Busca

Categoria: Troca de partido


09:51 · 17.06.2017 / atualizado às 09:51 · 17.06.2017 por
Ao falar da troca do PR pelo Podemos, Cabo Sabino não oficializa candidatura à reeleição como deputado federal em 2018 Foto: Fabiane de Paula

Sem um bom relacionamento com a direção nacional do Partido da República (PR) desde que contrariou o posicionamento da sigla na votação da reforma trabalhista na Câmara dos Deputados, o deputado federal cearense Cabo Sabino aguarda apenas a janela partidária de 2018 para deixar a legenda. O destino, com “99% de certeza”, deve ser o Podemos, que, nas projeções do cearense, aumentará de tamanho na Casa até as eleições do ano que vem.

“É uma decisão que já está tomada. Só permaneço no PR até a janela partidária, que deve ser em abril do próximo ano, e irei migrar. Eu e o partido, infelizmente, não temos um bom relacionamento diante das minhas votações”, afirma. Sabino lembra que votou contra a Lei das Terceirizações, a reforma trabalhista e também dará voto contrário à reforma previdenciária, propostas do Governo Federal apoiadas pelo PR. “Depois das últimas votações, (a direção) disse que eu não podia contar com o partido para nada”.

Ao ser perguntado se a troca também teria motivações eleitorais, Cabo Sabino diz que seu foco, neste ano, está no exercício do mandato e ressalta que ainda ouvirá a categoria que representa – dos policiais militares – para decidir se disputará cargo de deputado estadual, federal ou senador em 2018. “Eleição eu vou pensar no próximo ano. Não sou um deputado municipalista, que é aquele deputado votado pelos prefeitos. Meu voto é de opinião, eu tento trabalhar com o povo”, frisa.

Expondo um bom relacionamento com o PR no Ceará, ele diz que gostaria de permanecer na legenda “até o fim da carreira política”, mas destaca que o Podemos, embora seja um partido com menos expressividade, tem crescido na Câmara dos Deputados. “É um partido que, hoje, está com 15 deputados federais. Quando chegou na Câmara, só tinha quatro. […] É um partido que é base do governo, mas que deixa o parlamentar mais à vontade para votar. É um partido que não tem nenhum nome que tenha se envolvido em nada”, cita.

Atualmente, no Ceará, Cabo Sabino aponta que o Podemos tem um prefeito, dois vice-prefeitos e 30 vereadores. Na Câmara Federal, ele projeta que, na janela partidária, o partido ultrapassará os 20 parlamentares, equiparando-se em tamanho à bancada do PDT. A legenda já tem, inclusive, candidato à Presidência da República: trata-se, segundo o deputado, do senador Álvaro Dias.

De acordo com Cabo Sabino, outro partido que deve crescer na Câmara dos Deputados é o DEM. “No PSB, cerca de dez deputados vão para o DEM. Deve crescer bastante em virtude do Rodrigo Maia, que é um cara de muita aproximação”, observa.

 

 

10:05 · 28.05.2012 / atualizado às 10:05 · 28.05.2012 por

Tânia Gurgel (Tânia de Fátima Gurgel Nobre), ex-deputada estadual do PSDB, uma das pessoas mais influentes no Governo tucano do Ceará, até perto dele terminar, ainda na gestão passada do governador Cid Gomes (PSB), ele trocou de legenda e passou a ocupar um cargo na administração estadual.  Com atuação política em Fortaleza, Tânia tem ligações com movimentos sociais e é uma das pessoas com que conta o PSB para atuar nesse campo.

No último domingo, quando do Congresso Municipal do PSB ela foi eleita para integrar o diretório municipal da agremiação no cargo de Secretária Municipal de Mulheres. Tânia é uma das filiadas com que conta o partido para compor os quadros da Câmara Municipal de Fortaleza, a partir de janeiro do próximo ano.