Busca

Categoria: Seleção de diretores


09:51 · 28.06.2013 / atualizado às 09:51 · 28.06.2013 por

Por Georgea Veras

Os vereadores da oposição querem explicações da Prefeitura sobre a seleção pública para o cargo de diretor de escola. Segundo o vereador João Alfredo (PSOL), os critérios de seleção para os que foram convocados não estão claros e já foram muitas as denuncias de pessoas que foram selecionadas com pontuação alta e ainda não foram chamadas para assumirem o cargo. Os líderes governistas informaram que a lista da seleção foi divulgada em ordem alfabética e não por pontuação.
Porém, conforme João Alfredo, a denuncia que chegou até ele é que pessoas que tiveram pontuação maior não foram selecionadas, enquanto outros com pontuação menor estão sendo nomeados. O parlamentar lembrou que, na época em que o Executivo enviou para a Câmara o projeto de Emenda à Lei Orgânica, tratando da seleção pública para diretores das escolas públicas municipais, o argumento era de que a seleção iria valorizar o mérito dos profissionais selecionados, contudo, o parlamentar questiona se isso foi cumprido.
Para João Alfredo, o que se observa até o momento, é que a pontuação conquistada por quem participou da seleção pública não foi respeitada, acreditando que a seleção pública, no final, se resumiu a uma “canetada” do secretário de Educação, Ivo Gomes. “Se fez um remendo de seleção. O que ocorreu foi isso. Nós substituímos seleção e eleição por seleção e indicação”, alegou.
Os vereadores já aprovaram, por unanimidade, um requerimento assinado pela bancada do PT e pelo vereador Capitão Wagner (PR), pedindo à Secretaria de Educação de Fortaleza a lista completa, fase a fase, dos aprovados na seleção pública para diretores e vice-diretores das escolas da rede municipal, bem como os nomes dos participantes da seleção e as respectivas pontuações em cada uma das fases do processo seletivo.
Na avaliação do vereador Acrísio Sena (PT), a seleção pública para diretores de escola deixou o critério meritocrático de lado e passou a adotar o critério político. O petista também concorda que falta mais transparência por parte do Executivo sobre os critérios adotados no momento de convocação de quem participou dessa seleção pública.
Acrísio Sena afirma que não adianta a liderança do governo alegar que a lista de aprovados foi divulgada por ordem alfabética, pois a denúncia que chegou até ele é que há lacunas nessa lista de divulgação, por isso, os vereadores resolveram, através de requerimento, pedir a lista dos selecionados em todas as fases da seleção pública.
O líder do governo, vereador Evaldo Lima (PCdoB), explica que, além da pontuação, outros critérios foram levados em conta na hora de selecionar os novos diretores das escolas do Município. Ele aponta que foi observada a titulação acadêmica, a experiência em gestão escolar, se o candidato respondia por alguma sindicância, dentre outros pontos.
O vice-líder do governo, vereador Didi Mangueira (PDT), informou que passaram na seleção pública mais de três mil candidatos, dos quais em torno de 10% teriam que ser selecionados para assumirem a vaga de diretor de escola, por isso, ponderou o pedetista, era necessário estabelecer vários critérios para que não corresse o risco de cometer o mesmo equívoco da gestão passada, de garantir esses profissionais através de indicações.