Busca

Autor: Egídio Serpa


05:04 · 20.10.2017 / atualizado às 05:06 · 20.10.2017 por

Uma informação que o blog apurou nos corredores da Federação das Indústrias, segunda-feira, 16, e durante a festa do Pinheiro Supermercados, na última quarta-feira, 18, no RioMar Fortaleza:

As eleições do próximo ano poderão apresentar surpresas aqui no Ceará.

Nos meios empresariais, correm as seguintes informações:

1) O governador Camilo Santana poderá trocar sua reeleição pela candidatura ao Senado Federal em uma chapa que terá Cid Gomes como candidato a governador;

2) O senador Tasso Jereissati poderá candidatar-se a governador;

3) Tanto Tasso Jereissati quanto os irmãos Ferreira Gomes tentam atrair para o seu respectivo lado o senador Eunício Oliveira e, principalmente, o tempo de tevê que o PMDB tem.

Depois de ouvir tudo isso, a impressão que ficou é a de que a política é mesmo dinâmica, mas aqui no Ceará ela é mais do que isso: é surpreendente e sem limites.

04:57 · 20.10.2017 / atualizado às 04:59 · 20.10.2017 por

O Ceará está vivendo o sexto ano consecutivo de baixa pluviometria.

Por causa disso, os açudes secaram. Consequência: os pequenos agricultores e agroindustriais cearenses, cuja produção foi quase nada neste ano, estão devendo, e muito, aos bancos que lhes emprestaram dinheiro, principalmente o BNB e o Banco do Brasil.

O que fazer?

Na quarta-feira passada, a Assembleia Legislativa, por meio de sua Comissão de Desenvolvimento Regional, presidida pelo deputado Carlos Matos, reuniu representantes dos inadimplentes e decidiu que, no próximo dia 23, será criada uma força-tarefa – com BNB, Ematerce e Adagri, entre outros organismos – para mapear os inadimplentes e propor acordos com os bancos credores.

Este blog apurou que o número de pequenos produtores endividados é realmente grande e que eles atuam nos setores de carne, tilápia, mel, carnaúba, camarão, leite, doce e frutas.

Para que se tenha uma ideia do problema, basta dizer que foram feitas pela rede bancária, nos últimos cinco anos, aqui no Ceará, 236 mil operações de crédito para pequenos agricultores e agroindustriais.

04:51 · 20.10.2017 / atualizado às 04:52 · 20.10.2017 por

No ano passado de 2016, o Brasil exportou o equivalente a US$ 836 milhões em frutas.

Pode-se pensar, à primeira vista, que é um grande valor, mas não é.

O Chile, que tem uma área geográfica do tamanho da Bahia, exportou, no ano passado, US$ 4 bilhões em frutas; o Peru, que é menor do que a Bahia, exportou US$ 2,8 bilhões.

Mas o Ministério da Agricultura brasileiro tem uma meta, anunciada pelo ministro Blairo Maggi: exportar, nos próximos cinco anos, o equivalente a US$ 1,5 bilhão em frutas.

Para isso, o Ministério da Agricultura espera contar com os melões, as melancias, as mangas, os mamões e as bananas produzidos no Nordeste, no Ceará, inclusive.

Será possível alcançar a meta do Ministério, desde que a natureza devolva as chuvas que tem negado nos últimos seis anos, sem as quais não será possível recarregar os grandes açudes nordestinos, inclusive o Castanhão, o Orós e o Banabuiú, aqui no Ceará.

04:46 · 20.10.2017 / atualizado às 04:47 · 20.10.2017 por

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) está completando nesta sexta-feira,20, 108 anos de atividades.

Ele foi criado, em 1909,  com o nome de Inspetoria de Obras Contra as Secas (IOCS); em 1919, seu nome foi mudado para Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas (IFOCS); em 1946, passou a denominar-se Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

Foi o Dnocs que construiu as grandes e médias barragens do Nordeste,como Orós (foto). Foi ele também que implantou a rede de estações de pisciculturas da região nordestina.

Também foi o Docs que construiu a base do que é hoje a rede rodoviária e aeroportuária do Nordeste.

O Dnocs foi, durante os anos 60 e 70, a grande universidade do semiárido nordestino, pois dos seus quadros faziam parte os mais renomados engenheiros do País.

Hoje, o Dnocs, que sempre teve sua sede em Fortaleza, está ameaçado de ser extinto ou fundido com a Codevasf.

O Dnocs merece o aplauso dos nordestinos.

04:38 · 20.10.2017 / atualizado às 15:47 · 20.10.2017 por

Naquele tempo, milhares de pessoas se reuniram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: “Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Não há nada de escondido, que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido. Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, no quarto, será proclamado sobre os telhados. Pois bem, meus amigos, eu vos digo: não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto. Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno. Sim, eu vos digo, a este temei. Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais”.

Reflexão – “A todos nós o Senhor guarda com carinho para o Seu dia”

Milhares de pessoas se reuniam para escutar Jesus falar, porém Ele se dirigia primeiramente aos seus discípulos! Portanto, aqueles (as) que estão mais próximos (as) do Senhor são os primeiros que escutam os Seus ensinamentos, logo são os (as) que mais aprendem com o Mestre.  Todos nós que temos comunhão com Jesus, em oração e intimidade com Ele por meio do Seu Espírito Santo, recebemos o alerta para que não venhamos a cair na hipocrisia do mundo. O fermento dos fariseus era a falsidade, isto é, eles falavam o que não viviam e exigiam dos outros, ações que eles mesmos não praticavam. As suas palavras, gestos e ações divergiam do que eles tinham dentro do coração. Faziam julgamentos inconsequentes e não tinham compaixão com os erros das pessoas e, por essa razão eram temidos pelo povo. Jesus, no entanto, pregava a transparência e a verdade, como norma de vida para todos os homens: “Não há nada de escondido que não venha a ser revelado”.  E acrescentava “não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isso”; “temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno.” Deste modo, não tenhamos medo daqueles (as) que tramam contra os filhos de Deus.  Não tenhamos medo de buscar a Jesus, pois, Ele é a verdade e dizer a verdade, é proclamar bem alto o que o Espírito nos inspirar. O Senhor que nos criou sabe tudo ao nosso respeito, sabe da nossa constituição, corpo, alma e espírito e conhece profundamente as nossas intenções. Valemos muito mais que os pardais e nenhum de nós seremos esquecidos (a) por Deus. A todos nós o Senhor guarda com carinho para o Seu dia. – Você tem medo dos homens? –  Você costuma se render aos projetos dos homens por receio de que eles possam prejudicá-lo (a)?-   Você é fiel ao Evangelho, mesmo que seja contra todo o mundo? –  Você é uma pessoa dada a segredos, subterfúgios, ou você é transparente e claro (a) nas suas colocações?

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

11:23 · 19.10.2017 / atualizado às 11:27 · 19.10.2017 por
A Intel, fabricante de circuitos integrados, instalará no começo do próximo ano um Centro de Excelência em Inteligência Artificial dentro do Parque Tecnológico do Campus do Pici, da Universidade Federal do Ceará (UFC). A novidade foi anunciada durante o workshop Aplicação de Inteligência Artificial nos Negócios, realizado  na Federação das Indústrias, em parceria com a Intel e UFC, com o apoio do Conselho Temático de Inovação e Tecnologia da Fiec (Cointec).
O Centro será coordenado pela empresa AI2Biz Lab, braço da Intel no setor acadêmico, e caracterizada por ser uma extensão de outro, que existe na Universidade Federal do Rio de Janeiro. O novo centro vai propor soluções tecnológicas e inovadoras em inteligência artificial aplicadas às industria cearense. Ele será ponte entre as pesquisas acadêmicas e mão de obra existente nos cursos da UFC, com indústrias dos mais diversos ramos e portes.
O workshop serviu como ponta pé inicial de instalação do Centro com o objetivo de promover discussão de temas como eficiência operacional, otimização de recursos e redução de custos diretos e indiretos através da aplicação de tecnologia de aprendizado de máquina nos processos de negócio. Os professores da UFC apresentaram casos de uso pertinentes a esses desafios em diversas indústrias, de áreas como siderurgia, energia, saúde, água e alimentos e bebidas.
O presidente do Cointec e também do sindicato da Indústria Eletrometalmecânica do Estado (Simec), Sampaio Filho disse que a Intel e a UFC procuraram a Fiec já sabendo do trabalho desenvolvido aqui para aproximar o setor produtivo da academia. O representante da Intel, Fábio Zuvanov, enfatiza que o Centro chega em um momento de grande revolução digital que tem quebrado paradigmas nos negócios. “A transmissão digital de dados tem revolucionado setores como comércio e serviço. Até a indústria, com caráter conservador, tem se rendido a transmissão de dados em nuvem em atividades fins. A nossa ideia é unir a criatividade das pesquisas acadêmicas ás necessidades da Indústria”, destacou.
O CEO da AI2bizlab, Francisco Dutra, que será a ponte da Intel dentro da UFC, disse que o papel de sua empresa será fornecer a mão de obra, recursos tecnológicos e infraestrutura necessários para as demandas das indústrias cearenses.”Se não conseguimos atender à demanda aqui, iremos buscar ideias e soluções fora do Estado e do País com o apoio da Intel”, esclareceu.
04:42 · 19.10.2017 / atualizado às 04:43 · 19.10.2017 por

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Governo do Ceará, César Ribeiro, revelou para empresários da indústria, com os quais se reuniu segunda-feira, 16, à noite na Fiec, que deverá ser celebrado no próximo mês de fevereiro o contrato que transferirá a gestão do Complexo Industrial e Portuário do Pecém para o Porto do Roterdã.

Haverá, pois, um atraso de dois meses, pois essa celebração estava prevista para o mês de dezembro deste ano.

César Ribeiro disse que o contrato envolve aspectos complexos que estão sendo detidamente analisados e solucionados, para o que trabalham em conjunto os maiores escritórios de advocacia do País, além da Procuradoria-Geral do Estado.

O secretário César Ribeiro também revelou que as autoridades do Porto de Roterdã conhecem o Porto do Pecém melhor do que os próprios cearenses, pelo que estão informados até dos entraves ligados à fiscalização da Receita Federal e do Ministério da Agricultura.

Ele  assegurou que, até a assinatura do contrato, todos esses entraves estarão superados.

04:36 · 19.10.2017 / atualizado às 04:38 · 19.10.2017 por

Por causa da baixa pluviometria que há seis anos castiga o Ceará, os açudes do Estado estão ou completamente secos ou em vias de secar, como é o caso do Castanhão e do Orós.

O Banabuiú secou totalmente.

Pois bem: em razão dessa falta de água, a criação de tilápia – o peixe mais consumido pelos cearenses e por todos os nordestinos – chegou, no Ceará, a um nível perto de zero.

O empresário Bessa Júnior, que é pecuarista e também criador de tilápia, diz, em tom de lamento, que a crise da tilapicultura é grave e será ainda mais agravada se as chuvas não voltarem logo.

Hoje, a criação de tilápia está restrita às fazendas que usam a água salobra de poços profundos, principalmente na região do Jaguaribe.

04:33 · 19.10.2017 / atualizado às 04:33 · 19.10.2017 por

Tramita no Congresso Nacional um projeto-de-lei que muda a legislação das Zonas de Processamento para Exportação (ZPEs).

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Ceará, César Ribeiro, considera muito difícil a aprovação dessa proposta, que eleva de 20% para 40% a parte da produção das empresas das ZPEs destinada à comercialização no mercado interno brasileiro.

Hoje, a lei diz que  80% do que é produzido, por exemplo, na ZPE do Ceará  têm de ser exportados, e só 20% podem ser vendidos no mercado interno.

César Ribeiro explica que dificilmente essa proposta será aprovada, pois há um lobby da indústria das regiões Sul e Sudeste que já se levantou contra ela. Resumindo: a atual a Lei das ZPEs atual deverá ser mantida.

A propósito: a única ZPE que existe e que opera normalmente no Brasil, com indústrias dentro dela, é a ZPE do Ceará. É na sua geografia que está a usina da Companhia Siderúrgica do Peém.

04:24 · 19.10.2017 / atualizado às 04:26 · 19.10.2017 por

Já está na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – para validação  e registro – o pedido de validação das longas pesquisas científicas que foram feitas, aqui no Ceará para o uso da pele de tilápia no tratamento de pessoas vítimas de queimaduras (foto).

Essas pesquisas, coordenadas pelo Instituto de Apoio ao Queimado – uma ONG dirigida pelo Dr. Edmar Maciel Lima Júnior – tiveram 100% de sucesso, pois, além de encurtar o tratamento e de minimizar a dor do queimado, reduziu em 50% os seus custos.

Este é o lado bom desta informação. Mas há o lado, digamos assim, ruim:

É que a velocidade de análise dos técnicos da Anvisa é a da tartaruga.

Um pedido de registro na Anvisa às vezes demora até cinco anos.