Busca

Tag: PT


12:38 · 20.01.2018 / atualizado às 13:58 · 20.01.2018 por
Apoiadores do petista percorreram ruas do Centro de Fortaleza, na manhã deste sábado, no bloco “Tô com Lula”

A quatro dias do julgamento de recurso apresentado pelo ex-presidente Lula (PT), no processo do tríplex, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, diretórios do partido no Estado e movimentos sociais seguem com agenda de atividades, na Capital e no Interior, em defesa do líder petista.

Na manhã deste sábado (20), o bloco de Pré-Carnaval “Tô com Lula” reuniu militantes e lideranças do PT no Ceará, em caminhada pelo Centro de Fortaleza. Estiveram presentes o deputado federal José Guimarães, o deputado estadual Moisés Braz, os vereadores Acrísio Sena e Guilherme Sampaio e o presidente da legenda no Estado, Francisco de Assis Diniz.

O dirigente conta que a programação continua até a próxima quarta-feira (24), data marcada para o julgamento no TRF-4. “Amanhã (domingo), nós vamos ter atividade na Feira da Messejana e do São Cristóvão. Amanhã, começa a brigada dos movimentos sociais, a brigada vai continuar segunda, terça e quarta. Na segunda, nós vamos ter plenária no PT, vamos ter porta de fábrica e nós teremos, ainda, as atividades regionais no Sertão Central, em Quixadá, nos Inhamuns, em Crateús, na Região do Cariri, no Crajubar, na região Norte, em Sobral e no Vale, em Limoeiro do Norte”.

Ainda segundo De Assis, os deputados federais cearenses Guimarães, José Airton e Luizianne Lins devem acompanhar o julgamento de Lula, em Porto Alegre, junto da Executiva Nacional. Enquanto isso, em Fortaleza, de acordo com a programação estão previstas, na próxima quarta-feira, apresentações culturais e um ato ecumênico, às 8h, na Praça da Justiça Federal, no Centro.

10:39 · 07.01.2018 / atualizado às 10:53 · 07.01.2018 por

 

As manifestações têm como objetivo pressionar a Justiça para permanência de Lula na disputa eleitoral deste ano. FOTO: CID BARBOSA

Como este blog já havia adiantado, o Partido dos Trabalhadores (PT) deve se reunir na  segunda-feira, amanhã, junto com outras agremiações e representantes de movimentos sociais no Ceará para definir a pauta de manifestações em prol da garantia da candidatura do ex-presidente Lula no pleito deste ano. Além de sigla petista, estão alinhados nesta  pauta, PCdoB, PSB, PCO e Central Única dos Trabalhadores (CUT). 

As manifestações pró-Lula estão marcadas para acontecer nos dias 13 de janeiro, no Centro de Fortaleza; 15 de janeiro,  na sede do PT Ceará; no Sindicato dos Bancários, no dia 16; e no dia 24 de janeiro, com atividade nas sedes da Justiça Federal de Fortaleza, Crateús, Limoeiro do Norte, Quixadá, Juazeiro do Norte e Sobral.

Segue conteúdo da nota enviada pela assessoria de imprensa do Partido dos Trabalhadores no Ceará:

“Acontece nesta segunda-feira, 8, às 9h, no Hotel Amuarama, plenária de articulação do PT, PCdoB, PCO, CUT, PDT, PSB, movimentos sociais, federações e sindicatos para a mobilização da defesa do lula e da democracia no Estado do Ceará.

No local, estarão presentes ainda os parlamentares, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, presidentes dos diretórios municipais do Partido dos Trabalhadores do Ceará. “Precisamos mobilizar o maior número de pessoas para o dia 24. O PT, principalmente, tem que ocupar as sedes municipais com atividades durante todo o mês em defesa do Lula”, afirma De Assis Diniz, presidente do PT Ceará.

O PCdoB, aliado nacional do PT, também está engajado na luta em defesa da democracia e o direito do Lula ser candidato. “A unidade é a base para termos uma atividade forte com maior representatividade e força na sociedade”, explica Luís Carlos Paes, presidente do PCdoB Ceará. Outros partidos também estarão presentes no lançamento do Comitê Popular, como o PCO, PSB,PDT, dentre outros.

Dentre as atividades já agendadas está a realização no dia 13 do bloco “Tô com Lula CE”, com banda e caminhada pelo centro de Fortaleza, com horário e local de partida ainda para serem definidos. No dia 15, às 18h, o PT Fortaleza realiza Plenária Municipal com os filiados na sede do PT Ceará, e no dia 16, a Frente Brasil Popular Ceará realiza plenária de mobilização, ás 15h, na sede do Sindicato dos Bancários.

O “Tô com Lula CE” acontece no momento em que o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva é julgado em 2ª instância, mesmo sem provas, em Porto Alegre. “Defender o Lula é defender a democracia. O povo precisa ir às ruas lutar por justiça”, explica De Assis. No Ceará o dia do julgamento, 24 de janeiro, terá atividades na capital e mais seis cidades: Crateús, Limoeiro do Norte, Quixadá, Juazeiro do Norte e Sobral.

Na capital, a concentração acontece na Praça General Murilo Borges – Centro, onde está localizada a sede da Justiça Federal.  Pela manhã as atividades se iniciam com um ato ecumênico e seguem com falas dos integrantes do Comitê Estadual e apresentações culturais.”

*SERVIÇO:*

Lançamento do Comitê Estadual em Defesa da democracia e o direito do Lula ser candidato
Dia 8 de janeiro às 9h
Hotel Amuarama – Av. Deputado Oswaldo Studart, 888 – Fátima, Fortaleza

*AGENDA TÔ COM LULA CE:*

•13 de janeiro – Bloco “Tô com Lula CE” no Centro de Fortaleza
•15 de janeiro às 18h, na sede do PT Ceará – Plenária PT Fortaleza
•16 de janeiro às 15h, no Sindicato dos Bancários – Plenária da Frente Brasil Popular
•24 de janeiro – Atividade nas sedes da Justiça Federal de Fortaleza, Crateús, Limoeiro do Norte, Quixadá, Juazeiro do Norte e Sobral.

18:01 · 05.01.2018 / atualizado às 18:02 · 05.01.2018 por

O Partido dos Trabalhadores anunciou, nesta sexta, 5, em entrevista coletiva na sede do partido, como deverá ser a mobilização que fará, paralelo  ao julgamento, em segunda instância, do ex-presidente Lula, marcado para o próximo dia 24. A legenda vem construindo “comitês populares” para defender a principal liderança do partido e, a partir da semana que vem, deve realizar plenárias pelo Estado. “Faremos plenárias regionais para distribuirmos informativos e, sobretudo, construir a identidade democrática da defesa do nosso presidente”, declarou De Assis Diniz, presidente estadual do partido. A coletiva contou ainda com parlamentares do partido e representantes do PCO e do PCdoB.

De acordo com o dirigente petista, o foco do partido irá concentrar-se nos municípios de Crateús, Quixadá, Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha e Sobral. Em Fortaleza, no dia 24, a agremiação deverá realizar uma manifestação em frente à Justiça Federal, no Centro. “Nesse dia, vamos ter todo um processo de mobilização e acompanhamento do que está acontecendo lá em Porto Alegre”, declara. Ele reafirmou que o ex-presidente é candidato na disputa presidencial deste ano.

Lula foi condenado, em julho, a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A condenação foi decretada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava-Jato em Curitiba, no caso do triplex do ex-presidente.

09:01 · 02.01.2018 / atualizado às 09:01 · 02.01.2018 por

Por Renato Sousa

O Partido dos Trabalhadores deve reafirmar a pré-candidatura do ex-presidente Lula ao Palácio do Planalto no dia 25 de janeiro, um dia após o julgamento do petista pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). “Vamos transformar esse julgamento injusto numa tomada de decisão política do PT”, declara o deputado federal José Guimarães, secretário nacional de Relações Institucionais do partido.

De acordo com o parlamentar, a decisão deverá ser oficializada na véspera do julgamento, em uma reunião da Executiva nacional petista. Segundo Guimarães, o tema já vem sendo tratado com as direções estaduais da legenda. “É (uma proposta) consensual. A deliberação da Executiva será mera formalidade”, diz.

A decisão da agremiação, de acordo com o dirigente, será tomada mesmo que a Justiça Federal decida por confirmar a sentença da primeira instância condenando o pré-candidato, o que pode torná-lo inelegível segundo a Lei da Ficha Limpa. “Com ou sem julgamento, Lula é candidato à Presidência da República. Ponto final”, sustenta.

Segundo Guimarães, a decisão também está sendo articulada com a base petista no Estado. “Estamos trabalhando para o Ceará dar o grito contra a injustiça”, afirma. Entretanto, dirigentes do partido no Ceará afirmam não ter qualquer informação sobre a decisão. “Não existe essa discussão”, declara o presidente estadual do partido, o sindicalista Francisco de Assis Diniz. De acordo com ele, já há consenso sobre a candidatura de Lula por parte da sigla, inexistindo um eventual “plano B”.

O vereador Acrísio Sena, que preside o partido em Fortaleza, também alega desconhecimento sobre a decisão. De acordo com ele, o PT municipal esteve reunido na noite da última quinta (28), para debater como será a mobilização na Capital até o dia do julgamento de Lula.

11:20 · 30.12.2017 / atualizado às 11:20 · 30.12.2017 por

Por Renato Sousa

O ano de 2018 deve começar com diversas legendas já realizando suas primeiras atividades do ano no Ceará. De acordo com dirigentes partidários entrevistados pelo Diário do Nordeste, o mês de janeiro deve ser utilizado para atividades como planejamento, divulgação dos partidos e mobilização das militâncias.

Sigla com as maiores bancadas na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal de Fortaleza, o PDT deve mobilizar seus quadros, na segunda metade do mês, em favor da pré-candidatura presidencial do ex-governador Ciro Gomes. Segundo o presidente estadual do partido, o deputado federal André Figueiredo, os pedetistas lançarão a caravana “Rota 12” – referência ao número do partido – na região do Cariri no dia 22, percorrendo os municípios de Juazeiro do Norte, Caririaçu e Crato.

De acordo com ele, a caravana começa no Ceará porque foi aqui que Ciro construiu sua vida pública. “A campanha dele realmente toma uma magnitude maior em outros Estados porque aqui todos já convivem com ele”, declara. Entretanto, com a nova estratégia, a ideia é consolidar o nome do trabalhista como uma opção no Ceará e, a partir daí, no restante do País.

De acordo com Figueiredo, além de trabalhar a candidatura de Ciro, a intenção da “Rota 12” é dar maior exposição ao partido, ajudando nas disputas para deputado estadual e federal. O objetivo do partido é eleger pelo menos seis representantes para a Câmara dos Deputados e 12 para a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará.

Já PSDB deve reservar o mês de janeiro para atividades com a militância. Segundo o presidente estadual do partido, Francini Guedes, a sigla deve realizar seminários de formação interna voltados para juventude e mulheres. O mês, afirma ele, será de “planejamento estratégico para o partido”.

O tucano demonstra entusiasmo especial pelos debates voltados para a juventude. “É importante que ela tenha uma participação bem ativa (na política)”, sustenta. De acordo com Guedes, porém, ainda não há uma data determinada para que os encontros aconteçam.

Julgamento

O PT, por sua vez, tem apenas um tema em mente: o julgamento de Lula. “O nosso foco tático é todo na mobilização de solidariedade ao Lula”, declara o presidente estadual da sigla, Francisco de Assis Diniz. O ex-presidente será julgado em segunda instância no dia 24 pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, em Porto Alegre. Caso ele, que já foi condenado em primeira instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, seja novamente condenado, pode ficar fora da disputa eleitoral de 2018.

De acordo com Diniz, a legenda deve realizar, já na primeira semana do mês, reunião de dirigentes e parlamentares para traçar estratégias que mobilizem a base do partido no Estado em favor de Lula. No dia do julgamento, os petistas devem comparecer às sedes da Justiça Federal pelo Brasil, o que inclui Fortaleza, para apoiar o ex-presidente. Segundo De Assis Diniz, a discussão eleitoral está suspensa até a decisão sobre Lula.

15:35 · 26.12.2017 / atualizado às 15:35 · 26.12.2017 por
O julgamento do ex-presidente está marcado para o dia 24 de janeiro no TRF4, em Porto Alegre. FOTO: JL ROSA

O Partido dos Trabalhadores (PT)  no Ceará está preparando diversos movimentos no Estado, a partir do dia 17 de janeiro, contra o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está marcado para acontecer no dia 24 do próximo mês no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). De acordo com o presidente da agremiação, Francisco De Assis Diniz, os protestos serão realizados em frente às subseções  da Justiça Federal em municípios cearenses.
“Vamos preparar caravanas para as cidades onde têm Justiça Federal no Estado. Estamos convidando nosso líderes, parlamentares e filiados para estarem nas sedes da Justiça Federal do dia 17 ao dia 20 de janeiro”, disse o dirigente.

Movimentos sociais, representantes religiosos, partidos aliados e sindicatos também serão convocados para participarem de evento no dia 24 de janeiro na sede da Justiça Federal, em Fortaleza. Além da Capital, as movimentações devem ocorrer em Crateús, Itapipoca, Juazeiro do Norte, Sobral, Maracanaú, Quixadá, Iguatu, Tauá e Limoeiro do Norte.

“Vamos realizar essas atividades para marcar presença”, afirmou. Os dirigentes locais até cogitaram participar da vigília que será feita pela executiva nacional, em Porto Alegre, mas os custos da viagem fizeram eles repensar como participariam da mobilização em torno do julgamento de Lula. No próximo dia 8 de janeiro, o partido reunirá prefeitos, vereadores e presidentes municipais para discutir eleições 2018 e os preparativos para as manifestações.

09:44 · 11.12.2017 / atualizado às 09:44 · 11.12.2017 por

Por Miguel Martins

A deputada federal Luizianne Lins (PT) reclamará uma prévia no PT para a escolha do candidato a governador, no próximo ano, se o governador Camilo Santana não apoiar explicitamente uma candidatura do Partido dos Trabalhadores (PT) à Presidência da República, principalmente, se o candidato for o ex-presidente Lula.

Luizianne, a priori, postulará, mais uma vez, um dos 22 assentos da bancada cearense na Câmara Federal, mas não descarta a possibilidade de disputar um cargo majoritário. Recentemente, alguns dos seus aliados admitiam a possibilidade de ela disputar um mandato de deputado estadual, cargo que já ocupou, antes de ser prefeita da Capital cearense.

Ela defende que o partido mantenha a vaga de senador pela base governista, no Ceará, conforme resolução do PT acordada no início deste mês. O senador do PT, hoje, é José Pimentel, mas ele não tem demonstrado disposição de ser candidato à reeleição. Segundo disse, é importante que se fortaleça a base de apoio a um eventual governo petista no Planalto Central.

“Não podemos cometer o mesmo erro de quando elegemos a presidenta Dilma Rousseff. Temos que ter uma bancada forte no Congresso Nacional. Do que vai adiantar eleger um presidente e ele não ter o apoio necessário nas duas casas do Congresso Nacional? Poderá ocorrer outro golpe”, apontou.

Avaliar

Segundo disse, caso nenhum membro do PT se coloque como candidato ao Senado da República, se lançará como nome para a vaga. “Sem candidato ao Senado o PT do Ceará não vai ficar. Eu acho que a vaga natural seria do (senador José) Pimentel, porque ele nos orgulha lá. Ele não sendo ou ninguém querendo ser, aí teremos candidata. Não vai ser por falta de candidatura”, afirmou.

Quanto à disputa pelo cargo de chefe do Executivo estadual cearense, essa a mais polêmica, Luizianne Lins disse que poderá requerer realização de prévias no Partido dos Trabalhadores, caso o governador Camilo Santana não apoie, de forma oficial, a candidatura do ex-presidente Lula à Presidência da República.

“Se por acaso o Camilo não se declarar apoiador do Lula e apoiar o Ciro Gomes, eu vou disputar com ele as prévias de candidata a governadora. O partido iria avaliar, mas eu estarei, dentro do partido, defendendo que o Lula tenha seu palanque dentro do Estado”, afirmou.

Luizianne Lins ponderou, porém, que, como ainda não percebeu por parte do governador do Estado um provável apoio a Ciro Gomes de forma mais clara, não se antecipará com relação ao pedido de prévias. No entanto, disse que espera que os diálogos sejam mais transparentes dentro da sigla. “As coisas precisam estar postas, não podemos ficar vendo uma ou duas pessoas manipulando as outras. Enquanto não ficar claro, não vou sair me posicionando”, destacou a deputada, principal adversária do grupo liderado por Cid Gomes (PDT), principal apoiador da reeleição de Camilo.

Minoritária

A petista afirmou, porém, que já comunicou sua intenção ao presidente estadual do partido, Francisco De Assis Dinis e a uma das lideranças da legenda, o deputado federal José Nobre Guimarães. Luizianne afirmou ainda que mesmo que não ganhe vai defender o direito de convocar prévias internas.

A deputada federal, que já foi presidente do Partido dos Trabalhadores e prefeita de Fortaleza por dois mandatos, hoje, faz parte de uma ala dentro do PT minoritária, com pouco mais de 20% de representatividade. No entanto, a resolução aprovada pelo partido foi, praticamente, em sua integralidade, redigida por membros de tal grupo.

Ela afirmou que não é de seu interesse, pelo menos na conjuntura atual, retornar para a Assembleia Legislativa cearense, por isso deve apoiar candidaturas de aliados petistas ao pleito estadual. Luizianne participou, no sábado passado, do lançamento da pré-candidatura do vereador Guilherme Sampaio a deputado estadual. A parlamentar chegou a falar em “dobradinha” com o companheiro de partido, mas também deve apoiar candidatura à reeleição do deputado Elmano de Freitas.

10:23 · 10.12.2017 / atualizado às 10:23 · 10.12.2017 por
A pré-candidatura de Guilherme Sampaio para deputado estadual foi a primeira lançada pelo PT do Ceará. FOTO: JL Rosa

O vereador Guilherme Sampaio (PT) lançou na manhã de sábado (9) sua pré-candidatura a deputado estadual. O evento contou com as presenças de lideranças do Partido dos Trabalhadores, dentre elas o presidente da legenda, Francisco De Assis Diniz, o senador José Pimentel e a deputada federal Luizianne Lins.

De Assis Diniz voltou a defender uma candidatura forte do ex-presidente Lula à Presidência da República, e lamentou que um nome da envergadura dele, com dois mandatos no currículo, não poderia ir para a disputa sem uma ampla coligação, contando apenas com um eventual apoio do PCdoB.

O dirigente, em suas falas, chegou a sondar a possibilidade de o PDT fazer parte do grupo de apoio de uma postulação petista. A sigla pedetista, no entanto, tem apresentado o nome do cearense Ciro Gomes como seu potencial candidato à Presidência.

Já  Guilherme Sampaio disse que o PT está sendo atacado, e as candidaturas que estão sendo colocadas devem servir para fortalecer o partido. Faz parte da tática do partido ter chapa própria para deputado estadual, e para deputado federal seria outra discussão.

“O PT já deliberou chapa própria para deputado estadual, mas para federal os candidatos poderão discutir mais na frente”. No encontro, Luizianne Lins disse que fará “dobradinha” com Guilherme Sampaio, mas ela também deve apoiar a candidatura de Elmano de Freitas à reeleição.

Guilherme disse ainda que a deputada federal é a primeira opção do partido para a vaga de Senado ao lado de José Pimentel, mas também, dependendo da conjuntura, poderá até ser nome para o Governo do Estado. “O PT vai defender sua vaga no Senado. A Luizianne é nossa primeira opção para um cargo majoritário. Se houver qualquer mudança no percurso, o nome dela é sempre uma opção preferencial no PT”.

09:09 · 20.11.2017 / atualizado às 09:09 · 20.11.2017 por

Por Miguel Martins

Em evento na última terça-feira na AL, petistas se revezaram nas críticas ao Governo Temer Foto: José Leomar

Apesar de serem antagonistas no cenário político nacional, no Ceará, PT e PSDB estão com discursos alinhados contra a gestão do presidente Michel Temer (PMDB). Nos últimos eventos realizados pelas duas siglas, foram muitas as críticas feitas ao peemedebista, tanto no que diz respeito às reformas propostas pelo Governo quanto à interferência do Palácio do Planalto na legenda tucana.

No PT, a aversão ao Governo de Temer é total. Já no PSDB há uma disputa de forças entre aqueles que querem permanecer na gestão e os que defendem uma saída imediata da base aliada, sob o risco de o partido ser prejudicado naquela que é sua maior pretensão: a eleição para o comando do Governo Federal.

Durante convenção estadual do PSDB, no último dia 10, todos os tucanos presentes foram uníssonos nas críticas ao Governo Federal. Da liderança maior, o senador Tasso Jereissati, ao recém-empossado presidente da legenda no Ceará, Francini Guedes, muitos destacaram a necessidade de os tucanos deixarem a administração e se dedicarem a um plano de reaproximação com a população.

Eles chegaram a dizer que o presidente nacional afastado da legenda, Aécio Neves, estaria tomando atitudes, como a de destituir Tasso da presidência interina, a mando do Planalto. Além das críticas ao Governo Temer, os discursos foram direcionados ao PT, ao governador Camilo Santana, ao senador Eunício Oliveira, que preside o PMDB do Ceará, e aos irmãos Ciro e Cid Gomes, líderes do PDT estadual.

Já o PT, durante lançamento da plataforma digital “O Ceará e o Brasil que o Povo Quer”, na última terça-feira (14), somou-se às críticas dos tucanos. Com a presença da presidente nacional do partido, a senadora Gleisi Hoffmann, foram diversas as considerações feitas contra Michel Temer, principalmente no que diz respeito à desconstrução de políticas públicas idealizadas nas gestões petistas.

Diversos petistas se revezaram nas críticas ao presidente, dentre eles os deputados federais José Guimarães e Luizianne Lins, o chefe adjunto do gabinete do governador, Fernando Santana, e os deputados estaduais Moisés Braz, Rachel Marques e Manoel Santana.

Aliados

No Ceará, poucas as lideranças partidárias se expõem como aliadas de Temer, caso do deputado federal Domingos Neto, presidente do PSD. Até mesmo entre peemedebistas há reclamações, como as que têm sido feitas pela líder do partido na Assembleia, a deputada Silvana Oliveira. Outros membros da sigla na Casa preferem o silêncio e não o criticam, mas também não fazem a defesa do presidente.

“Eu entendo que o mínimo que o partido deveria fazer seria se desligar desse mal. O partido não poderia tolerar isso. Não sofrerei avaliação nas urnas sem expor o que penso”, diz Silvana.

09:22 · 15.11.2017 / atualizado às 09:22 · 15.11.2017 por

Por Miguel Martins

Lançamento da plataforma ocorreu um dia após lideranças petistas, inclusive o governador Camilo, participarem de ato da Consulta Popular Foto: Thiago Gadelha

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), senadora Gleisi Hoffmann, participou ontem, na Assembleia Legislativa, do lançamento da plataforma digital “Ceará e Brasil que o Povo Quer”, parte de um projeto colaborativo cujo objetivo é, segundo o partido, a construção de um novo programa para o País. Em seu discurso, ela afirmou que o ex-presidente Lula será candidato em 2018, independentemente de decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Durante o evento, que ocorreu um dia após lideranças petistas terem participado, também em Fortaleza, da abertura da 5ª Assembleia Nacional da Consulta Popular, membros da sigla se revezaram em críticas ao Governo Federal e apresentaram metas de fortalecimento da esquerda no Brasil.

De acordo com a dirigente, a discussão de um projeto para o Brasil não pode se limitar apenas à política eleitoral, mas abranger debates mais aprofundados de melhoria da qualidade de vida das pessoas. Durante o lançamento da plataforma, lideranças petistas defenderam maior aproximação entre o partido e os movimentos sociais.

Segundo Gleisi, a ideia do partido é fazer uma “grande discussão com a população brasileira”, a partir do conhecimento que a legenda adquiriu durante seus anos de Governo. O primeiro tema abordado pela plataforma é o combate à fome, que voltou a crescer no País. Hoffmann frisou que, historicamente, os direitos dos mais pobres foram deixados de lado, e algo só foi feito após as gestões do PT.

Candidatura

Conforme disse, a força do partido foi tamanha nos últimos anos “que foi preciso um golpe para tirar o PT do poder e começaram a desconstrução de tudo o que foi feito até então”. A petista, porém, fez espécie de mea culpa, destacando que a sigla não conseguiu enfrentar a questão da concentração de renda no País.

No entanto, ela sustentou que a população, devido ao que vem sendo feito pela gestão de Michel Temer, olha para o PT com esperança. Em seu pronunciamento, Hoffmann afirmou que o ex-presidente Lula será candidato por dois motivos. “Primeiro porque ele é inocente. Segundo, porque judicialmente, mesmo que o TRF condene ele, temos mecanismos judiciais para que ele se candidate”, disse.

Na análise da dirigente, não há possibilidade de suspensão da candidatura de Lula. Ela disse ainda que há vários casos de prefeitos e gestores que foram acusados e até condenados e, ainda assim, se candidataram, muitos sendo eleitos. Baseada nisso, a petista acredita que Lula será postulante à vaga em 2018.

Gleisi defendeu ainda que é preciso formar uma frente de resistência de centro-esquerda com PDT, PCdoB, PSB e até com o PSOL, uma vez que, conforme informou, está dialogando com lideranças da sigla socialista.

Aproximação

Ex-prefeita e deputada federal, Luizianne Lins aproveitou o momento para cobrar o pleno funcionamento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico na executiva nacional do PT, visto que lidera este setor no partido. Para a petista, a plataforma proposta pela legenda só vai funcionar se seus filiados forem para as ruas com a população.

Luizianne cobrou também que haja uma maior interação entre as alas internas do PT, para evitar dispersão partidária e unir cada vez mais o partido. “Estamos levando pancada desde 2005 com o mensalão e é preciso demonstrar união a partir de agora”, afirmou.

Líder do PT na Assembleia, o deputado Manoel Santana pregou que o partido deve se associar a amplos comitês e tomar a frente das lutas sociais no País, principalmente contra as reformas propostas pelo Governo do presidente Michel Temer. “Esse é o caminho da luta que todos devemos seguir”, apontou.

A deputada Rachel Marques disse que, além dos “retrocessos” impostos pelo Governo Federal, há um avanço de um pensamento conservador e racista no País, que tem se apresentado em propostas como a “escola se partido” e o que se denominou de “ideologia de gênero”.

Representante do governador Camilo Santana no evento, o secretário chefe adjunto do Governo, Fernando Santana, chegou a enaltecer o nome do ex-presidente Lula e foi ovacionado pelos presentes. “Viva o PT! Viva o Lula e estamos juntos!”, disse.