Busca

Tag: segurança pública


11:35 · 20.07.2017 / atualizado às 11:35 · 20.07.2017 por

O deputado estadual Carlos Matos (PSDB) cobrou ação da Secretaria da Segurança Pública para conter ações de pessoas que segundo expôs, em discursos nesta manhã na Assembleia, estariam infiltradas entre trabalhadores da construção civil, promovendo atos de violência dentro do movimento grevista. “O Estado não é capaz de assegurar a proteção ao patrimônio e a ordem pública.
Já liguei para a liderança do Governo e solicitei audiência com o secretário de Segurança porque os canteiros de obras estão sendo invadidos de forma violenta, até trabalhadores estão sendo atingidos e os sindicatos trazem pessoas de fora do Estado para fazer baderna”, relatou. “A greve é um direito legítimo, não se pode questionar e nem frear, mas criminosos infiltrados com nome de trabalhador é outra coisa”.
Ele apontou que a construção civil gera 70 mil empregos, mas tem potencial de gerar 100 mil. “O Estado deixa de ser atrativo por conta da violência”, alertou, ressaltando números que colocam o Estado do Ceará e Fortaleza no ranking dos locais mais violentos.

08:31 · 14.07.2017 / atualizado às 08:31 · 14.07.2017 por

Por Antonio Cardoso

O deputado Ely Aguiar (PSDC) afirmou, em discurso ontem na Assembleia Legislativa, que há uma “inquietação generalizada” da população cearense em relação à “insegurança” pública. “Não podemos negar que existe esforço do Governo do Estado no sentido de reduzir a criminalidade, mas ela está crescente”.

Ainda nesta semana, parlamentares reclamaram na Casa que falta ao Governo Federal fazer a sua parte no combate à violência nos estados. “Dizer que o Governo Federal não está ajudando é faltar com a verdade. Desde a época do Governo Lula, quando se implantou o Plano Nacional de Segurança Pública, o Ceará recebeu muitos recursos para investir na segurança pública e, inclusive, para a construção de presídios, aquisição de viaturas, armamentos e equipamentos modernos para melhorara a operacionalização”, contrapôs.

Todavia, na opinião de Ely, isso não seria o bastante. “Há a necessidade, também, de mudar o nosso Código Penal, que é de 1940. É obsoleto para os dias de hoje e o crime se modernizou”, disse. Ele afirmou, ainda, que hoje há uma inversão de valores. “O bandido goza de todo privilégio, é tratado como se fosse o cidadão”, apontou. Segundo o deputado do PSDC, se privilegia muito mais os delinquentes do que os que estão a serviço da lei.

Ainda no discurso, Ely Aguiar apontou números da violência registrados neste ano no Estado. “Nessa onda toda, já temos mais de dois mil homicídios no Ceará. A nossa sorte é porque é bandido matando bandido, mas infelizmente as pessoas de bem também são vítimas dessa ação e do fogo cruzado”, lamentou o deputado. “A segurança pública no Estado do Ceará é igual à cantiga de perua. Estamos vivendo uma situação inaceitável sob todo os aspectos”, completou.

12:37 · 20.06.2017 / atualizado às 12:37 · 20.06.2017 por

Ferreira Aragão (PDT) ressaltou que o mais interessante para a população cearense neste momento seria a segurança pública. “Sei que temos um secretário diferenciado dos últimos. E tem disposição, vontade e experiência para fazer muito pelo Estado. Mas vamos somar com ele, dando sugestões. Ninguém é dono da verdade. Não alguém tão sábio que saiba tudo”. Entre as sugestões dadas por ele, defendeu a contratação de mais policiais civis e até a utilização de um ônibus para levar policiais de um ponto a outro nos bairros mais violentos de Fortaleza.

09:01 · 09.06.2017 / atualizado às 12:30 · 09.06.2017 por

Os policiais civis, peritos, soldados e cabos da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Ceará poderão perceber alterações em seus subsídios. Foram assinadas na última quarta-feira, pelo governador Camilo Santana (PT) três mensagens que serão votadas na Assembleia Legislativa, que atinge a essas categorias. Camilo havia anunciado no mês de março durante conversa com internautas, que, além assinar a média salarial do Nordeste para policiais militares e bombeiros do Ceará, daria aumento semelhante aos civis e peritos. Na ocasião o petista havia afirmado que os profissionais da Polícia Civil receberiam o reajuste até o fim de 2018.

Uma das mensagens trata da descompressão das carreiras dentro da Perícia Forense do Ceará (Pefoce), trazendo a organização dos servidores em classes e níveis, tratando ainda da ascensão funcional, que deve ocorrer anualmente, através de promoção ou progressão automática.

A Assembleia também deve votar a média salarial dos inspetores e escrivães da Polícia Civil de acordo com o que se aplica na Região Nordeste. No projeto que ainda chegará ao Parlamento o Governo do Estado aponta o aumento a ser concedido a esses profissionais se dará em duas vezes, sendo a primeira em janeiro de 2018 e a segunda a partir de dezembro do mesmo ano.

Por fim, a terceira proposta do Executivo trata de um reforço temporário a ser repassado aos soldados da PM e Bombeiros, por atividade de execução de serviço militar estadual. O repasse deve iniciar em R$ 70 a partir de dezembro deste ano, dobrando em janeiro de 2018, até atingir R$ 200 em dezembro do próximo ano. O adicional, que é temporário, deixará de ser percebido em dezembro de 2019.

De acordo o secretário da Casa Civil, Nelson Martins, os projetos já estão na Assembleia. Ele explica que a mensagem da Perícia Forense se trata de uma reestruturação do Plano de Carreiras dos servidores. “O impacto sobre a folha de pagamento da Perícia Forense é de R$ 11,9 milhões. Isso representa, um reajuste na folha de 17,6%”, aponta. “Se imaginarmos que estamos com inflação de menos de 4,5% e a a inflação dos últimos meses foi de 3,9%, significa quatro vezes a inflação do ano, sendo, portanto, um reajuste altamente significativo”.

13:55 · 07.06.2017 / atualizado às 13:55 · 07.06.2017 por

O deputado estadual Ely Aguiar (PSDC) alertou, na manhã passada, em discurso na tribuna da Assembleia, sobre o número cada vez maior de assassinatos no Ceará. “Somente nesse último fim de semana foram 66 homicídios e no fim de semana anterior já haviam sido registrados 51”, exclamou.

“Como se pode ficar calado diante de uma situação como esta que vivemos, onde ninguém tem paz? A semana que passou tivemos registros de 11 policiais entre civis e militares que foram atacados por bandidos. Não falo em prédio metralhado. É bem verdade que se trocou o secretário, veio um policial federal para buscar alternativa, mas corre nos bastidores que será candidato a deputado estadual e num clima como o que vivemos, o compromisso de quem assume a pasta não deve ser pessoal, mas com a Segurança Pública que está a ver navios. A nossa população está apavorada. São 66 pessoas mortas em um final de semana”.

“O governo não usa dos jornais, televisões e rádios para falar em redução de mortes. Isso não acontece porque a ficha caiu. Quando o governo anunciava redução do índice de homicídios eu dizia que aquilo acontecia não por ação eficiente na segurança pública, mas em função de um pacto feito pelos diversos grupos de facínoras instalados na cidade”, apontou.

13:54 · 06.06.2017 / atualizado às 13:54 · 06.06.2017 por

A deputada Silvana Oliveira (PMDB) relatou na tribuna ter participado de reunião acompanhada da presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará com o secretário de Segurança Pública, André Costa. A peemedebista apontou que os médicos clamam por mais segurança nas UPAs e hospitais da Capital, Região Metropolitana e Interior. “A presidente relatou que um médico em Sobral teve de lutar com bandidos que tentavam forçá-lo a atender um comparsa sem o uso de luvas. Esse é apenas um dos relatos de agressões”.

De acordo com Silvana, durante a reunião o secretário sugeriu que policiais aposentados poderiam retornar ao trabalho fazendo a segurança nas unidades hospitalares. “Só no IJF são 140 policiais fazendo a vigília de presos nas enfermarias. São policiais que poderiam estar nas ruas”. Neste caso, segundo Silvana a solução apontada na reunião foi a disponibilização de uma enfermaria exclusiva para esses pacientes. “Estão espalhados em diversas enfermarias. Se colocar todos num único local reduz em muito o número de policiais necessários para garantir a segurança”.

09:58 · 12.05.2017 / atualizado às 09:58 · 12.05.2017 por

Um dia depois de o Governo do Estado anunciar os números de crimes violentos letais registrados no Ceará no mês de abril o assunto dominou os discursos na Assembleia Legislativa. Durante quase 30 minutos o deputado Ferreira Aragão (PDT) fez exposição do que para ele seriam os fatores causadores do aumento de homicídios. “Qual polícia no mundo evita morte entre bandidos? A polícia do Canadá, que é a melhor do mundo, evita? Só Jesus Cristo e mais ninguém, pode evitar”.

Segundo o líder da bancada do PDT no Parlamento estadual, dos assassinatos que aconteceram em Fortaleza, 95% foram bandidos matando bandidos. “Como o Governo Camilo Santana pode evitar que um bandido mate ao outro?”, questionou.

Outro fator, de acordo, com o pedetista, seria o que chamou de explosão do crime organizado no Brasil. “Tem ramificações em todo o território nacional e hoje, há uma quadrilha cearense, chamada GDE, que veio de uma torcida organizada. Se transformou numa agremiação de bandidos, fez parceria inicialmente com o Comando Vermelho e hoje é inimiga do Comando Vermelho tendo o apoio do PCC”, apontou. “O preso quando chega hoje numa CPPL em Itaitinga os cabeças mandam escolher uma agremiação. Tem que escolher. E o sujeito que foi preso pela Lei Maria da Penha se sujeita a ir para uma facção criminosa”.

Ferreira afirmou que, enquanto no Brasil não tiver leis duras, os bandidos vão mandar na sociedade, fazer medo aos juízes, enfrentar políticos e governantes. “Estou cansado de falar que a violência é como água suja escorrendo. Vem de cima e escorre na calçada. Você tira a lama da frente da sua casa, mas ela continua a escorrer. Tem que vir na lei. Tem que ter um presidente forte, mas só aparece presidente frouxo nesse país”.

O parlamentar aproveitou para pedir ao governador Camilo Santana que aumente o número de policiais civis. “A Polícia Militar foi aumentada. Os governadores Camilo Santana e Cid Gomes foram os que mais contrataram e investiram em segurança pública no Estado do Ceará”, relatou. “Antes de Cid chegar ao governo, cansava de ver policial empurrando viatura por falta de gasolina, viaturas sem bateria e policiais empurrando para pegar”, disse. “Criticar é muito fácil, todo mundo faz, mas o melhor da crítica é apontar solução. Quando no bojo da crítica vem uma solução. Criticar qualquer menino pode”.

Em aparte o deputado Manoel Santana (PT) aproveitou para também fazer um apelo ao governador. O petista reforçou a cobrança de aumentar o número de policiais civis e pediu que o aparelho “guardião”, que faz auscultas telefônicas, seja descentralizado. “Ele deve ser também implantado no Interior, fortalecendo a capacidade de investigação da Polícia Civil”. Salientou ainda que muitos policiais civis respondem a processos administrativos por conta da última greve deflagrada. “Pedimos que o governador avalie a possibilidade de anistiar esses policiais que respondem a processo por conta da greve, que é direito legítimo do trabalhador. Isso não pode prejudicar as famílias e profissionais que são necessários, por conta de sua experiência”.

Leonardo Pinheiro (PP), disse ser a segurança pública uma área que sempre causa preocupação na sociedade. “No último mês, tivemos aumento da taxa de criminalidade, entretanto, no âmbito geral a taxa vem decrescendo, não na velocidade que queríamos”. Ele chamou atenção que as famílias também precisam fazer a sua parte. “Hoje na favela o super herói da criança, muitas vezes não é mais o policial ou o super-homem, mas o chefe do tráfico. Essa inversão de valores é um dos grandes complicadores no combate a criminalidade”, analisou. “Mas o Governo do Estado tem feito esforço muito grande no sentido de trazer a tranquilidade de volta aos lares cearenses”.

Considerando que o narcotráfico seria o fator mais preponderante para a violência, o deputado Carlos Felipe (PCdoB) disse acreditar no governador Camilo Santana, quando projeta aumentar o tempo de alunos nas escolas. “O Estado do Ceará vai a 27% do ensino médio em tempo integral. Colocar as crianças nas escolas será um grande avanço para o controle da violência.

Sabemos que uma grande parte das pessoas que morrem estão entre 17 e 29 anos, período em que poderiam estar estudando”.

Este ano, conforme relatou, foram dois meses com aumento na criminalidade. “O que atribuir? Porque vinhamos tendo ganho significativo e agora, tivemos números mais altos?”, questionou. “Se atribui a muitas coisas. Uma delas, a ruptura entre facções. Outro fato é a forma de enfrentar o crime. Você pode enfrentar de forma mais direta e violenta, quando prende e transfere um narcotraficante para uma penitenciária e obviamente isso gera revolta no crime. Acho ainda muito precoce para dizermos que essa nova forma de enfrentamento mais forte, nas ruas, seja o resultado”.

Tomaz Holanda (PPS) disse que os dados de abril de 2016 e 2017 registraram forte aumento, mas ressaltou que o governo não estaria inerte. “Sabemos também que o secretário tem sido muito ostensivo no combate e, logicamente o bandido está se sentido desconfortável. O governo tem trabalhado muito nesta questão. Temos um secretário atuante”, opinou.

Por outro lado, Ely Aguiar (PSDC) afirmou não questionar a segurança pública, mas foi duro em dizer que já não caberia mais “conversa fiada” por parte do governo. “Não adianta querer enganar”. Ele também reclamou que a Prefeitura de Fortaleza tenha apresentado proposta de reduzir a velocidade máxima em algumas vias, para 30km/h. “Os bandidos vão assaltar até de bicicleta. Como pode um motorista andar a apenas 30km/h nas ruas da Aldeota? Só pode ser uma alternativa para aumentar a arrecadação de Fortaleza”, criticou. Quem também teceu críticas contra a medida foi o deputado Capitão Wagner (PR). “Vai facilitar a ação dos criminosos. Será essa a medida adotada pelo prefeito na área da segurança?”, perguntou.

 

11:06 · 11.05.2017 / atualizado às 11:06 · 11.05.2017 por

O deputado Ferreira Aragão (PDT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, nesta quinta-feira (11), ressaltando o aumento do número de homicídios no Ceará e a aprovação de dois projetos nas comissões técnicas.

“Não há governador no mundo que evite que um bandido mate o outro”, disse Ferreira ao considerar que o aumento no número de homicídios no Ceará é em decorrência da briga entre facções, que contabiliza 95% dos mortos em abril.

Ferreira ainda comemorou a aprovação de dois projetos aprovados nas comissões técnicas, um de sua autoria e outro do deputado Tin Gomes (PHS). O projeto do pedetista cria abrigos para mulheres vítimas de violência em todas as regiões do Estado; já o de Tin pretende criar uma delegacia que mescle certas atribuições da Dnarc e da Divisão de Homicídios com relação às drogas.

10:37 · 25.04.2017 / atualizado às 10:37 · 25.04.2017 por

A deputada Dra. Silvana (PMDB) subiu à tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, nesta terça-feira (25), para repudiar a atitude do secretário de Segurança Pública, André Costa, de não recebê-la no seu gabinete.

“Não fui recebida pelo secretário. Eu represento mais de 42 mil cearenses e ele não quis nem saber qual era o assunto. Repudio essa atitude dele”, afirmou a peemedebista. Segundo ela, “secretário tem que receber deputado, sim”, seja ele da situação ou da oposição.

O líder do governo, Evandro Leitão (PDT), se colocou à disposição para fazer uma ponte entre a deputada e o secretário. “Eu me coloco à disposição e vou tentar entrar em contato com o secretário no sentido de que ele possa lhe receber”, assegurou.

Tempo integral

A deputada ainda elogiou a atuação do secretário de Educação, Idilvan Alencar, que, segundo ela, “dá retorno a tudo, presta contas e conversa como se fossem iguais”.

A presidente da Comissão de Educação da AL disse ainda que o colegiado pretende aprovar amanhã, em reunião ordinária, o projeto que institui a política de ensino médio em tempo integral na rede estadual de ensino do Ceará.

10:00 · 22.04.2017 / atualizado às 10:00 · 22.04.2017 por

O deputado Dr. Santana (PT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará para tratar da onda de ataques a transportes públicos em Fortaleza e na Região Metropolitana. Segundo ele, “o governo Camilo Santana tem agido com firmeza no combate ao crime organizado. O que foi possível o governador fazer, isso foi feito. Eu acredito que temos as condições para fazer frente a essa bandidagem”, defendeu.

“A gente tem que ter uma estratégia diferenciada neste momento. Estamos sofrendo um ataque, existe uma declaração de guerra contra o Estado”, afirmou o parlamentar ao sugerir que é preciso utilizar a inteligência nesse momento.

Além disso, Santana ressaltou que é preciso ações conjuntas entre federação, estados e municípios. “Acredito que a vitória final sobre o crime organizado passa necessariamente por uma ação pactual entre o governo federal e os estaduais”, pontuou.