Busca

Categoria: Solidariedade


12:40 · 11.04.2018 / atualizado às 13:45 · 11.04.2018 por

Após a circulação de um vídeo nas redes sociais que mostra o seu filho relatando ter sofrido suposta agressão física dele, o deputado Ferreira Aragão (PDT) usou a tribuna da Assembleia Legislativa, hoje, para se pronunciar sobre o caso.

Segundo o parlamentar, o filho estaria envolvido com uma mulher criminosa, que responde a oito procedimentos penais, e o fato dele ser contra a relação amorosa teria motivado brigas com o filho. Ao longo do discurso, Ferreira enfatizou que devia satisfação do ocorrido por ser um homem público, mas também porque estava com medo de perder votos e não ser reeleito.

“Não vou aceitar que alguém venha macular o meu nome”, ressaltou. Segundo ele, o seu filho de 19 anos se envolveu “com bandida fichada, que curtiu cadeia”, e ele denunciou esse relacionamento. “Me preocupei em salvar o meu filho das garras do leão, que ficou contra os tios, irmãos e pai”, disse, estendendo sua fala a outras questões familiares dele. Alguns deputados o apartearam em solidariedade.

09:13 · 16.03.2018 / atualizado às 09:14 · 16.03.2018 por

Por Renato Sousa

Parlamentares da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) lamentaram, ontem,  durante sessão plenária, o assassinato de Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro, ocorrido na noite de quarta, 14. De acordo  com os parlamentares, os indícios apontam para um crime político, motivados pelas bandeiras que a parlamentar levantava no Parlamento municipal carioca.

A presidente da Comissão de Direitos Humanos da CMFor, Larissa Gaspar, foi uma das que lamentou o ocorrido. “É com muita dificuldade de viemos à tribuna hoje”, declarou a parlamentar. A pepelista disse que o assassinato foi uma forma encontrada para se tentar “silenciar a luta que ela vinha travando contra a violência, contra a desigualdade social, contra o machismo e o racismo”. A parlamentar cearense lembrou que a parlamentar integrava a comissão responsável por fiscalizar a intervenção promovida pelo governo federal na área de segurança do Rio de Janeiro, além de ter denunciado casos de violência promovida por PMs na região da favela do Acari. “Três dias depois de ter feito essa denúncia, a vereadora vem a ser executada”, diz.

Ela lembrou que o assassinato, que também vitimou também o motorista da parlamentar, Anderson Gomes, desencadeou uma onda de solidariedade em torno do crime, com a realização de manifestações por todo o País, inclusive em Fortaleza. “Não podemos silenciar diante de tanta violência”, diz. Segundo a pepelista, o silêncio é justamente o que buscam os criminosos. “Enquanto houver violência nessa sociedade, nós não nos calaremos”, declara.

O terceiro vice-presidente da Casa, que presidia a sessão, Paulo Martins (PRTB), também se solidarizou com as famílias e amigos de Franco. “É um fato realmente lamentável que mostra essa violência que tem tomado conta da nossa nação”, diz. O parlamentar afirma que o crime tem ainda mais impacto por ter ocorrido no Rio de Janeiro, que segundo ele “é o cartão postal do Brasil”.

Guilherme Sampaio (PT), por sua vez, declarou que o crime era “mais uma execução entre milhares que ocorrem todos os dias nessa sociedade violenta e desigual”. O vereador exaltou a vida da parlamentar – negra, nascida e criada no Complexo de Favelas da Maré e mãe solteira aos 18 anos -, dizendo que ela “não se submeteu a nenhum dos limites dessa sociedade desigual a qual passou a vida denunciando”. Segundo o petista, foi por essa militância que a parlamentar foi assassinada. O crime, de acordo com ele, “mostra a farsa dessa intervenção militar no Rio de Janeiro”.

Já a vereadora Eliana Gomes (PCdoB) afirmou que o crime não pode passar impunemente. “Todos nós vereadores temos que pregar a paz, a vida e a solidariedade”, declara. Segundo a parlamentar, tratava-se de “uma grande vereadora” que partia jovem, aos 38 anos. A comunista disse que o dia de ontem deveria ser dedicado à memória de Franco.

10:10 · 11.03.2015 / atualizado às 10:11 · 11.03.2015 por

Estão desde ontem à noite em Brasília o governador Camilo Santana (PT) e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PROS), além de outros políticos cearenses ligados ao ex-governador Cid Gomes  (PROS), hoje Ministro da Educação, convocado para comparecer ao plenário da Câmara dos Deputados, na tarde desta quarta-feira, para prestar esclarecimentos sobre suas afirmações, em Belém, recentemente, dando conta de que na Câmara existem uns 400 ou 300 “achacadores”.

A princípio, apesar das especulações, inclusive a de hospitalização  do ministro, hoje, em hospital paulista, está confirmada a ida do ministro à Câmara. Só uma razão de saúde realmente justificaria sua não ida na data definida pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha. Doente,  haverá de ser marcada uma outra data.

Os políticos cearenses, principalmente o governador e o prefeito, apresentam como justificativas para suas viagens à Capital Federal, encontro com autoridades do Governo Federal.

15:43 · 03.10.2013 / atualizado às 15:43 · 03.10.2013 por

Presidido no Ceará pelo deputado federal Genecias Noronha, ex-filiado ao PMDB, o Solidariedade recebe amanhã, na Assembleia Legislativa cearense, as suas primeiras filiações neste Estado. Além dos deputados estaduais Fernando Hugo, e-PSDB e Lucílvio Girão, ex- PMDB, também é esperada a filiação do ex-presidente estadual do PSDB, Marcos Cals.

Agora há pouco, no entanto, surgiu uma informação de que Marcos Cals ainda teria, nesta tarde, uma conversa com o senador Eunício Oliveira, que tenta demovè-lo da ideia de ir para o Solidariedade e ingressar no PMDB.

Os deputados estaduais que saíram do PSB assinaram as fichas de filiação ao PROS, na manhã de hoje. Além deles, também se filiaram ao PROS os deputados estaduia Manoel Duca da Silveira, ex-PRB, e Hermínio Resende, saído do PSL.  O PROS está com uma bancada de 11 deputados na Assembleia Legislativa.

 

18:47 · 01.10.2013 / atualizado às 18:51 · 01.10.2013 por

Por Georgea Veras

O vereador Guilherme Sampaio (PT) recebeu a solidariedade de vários colegas, durante sessão na Câmara Municipal de Fortaleza, após ele e outros membros da Comissão de Defesa do Direito à Educação terem sido barrados, durante uma visita à Escola Municipal Santa Maria, na Regional III. O petista fez questão de levar o assunto à tribuna e disse ter sido cerceado de cumprir o seu papel como parlamentar. O presidente da Casa, vereador Walter Cavalcante (PMDB), prometeu lançar um comunicado oficial se solidarizando com Guilherme Sampaio.
Conforme o petista, há 14 anos a Comissão de Defesa do Direito à Educação faz o trabalho de visita às escolas e depois apresenta relatórios ao secretário de Educação e aos membros da Comissão de Educação da Câmara. Nesse novo levantamento que a Comissão vem realizando, segundo Guilherme Sampaio, faltava apenas visitar a Regional III, mas foram impedidos de entrar na escola Santa Maria.
Segundo o vereador, a diretora teria dito que o grupo necessitaria da autorização do secretário de Educação, Ivo Gomes, para que pudesse entrar na escola. Segundo o vereador, a situação foi de constrangimento. “A Câmara não pode se dobrar a esse tipo de conduta. Agora o vereador para entrar em uma escola, em um posto de saúde, tem de pedir licença ao secretário? Se não forem os vereadores para fiscalizar a administração pública quem fará isso em nome do povo?”, questionou.
O vereador disse que só não tomou medidas mais sérias porque após serem barrados, ele foram visitar outra escola e não houve qualquer problema. Dessa forma, o vereador disse conceder o benefício da dúvida, acreditando que essa possa ter sido uma situação pontual e não uma orientação que partiu do secretário Ivo Gomes.
Guilherme Sampaio contou ainda ter sabido que a ordem para que eles não visitassem a escola partiu do chefe de distrito da Regional III, pois na semana passada, a escola teria recebido a visita de algumas pessoas que se disseram ser assessores do petista. “Isso é falsidade ideológica”, criticou.
O segundo vice-presidente da Mesa Diretora, vereador Adail Júnior (PV), disse ter ficado “pasmo” com o que ocorreu com o colega parlamentar. “Isso está na hora de parar. O vereador tem de ser respeitado, pois somos representantes do povo”, alegou. Adail Júnior acredita que essa ordem não partiu do secretário Ivo Gomes. “Ele não ia se prestar a um trabalho desse”, concluiu, defendendo que a Casa apure sobre o que de fato ocorreu.
O vereador Acrísio Sena (PT) concordou, entendendo que a Câmara não pode deixar “passar em branco” uma situação como essa. O parlamentar informou que estava com algumas fotos da escola e avalia que a Comissão foi barrada porque a escola não possui qualquer condição de funcionamento, havendo até mesmo o risco do teto desabar.
A liderança do governo veio para acalmar os ânimos, alegando que a proibição não partiu do Executivo. O vice-líder do prefeito, vereador Didi Mangueira (PDT), argumentou que se essa fosse a postura da atual gestão, a Comissão teria encontrado barreiras em outras unidades visitadas. Sobre as informações do vereador Acrísio Sena, de que a escola estaria sem condições de funcionamento, o pedetista alegou ser algo preocupante e que merece uma vista e uma investigação. “Porque se em nove meses da atual gestão a escola chegou nessa situação, então tem alguém destruindo as escolas de Fortaleza”, observou.
O líder do governo, vereador Evaldo Lima (PCdoB), garantiu que não houve qualquer orientação do secretário Ivo Gomes em fechar a escola “para quem quer que seja”, pontuando que esse foi um ato isolado. O parlamentar disse ainda que o atual governo tem a compreensão de que o vereador deve ter trânsito livre em qualquer equipamento público.
O presidente da Câmara, Walter Cavalcante, também veio em defesa da administração de Roberto Cláudio, pontuando ter certeza absoluta que o prefeito jamais colocaria um vereador em situação de constrangimento. Todavia, o vereador argumentou que o Legislativo não pode admitir que qualquer parlamentar seja tratado dessa forma e, por isso, a Casa tem de se solidarizar.
Ontem o vereador Gelson Ferraz PRB) colhia assinaturas dos colegas para dar entrada em um projeto de emenda à Lei Orgânica que reforça o direito do parlamentar de ter livre acesso às repartições públicas, de requisitar documentos, bem como vistoriar instalações. A proposta ganhou o apoio de vários vereadores e recebeu mais de 18 assinaturas, número necessário para o projeto ser apresentado.

19:25 · 05.08.2013 / atualizado às 19:25 · 05.08.2013 por

Integrantes do Ministério Público estadual vão estar amanhã em Quixeramobim, para uma entrevista coletiva em que emprestarão apoio ao promotor Igor Pereira Pinheiro, daquela Comarca, em razão de manifestações consideradas hostis que recebe de parte da população local desde o momento em que passou a investigar desvios de recursos da Prefeitura daquele Município, resultando no afastamento do prefeito Cirilo Pimente, por um determinado período.

Há um movimento denominado de fora Igor, da parte de aliados do prefeito e o Ministério Público quer mostrar que o promotor não está só no combate à corrupção em Quixeramobim.

O promotor Igor Pereira, recentemente, pediu o impecheament do prefeito Ciro Pimenta, emm representação que fez à Câmara Municipal, para onde mandou todo o material colhido nas investigações que, segundo ele, compromotem o prefeito.

10:29 · 19.12.2012 / atualizado às 10:29 · 19.12.2012 por

Ainda fora do Brasil, na viagem que fez a França, onde encontrou o ex-presidente Lula, no dia em que a jornal O Estado de S.Paulo noticiou o depoimento de Marco Valério dizendo que despesas de Lula foram pagas com recursos do mensalão, a presidente Dilma, segundo registro jornalístico da cobertura de sua viagem, teria dito que o ex-presidente ficara abalado com a denúncia.

Ela veio dirata do exterior para Fortaleza, onde chegou no último sábado. Imediatamente após sair de Fortaleza, domingo à noite, na segunda-feira, Cid Gomes já anunciava o movimento junto aos governadores para a visita de solidariedade a Lula, ao tempo em que fazia críticas a Marco Valério, repetindo o que fizera, anteriormente.

Coincidência ou não, os comentários no meio político é que o movimento de solidariedade a Lula foi incentivado pela presidente, daí o apoio imediato do grupo de governadores que esteve ontem com Lula, em São Paulo, inclusive o do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, com muitas mágoas do governador do Ceará que está articulando a derrubada do veto da presidente na questão dos royalties, assunto de grande interesse do Rio, cuja riqueza maior está no recebimento de royalties.