Busca

Tag: campanha


11:41 · 13.10.2017 / atualizado às 11:41 · 13.10.2017 por

O Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), recentemente aprovado pelo Congresso Nacional, para custear os gastos dos partidos e dos candidatos na campanha eleitoral do próximo ano será gerido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os critérios de distribuição para os partidos foi definido pela própria lei.

Não há determinação sobre como os partidos redistribuição esses recursos com os diretórios estaduais e os próprios candidatos, o que poderá ocasionar muitos questionamentos por parte de candidatos, posto ser possível a direção partidária estabelecer, sem critérios, as prioridades que for de interesse dos dirigentes controladores dos recursos.

Está no site do TSE:

Distribuição do fundo eleitoral

O  Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) será constituído por dotações orçamentárias da União em ano eleitoral, em valor ao menos equivalente ao definido pelo TSE, a cada eleição, com base em parâmetros definidos em lei.

Os recursos do fundo eleitoral serão depositados pelo Tesouro Nacional no Banco do Brasil, em conta especial que ficará à disposição do TSE. Isso deve ocorrer até o primeiro dia útil de junho do ano do pleito. O TSE é que fará a distribuição dos recursos aos partidos.

Pela lei, a distribuição do FEFC, para o primeiro turno das eleições, ficará assim: 2% divididos igualmente entre todos os partidos com registro no TSE; 35% divididos entre as legendas com pelo mesmo um integrante na Câmara dos Deputados, na proporção dos votos conquistados por eles na última eleição geral para a Câmara; 48% divididos entre os partidos proporcionalmente ao número de deputados na Câmara, consideradas as legendas dos titulares; e 15% divididos entre os partidos proporcionalmente ao número de senadores, consideradas as legendas dos titulares.

 

11:10 · 31.08.2017 / atualizado às 11:10 · 31.08.2017 por

A deputada Silvana Oliveira (PMDB) reclamou que após ter levado para a tribuna da Assembleia denúncia de violência sexual cometida contra crianças de um município cearense, ela preservou o local, a Delegacia da Criança e do Adolescente teria tomado providências em menos de dez dias. Todavia, segundo a peemedebista, as vítimas estariam sendo vistas pelos moradores da comunidade onde vivem como “vilãs”. “O crime foi solucionado em menos de dez dias, mas me preocupa essa situação. Não podemos aceitar isso. As crianças foram lesadas e vão ter que conviver com o trauma serem apontadas como culpadas pelo crime cometido por adultos cruéis”, apontou. “Precisa ser feita uma campanha em massa. Que as universidades entrem nessa campanha. Esta Casa legislativa está disposta a entrar nessa campanha de conscientização em massa que criança é criança. A sociedade precisa abraçar e acolher essas crianças, agindo como verdadeiros terapeutas”. Ela afirmo que está apresentando requerimento para que a primeira-dama do Estado adote a campanha. “A presidência desta Casa e a Comissão de Infância e Adolescência já abraçaram esta causa”.

11:51 · 22.03.2017 / atualizado às 11:51 · 22.03.2017 por

O deputado Ely Aguiar (PSDC) subiu à tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará nesta quarta-feira (22) para sugerir  uma campanha com participação do governo, da Assembleia e de secretários para levar uma usina de cimento para o Município de Campos Sales.

Segundo o parlamentar, a usina de uma empresa de cimento que se estabeleceu no Município de Fronteiras, no Piauí, já começou a demitir 500 trabalhadores.

De acordo com Ely, “as minas de onde são retirados todo o material bruto para essa empresa são em territórios cearenses e a maior delas está em Campos Sales”. O deputado sugeriu “uma campanha no sentido de incentivar as grandes indústrias do Ceará a fazer a aquisição dessa indústria que está fechando na divisa e instalar em Campos Sales, onde já existe a mina”.

09:43 · 30.11.2016 / atualizado às 09:43 · 30.11.2016 por

A votação para a escolha do parlamentar que deve presidir a Assembleia Legislativa do Ceará nos próximos dois anos promete clima de acirramento dentro e fora do Plenário 13 de Maio. A escolha oficial ocorre apenas amanhã, mas a sessão de ontem foi marcada por posicionamentos de deputados que deixavam claro a quem dará seu voto e como encaminhará a bancada.
Osmar Baquit (PSD) subiu a tribuna para, em seu discurso, apontar que o grupo ao qual lidera na Casa teria firmado acordo para votar em Sérgio Aguiar (PDT). “Como líder do bloco composto por 11 deputados dos partidos PMB, PSD, PRP, PEN e PCdoB, vejo que esse não é o momento para fazer críticas a A, B ou C. Esse é um momento ímpar, mas que cabe a mim expressar a nossa posição. Tomamos posição de maneira democrática, esperando, como sempre foi o costume, sermos procurados para discutirmos a proporcionalidade. Isso sempre foi feito, mas infelizmente desta vez não. Veio um bolo mal acabado e acima de tudo desproporcional ao nosso tamanho. Decidimos que vamos votar no deputado Sérgio Aguiar”, afirmou.
O parlamentar disse que o colegiado não teria outro caminho e ressaltou não se tratar de questão pessoal. “Nada contra ninguém, mas o caminho do recuo nesse momento, é o caminho da morte de qualquer parlamentar que tenha dado a palavra e volte atrás. Eu entendo que a democracia permite, e é salutar que tomemos as posições pensadas, mas que mantenhamos ela”.
Baquit disse que seu posicionamento poderia até lhe valer a vaga de deputado estadual, mas que também estaria disposto a correr o risco. “Sou do Interior do Estado, não tenho empresas, negócios no Governo ou prefeituras. Não tenho posses e estou no meu quinto mandato. Se minha posição custar o mandato, vou para casa. Ficar rico não vou ficar e morrer de fome não morrerei. A minha posição e a do bloco é esta”.
Dizendo não adotar a postura para criar confronto, Baquit relatou que os parlamentares do grupo liderado por ele não fazem oposição, mas defendem os mesmos interesses em defesa do Estado. “Somos Governo do Estado, apoiamos deputado da base do PDT e espero que Sérgio, se ganhar e acho que vai ganhar, seja o presidente de todos nós e não de apenas um lado”.
Em aparte ao pronunciamento de Osmar, um dos candidatos à presidência, Sérgio Aguiar, disse que não esperava chegar a esse momento sem ser o candidato de consenso da Casa. “Desde a antiga sede no Centro da cidade até aqui, desde a década de 70, em nenhuma ocasião houve eleição de presidente da Mesa Diretora por mais do que dois mandatos. Na Assembleia, sabemos que há uma dinamicidade na representatividade do Parlamento, onde há alternância de mandatos a partir do processo de maturidade, de conquistas políticas, que se revertem na possibilidade de assumir cargos mais relevantes e eu, que fui vereador, prefeito e estou no terceiro mandato como deputado estadual, aqui galguei todas as posições com muito sacrifício”, relatou. “Mas (coloca o nome) acima de tudo, por ter qualificação, a experiência adquirida ao longo do tempo e, principalmente por ter posição”.
Sérgio lamentou que “estejam colocando para a imprensa” que a base do governo tem outro candidato. “Estou na base do governo e sou do partido com a maior bancada da Casa. Estou no legítimo direito e respeitando os costumes e tradição de que a maior bancada tem o candidato a presidente da Mesa”. Por fim, aproveitou o espaço para atrair o voto de indecisos. “Tenho a certeza que o Parlamento sob a nossa gestão terá altivez, independência, harmonia e estará mais próximo da sociedade”, prometeu.
Também em aparte, o líder do PMDB na Assembleia, Audic Mota, lembrou que semana passada havia lançado a cobrança aos candidatos que apresentassem propostas para o caso de liderarem o parlamento estadual. “Parecia que estava antevendo as análises e as cobranças que seriam feitas no final de semana pelos jornais. O que assistimos foram questionamentos sobre a independência do Poder Legislativo escolher seus representantes. Embora pareça uma disputa partidária, o que temos é uma disputa política, sem situação e nem oposição”, avaliou.
Roberto Mesquita (PSD) afirmou que 30 anos depois A Assembleia voltava a viver o momento rico, com a oportunidade para que sejam expostas as propostas de trabalho de dois parlamentares que buscam liderar o Legislativo. “Desanimava ouvir falar que existia acordo feito em gabinete, sem presença de quem vai votar. Por isso, quero parabenizar Sérgio, escolhido pelo nosso bloco, por dar oportunidade de o Parlamento se oxigenar e deputados terem vez e voz”.
Responsável por um dos discursos mais incisivos, Ely Aguiar (PSDC) relatou nunca ter recebido privilégio algum para ser eleito e comemorou que nos dez anos em que está na Assembleia como deputado, pela primeira vez via uma disputa para o cargo maior da Casa. “O voto é meu, não é dos Ferreiras Gomes, de Eunício nem de Domingos. Vou votar de acordo com minha consciência, afinal não paparico ninguém, embora nesta Casa exista meia dúzia de privilegiados e outra meia dúzia que não é nada. A disputa ocorre dentro do Governo, então os deputados terão a oportunidade de escolher e farei isso sem pressão”, afirmou, acrescentando que o Parlamento precisa de mais autonomia. “A disputa é necessária e espero que nenhum dos dois retire a candidatura para que os deputados votem, sem medo do Governo, da mesma forma que os cearenses saem de casa para escolher seus representantes”.
Os peemedebistas Silvana Oliveira, Danniel Oliveira e Tomaz Holanda também se posicionaram. A primeira disse que mesmo estando doente não poderia deixar de subir a tribuna para falar do momento importante que passa o local de trabalho dos deputados estaduais. “Subo a tribuna não como deputada de oposição, mas como legítima representante do povo para dizer muito obrigado ao bloco que se levanta para oferecer, depois de muitos anos, uma chapa neutra. Sérgio não é do Governo e nem da oposição, é um valente que pleiteia corajosamente em nome de todos nós”.
Danniel, segundo vice-presidente da Assembleia, também disse ser importante que seus pares possam fazer a escolha do que for melhor representante. Tomaz apontou que a escolha do presidente da Casa não pode receber pressão ou qualquer outro tipo de interferência por parte do Governo do Estado.

09:39 · 30.11.2016 / atualizado às 09:39 · 30.11.2016 por

O câncer é a segunda maior causa de morte no Brasil, com cerca de 200 mil óbitos por ano. A declaração foi posta pela deputada Fernanda Pessoa (PR) em discurso ontem na Assembleia Legislativa. A deputada estadual relatou que na semana passada recebeu integrantes da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) e de organizações associadas a Rede Mama no Estado Ceará, quando lhe foi entregue ofício solicitando a necessidade da Notificação Compulsória dos casos de câncer no Estado. “Estou aqui apoiando este movimento e dando voz a estas instituições que, em todo o país, se mobilizam com seus representantes para que seja instituída de forma legislativa a adoção do Registro Compulsório do câncer”.
De acordo com Fernanda, não há estimativas seguras para a condução de políticas porque a doença não teria notificação compulsória, como a dengue ou a AIDS. “Esta proposta é uma luta destas organizações devido a pouca informação disponível sobre o câncer no Brasil. A utilização deste instrumento agilizará o diagnóstico e o tratamento em nosso Estado e em todas as cidades do país. E ajudará muito com o cumprimento da Lei 12.732/12, que determina o início do tratamento oncológico através do SUS em até 60 dias após o diagnóstico. A lei dos 60 dias que sistematicamente não é cumprida em nosso Estado. E sabemos que um diagnóstico precoce tem quase 90% de chance de salvar o paciente”.
Parte das verbas que os parlamentares cearenses têm direito através do Programa de Cooperação Federativa (PCF) é revertida para agilizar o diagnóstico das biópsias de pacientes com câncer de mama e de próstata no Ceará. “Este é o segundo ano que apresentamos o projeto. No primeiro, arrecadamos cerca de R$ 640 mil. E Esta verba foi revertida em três mil biópsias para as mulheres diagnosticadas com a doença poderem dar continuidade ao tratamento. E aqui fica meu agradecimento a cada parlamentar que colaborou com esta causa. Tenho certeza de que seremos responsáveis pela cura de muitas mulheres e homens cearenses”, disse. “Para se ter uma ideia, nove em cada dez casos da doença, se descoberta em estágio inicial, tem chances de cura. E um terço da doença poderia ser evitada com ações e políticas públicas”.
A campanha Novembro Azul, cujo objetivo maior é incentivar os homens a procurarem fazer o exame de próstata, também foi lembrada. “Estamos finalizando o novembro azul e fica aqui também nosso alerta para todos os homens que façam o exame da próstata, pois a doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre homens. Ontem (segunda-feira) estivemos em audiência pública sobre o tema e o representante da Sociedade Brasileira de Urologia, Marcos Flávio, ressaltou que a cada oito minutos, um homem é diagnosticado com câncer de próstata no País”.
Fernanda Pessoa apontou, ainda que quando o diagnóstico é feito cedo, o câncer tem tratamento. “É importante que seja feita a prevenção, para aumentar as chances de cura e com certezas nós mulheres temos um papel importante na prevenção das doenças do homem”, ressaltou. “Acredito que temos este dom nato do cuidado com o próximo, com nossos filhos principalmente e, por isso, devemos mesmo incentivar nossos familiares homens a procurarem um médico”.
Por fim a parlamentar colocou que no Sistema Único de Saúde, no ano de 2011, foram registrados 18 milhões de consultas nos médicos ginecologistas e apenas 2,6 milhões de consultas nos urologistas. “Em nível nacional, apenas 15% dos homens fazem a prevenção. No Ceará, entre os anos de 2013 e 2016, foram registrados 2.271 óbitos por câncer de próstata. Só neste ano foram registrados 381 óbitos e ainda de acordo com números da Secretaria da Saúde do Estado, os homens estão morrendo mais de câncer de próstata, no Ceará, do que mulheres que falecem de câncer de mama. Temos 20 policlínicas em todo o Ceará, mas em menos de cinco, têm médicos urologistas para atender a população. Se tivéssemos mais médicos, talvez o número de procura fosse maior”, opinou.

13:48 · 17.11.2016 / atualizado às 13:48 · 17.11.2016 por

O deputado Agenor Neto (PMDB) subiu à tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará nesta quinta-feira (17) para tratar da crise hídrica que afeta o Estado e cobrar do governador uma campanha mais forte sobre a água na capital.

De acordo com o parlamentar, “uma campanha mais incisiva em Fortaleza” seria necessária para conscientizar a população acerca da “situação gravíssima” que passa o Ceará. “O tempo se passou e não houve essa campanha educativa de conscientização”, criticou.

Agenor citou os municípios de Orós, Iguatu e Quixelô como exemplos em que os pescadores e agricultores estão precisando de água. “Não podemos assistir ao que já está acontecendo no Castanhão com maior intensidade naqueles pescadores que foram ao Banco do Nordeste e hoje não tem água para poder produzir”, afirmou.

14:12 · 21.10.2016 / atualizado às 14:12 · 21.10.2016 por

Por Miguel Martins

 

Capitão Wagner lançou uma nova estratégia de campanha ontem FOTO: José Leomar
Capitão Wagner lançou uma nova estratégia de campanha ontem FOTO: José Leomar

O candidato a prefeito de Fortaleza, Capitão Wagner (PR), lançou, ontem, a “Jornada 22”, uma série de eventos que vão até o próximo domingo e tem como objetivo visitar diversos bairros da cidade para implantar a chamada “onda azul” na Capital. De acordo com o postulante, até o pleito do dia 30 de outubro ele vai conseguir reverter a diferença que tem para Roberto Cláudio (PDT), que tenta reeleição.
A Jornada 22 teve início, ontem, com lamento na Praça do Ferreira, quando o candidato apresentou o projeto “Novo Centro”. Além de percorrer toda a cidade por quatro dias, o evento visa realizar debates, coletar aspirações, sugerir atitudes e, principalmente, promover a cidadania.
“É uma onda que se espalha pela cidade que está ficando azul. Famílias estão balançando bandeiras, fazendo adesivaços em carros, tudo voluntário. E até o dia da eleição os eleitores vão saber que a melhor opção é nosso grupo”, disse o candidato.
De acordo com ele, a participação do senador Tasso Jereissati (PSDB) em sua campanha é uma força a mais para conquistar os votos da área mais nobre da cidade, que segundo informou, ainda tinham preconceito com o postulante por não conhecerem seu trabalho. “Esse preconceito é natural e com a presença do Tasso diminui. Agora vamos disputar esses votos que são em sua maioria do atual prefeito”, afirmou.
Conforme informou, a presença do tucano na sua campanha alia o novo à experiência de um gestor que é reconhecido ate por adversários diante o que fez no Estado quando governador. Capitão Wagner afirmou que não acredita na diferença tão expressiva que tem de Roberto Cláudio, segundo mostraram as primeiras pesquisas eleitorais do segundo turno.
De acordo com ele, a militância acredita que a diferença não é verídica e isso poderá ser mostrado em futuros levantamentos que serão feitos nos próximos dias. “Se for uma pesquisa séria, vai apresentar uma diferença menor e a possibilidade de a gente ganhar as eleições na próxima semana”.
Para reverter a diferença, Wagner afirmou que isso só será alcançado com muito trabalho, indo às ruas, se preparando bem para os debates e realizando programas eleitorais propositivos. Segundo ele, o eleitorado ainda desliga a TV quando do início das propagandas eleitorais, e por isso é preciso ganhar a credibilidade junto às pessoas.
Nas últimas apresentações do candidato, no entanto, ele tem se empenhado em fazer críticas à atual gestão, afirmando, inclusive, que o prefeito mentiu diante de muitos dados. Wagner afirmou que desde o primeiro turno nas redes sociais a baixaria era grande, e um padrão de respeito havia sido mantido. “Mas agora estamos apresentando as mentiras do adversário. Em nenhum momento apresentamos baixaria, mas o eleitor precisa saber da verdade. É importante fazer a escolha e que se coloque na balança tudo isso”, defendeu.
Recentemente, uma propaganda do republicano, que, inclusive, foi retirada a pedido da Justiça Eleitoral, tentava ligar a campanha de Roberto Cláudio aos ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula, além do deputado federal José Nobre Guimarães.
Segundo disse ao Diário, essa foi uma decisão da equipe de marketing e não deixa de ser verdade, uma vez que o governador do Estado, Camilo Santana, que é do PT demonstrou apoio ao atual prefeito. “Essas figuras apoiam o Roberto Cláudio, mas a ex-candidata Luizianne Lins está isenta”.
Um dos assuntos que mais nortearam a campanha eleitoral em Fortaleza foi o da Segurança Pública. Para o postulante, o papel da administração pública municipal não é resolver o problema, mas guardar o patrimônio público, parques, postos de saúde, escolas. Ele propõe liberar policiais militares que fazem escolta de presos no Instituto Dr José Frota (IJF) e o prefeito da cidade, e no lugar colocar guardas municipais. “O problema da Segurança se agrava por causa disso, porque o Governo acaba ficando sobrecarregado”.
Conforme informou, várias cidades têm investido na área, agindo de forma repressiva, utilizando seus equipamentos. Em Fortaleza, segundo disse, se estabeleceu que a Prefeitura não tem interesse em fazer isso “e joga a responsabilidade apenas para o Governo”. Contra as críticas feitas por figuras da política local, como Ciro Gomes, que disse que Wagner seria responsável por milícias, o candidato afirmou que se assim o for, o Governo é incompetente, visto que ainda não conseguir comprovar nada disso.

11:23 · 12.10.2016 / atualizado às 11:23 · 12.10.2016 por

A metade final do 1º turno e os primeiros dias de campanha no 2º turno impulsionaram as arrecadações dos candidatos a prefeito em Caucaia que foram multiplicadas por 13 em um espaço de quatro semanas e até o início da tarde desta terça-feira (11) chegava a R$ 730.001. Desse total, R$ 658.941,00 referem-se às receitas dos dois prefeituráveis que chegaram à segunda etapa da disputa: Naumi Amorim (PMB) e Eduardo Pessoa (PSDB).

Em postagem publicada pelo blog Edison Silva, no último dia 13 de setembro, o município aparecia apenas na 52ª colocação entre os 184 municípios cearenses, em termos de arrecadação. No total, Caucaia tinha seis candidatos que tinham arrecadado até aquela data R$ 56.002,00. Excluindo Fortaleza, o município com maior arrecadação até aquele dia era Juazeiro do Norte cujas arrecadações de seus oito candidatos somados chegava a R$ 1.048.492,12.

Além de Naumi e Eduardo Pessoa, os candidatos derrotados no 1° turno Sílvio Nascimento (PP) e Daniel Gadelha declararam, respectivamente, receitas de R$70.850,00 e R$ 210,00. Os prefeituráveis Baiano Ximenes (REDE) e Potim (PTC) não declararam até o momento nenhuma arrecadação.

10:09 · 09.10.2016 / atualizado às 10:09 · 09.10.2016 por

Nos últimos dias de setembro, no Interior do Estado, era grande a correria de candidatos tentando conseguir dinheiro para concluir a campanha, principalmente aqueles que disputavam prefeituras.

Um fato que mereceu muitos comentários foi o de um candidato a prefeito de Sobral que procurou um empresário moveleiro do Município de Marco para vender, a preço muito atraente, mais um de seus imóveis para cumprir compromissos de campanha.

Embora o preço fosse convidativo e o empresário já tivesse comprado outros bens do mesmo candidato, na eleição passada, às margens do Rio Acaraú, o negócio proposto em setembro passado não foi fechado, segundo alegação do próprio empresário, por conta de sua ligação com o ex-governador Cid Gomes, e o dinheiro seria para ajudar um adversário de Ivo Gomes, o candidato que se elegeu prefeito.

 

11:46 · 28.09.2016 / atualizado às 11:46 · 28.09.2016 por

“O que você quer melhorar na sua cidade?” e “Você sabe quem pode resolver isso?”. Nesta quinta-feira (29), eleitores das capitais dos estados de Goiás, Bahia, Minas Gerais, Paraná e Tocantins serão convidados a responder a essas perguntas em uma ação de conscientização a ser realizada em locais de grande movimento nessas cidades.

O evento é uma iniciativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em conjunto com os Tribunais Regionais Eleitorais dos respectivos estados. Visa reforçar a ideia de que uma população bem informada sobre seus direitos e deveres e esclarecida sobre a importância do voto é o primeiro passo para formar um eleitor consciente e atuante na sociedade.

Durante a ação, serão instaladas urnas eletrônicas em locais estratégicos, onde os eleitores serão convidados a opinar sobre o que pode melhorar em sua cidade e quem pode fazer isso.

O objetivo é estimular a participação do cidadão não apenas nas eleições, mas nos destinos de sua cidade. “Para isso, é fundamental conhecer o candidato, a vida pregressa e não se submeter à compra de votos”, destaca a assessora-chefe de Comunicação do TSE, Giselly Siqueira.

Pioneirismo

A iniciativa pioneira só foi possível graças à parceria firmada entre a Assessoria de Comunicação do TSE e a Secretaria de Tecnologia da Informação do Tribunal, que, juntos, criaram um programa específico com as perguntas elaboradas pelos assessores de comunicação da Justiça Eleitoral.

Redes sociais

Além da ação de mobilização nas cinco capitais, o TSE e o Ministério Público Eleitoral (MPE) se unirão no mesmo dia para realizar uma mobilização via redes sociais sobre o tema. O “tuitaço#VotoConsciente também irá promover a importância da vigilância do cidadão e a necessidade de denunciar irregularidades que sejam identificadas.

A intenção é levar até o eleitor informações de utilidade pública, mensagens de cidadania e dados sobre os canais de denúncia de crimes eleitorais, além de disseminar a ideia do voto consciente para a escolha de prefeitos e vereadores. Todos são convidados a tuitar, nesta quinta-feira, a partir das 17h, sobre a importância do voto consciente usando a #VotoConsciente.

Envolvimento

Ao reunir diversas instituições envolvidas no processo eleitoral, assim como representantes da sociedade civil e formadores de opinião, a iniciativa também busca deixar claro que a escolha feita na eleição terá efeitos nos próximos quatro anos. Dessa forma, o cidadão deve estar vigilante e denunciar as irregularidades.

A ação irá envolver todos os Tribunais Regionais, assim como todas as Procuradorias Regionais, e também diversas instituições públicas e privadas convidadas. O Twitter Brasil apoia a ação e irá auxiliar em sua divulgação.

Esta informação é do site do Tribunal Superior Eleitoral.