rivais


10:44 · 15.10.2017 / atualizado às 10:44 · 15.10.2017 por

Entendimentos para a participação de Eunício Oliveira na chapa de Camilo Santana, no próximo ano, está na edição deste domingo do jornal Folha de S.Paulo:

Políticos rivais no NE se unem para 2018

Marlene Bergamo/Folhapress
PODER - No sexto dia da Caravana Pelo Brasil, o ex Presidente Lula chega em Penedo, Alagoas, e e recebido pelo Senador renan Calheiros e pelo Governador Renan Filho, 22/08/2017 - Foto - Marlene Bergamo/Folhapress - 017 -
O senador Renan Calheiros, na foto em viagem com Lula; alagoano se aproxima de Teotônio Vilela (PSDB)

JOÃO PEDRO PITOMBO
DE SALVADOR

Faltando pouco menos de um ano para as eleições estaduais, adversários começam a negociar possíveis alianças para 2018 em pelo menos quatro Estados do Nordeste.

Resultado de um cenário político de incertezas, as movimentações resultariam em acordos do tipo “ganha-ganha” entre os adversários.

Rompidos desde as eleições de 2014 no Ceará, o senador Eunício Oliveira (PMDB) e irmãos Ciro e Cid Gomes (PDT) ensaiam uma reaproximação.

O movimento é estimulado pelo governador cearense Camilo Santana (PT), que já desenha uma chapa na qual ele disputa a reeleição com Cid e Eunício disputando do Senado.

Caso a aliança se concretize, Camilo tiraria Eunício da disputa pelo governo. Ambos concorreram no segundo turno em 2014, numa campanha agressiva marcada pela troca de ofensas e acusações.

Eunício, por outro lado, teria um caminho mais tranquilo para garantir a reeleição no Senado. Um novo mandato garantiria foro privilegiado ao peemedebista, investigado na Operação Lava Jato.

INIMIGO DO INIMIGO

Em Pernambuco, o PSB do governador Paulo Câmara ensaia uma aproximação com o PT na linha “inimigo do meu inimigo é meu amigo”.

Os dois partidos fazem oposição ao governo Temer, posicionamento que acirrou-se entre os socialistas a ida do senador pernambucano Fernando Bezerra Coelho do PSB para o PMDB.

Em Alagoas, políticos locais relatam um a possível reaproximação entre o senador Renan Calheiros (PMDB) e o ex-governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) –ambos investigados na Lava Jato.

Uma nova aliança entre ambos seria um revés para o grupo do prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB), considerado o adversário mais forte para enfrentar o governador Renan Filho (PMDB).

No Piauí, o governador Wellington Dias (PT) e o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), ensaiam uma improvável aproximação.

Potencial adversário de Dias, Firmino descarta disputar o governo e focará nas pretensões políticas de sua mulher Lucy Silveira. Ela trocou o PSDB pelo PP, partido da base do governador petista, e pode ser candidata a deputada ou até a vice-governadora.

A proximidade entre Wellington Dias e Firmino Filho é notória. Em maio deste ano, o tucano participou do congresso estadual do PT.

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs