Busca

Frente Parlamentar para fiscalizar discussão de gênero nas escolas públicas

10:24 · 07.10.2017 / atualizado às 10:24 · 07.10.2017 por
Por Letícia Lima
Após vídeos circularem, recentemente, nas redes sociais em que professores de uma escola pública no Interior do Estado estariam abordando conteúdos sobre “ideologia de gênero” em sala de aula, a deputada Silvana Oliveira (PMDB) propôs ontem, na Assembleia Legislativa, a criação de uma Frente Parlamentar para fiscalizar a discussão de gênero nas escolas e evitar a “doutrinação política e ideológica”. A parlamentar defende que o plano estadual de educação, aprovado no ano passado pela Casa, que veta o ensino sobre gênero e sexualidade, seja cumprido.
A parlamentar justifica no seu requerimento que a “doutrinação política e ideológica em sala de aula ofende a liberdade de consciência do estudante e afronta o princípio da neutralidade política e ideológica do Estado e ameaça o próprio regime democrático, na medida em que instrumentaliza-se o sistema de ensino com o objetivo de desequilibrar o jogo político em favor de um dos competidores”. Ela acredita que “os adeptos da ideologia de gênero buscam uma interferência na família com a anuência do Estado”, através da implantação de ideologia de gênero e que isso resultaria na “retirada da autoridade dos pais de forma sutil e palatina”.
Para Silvana Oliveira, “de forma alguma um professor pode impor questões de gênero aos alunos”, uma vez que esse ensino cria, na sua avaliação, conflitos de geração. A parlamentar lembrou durante discurso que pontos sobre o ensino de gênero e sexualidade nas escolas foram retirados do plano estadual de educação, aprovado em 2016, na Assembleia.
“Esta Casa é a voz do povo e afrontar o plano estadual de educação é afrontar o povo. É preciso que a Secretaria de Educação respeite o que foi votado, respeite a vontade do povo, respeite quem entende que o filho não é pra sair da escola perturbado. Você tem o direito de gostar de quem você quiser, mas dentro da escola é pra ensinar o que é contra o plano estadual e nacional? Nós somos fiscais do povo, passamos o dia todo sofrendo para aprovar aquele plano estadual de educação sem ideologia de gênero e eu, como presidente da Comissão de Educação, digo aqui que quero fiscalizar essas escolas”.
A deputada sugeriu ao final do seu discurso que cada deputado ficasse responsável pela fiscalização do ensino de “ideologia de gênero” nas escolas dos seus municípios de origem.

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *