Busca

Categoria: Socorro


09:11 · 16.03.2018 / atualizado às 09:11 · 16.03.2018 por

Por Renato Sousa

A vereadora Eliana Gomes (PCdoB) foi à tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, ontem, para denunciar intimidações que estaria sofrendo em seu bairro, o Monte Castelo. A parlamentar mostrou-se temerosa de que os problemas evoluam para algo mais grave. “Eu não quero fazer parte das estatísticas de violência dessa cidade”, declarou. Ontem mesmo ela esteve com o secretário de Segurança, André Costa, que prometeu acelerar as investigações.

Eliana declarou que os problemas começaram a cerca de oito meses através de ofensas e pichações. Ela lembrou do recente assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL), morta na última quarta (14). “Você fica refletindo sobre o que está acontecendo, como vereadora, mas principalmente como mulher”, disse. Segundo a vereadora, o momento que ela passa em sua comunidade é de ódio.

“Não sei de onde sai tanto ódio”, afirmou. Eliana declarou que “uma sociedade, para ser justa, igualitária, tem que ter o respeito a nós mulheres”. Ela pediu que os colegas homens da Casa, além do governador Camilo Santana (PT) e do prefeito Roberto Cláudio (PDT), tivessem a dimensão disso. “Que o governador e o prefeito olhem para as mulheres de todas as comunidades de uma maneira diferente, porque sofremos na pele todos os dias assédio moral, preconceito e até com a morte”.

A fala da vereadora foi aplaudida de pé por seus colegas. Por sugestão do primeiro secretário da Casa, Idalmir Feitosa (PR), cogitou-se o levantamento da sessão para que os parlamentares fossem à cerimônia de lançamento do Centro Integrado de Inteligência e Controle para o Combate ao Crime Organizado, no Palácio da Abolição, para demandar uma audiência com André Costa. Por telefone, o presidente da Casa, Salmito Filho (PDT), informou ao terceiro vice-presidente Paulo Martins (PRTB), que presidia a sessão, que o encontro já havia sido agendado para ontem mesmo e a sessão poderia continuar.