Autor: Egídio Serpa


05:47 · 19.02.2019 / atualizado às 05:47 · 19.02.2019 por

O Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (Mapa) promoverá na próxima quinta-feira, dia 21, em Brasília, o seminário Boas Práticas de Fabricação e Autocontrole, que discutirá ações e iniciativas voltadas para o fortalecimento no uso de ferramentas de autocontrole e de boas práticas de fabricação nas atividades reguladas pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA). O evento será aberto pela ministra Tereza Cristina, que já anunciou a decisão de ampliar o autocontrole nas indústrias fiscalizadas pelo Mapa.

Participarão do evento, no auditório do Tribunal de Contas da União (TCU), auditores fiscais federais agropecuários, representantes da cadeia produtiva do agronegócio, gestores do ministério, pesquisadores, consultores, sindicatos e associações do setor e parlamentares.

No sistema de autocontrole, o empresário fica responsável pela qualidade do produto que fabrica e comercializa, e o Estado fiscaliza. Para Tereza Cristina, trata-se de “uma mudança de paradigma”. Segundo ela, o brasileiro parte do pressuposto de que o setor privado pratica ações irregulares e, por isso, precisa da tutela do governo para manter-se na linha. Mas empresário também tem interesse de manter a qualidade de seus produtos. Os desvios, segundo a ministra, constituem a exceção, não a regra.

“O autocontrole que queremos implantar é um sistema mais moderno, transparente, no qual cada agente econômico tenha a sua responsabilidade, assumindo suas decisões e seus atos. Para isso, a Defesa Agropecuária vai cobrar de toda a cadeia produtiva o comprometimento com relação à conformidade de seus produtos”, explicou a ministra.

De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal, o objetivo do seminário é buscar uma harmonização de conceitos, o compartilhamento de experiências, a avaliação de riscos e oportunidades, além do fortalecimento no emprego de ferramentas de autocontrole e de boas práticas no setor produtivo. Alguns setores do agronegócio brasileiro já têm excelentes sistemas de autocontrole em funcionamento, e a ideia é ampliar o uso dessas ferramentas.

05:41 · 19.02.2019 / atualizado às 05:41 · 19.02.2019 por

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), por meio de sua Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE), confirmou a manutenção da acreditação do Laboratório de Medidas Elétricas (LME) do Nutec. A certificação expressa o reconhecimento formal de sua competência para realizar atividades de calibração, conforme Escopo de Acreditação. A avaliação do Inmetro no LME aconteceu nos dias 19 a 21 de junho de 2018.

“A manutenção reforça a confiança do público nos serviços prestados, além de ser importante para as tecnologias aplicadas nas indústrias 4.0, informou Raimundo Montefusco, responsável pela Gerência de Mecânica, Elétrica, Energia e Automação (Gemea).

Montefusco disse que atender aos requisitos de uma norma internacional como a ABNT NBR ISO IEC 17.025 consagra o comprometimento do Nutec com a excelência. Por sua vez, o gerente técnico do LME, Leo Vidal, explica que a acreditação é um “reflexo do esforço e do bom funcionamento de todas as engrenagens do órgão, desde a sua alta direção até o pessoal de suporte que diariamente trabalha na conservação do ambiente de trabalho”.

“Ter um laboratório pertencente à Rede Brasileira de Calibração – RBC – é trazer o Inmetro para perto do setor industrial e contribuir na disseminação da cultura da Qualidade no meio técnico”, acentuou Vidal. Por ser laboratório acreditado pelo Inmetro, o certificado de calibração emitido pelo LME é válido mundialmente, possibilitando atender demandas de clientes internacionais. Atualmente todos os serviços ofertados pelo LME estão no escopo acreditado.

A primeira acreditação do LME foi em maio de 2002. Ao longo dos anos o laboratório evoluiu com a aquisição de novos padrões, proporcionando extensões no escopo, novos serviços acreditados e melhorias nos níveis de incerteza. A próxima reavaliação será em junho de 2020.

05:31 · 19.02.2019 / atualizado às 18:40 · 19.02.2019 por

Resultado de imagem para Prestai atenção e tomai cuidado com o fermento dos fariseusNaquele tempo, os discípulos tinham se esquecido de levar pães. Tinham consigo na barca apenas um pão. Então Jesus os advertiu: “Prestai atenção e tomai cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes”. Os discípulos diziam entre si: “É porque não temos pão”. Mas Jesus percebeu e perguntou-lhes: “Por que discutis sobre a falta de pão? Ainda não entendeis e nem compreendeis? Vós tendes o coração endurecido? Tendo olhos, não vedes, e tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais de quando reparti cinco pães para cinco mil pessoas? Quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços?” Eles responderam: “Doze”. Jesus perguntou: E quando reparti sete pães com quatro mil pessoas, quantos cestos vós recolhestes cheios de pedaços? Eles responderam: “Sete”. Jesus disse: “E ainda não compreendeis?”

Reflexão – “nós também ainda não compreendemos”

 

Os discípulos de Jesus continuavam inseguros quanto à sua sobrevivência e se preocupavam com as coisas materiais, mesmo depois de Jesus mostrar a eles prodígios e milagres como o da multiplicação dos pães e dos peixes. Eles ainda não compreendiam, porque tinham o pensamento obscurecido pelas coisas não espirituais e porque não conseguiam escutar Jesus com o coração. Jesus, então, lhes advertia: “Vós tendes o coração endurecido”? Nós também, ainda hoje, somos inseguros, pois, “tendo olhos, nós não vemos e tendo ouvidos, nós não ouvimos”. O nosso coração também está endurecido porque somos limitados e não distinguimos as coisas mais além do que elas aparentam. Tomamos como base para o nosso entendimento apenas o que sacia as nossas necessidades materiais e emergenciais. Temos fome de Deus e entendemos que a nossa fome é de pão material. Dessa maneira, Jesus também continua nos advertindo sobre o “fermento dos fariseus”, que são, a falsidade, a maldade, a cobiça e a inveja existentes no coração daqueles que dizem estar perto de Deus, mas vivem longe, pois não praticam a Sua Palavra e os Seus ensinamentos. Nós também somos fariseus quando cultuamos a Deus apenas com os lábios, sem nenhuma intenção no coração; quando estamos envolvidos somente com os nossos propósitos e não enxergamos os propósitos do coração de Deus; quando não confiamos na sua providência e nos preocupamos mais com o ter do que com o ser e promovemos guerra com os nossos irmãos por conta de coisas que, apesar de serem passageiras na nossa vida, desejamos possui-las. Deus quer nos dar um alimento eterno e nós litigamos por uma comida perecível. Portanto, abramos os nossos olhos espirituais para enxergar tudo com a visão de Deus e não com a nossa mente limitada. – Você consegue entender espiritualmente os ensinamentos de Jesus para sua vida? – Você tem medo de passar necessidades no futuro? –  Você acredita na providência de Deus? Qual é o pão que você precisa para alimentar a sua vida? – Quem pode dá-lo? – Há sinceridade na sua oração a Deus?

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

05:54 · 18.02.2019 / atualizado às 05:54 · 18.02.2019 por

Em visita à Usina Japungu, em Santa Rita, na Paraíba, onde se reuniu sábado (16) com produtores do setor sucroalcooleiro, a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) defendeu que o Congresso Nacional discuta o decreto assinado pelo ex-presidente Michel Temer, em 28 de dezembro do ano passado, que prevê o fim dos descontos para produtores rurais no pagamento das contas de energia elétrica.

A ministra disse que ouviu queixas do setor produtivo durante a a sua visita de quatro dias ao Nordeste, na semana passada. Tanto os pequenos quanto os grandes produtores reclamaram de altos custos da energia nos quatro estados por onde a ministra passou: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Tereza Cristina disse que foi convidada a debater o assunto na próxima semana com a liderança do governo na Câmara dos Deputados, onde ela soube que já está havendo uma mobilização contra o fim dos descontos na conta de luz.

“O decreto vai contra tudo o que estamos discutindo com o setor produtivo”, disse a ministra aos produtores da Paraíba. Ela explicou, no entanto, que os parlamentares terão de tratar da questão diretamente com a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, a quem cabe dar a palavra final sobre o tema.

O decreto de Michel Temer determinou a redução dos descontos para produtores rurais em 20% ao ano, até chegar a zero daqui a cinco anos. Atualmente o setor produtivo tem uma redução nas tarifas que varia de 10% a 30%.

Os agricultores argumentam que os altos preços da energia impactam muito custo da produção. A ministra ouviu reclamações em todas as reuniões, tanto dos pequenos agricultores que plantam acerola orgânica no projeto Tabuleiros Litorâneos, em Parnaíba, no Piauí, por exemplo, quanto dos produtores do setor de açúcar e álcool da Paraíba.

Na reunião com o setor, Tereza Cristina defendeu também que o Ministério da Agricultura tenha um programa nacional de irrigação para o campo, de forma a tentar melhorar o abastecimento de água para os produtores do Nordeste. Hoje, os programas de irrigação estão vinculados ao Ministério da Infraestrutura. Ela também defendeu o projeto RenovaBio, a política para biocombustíveis que está sendo implementada no Brasil, e disse que vai estudar como fazer a cultura do algodão voltar a crescer novamente no Nordeste.

05:44 · 18.02.2019 / atualizado às 05:44 · 18.02.2019 por

Empresa empresa do grupo J. Macedo com 55 anos de atividades, a Hidracor participa da 2ª edição da Pesquisa Paint & Pintura Regional – Norte e Nordeste, organizada pela Agnelo Editora.

Estão indicados na categoria Personalidades do Ano os seguintes profissionais da Hidracor: Paulo Janousek (indicação em Dirigente), Wilson Carlos de Souza (indicação em Produção), Edson Carlos (indicação em Pesquisa e Desenvolvimento) e André Freitas (indicação em Compras).

A votação, destinada a empresas da área, foi encerrada no dia 5 deste mês. A premiação será realizada no dia 15 de março, em Recife (PE).

A pesquisa é a versão regional do Prêmio Paint & Pintura, conhecido como o “Oscar” do setor de tintas, e prestigia empresas fornecedoras de matérias-primas e seus profissionais que se destacaram ao longo do ano a favor do desenvolvimento sustentável da área.

05:28 · 18.02.2019 / atualizado às 12:04 · 18.02.2019 por

Resultado de imagem para a esta gente não será dado nenhum sinal”Naquele tempo, os fariseus vieram e começaram a discutir com Jesus. E, para pô-lo à prova, pediam-lhe um sinal do céu. Mas Jesus deu um suspiro profundo e disse: “Por que esta gente pede um sinal? Em verdade vos digo, a esta gente não será dado nenhum sinal”. E, deixando-os, Jesus entrou de novo na barca e se dirigiu para a outra margem.

 

 

 

Reflexão – “Quem crê em Jesus não precisa de sinais”

 

Hoje também Jesus dá um suspiro profundo e nos diz: “Por que você pede um sinal? Nós também gostamos de pedir a Deus “um sinal do céu” que corresponda as nossas expectativas e acalme as nossas inquietações! Quando ficamos pedindo sinais a Deus e não prestamos atenção nos sinais que Ele naturalmente nos evidencia, estamos dando prova da nossa pouca confiança Nele e na sua Palavra. Por meio dos simples acontecimentos e fatos concretos da nossa vida o Senhor nos fala e nos anima, no entanto, nós esperamos por coisas extraordinárias que nunca irão acontecer. Por não sabermos distinguir o tempo em que vivemos e as manifestações do Espírito Santo agindo em nós, desejamos segurança, certeza de sucesso e não consideramos o fato de que Jesus Cristo já adquiriu para nós a vitória final. Jesus veio definitivamente cortar em nós o costume do “só vou vendo”, do “quero um sinal para poder acreditar.” Quem crê em Jesus não precisa de sinais para assumir as Suas promessas como verdadeiras. Só a Sua Palavra já é motivo para que permaneçamos firmes na fé. Nós tentamos a Deus quando pedimos a Ele sinais e não percebemos as balizas deixadas por Ele para nós. A Cruz e a Palavra de Deus são uma prova fiel do Seu amor por nós. São sinais de Fé! O Espírito Santo é o grande motivador da nossa fé! O maior sinal de Deus para todos nós é Jesus Cristo que veio como enviado do Pai para nos dar vida e santidade e nos revelar a Sua face amorosa. Não precisamos de sinais, pois o amor de Deus foi derramado no nosso coração pelo Espírito que nos foi dado e é quem age em nós e nos dá sabedoria para discernirmos a nossas inquietações e os nossos desejos.  Você confia sem que precise de algum sinal?  Qual é o grande sinal do amor de Deus por você?  – Qual foi o grande sinal que Deus já lhe deu?

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

04:35 · 17.02.2019 / atualizado às 14:03 · 17.02.2019 por

Resultado de imagem para Bem-aventurados vós, os pobres,Naquele tempo, Jesus desceu da montanha com os discípulos e parou num lugar plano. Ali estavam muitos dos seus discípulos e grande multidão de gente de toda a Judeia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. E, levantando os olhos para os seus discípulos, disse: “Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus! Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados! Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque havereis de rir! Bem-aventurados sereis quando os homens vos odiarem, vos expulsarem, vos insultarem e amaldiçoarem o vosso nome, por causa do Filho do Homem! Alegrai-vos, nesse dia, e exultai, pois será grande a vossa recompensa no céu; porque era assim que os antepassados deles tratavam os profetas. Mas, ai de vós, ricos, porque já tendes vossa consolação! Ai de vós, que agora tendes fartura, porque passareis fome! Ai de vós, que agora rides, porque tereis luto e lágrimas! Ai de vós quando todos vos elogiam! Era assim que os antepassados deles tratavam os falsos profetas”.

Reflexão – “Somos ou não bem-aventurados (as)?”

 

Como é diferente o que Jesus veio nos ensinar do que o mundo secularizado nos ensina! O mundo prega que temos que ser ricos de nós mesmos (as), senhores da nossa vida, independentes. Ensina-nos também que devemos nos saciar com tudo de “bom” e agradável ao nosso paladar e aos nossos olhos.  O Evangelho nos ensina que seremos bem-aventurados (a), isto é, felizes na medida em que tivermos o coração aberto para o Senhor e acolhermos os Seus ensinamentos. Assim, apesar das nossas dificuldades, Ele nos sustentará. Seremos infelizes quando, confiando em nós mesmos (as), nos sentimos fartos e achamos que não precisamos de Deus, por isso, sofreremos as consequências da nossa soberba. O mundo quer anestesiar a nossa dor e nos dá remédios para que nós não soframos e possamos “passar por cima das dificuldades” sem vivê-las. Quem é perseguido no mundo torna-se maldito, infeliz, fracassado. No entanto, Jesus nos manda alegrar-nos com as nossas dificuldades, nos motiva a assumirmos a nossa cruz e nos chama de bem-aventurados porque não dependemos de nós mesmo (as), porque sofremos fome e injustiça. Na verdade Jesus veio transformar toda a nossa dor, nossa miséria, nossas carências, em bênçãos e graças. – Você é bem-aventurado (a), ou não?  – Você também foge do sofrimento? –  Você confia muito em si mesmo (a)? –   Qual a maior recompensa que há para quem sofre com Jesus? – Você possui o reino?

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

06:25 · 16.02.2019 / atualizado às 06:26 · 16.02.2019 por

Maior rede de lojas de produtos Pet e para animais do Brasil, a Cobasi abrirá sua 78ª unidade no Shopping Iguatemi de Fortaleza nos próximos dias, com mais de 24 mil itens.

Para isso, está recrutando profissionais como Vendedor Especializado em Veterinária, Tosador e Líder de seção, entre outras atividades.

Os interessados devem enviar currículos para a Mrh Gestão de Pessoas, empresa encarregada da seleção e recrutamento de pessoal, com o título da área de atuação, como “Médico Veterinário”, por exemplo.

Tudo pelos e-mails selecaomrh1@gmail.com e lorena.lucena@mrhgestao.com.br ou pelo telefone 85.3025.9722, com Lorena Lucena.

06:16 · 16.02.2019 / atualizado às 06:16 · 16.02.2019 por

A operadora de telefonia Oi apresenta Diogo Monteiro Câmara, seu novo diretor de Produtos, Mobilidade e Conteúdo.

O executivo chega para apoiar a companhia em sua estratégia de aceleração do negócio de mobilidade, além do reposicionamento do portfólio móvel. Diogo recebe também a missão de introduzir e desenvolver novos produtos e serviços para clientes dos segmentos móvel, fixo e empresarial.

Engenheiro por formação e com pós-graduação e MBA em Gestão Empresarial pela UFRJ, Diogo tem mais de 14 anos de experiência na indústria de telecomunicações e recentemente ocupou o cargo de Diretor de Marketing para o segmento de pequenas e médias empresas da TIM Brasil.

A área de Produtos, Mobilidade e Conteúdo se reporta diretamente à diretoria de Marketing do Varejo e Empresarial, liderada por Rogério Takayanagi, e terá como foco a rentabilização do negócio, para contribuir com a estruturação da empresa em sua nova fase de investimentos.

06:10 · 16.02.2019 / atualizado às 08:54 · 16.02.2019 por

Toda a grande mídia está a dizer que há uma crise no Governo do presidente Bolsonaro. E que a crise foi causada pelo vereador Carlos Bolsonaro, o Zero 2, um dos três filhos do presidente, que vazou para as redes sociais conversas do pai com o ainda ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebiano.

Mas, na verdade, a atitude de Carlos Bolsonaro parece ter evitado que a crise caísse na sala de trabalho do presidente. O Zero 2 colocou a crise no seu verdadeiro lugar, o gabinete de trabalho de Bebiano.

O que desejava – e ainda deseja – a mídia? Que as denúncias de má destinação do dinheiro do Fundo Partidário pela cúpula dirigente do PSL, na época liderada por Gustavo Bebiano e Luciano Bivar – respingassem no presidente.

Segundo Carlos Bolsonaro, o culpado pelas fraudes detectadas no PSL de Minas Gerais e de Pernambuco são Bebiano e Bivar. Seu pai nada tem a ver com isso.

Há uma clara intenção da grande mídia – na qual estão destacados articulistas tradicionalmente ligados ao PT e à ideologia socialista – de manter o Governo Bolsonaro sob fogo cerrado, na tentativa de inviabiliza-lo. Até o simpático tratamento concedido pelos jornais e redes de tevê ao vice-presidente Hamilton Mourão faz parte dessa estratégia.

Essa estratégia tem tudo a ver com a Reforma da Previdência, que pretende por fim – se for aprovada – aos privilégios de que gozam as corporações do serviço público. É só prestar atenção à marcha dos acontecimentos.

 

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Egídio Serpa

Focado em informações de economia - de investimentos, mercado e empresas, o blog avança pela análise dos fatos políticos que têm direta repercussão econômica.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags