Busca

Tag: Roberto Cláudio


09:47 · 04.10.2017 / atualizado às 09:47 · 04.10.2017 por

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, ontem, mensagem do prefeito Roberto Cláudio, reformulando o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico (CMDE), que passa a ter caráter deliberativo, e não consultivo, como o é desde sua criação, em 2014. O texto foi aprovado com quatro emendas, sendo uma de autoria do presidente da Casa, Salmito Filho (PDT), aprovada na primeira discussão e as outras três no segundo turno.

O líder da bancada do PT, Guilherme Sampaio, fez críticas ao projeto. Ele apoiou a iniciativa de Salmito, que assegura um assento à Câmara no colegiado. De acordo com o petista, a medida assegura uma mínima participação de representantes do povo no CMDE. A vereadora Larissa Gaspar (PPL) também criticou a mudança. “Acho inconcebível que, em pleno século XXI, estejamos propondo conselhos sem a participação da sociedade civil”.

O líder do prefeito Roberto Cláudio (PDT) na Casa, Ésio Feitosa (PPL), declarou que a participação social está assegurada pela presença de um representante da CMFor. De acordo com ele, os vereadores são os representantes da população, contando com a legitimidade do voto popular. O parlamentar também lembrou que uma das emendas determina a criação do Fórum Fortaleza Competitiva, entidade consultiva que contaria com representantes da sociedade civil para avaliar e debater as iniciativas do programa.

Outras três emendas, apresentadas em segunda discussão, foram aprovadas. Uma delas vincula o CMDE à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), enquanto outra retira Coordenadoria de Parceria Público-Privada, justamente por ela ser vinculada à SDE, que já conta com assento no colegiado. A última modifica o texto do artigo 1º, que determina o nome do órgão. Pela justificativa da proposta, a ideia é dar mais clareza ao texto.

Na justificativa, o prefeito Roberto Cláudio afirma que “propositura representa um avanço na modernização da máquina administrativa, e propiciará um alavancamento no desenvolvimento econômico do Município, que passará a ter, de forma atuante e multissetorial, um órgão colegiado que irá direcionar e deliberar sobre as ações do desenvolvimento econômico”.

08:28 · 04.08.2017 / atualizado às 08:28 · 04.08.2017 por

Por Miguel Martins

Alguns secretários municipais de Fortaleza, segundo o prefeito Roberto Cláudio (PDT), serão exonerados no próximo ano para participarem da disputa por vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. Ainda de acordo com ele, alguns vereadores da Capital também já estão na relação de pretensos candidatos a vagas nos legislativos estadual e federal.

O prefeito esteve ontem na Assembleia Legislativa cearense para assinar um acordo com os prefeitos de Caucaia e Maracanaú sobre os limites dos três municípios. Roberto Cláudio é presidente municipal do PDT e, como tal, será um dos protagonistas da eleição na Capital cearense. Na conversa com jornalistas, ontem, ele sinalizou que a prioridade para o pleito de 2018 será a reeleição do governador Camilo Santana (PT) e uma eventual candidatura de Ciro Gomes (PDT) à Presidência da República. Nos últimos meses, o chefe do Poder Executivo Municipal tem aumentado a participação em eventos com o governador do Estado em Fortaleza.

Nos encontros regionais do Partido Democrático Trabalhista, como afirmou Roberto Cláudio, têm se destacado os discursos quanto às duas vagas para o Senado Federal que serão abertas com o fim dos mandatos de José Pimentel (PT) e Eunício Oliveira (PMDB). De acordo com o prefeito há interesse do PDT em indicar dois nomes para a disputa aos cargos, sendo um deles o do ex-governador Cid Gomes.

“Há uma sinalização feita pelo presidente do partido, Carlos Lupi, e por boa parte do partido, de termos dois espaços no Senado Federal. Esse assunto tem crescido dentro do partido, e pretendemos ter dois lugares em uma chapa liderada pelo governador Camilo”, disse.

Como presidente do PDT municipal ele já está conversando com alguns vereadores da sigla e de agremiações aliadas, que têm interesse em disputar a eleição do próximo ano, seja para deputado estadual ou federal. Segundo disse, o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), é um dos que estão trabalhando na possibilidade de disputar uma vaga à Assembleia Legislativa.

No entanto, Roberto Cláudio afirmou que existe também a possibilidade de alguns secretários da Prefeitura serem exonerados para disputarem vagas na Assembleia e na Câmara Federal, sem no entanto citar nomes de pretendentes.

08:55 · 02.08.2017 / atualizado às 08:55 · 02.08.2017 por

Por Renato Sousa

Roberto Cláudio (PDT) discursou por mais de uma hora aos vereadores da Capital. Ele está ao lado do vice-prefeito, Moroni Torgan, na foto com Salmito Filho Foto: Kid Júnior

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) anunciou, na manhã de ontem, que a rede de atenção básica de saúde da Capital deve contar com uma nova forma de avaliação do atendimento por parte dos usuários. Durante discurso de mais de uma hora na Câmara Municipal de Fortaleza, por ocasião da abertura dos trabalhos legislativos deste semestre, o pedetista informou que os postos de saúde passarão a contar com tablets instalados em totens, nos quais os usuários poderão avaliar o serviço, bem como informar eventuais falhas. “Todo cidadão, quando sair do atendimento, vai poder usar um sistema com carinhas para descrever a sua visita”, explicou.

De acordo com o prefeito, as informações do sistema serão repassadas, em tempo real, para a Regional de Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde e para o próprio chefe do Executivo. Segundo Roberto Cláudio, trata-se de um “método de gestão para que possamos tomar decisões em tempo real”. A implantação deve começar já neste mês.

Durante a palestra aos vereadores, o titular do Palácio do Bispo também reafirmou seu compromisso em melhorar a distribuição adequada de medicamentos na Capital, o que classificou como “a maior imperfeição” de seu primeiro mandato. Segundo ele, Fortaleza passará a contar com quatro fontes para a distribuição de remédios. A primária corresponde aos estoques municipais armazenados junto ao Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) – organização social que presta serviços para a Prefeitura na área da saúde –; enquanto a segunda será a compra licitada direta, que permite que a administração municipal compre apenas os remédios em falta.

Uma terceira via será uma ata de cooperação com o Governo do Estado para a obtenção, no caso de escassez, dos remédios mais demandados. E, por fim, Roberto Cláudio apontou as Centrais de Abastecimento, a serem instaladas nos terminais de ônibus. Ele destacou, porém, que a distribuição será limitada aos 84 remédios da atenção básica.

Empréstimos

O prefeito também anunciou a construção de duas policlínicas – no Passaré e no Siqueira –, que devem ser construídas com recursos de um empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os recursos também serão utilizados para a construção de dois Centros Urbanos de Arte e Cultura (Cuca) – nos bairros Pici e José Walter.

O empréstimo com o BID, de acordo com ele, encontra-se na Casa Civil da Presidência da República, aguardando o envio para o Senado, que também precisa autorizar a operação. Um segundo empréstimo, com o Banco de Desenvolvimento da América Latina (Caf), também aguarda o envio para a Câmara Alta. “Já fiz o pleito a nossa bancada de senadores para que isso seja votado o mais rápido possível”.

O prefeito também informou aos presentes quais devem ser as prioridades legislativas de sua administração neste semestre. Duas matérias já tramitam na Casa: a nova Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) e o Código da Cidade. Ele também apontou a Política Municipal de Meio Ambiente e a Lei de Poluição Visual como legislações que gostaria de ver aprovadas até o fim do ano.

12:38 · 01.08.2017 / atualizado às 15:52 · 01.08.2017 por
Roberto Cláudio para os vereadores da Câmara: “Quero agradecer pelos seis meses de relação harmoniosa, construtiva e respeitosa”. Crédito: Kid Júnior

Na abertura do 20º período legislativo de 2017, na manhã desta terça-feira (1), o prefeito Roberto Cláudio realizou uma prestação de contas, apresentando várias ações que serão inauguradas ao longo desse segundo semestre em Fortaleza.

Acompanhado do vice-prefeito Moroni Torgan (DEM) e de grande parte de seu secretariado, o prefeito falou por mais de uma hora na Câmara e listou as principais iniciativas programadas pela administração até dezembro.

São elas:

  1. Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos), originalmente prevista no 1º semestre
  2. Código da Cidade,, originalmente prevista no 1º semestre;
  3. Nova Lei de Poluição Visual;
  4. Política Municipal de Meio Ambiente;
  5. Nova legislação sobre os horários de funcionamento do comércio de rua;
  6. Projeto Fortaleza Competitiva, que consistirá em um pacote de ações para dinamizar a economia local, com o objetivo de gerar mais oportunidades de emprego e renda;
  7. Lançamento de um “Concurso de ideias”, que consiste na seleção de 10 áreas da cidade, onde as três mais votadas pela população receberão um projeto arquitetônico.

Projeto Fortaleza Competitiva

Dentre as ações a serem executadas nos próximos seis meses, o Chefe do Executivo destacou oProjeto Fortaleza Competitiva. O programa atua através da atração de investimentos, via incentivos tributários, desburocratização de licenças, concessões e formação de pessoas para o trabalho.

Relação com a Câmara Municipal

O gestor destacou a importância da parceria com o Legislativo em benefício da cidade de Fortaleza.

“Nesse momento difícil da economia brasileira, agradeço a Casa e ao presidente Salmito Filho. A harmonia dos poderes quer dizer respeito mútuo e interesse pelos temas da cidade. Quero agradecer pelos seis meses de relação harmoniosa, construtiva e respeitosa. Além de gratidão, quero expressar meu respeito pela condução administrativa exemplar.”

 

 

 

09:32 · 20.04.2017 / atualizado às 09:32 · 20.04.2017 por

Por Renato Sousa

O vereador Guilherme Sampaio (PT) usou o tempo de liderança da oposição na Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) para pedir medidas mais efetivas no combate à doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, como a dengue, a chikungunya e o zika vírus. De acordo com o parlamentar, as doenças já atingiram o estágio de epidemias na Capital. “Nos últimos três meses, em Fortaleza, que não teve dengue, teve zika. Quem não teve zika, teve chikungunya. E quem não teve nenhum dos três, teve essa virose que provoca vômito e diarreia”, declara.

De acordo com o vereador, o problema está atingindo não apenas os moradores dos bairros mais pobres, mas também a área nobre de Fortaleza. O parlamentar afirma que, durante a Semana Santa, acompanhou a sobrinha, com chikungunya, em dois hospitais particulares diferentes. E, de acordo com o petista, a situação em ambos era de “uma operação de guerra”.

O petista afirma que é preciso encarar o fato que a cidade está passando por uma epidemia. “Não gosto de ser catastrofista, mas isso é a realidade”, diz. Ele pede que a Secretaria Municipal de Saúde apresente um plano de contingência para enfrentar o problema em Fortaleza.

Preocupação

Entre os problemas nesse enfrentamento, o vereador afirma que um é a falta de estrutura para a atuação dos agentes de endemias em Fortaleza. De acordo com Sampaio, faltam até protetores solares e repelentes para os profissionais. Ele lembra que especialistas apontam que mais de 80% dos focos do mosquito encontram-se dentro das casas. Portanto, os agentes de endemias seriam fundamentais.

O vice-líder do prefeito Roberto Cláudio (PDT), Dr. Porto (PRTB), usou a tribuna da Casa para responder às questões levantadas por Sampaio. De acordo com ele, o tema era de profunda importância e ele próprio não se cansava de tratar dele. “O problema é em toda a Fortaleza e em todo o Ceará”, diz. Segundo o vereador, é provável que a doença comece a ganhar força também na área nobre da Capital cearense.

Para Porto, a Prefeitura tem uma grande preocupação com o tema. Ele diz que o prefeito Roberto Cláudio (PDT) determinou que aconteçam reuniões todas as terças-feiras para debater o assunto e ele próprio estaria presente em todas. Entretanto, o parlamentar destaca a importância da sociedade fazer a sua parte, evitando a proliferação do mosquito. “Bastam dez minutos por semana, e isso já será de grande ajuda”, afirma.

09:05 · 22.03.2017 / atualizado às 09:05 · 22.03.2017 por

Por Renato Sousa

A Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) aprovou, ontem, a mensagem do prefeito Roberto Cláudio (PDT) que altera as regras para a Zona Especial de Interesse Social (Zeis) III na região onde deve ser instalado o Parque Tecnológico e Criativo de Fortaleza, criado por decreto em junho de 2016. Pela nova redação da Lei Complementar, a área da Zeis III situada nos bairros Praia do Futuro I e II, Cais do Porto, Vicente Pinzón e Papicu deixa de ser objeto, exclusivamente, de Operação Urbana Consorciada (OUC) para passar a ser “preferencialmente”. A previsão é de que o Parque Tecnológico ocupe essas áreas.

Benefícios

Segundo a justificativa da mensagem, o texto anterior vinha “impossibilitando o regular exercício do direito de propriedade e, por outro lado, inviabilizando outros investimentos”. De acordo com a justificativa da matéria, não cabe ao Poder Municipal determinar como deve ser exercido o direito de propriedade. “A regra, assim como está (estava), invade a esfera de liberdade do cidadão”, aponta.

Para o líder do prefeito na CMFor, Ésio Feitosa (PPL), a nova redação não enfraquece a Zeis. Pelo contrário. “A Zeis não deve ser vista não só como uma área para a habitação popular, mas também para geração de empregos”, afirma. Segundo o vereador, a modificação foi motivada pela ausência, no texto anterior, de previsão de instalação do Parque Tecnológico na região da Praia do Futuro.

De acordo com o líder do Executivo, o parque “certamente trará muitos benefícios para a cidade”. Ele afirma que não há prejuízo no campo da habitação popular naquele espaço, afirmando que o prefeito também tem dedicado esforços nessa seara.
Durante os debates, a matéria foi criticado pelo vereador Guilherme Sampaio (PT). Para ele, “o mais grave é que mais da metade da área de Zeis III será substituída pelo Parque Tecnológico”.

09:53 · 18.03.2017 / atualizado às 09:53 · 18.03.2017 por

Por Edison Silva

O prefeito Roberto Cláudio tem um projeto de obras para este ano, parecido com o de 2016, quando disputou o segundo mandato Foto: Fabiane de Paula

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) está com um esquema político-administrativo muito bem estruturado que, se mantido ao longo de todo este ano, e oferecendo os resultados planejados, o credenciará, em 2018, como um dos principais eleitores na sucessão estadual, diferente do pleito de 2014, quando, por uma série de fatores, dentre eles o de estar praticamente iniciando o Governo, após o primeiro ano de organização da sua própria arquitetura de gestão, das dificuldades financeiras para tocar as obras em andamento e a falta de uma consistente base de apoio legislativo.

Naquele ano, ainda sob a sombra do difícil resultado eleitoral da disputa municipal, bem acirrada no seu segundo turno, ele teve de assumir a candidatura ao Governo do Estado de um neófito para o eleitorado fortalezense, Camilo Santana, portanto, dependente total do trabalho político de seus aliados no maior colégio eleitoral do Estado, onde, o grupo liderado por Cid Gomes, desde o após Ciro Gomes prefeito desta cidade, eleitoralmente é bem menos expressivo em se comparando com a situação nos demais municípios cearenses. Camilo foi derrotado na Capital.

Equilibradas

As dificuldades da economia nacional, inevitavelmente, poderão tolher, de certa forma, algumas das ações planejadas pelo prefeito, mas, se não forem agravadas, as expectativas dizem que não serão, o essencial do projetado será executado, posto estar o erário municipal suficientemente capacitado para suportar os encargos a ele atribuídos nesse projeto de estabelecimento de metas para todos os setores da administração, como a de sequência das obras e da prestação dos serviços essenciais, notadamente os da Saúde, da Educação e de Mobilidade Urbana.

A partir do segundo ano do seu primeiro mandato, Roberto Cláudio colocou Fortaleza no topo das capitais brasileiras em razão dos ajustes feitos que deixaram devidamente equilibradas a sua arrecadação e as despesas. Foi e é ajudado pelo Estado, com os governadores Cid Gomes (PDT) e Camilo Santana (PT), apesar de toda crise na administração pública brasileira. A Prefeitura está apostando na autorização federal para a contratação de empréstimos externos, já pactuados com organismos internacionais, e a própria União, garantindo obras já previstas para o próximo ano.

O Governo Central pode até continuar dificultando, mas o prefeito, nos longos caminhos já percorridos para vencer a burocracia, e as reservas de peemedebistas em Brasília, tem contado com o apoio do senador Tasso Jereissati (PSDB), não como aliado político, ele sempre tem reafirmado sua posição de oposicionista, mas por ter espírito público suficiente para separar os interesses do Estado e os do seu partido e aliados. A propósito, Tasso também tem dado ajuda significativa ao governador Camilo Santana, nos pleitos do Ceará em Brasília.

Performance

Fortaleza se ressente de um líder capaz de ser um eleitor qualificado nas sucessões estaduais. Juraci Magalhães (PMDB), por uma década, após substituir Ciro na Prefeitura, e até a eleição de Luizianne Lins (PT) para sucedê-lo, mostrou ter o apoio do fortalezense, elegendo um sucessor e voltando ao cargo logo a seguir, mas pouco influenciou na disputa estadual, embora quando candidato a governador em 1994, perdendo para Tasso Jereissati, tenha conseguido uma boa performance na Capital, ao contrário do que aconteceu em 2006, quando disputou uma vaga de deputado federal, somando apenas 26.893 votos, ficando como um suplente do PL ao ter obtido somente 31.226 sufrágios em todo o Estado.

Luizianne Lins, na sua meteórica carreira até chegar à Prefeitura da Capital, tendo passado rapidamente pela Câmara Municipal e Assembleia Legislativa, era apontada como uma liderança emergente. Não conseguiu fazer o seu sucessor, teve uma votação na eleição de deputada federal nada significante para uma liderança local e na última eleição municipal ficou num sofrível terceiro lugar, frustrando todas as suas próprias perspectivas e da companheirada. São poucas as chances de reconquistar as vitórias das primeiras eleições disputadas.

O eleitorado de Fortaleza, como de resto os das muitas capitais brasileiras, difere dos das demais cidades. Ele tem um nível melhor de discernimento e certo grau de independência para a escolha dos seus representantes. Roberto Cláudio sabe disso. Para não cair nos mesmos erros dos seus antecessores, tem sim de fazer diferente tanto no campo político, como, e principalmente, no administrativo, para realmente ser um eleitor qualificado, capaz até de ficar dois anos sem mandato e ser bem lembrado no pleito seguinte.

Ele quer realmente ficar no cargo até o fim do ano 2020 ao dizer que o seu candidato a governador é Camilo Santana, embora o sucesso de seu Governo, neste ano, possa colocá-lo no páreo na sucessão de Camilo.

Encontro

As principais lideranças do PDT cearense vão estar em Brasília, hoje, para a convenção nacional do partido, quando, também, o nome de Ciro Gomes será enfatizado como o candidato do partido à sucessão presidencial. O ex-governador Cid Gomes e o prefeito Roberto Cláudio, no evento, poderão ser eleitos para a direção nacional da agremiação.

Ciro, como dissemos no último fim de semana, tem sido o centro de todas as atividades públicas da agremiação no País. Nos últimos dias ele ocupou vários espaços da propaganda partidária do partido, defendendo suas posições em relação às mudanças que hoje são discutidas no Congresso Nacional.

 

 

11:12 · 17.03.2017 / atualizado às 11:12 · 17.03.2017 por

Por Renato Sousa

Secretário João Pupo anuncia para os vereadores o aumento do número de táxis Foto: Lucas de Menezes

O secretário de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza, João Pupo, disse ontem para os vereadores da Capital que vão ser criadas, aproximadamente, mais 2 mil vagas de táxis, alterando a proporção de hoje de um táxi para cada 500 habitantes para um veículo para cada 350 fortalezenses, que é a média nordestina. A proposta do prefeito Roberto Cláudio deve chegar à Câmara Municipal em maio.

A mudança na Lei Orgânica de Fortaleza já havia sido anunciada pelo prefeito em janeiro deste ano. Segundo o secretário, foi criado um grupo de trabalho envolvendo o poder público, taxistas e os chamados “táxis amigos” – que operam sem licença – para debater o assunto. Ele confirmou que a Pasta estuda também a implantação de táxis elétricos na cidade.

Para o auxiliar do prefeito Roberto Cláudio (PDT), trata-se de um grau de “sofisticação” no setor de transporte. A proporção de novos veículos elétricos deve ficar em torno de 3% e 5% do total a ser contratado pela municipalidade. A licitação para as novas vagas deve ocorrer ainda este ano.

A área do transporte individual público não deve ser a única que deve ter novidades. O secretário afirmou também durante a palestra que até o fim do próximo ano toda a frota de ônibus deve passar a contar com internet wi-fi. De acordo com ele, isso ocorrerá devido a nova tecnologia dos validadores – responsáveis pela leitura dos bilhetes únicos e carteiras de estudante – que serão adquiridos pelas empresas de transporte.

Ônibus

O equipamento já contaria com o sistema para rotear internet. “De forma muito célere, até o fim ano que vem, acredito que 100% da frota contará com wi-fi”, afirmou. Atualmente, cerca de 200 ônibus dos cerca de 1.930 contam com internet. De acordo com Pupo, a experiência da internet nos ônibus é única no Brasil. “São Paulo tentou implementar, teve uma série de problemas técnicos e desistiu”, citou.

O secretário também anunciou que devem ser instalados, ao longo da segunda gestão de Roberto Cláudio (PDT), “trinários” – binários que envolvem três vias – em pelo menos dois pontos da Cidade: Av. Duque de Caxias – envolvendo as ruas Dom Pedro I e Clarindo de Queiroz –, no Centro, e Av. Desembargador Moreira – envolvendo Oswaldo Cruz e Barbosa de Freitas –, na Aldeota. De acordo com Pupo, as duas avenidas deverão dar prioridade ao transporte público. O trinário que se encontra com estudos mais avançados é o da Duque de Caxias.

08:54 · 02.02.2017 / atualizado às 08:54 · 02.02.2017 por

Por Renato Sousa

Na abertura do ano legislativo, Roberto Cláudio entregou ao presidente da Casa, Salmito Filho, a prestação de contas do último ano da gestão Foto: Kid Júnior

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), apontou que a limpeza urbana deve ser uma das prioridades de sua administração neste ano. No tradicional discurso de abertura do ano legislativo da Câmara Municipal de Fortaleza, ontem, o pedetista afirmou que deve contratar uma consultoria para sugerir questões para tratar do tema. “Nós, enquanto líderes desta cidade, enquanto pessoas que devem estar à frente de seu tempo, temos que liderar esse esforço”, disse.

De acordo com Roberto Cláudio, em 2015, Fortaleza era a cidade que coletava a maior quantidade de lixo per capita no País. Ele aponta que a cidade tem desembolsado mais de R$200 milhões para sustentar a coleta do material. “Esse dinheiro não cai do céu. Ele sai do Tesouro”.

Por isso, o prefeito informou que, além da contratação de um estudo, medidas devem já ser tomadas em regiões onde o problema é mais grave. Ele citou, por exemplo, que, na Avenida Leste-Oeste, deve ser implantado projeto piloto em uma extensão de cerca de 1,4km com ciclomonitoramento, ecopontos e lixeiras subterrâneas. Entretanto, o projeto será caro. “Não dá para implantar em toda a cidade”, explicou. Para o pedetista, é preciso uma mudança de consciência para a solução do problema. “Não venceremos esse problema sem uma grande campanha de cidadania”, declarou.

Roberto Cláudio disse também que tem a intenção de aumentar, proporcionalmente, os gastos com Saúde e Educação. Para este ano, ele anunciou que devem ser abertas dez novas creches em tempo integral e cinco novas escolas em tempo integral. Na área da Saúde, voltou a falar sobre a criação de farmácias dentro dos terminais de ônibus. As primeiras devem ser entregues a partir de agosto e, até dezembro deste ano, cada um dos terminais deve ter uma.

Segurança

Acompanhado na visita à Câmara pelo vice-prefeito Moroni Torgan (DEM), o prefeito garantiu que Moroni deve liderar o esforço municipal na área de Segurança “que mobilize os mais diferentes setores da sociedade”. Em entrevista coletiva, porém, ele voltou a afirmar que não está convencido de que armar a Guarda Municipal seja estratégia válida para a gestão. Guardas compareceram à Câmara com faixas demandando o armamento.

O prefeito também afirmou que gostaria de manter o gabinete aberto aos vereadores, aos movimentos sociais e às demais lideranças da sociedade civil. “Eu aprendi uma coisa nesses quatro anos: trabalhar junto com vocês economiza tempo”, declarou. Roberto Cláudio prometeu separar duas tardes por semana para receber vereadores. Na presença de servidores, ele reafirmou, ainda, a capacidade de Fortaleza manter em dia o pagamento dos servidores municipais, destacando que está aberto a discutir demandas do funcionalismo.

09:50 · 31.01.2017 / atualizado às 09:53 · 31.01.2017 por

Por Renato Sousa

O plenário da Câmara Municipal de Fortaleza inicia amanhã (1º) os trabalhos de 2017. A abertura do ano legislativo contará com a presença do prefeito Roberto Cláudio (PDT), que falará sobre as prioridades da gestão municipal para este ano, e prestar contas do que fez em 2016.

Tradicionalmente, a fala do prefeito costuma servir como uma prestação de contas do trabalho do ano anterior, além de apontar quais as prioridades para o ano que inicia. Neste primeiro dia, os pronunciamentos devem ser apenas do prefeito e do presidente da Casa, vereador Salmito Filho (PDT). As sessões plenárias, nas quais todos os vereadores têm espaço de fala e onde ocorrem as deliberações, serão retomadas na quinta-feira (2).

O prefeito já teve uma série de encontros com os parlamentares da nova legislatura ao longo do mês de janeiro. Conforme já havia informado ao Diário do Nordeste, o pedetista destacou, junto aos vereadores, a necessidade de contenção de gastos neste início de mandato. A expectativa é de que ele retome o tema em seu discurso na Câmara.

Até o momento, os vereadores já apresentaram mais de 200 matérias para votação. A maioria é de requerimentos. Quem mais apresentou matérias foi Eliana Gomes (PCdoB), com mais de 50 proposituras.