Edison Silva

Categoria: Sucessão no Ceará


11:40 · 16.03.2014 / atualizado às 11:41 · 16.03.2014 por

Está na Folha de S. Paulo deste domingo:

“Senador quer se lançar candidato no Ceará com apo io de Dilma, mas conversa com PSDB de Tasso Jereissati

(DIÓGENES CAMPANHA) DE SÃO PAULO

Em crise com o PT e o Planalto, o PMDB poderá fechar alianças regionais com Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) em até 13 Estados.

Nas últimas semanas, à medida que se intensificaram as rusgas entre governo e peemedebistas, avançaram negociações em Estados como Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

Na Bahia, em Pernambuco e no Acre, já está definido que o PMDB, principal legenda da base do governo Dilma Rousseff, integrará coligações que farão campanha para Campos ou Aécio –pré-candidatos de oposição ao Planalto.

Em outros dez Estados (RJ, PB, RN, CE, RR, AP, PI, RS, MG e PR), há focos de tensão que poderão levar os peemedebistas desses locais a também seguir com Aécio ou Campos.

No Rio Grande do Norte, berço político do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), o PMDB deverá se aliar ao PSDB, abrindo palanque para Aécio. O próprio Alves é cotado para a disputa.

O PMDB do Rio, que rompeu com o PT após o partido lançar o senador Lindbergh Farias para disputar o governo contra o atual vice-governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), também acena com o apoio a Aécio.

No Ceará, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, quer ser candidato a governador com apoio do Planalto, mas conversa com o tucano Tasso Jereissati, possível candidato ao Senado.

PSDB

Eunício afirma que apoiará a reeleição de Dilma, mas que não vê problema em se aliar ao PSDB de Tasso.

“Não concordo com alianças locais diferentes das nacionais. Mas, já que a legislação dá essa possibilidade, o PMDB não teria problema em formar chapa com qualquer sigla”, argumenta o senador cearense.

O mesmo ocorre na Paraíba, onde o PMDB abriu conversas com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que rompeu recentemente com o governador Ricardo Coutinho, do PSB de Campos.

No caso de uma aliança com os tucanos, seria lançado ao Senado o ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo (PMDB).

No Rio Grande do Sul, Campos pode se beneficiar das arestas entre PT e PMDB. Pré-candidato peemedebista ao governo, o ex-prefeito de Caxias do Sul José Ivo Sartori deverá atrair um vice do PSB para sua possível chapa.

Edson Brum, presidente do PMDB-RS, diz que a questão nacional ainda não está sendo discutida no Estado e cita a tradição de o partido sempre integrar a base do governo federal, não importa quem esteja no Planalto.

“A única certeza que tenho é que o PMDB estará com o próximo presidente, ganhe Dilma, Aécio ou Campos. Por que me preocupar com isso agora?”, ironiza Brum.

Em alguns Estados, isso pode ocorrer ainda na eleição. No Piauí e em Roraima, o PMDB fechou com o PSDB de Aécio e o PSB de Campos. A expectativa é que as chapas deem apoio aos três principais candidatos ao Planalto.”

11:30 · 05.08.2013 / atualizado às 11:30 · 05.08.2013 por

Está na coluna do jornalista Cláudio Humberto de hoje, nota dando conta de que os irmãos Cid e Ciro Gomes estão dividos quanto ao apoio às candidaturas presidencial de Dilma Rousseff e do governador pernambucano  Eduardo Campos.

Leia o que lá está escrito:

Não leva fé

  • A divisão dos irmãos Cid e Ciro Gomes, com o primeiro apoiando Dilma e o segundo engajado na candidatura de Eduardo Campos, tem deixado o Planalto de orelha em pé. Dilma teme ser abandonada por Cid no primeiro mês de campanha, se cair ainda mais nas pesquisas.

     
Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs