Edison Silva

Categoria: Urna


09:37 · 13.09.2018 / atualizado às 09:37 · 13.09.2018 por
Vice-presidente do TRE-CE, desembargador Haroldo Máximo, pede pressa no julgamento dos pedidos de registro. Foto: JL Rosa

O vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) e corregedor regional eleitoral, desembargador Haroldo Correia de Oliveira Máximo, pediu pressa aos juízes responsáveis por pedidos de registro de candidatura para as eleições de 2018.

Após a abertura da sessão de ontem, quarta-feira (12) pela presidente do TRE, desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira, oediu o desembargador Haroldo, que também preside a Comissão Apuradora das Eleições de 2018: “Solicito que seja dada a devida celeridade. São 240 pedidos de registro de candidatura que ainda aguardam julgamento no âmbito do TRE Ceará”, disse.

A preocupação do desembargador está baseada no procedimento de preparação das mídias das urnas eletrônicas, com os dados de cada candidato, como nome, número e fotografia. A presidente do órgão concordou com o alerta, mas afirmou que todos os esforços serão feitos. “De cada relator haverá um trabalho ostensivo para que segunda-feira (17) possamos concluir todos os julgamentos”, disse a desembargadora Maria Nailde.

Números

Dos 907 pedidos de registro enviados à Secretaria Judiciária do TRE, foram julgados 667, sendo 646 deferimentos, 6 indeferimentos e 15 renúncias. Segundo consulta ao sistema DivulgaCand na tarde de hoje (12), restavam para julgamento 240 casos ou 26,46% do total.

09:39 · 05.09.2018 / atualizado às 09:39 · 05.09.2018 por

Por Márcio Dornelles

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE) realizou, no início da tarde desta terça-feira (4), a cerimônia de instalação da Comissão da Votação Paralela, sob a presidência do juiz Roberto Viana. Estavam presentes representantes de dois partidos políticos, do Ministério Público Eleitoral, da Universidade Federal do Ceará e da Universidade Estado do Ceará.

O juiz Roberto Viana explicou que quatro urnas serão sorteadas no dia anterior à eleição, sendo uma da capital e três do interior, e transportadas da zona eleitoral para o TRE-CE. É feito um processo de votação paralela, das 8h às 17h, simulando uma votação normal. Ao final, é emitido um boletim de urna, cujo resultado será confrontado com as cédulas preenchidas anteriormente pelas pessoas participantes do processo.

“Esse processo da instalação da comissão é feito desde 2002. Permite que, de fato, a população, os partidos políticos, as coligações, acompanhem o processo para ter certeza que as urnas correspondem exatamente à vontade popular que o eleitor colocou na urna”, disse Roberto Viana.

Segundo procedimento

A partir de 2018, a Justiça Eleitoral também realiza outro procedimento para integridade e autenticidade dos sistemas da urna eletrônica, que vai ser feito entre 7h e 8h na própria zona, em oito urnas sorteadas em todo o Estado.

“O TRE convida toda a sociedade civil a acompanhar, especialmente partidos, coligações e candidatos, para que isso, de fato, cada vez mais se consolide esse processo eletrônico de votação como realmente um ganho civilizatório para o Brasil”, destacou Viana.

 

Pesquisar

Edison Silva

Blog da editoria Política, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

09h09mBardawil recorre ao TSE por candidatura ao Senado

09h09mVereador diz que acidentes de trânsito retiram recursos de outras áreas

09h09mEunício e Girão são os candidatos ao Senado que mais gastaram em campanha

09h09mNomes de profissões, apelidos e animais no apelo de candidatos por votos

09h09mParlamentares criticam o general Mourão

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs